Jovem Morre por enforcamento em Vargem Grande

Destacado

Ilustração

O jovem Wellington Medeiros de Oliveira de 22 anos, que visitava seus familiares em Vargem Grande e estava há aproximadamente 10 dias na casa deles, na rua Simplício Oliveira, deu cabo a sua vida por enforcamento.

Essa não é a primeira vez que Wellington tenta contra a existência. A alguns anos atrás em Fortaleza-Ce, ele tentou contra a sua existência fazendo uso de veneno, foi socorrido e retornou para o Maranhão.

Depois dessa tentativa em que foi salvo, segundo familiares, ele dizia que agora é que estava com coragem de se matar.

Wellington atualmente vivia com sua mãe em Imperatriz e veio visitar seus familiares em Vargem Grande tendo dado fim a sua existência em sua terra natal. O suicida é filho do empresário Welson Oliveira, neto da vereadora Conceição. Externamos nosso pesar a família enlutada.

Assaltante da agência dos Correios no Anjo da Guarda é preso em São José de Ribamar

Destacado

A Polícia Civil do Maranhão, por intermédio da Delegacia Especial de São José de Ribamar e DCRIF/SEIC, prendeu o assaltante Rômulo Gustavo Teixeira da Silva, de 24 anos, pela prática do crime de roubo à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos ECT, no bairro Anjo da Guarda, em São Luís, crime ocorrido no dia 22 de janeiro de 2016.   
A prisão do assaltante foi efetuada na quarta-feira (20), , no bairro do São Raimundo, em cumprimento a mandado de prisão temporária.
Rômulo Gustavo já teria sido preso em outra oportunidade por policiais federais por ter participado do roubo aos Correios do Aeroporto Internacional de São Luís em junho de 2017.
Após os procedimentos legais, Rômulo Gustavo foi encaminhado ao Centro de Triagem São Luís, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Homem é preso acusado de estuprar enteada de 10 anos em Timon

Destacado

A Polícia Civil de Timon prendeu um homem identificado como Francisco das Chagas de Araújo de Sousa, foi preso na noite de terça-feira (19). A prisão foi em razãou em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela 3ª vara criminal de Timon.
De acordo com a polícia, Francisco das Chagas, estuprou sua enteada durante 10 anos, sendo que ele começou a estuprar a vítima quando a mesma tinha 05 anos e só parou quando sua enteada completou 15 anos e denunciou o criminoso.
O criminoso foi condenado a 13 anos 09 meses e 14 dias de prisão pelo crime de estupro de vulnerável.
A prisão de Francisco das Chagas aconteceu em sua residência no povoado Pote, zona rural da cidade de Timon.

O Dia “$”: A Grande Mídia asfixiada no que mais gosta: dinheiro

Destacado

4

No dia em que os poderosíssimos presidente da Confederação Nacional da Indústria e 3 presidentes de Federações da Indústria estaduais foram presos.

No dia em que veio à tona um furo de 400 milhões de reais nos últimos 17 anos no “Sistema $”.

No dia em que o tal do Paulo Preto, operador do P$DB e acusado de ser o dono de um “bunker” com 100 milhões de reais em dinheiro vivo, com notas que precisam tomar banho de sol para não ficar mofadas foi novamente em cana.

Bem nesse dia, o $i$tema Globo de comunicação gasta 2/3 do tempo das suas editoriais políticas com notícias da exoneração de um ministro sem voto, sem voz, sem prestígio e sem caráter.

Quantos milhões a Fundação Roberto Marinho (cuja caixa preta precisa $er aberta) e as empre$a$ Globo viram ir para o ralo no seu conta-corrente, hoje? E Veja? E a Folha?

A grande mídia está sendo a$fixiada no que mais gosta: dinheiro.

Lá no fundo do lodo, nós vamos ver todos os “$ócios” deste lucrativo negócio chamado de CORRUPÇÃO!

E vamos ver que esses empreendimentos não são bancados só por políticos.

Quero ver algum ministro do Supremo ter culhões (com perdão pelo uso da expressão chula) para soltar alguém dessa gangue!

Eh! O Brasil está mudando!

E vem mais pela frente…

Aguardem…

MIGUEL GUSTAVO DE PAIVA TORRES Zé Pelintra, Pomba Gira e o Cavalo no Terreiro do Brasil

Destacado

Quem escapa da morte nunca mais é o mesmo. O abraço com o nada e o susto da eternidade provoca uma reação química no espirito do quase morto. E tem a luz. A famosa luz que encanta, como o canto de uma sereia, e apavora, como a visão das 72 virgens à espera dos eunucos barbudos. E os ladrões sentem um prazer especial em morrer impunes. Não pelo dinheiro arrecadado, mas pela sensação do poder que chega impune e vencedor, à beira da morte. Assim foi com Judas e suas trinta moedas, antes de sua convocação à forca pelo demônio. Passaram-se   dois mil e dezenove anos desse corte temporal da história ocidental, e foi-se a esperança que restava na caixa de pandora. Voou pelos ares e baixou no cavalo de um novo messias, forte e macho, que quer comer todo mundo e dar um jeito definitivo no paraíso do mal: o Terreiro do Brasil, morada permanente do Zé Pelintra e da sua bela Pomba Gira. Charuto de rico e cachaça de pobre se misturam, na chuva, com o sexo da pomba gira e o sangue dos inocentes, trovões, raios, e ouro, muito ouro. O metal preferido do demônio, alquimista da alma humana. Nesse terreiro nunca baixou o santo guerreiro, derrotado em todas suas tentativas de baixar no cavalo arredio do novo messias. Mesmo com todas as galinhas e galos pretos e carneiros sacrificados, os donos do terreiro nunca estão satisfeitos e sempre exigem mais sangue e mais ouro para si e para os seus sacerdotes da política e dos negócios.  Juros sobre juros na montanha de dinheiro que formou o maior lixão humano da história dos terreiros. Deus é o maior devedor desses agiotas da miséria. Calmo e sereno, como sempre, espera o momento certo,  para mandar baixar no cavalo da luz,   o fogo  que derrete o ouro, a ambição e a crueldade das milícias do demônio, que protegem os donos do terreiro e já ocuparam até um hospital federal  em Bonsucesso, no Rio de Janeiro, para cuidar dos  feridos e queimados da turma do Zé Pelintra.

Miguel Gustavo de Paiva Torres é diplomata.

Duas pessoas morrem atingidas por raio na zona rural de Buriti no Maranhão

Destacado

Duas pessoas, um jovem e um idoso, morreram após serem atingidas por um raio no povoado Baixo do Jatobá, no interior de Buriti (MA), no início da noite desta terça-feira 19. JOSÉ SANTOS MACEDO, de 60 anos, e DENILSON RODRIGO DE SOUSA CHAGAS, de 19 anos, estariam abrigados embaixo de um pequizeiro, região de Chapada, quando, por volta das 18h, foram atingidos por um raio e acabaram morrendo. Chovia no local pela ocasião da fatalidade.
Assim que os corpos foram encontrados foi acionado o pedido de ajuda e um carro da Secretaria Municipal de Saúde os levou para o Posto de Saúde Oswaldo Faria, no centro da cidade, para os procedimentos cabíveis. Lá foi confirmada a morte das vítimas. 
Ambos eram naturais de Buriti e moravam em povoados próximos. 

Acusado de executar prefeito de Buriti Bravo é condenado a 20 anos de prisão

Destacado

A Justiça condenou a 20 anos, 10 meses e 15 dias de prisão, em regime fechado, Wyltamar Costa da Silva. Ele é acusado pelo Ministério Público de ter executado o ex-prefeito da cidade de Buriti Bravo, João Henrique Leocárdio, em 10 de março de 2005.
Segundo a Justiça, o crime foi premeditado e motivado por um acerto de contas. O corpo foi encontrado ao lado do carro de João Henrique, em uma estrada do município. Próximo ao corpo havia um revólver calibre 38 com quatro cápsulas intactas e uma deflagrada.
Após o crime, o Ministério Público do Maranhão denunciou o ex-prefeito de Buriti Bravo, Wellington de Jesus Fonseca Coelho, Antônio Marcos Alves da Costa e Wytamar Costa da Silva. Em 2017, o processo seguiu apenas em relação a Wytamar Costa, após a morte dos outros dois denunciados.
Na sentença desta segunda (18), o juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior aumentou a pena por alto grau de reprovação da conduta, envolvendo a premeditação do crime e acertos entre os envolvidos. O magistrado também destacou o cumprimento imediato da pena e negou a Wytamar o direito de recorrer em liberdade.

Supermercado Almeida estará em breve em novo endereço!

Destacado

O Almeida supermercado, em breve estará em sua sede própria para melhor atender a sua cliente-la. A Direção do supermercado, está preparando um ambiente bem mais amplo e confortável, para conforto e comodidade dos seus clientes e amigos.

Pensando em você estamos investindo cada vez mais em pessoal, tecnologia, primando sempre pelo melhor atendimento, que isto é que nos revigora como meta de nosso trabalho.

Nesse período do carnaval, temos um vasto estoque de bebidas, e outros utilitários para você brincar bem e economizando no período momesco.

Não esqueça, e sempre que precisar de produtos alimentícios como carnes e seus derivados, de buscar os serviços do Frigorífico Almeida, localizado em frente o Almeida Supermercado da Av. Castelo Branco.

Em breve, teremos enorme prazer em anunciar o nosso novo endereço, que fica na av. José Magalhães, próximo onde estivemos por um bom tempo atendendo a todos que procuravam nossos produtos e serviços.

Nossa maior certeza, é que buscamos sempre o aprimoramento para servi-los cada vez com maior presteza e pontualidade.

Bandidos fazem reféns e levam dinheiro da Magazine Luíza em Chapadinha-MA

Destacado

Foto: Blog do Foguinho

Uma loja da Magazine Luíza em Chapadinha foi invadida nesta terça-feira (19/2) por homens armados que estavam no local, entre clientes e funcionários. De acordo com informações do Blog do Foguinho, o assalto ocorreu por volta das 18h30.  Aproximadamente seis bandidos, anunciaram o assalto levando dinheiro e aparelhos eletrônicos. Funcionários foram feitos reféns por cerca de uma hora. Todos foram levados para o segundo piso da loja.  

Os funcionários relataram  que a loja  estava com os portões baixados, mas ainda havia  clientes finalizando as compras. Assim que os clientes saíram,  os bandidos aproveitaram  para entrar na loja e anunciar o assalto.

A Polícia Militar informou, que a quadrilha levou todo sistema de câmeras de segurança. Os policiais acreditam que o bando seja especializado neste tipo de ação. 

LUÍS FERNANDO PODE ASSUMIR CARGO NO GOVERNO FLÁVIO DINO

Destacado

W

O atual prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), pode ser anunciado como mais um dos novos secretários do governo Flávio Dino (PCdoB).

Ele foi convocado para uma reunião às 16h de ontem (19) no Palácio dos Leões, onde deve ter  acertado detalhes sobre o assunto com o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB).

Se aceitar integrar a equipe do comunista, o tucano deve abrir mão da Prefeitura, num movimento que já fez em 2011, quando deixou o Executivo municipal para assumir a Casa Civil no governo Roseana Sarney (MD).

Fonte: Gilberto Léda

Áudios confirmam que Bolsonaro só tratou uma vez sobre ‘laranjas’ na eleição

Destacado

Dos sete áudios de Bolsonaro, só um menciona o caso do PSLR

Apenas um dos sete áudios de Bolsonaro para Bebianno tratou do caso PSL. Foto: José Cruz

Os áudios vazados nesta terça (19) confirmam o que o presidente Jair Bolsonaro e o filho Carlos afirmaram. O ex-ministro Gustavo Bebianno deu a entender que havia conversado três vezes com o presidente sobre “laranjas do PSL”, mas os áudios revelam que não foi nada disso. Mostram que o presidente só tratou do caso PSL uma vez. Em todos, ele se mostra irritado com Bebianno sobre vários assuntos. Certamente por isso, Carlos, que viu tudo, chamou-o de “mentiroso”. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

No total, Bolsonaro enviou sete áudios, por Whatsapp, todos para reclamar de “pisadas de bola” do ex-secretário geral da Presidência.

Bolsonaro reclamou de vazamentos para a Folha e um blog, dos quais o ex-ministro seria fonte, e de outras iniciativas desastradas.

Um dos assuntos que indignaram Bolsonaro foi a descoberta de relações entre Bebianno e um diretor da TV Globo, logo a Globo.

Bebianno pode ter agido de boa fé, ligando-se à mídia que o governo acha hostil, mas não poderia fazê-lo sem conhecimento do presidente.

ROBERTO VELOSO A legítima defesa do projeto anticrime

Destacado

Após uma carreira de sucesso nas passarelas, a modelo passa a ser apresentadora de programa de televisão. Em razão da simpatia e beleza, adquire milhares de seguidores nas redes sociais. Um deles, jovem ainda, passa a ter um amor platônico e doentio pela ex-modelo. Ele começa a declarar o seu sentimento nas páginas dos aplicativos, mas ninguém imaginava que um dia o rapaz pudesse levar ao extremo a sua paixão doentia, evidentemente não correspondida.

Certa manhã, sabendo que a apresentadora estaria na capital de seu estado, arma-se de um revólver e sai da sua cidade do interior para tentar, a todo custo, encontrar a sua idolatrada. Hospeda-se no hotel onde a ex-modelo está instalada e, no corredor do quarto, coloca o revólver na cabeça do cunhado da artista e o faz abrir a porta. Dentro do quarto estão a apresentadora, o cunhado e a esposa dele.

O suposto fã começa a aterrorizar e ameaçar a todos, apontando a arma, falando palavras desconexas e dizendo que faria roleta russa com os reféns. O cunhado, único homem na cena do crime, inicia uma luta corporal com o jovem e, durante a disputa, consegue tomar-lhe o revólver e desfere três tiros contra a cabeça do agressor.

Inicialmente, o cunhado é aclamado como herói pela opinião pública até que, para surpresa geral, é denunciado pelo promotor pela prática do crime de homicídio doloso, cuja pena máxima é de 20 anos de reclusão. As pessoas ficaram atônitas diante de tamanha injustiça. Quem tinha sido herói agora estava ameaçado de amargar muitos anos de cadeia.

É para evitar esse tipo de situação – acusações contra pessoas que agem para salvar a própria vida ou de terceiros – que o ministro Sérgio Moro propõe uma regra para impedir denúncias e condenações de cidadãos que, vítimas de agressões injustas, não tem condições de contar, nas circunstâncias, como se fosse um computador, a quantidade de tiros para se livrar de um ensandecido.

O professor Alberto Tavares escreveu ao defender um agropecuarista acusado de homicídio: “Há de ser levado em conta o inevitável furacão emocional que tolda a razão de quem, surpreendido pela subtaneidade de agressão injusta, depara-se com o dilema de matar ou morrer, ao sopro do mais forte dos instintos: o instinto de conservação.”.

Lemos Sobrinho, saudoso penalista brasileiro, diz que não se pode exigir o sangue frio necessário de um homem repentinamente atacado para, a título de exemplo, administrar uma arma de fogo como a pistola ou o revólver, de modo a medir e calcular os disparos e seus efeitos.

A regra apresentada é necessária, mesmo que a redação tenha sofrido tantas críticas, porém o aprimoramento redacional é possível, seja na proposta definitiva a ser enviada ou na discussão e aprovação do projeto no parlamento. O que não pode e nem deve acontecer é mandar para a cadeia o que se encontra em situação de iminente risco de morte, em razão de não ter podido, nas circunstâncias, calcular a reação à agressão diante do seu estado emocional de preservação da vida.

Roberto Veloso, juiz federal, foi presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe).

Diretor morre eletrocutado em escola que trabalhava na zona rural de Pinheiro

Destacado

Uma tragédia aconteceu na tarde desta segunda-feira (18) no povoado Montes Claros zona rural do Município de Pinheiro. Antonio Aparecido Ribeiro Soares que era diretor da escola pública do povoado teria sido encontrado já sem vida na sala de informática , o neto do diretor foi quem encontrou já desacordado, ele estava com uma fita isolante enrolada no dedo, o que dá a entender que ele poderia está fazendo algum reparo em alguma tomada e teria levado um choque.
Antonio Aparecido que também era professor e dirigente da igreja católica do povoado, ainda chegou a ser levado para o Hospital mais não resistiu e morreu.
Até o momento a Prefeitura de Pinheiro não se manifestou.

Prefeitos no Maranhão terão que exonerar servidores por acúmulo de cargos diz TCE

Destacado

Prefeitos do Maranhão terão que encarar um desgaste político para resolver um problema histórico e existente na maioria dos municípios maranhenses.Desde o primeiro semestre deste ano, o Tribunal de Contas do Estado solicitou que todas as Prefeituras do Maranhão, incluíssem no sistema municipal o nome de todos os servidores públicos municipais.O Tribunal Contas Estado, quer  fazer o cruzamento de dados entre as Prefeituras do Maranhão para encontrar casos que podem estar burlando a legislação. Situações como por exemplo, de servidores concursados em dois municípios com contratos acima do permitido, servidor que é concursado como professor e agente de saúde, ou seja, vai tentar detectar irregularidades existentes.As Prefeituras do Maranhão, diante dessa situação, foram informadas, no início do mês, após reunião no TCE, que teriam até o fim de novembro para exonerar os servidores que estavam com acúmulo de função, no intuito de atender a determinação do órgão fiscalizador.Pelas informações obtidas pelo Blog do Júlio Diniz, existem servidores com até dez matrículas e seriam mais de 60 mil casos de duplicidade de matrículas.Fatalmente irá gerar um desgaste enorme para os gestores, mas se os prefeitos não agirem conforme a recomendação do TCE, deverão ser denunciados pelo Ministério Público e enquadrados no crime de prevaricação, sofrendo o risco de inclusive perderem o mandato. Além do fato de que o próprio servidor poderá também ser denunciado.

PREFEITURA DE PRESIDENTE VARGAS TERÁ QUE REALIZAR CONCURSO PÚBLICO

Destacado

O Ministério Público do Maranhão e a Prefeitura de Presidente Vargas firmaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) na última terça-feira, 12, estabelecendo a realização de concurso público para provimento de cargos na esfera municipal com o lançamento do edital até o dia 15 de abril deste ano.

As provas, segundo o prazo firmado no TAC, devem ser aplicadas até 15 de julho. O chefe do Executivo comprometeu-se a concluir e homologar o certame até 1º de outubro e a iniciar a posse e nomeação dos aprovados a partir de 20 de dezembro, dispensando os servidores temporários que estejam ocupando cargos nos quais haja candidatos aprovados no certame.

O Município de Presidente Vargas comprometeu-se a não manter nos quadros de pessoal, após 20 de janeiro de 2020, pessoal contratado para cargos que, sob qualquer outra denominação ou fundamento, exerçam as mesmas funções de natureza permanente, ressalvadas as hipóteses de contratação temporária de caráter excepcional, previstas na Constituição Federal.

A data é o limite para que a administração municipal se abstenha, definitivamente, de contratar ou nomear funcionários para o exercício das funções inerentes aos cargos providos por concurso. Todos os comprovantes de cumprimento de cada etapa do certame devem ser remetidos, em até 48 horas, à Promotoria de Justiça de Vargem Grande, da qual Presidente Vargas é termo judiciário.

Com a assinatura do TAC fica impedida a criação de cargos comissionados cujas funções não sejam de direção, chefia ou assessoramento. Assim como a Prefeitura deve extinguir, em até 15 dias, qualquer cargo de confiança e em comissão que não se destine estritamente às referidas atribuições. Em caso de descumprimento de qualquer cláusula, será aplicada multa diária de R$ 1 mil.

Paulo Curió se reúne com o Deputado Federal Pedro Lucas (PTB) e o ex-deputado Pedro Fernandes e discutem demandas para Turilândia

Destacado

O líder político Paulo Curió acompanhado de sua esposa Dra. Eva do município de Turilândia localizado na baixada maranhense, estiveram reunidos com o Deputado Federal Pedro Lucas do PTB para discutirem demandas para o município como a situação dos ribeirinhos em relação às grandes chuvas, a reforma da ponte José Sarney que liga Turilândia à Santa Helena e a reforma da Ma-106 que liga Cujupe a Governador Nunes Freire e garantir o apoio do parlamentar ao grupo Curió em 2020, aonde o jovem será candidato a prefeito.


“Estive reunido hoje com o deputado federal Pedro Lucas pedindo que junto ao governo do estado, providencie uma maneira de alertar os ribeirinhos das enchentes devido às grandes chuvas.Em 2009 ocorreu uma grande enchente e deixou muitas famílias desabrigadas e também a reforma da Ma-106 que liga o Conjupe a Governador Nunes Freire em especial o trecho de Turilândia à Gov. Nunes Freire que se encontra muito precária e a reforma da ponte José Sarney.”ressaltou Paulo Curió.


Na ocasião Pedro Lucas destaca o empenho de Paulo Curió: “Fui apoiado pelo grupo Curió em Turilândia nas eleições de 2018, sou conhecedor do empenho deste jovem e de seu grupo, também sei do tamanho da sua vontade de trabalhar pela cidade em que seu pai foi prefeito, trabalhar pelo povo e Paulo Curió é sim uma excelente opção em Turilândia, se o povo permitir será um grande Prefeito e terá nosso total apoio na câmara “ declarou Pedro Lucas.

Fonte Neto Weba.

Inércia da Câmara beneficia empresas aéreas, mantendo cobrança por bagagem

Destacado

Presidente da Câmara se reusa a acabar com cobrança de malas

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados. (Foto: Wilson Dias/ABr)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), mantém na gaveta desde dezembro de 2016 o projeto de resolução do Senado que anulou ato da Anac, a “agência reguladora” de Aviação Civil que instituiu a cobrança de malas. Para valer, a decisão precisa ser aprovada também na Câmara, mas o lobby das empresas aéreas é mais forte que a indignação dos brasileiros explorados. E a cobrança continua. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Anac e empresas aéreas garantiram que a cobrança para transportar malas reduzia o preço da passagem. Era mentira.

Rodrigo Maia chegou a afirmar que somente votaria a questão na Câmara “após o fim do duopólio” no setor. Ele não sabe o que diz.

Como só usa jatinho da FAB há anos, Rodrigo Maia parece não saber que, além de Latam e Gol, há também as empresas Avianca e Azul.

Noutra gaveta da Câmara dorme projeto que objetiva proibir a cobrança para marcar assento, malandragem também apoiada, claro, pela Anac.

MIGUEL LUCENA Imposição de caprichos

Destacado

Fui alertado para não abordar o tema, para não gerar opinião negativa contra mim nos segmentos LGBTs, mas acho pertinente discutir a questão dos transexuais ou de identidade de gênero nos sistemas públicos, principalmente nas áreas de saúde e segurança pública.

Mulheres que se consideram homens, usando nome social masculino, correm o risco de não ter acesso a exames preventivos ginecológicos e de mama, por exemplo, porque querem que o sistema realize os procedimentos em pessoa diversa daquela que consta nos registros oficiais. Além do nome diferente, o sistema não aceitaria alguém com nome de homem se submetendo a um exame no colo do útero.

Os transexuais exigem que o sistema seja totalmente adaptado às exigências mentais e psicológicas deles. Ora, alguém pode achar que é uma árvore, é um direito, mas não é razoável que as demais pessoas tenham de fingir que se trata mesmo de uma espécie da flora.

Pode-se até registrar em paralelo o nome social, mas admitir pessoa do sexo masculino fazendo exame do colo do útero é totalmente inseguro para o sistema, uma porta aberta a fraudes de todos os tipos.

É também complicada a situação dos homens que se acham mulheres, querem ter identidade feminina, mas continuam gostando de se relacionar sexualmente com mulheres. Eles exigem usar banheiro feminino e ficar internados na ala feminina, tornando vulnerável a situação das internas, porquanto continuam tendo desejo e atração por mulheres.

Na segurança pública, os boletins de ocorrência já têm espaço para uso do nome social, porém ao lado do nome original. Se prevalecesse a vontade dos movimentos, um indivíduo com nome de Mário cometeria um delito e seria investigado como se fosse Maria, causando sérios embaraços ao inquérito e ao processo, permitindo que criminosos se homiziassem por trás de nomes fictícios.

*Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, jornalista e escritor.

SOBRINHO-NETO QUE ASSASSINOU IDOSA DE 106 ANOS POR CAUSA DE R$ 30 PARTICIPA DE AUDIÊNCIA DE INSTRUÇÃO

Destacado

Foi iniciada na tarde desta segunda-feira (18) na cidade de Riachão, a 920 quilômetros da capital, a audiência de instrução do processo movido contra Alypio Noleto da Silva.
Ele é apontado como autor do latrocínio, roubo seguido de morte da idosa Antônia Conceição da Silva, de 106 anos. Ela foi morta brutalmente em novembro do ano passado na cidade de Feira Nova do Maranhão.
O sobrinho-neto da vítima teria invadido a casa dela enquanto estava sozinha com a intenção de roubar a quantia de R$ 30 reais. Ele acabou sendo reconhecido pela idosa, que acabou sendo morta a pauladas. Durante a audiência de instrução, testemunhas do caso também serão ouvidas.
Alypio Noleto foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) e foi nomeado o advogado Rodrigo Guimarães Silva como defensor. Ele está preso desde o dia 23 de novembro no presídio de Balsas.
MA 10

Pinheiro: prefeitura afasta estado de calamidade e confirma Carnaval 2019

Destacado

Depois do grande esforço de uma força tarefa encabeçada pelo prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio,  a situação na barragem do Rio Pericumã foi controlada (saiba mais).

Em nota, a prefeitura informou a situação da barragem e afastou a possibilidade do decreto de estado de calamidade no município. Com a abertura de uma das comportas, o nível do rio baixou e as famílias afetadas pelo alagamento puderam  retornar para suas casas.

Por conta da possibilidade de ser decretado estado de calamidade, o carnaval de Pinheiro corria risco de ser cancelado. Com as ações rápidas  no controle da situação na barragem, a prefeitura também confirmou a programação de um dos mais tradicionais e melhores carnavais do Maranhão.

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de Pinheiro vem a público informar a toda sociedade que:
No último domingo (10) em uma tentativa de abrir uma das comportas da Barragem do Rio Pericumã, um cabo se rompeu impossibilitando o pleno funcionamento da estrutura.
Devido as intensas chuvas dos últimos dias e sem o escoamento programado, o Rio Pericumã transbordou inundando centenas de casas, restaurantes e pontos turísticos da cidade.

Sem resposta imediata do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS – órgão responsável pela manutenção da barragem – a Prefeitura de Pinheiro iniciou uma força tarefa para a substituição do cabo danificado e abertura das comportas.
Na quarta-feira (13) técnicos da administração municipal conseguiram realizar com êxito a substituição do cabo de uma das comportas. Destacamos o trabalho de excelência de nossos profissionais que trabalhavam contra o tempo. A troca dos cabos é uma manobra arriscada e que precisa respeitar o movimento das marés sendo possível apenas com a maré baixa.

Ainda na quarta-feira (13) foi possível a abertura de uma das quatro comportas que compõe a barragem, possibilitando o escoamento gradativo do Rio Pericumã.
Na manhã desta sexta-feira (15) registramos o recuo de aproximadamente 60 centímetros do nível do Rio na altura da Barragem.

A região ribeirinha não se encontra mais em estado de alagamento e as famílias que tiveram que evacuar suas residências puderam retornar com tranquilidade nesta sexta-feira.

Informamos ainda que a Prefeitura de Pinheiro fez um levantamento das famílias atingidas e está prestando toda assistência necessária.

Sobre o cancelamento do carnaval

Uma avaliação da Defesa Civil Municipal e Estadual realizada na quinta-feira (14) observou a necessidade de Decreto de Estado de Calamidade caso a abertura de apenas UMA comporta não fosse suficiente para o escoamento do rio a curto prazo.

Após uma vistoria técnica de um Engenheiro do DNOCS e do Comando Geral do Corpo de Bombeiros que sobrevoou o local nesta manhã (15), observou-se o sucesso do trabalho executado pela administração municipal sendo DESCARTADA A NECESSIDADE DE DECRETO DE ESTADO DE CALAMIDADE.

Dito isto, informamos a toda sociedade que as festividades do CARNAVAL DE PINHEIRO ESTÃO MANTIDAS SEM ALTERAÇÕES EM SUA PROGRAMAÇÃO.

Reiteramos que a manutenção da Barragem do Rio Pericumã é de responsabilidade do Governo Federal pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS – e que a Prefeitura de Pinheiro vem realizando esse trabalho há dois anos sem qualquer ajuda ou recurso do Departamento.

Temos o compromisso e o dever de assegurar dignidade, segurança e bem-estar social a população pinheirense e para isso, todas as medidas possíveis estão sendo tomadas dentro da esfera municipal.

Gráfica de suposto esquema de Cléber Verde firmou contratos em Dom Pedro

Destacado

Além dos mais de R$ 740 mil em contratos com a Prefeitura de Codó (saiba mais), gráfica L. Ferreira Paz Sousa, citada em reportagem do Jornal Nacional em suposto esquema de candidaturas laranjas que envolve o deputado federal Cléber Verde, do PRB (reveja), teve contratos, também, na cidade de Dom Pedro.

Em 2015, no mesmo pregão presencial (033/2015), a empresa firmou R$ 851 milhões em contratos com quatro secretarias: de Administração e Finanças, de Saúde, de Educação e de Assistência Social.

Todos o contratos foram assinados no dia 19 de janeiro de 2016.

Homem mata a esposa e se suicida no bairro Alemanha, em São Luís

Destacado

Corpos de Maria Célia Sousa e Adérito Ribeiro foram encontrados neste domingo (17)

Na noite deste domingo (17), os corpos de um homem e uma mulher foram encontrados em uma residência na Rua Pires Sabóia, no bairro Alemanha. 
O homem, identificado como Adérito Pires Ribeiro, conhecido como “Deco”, de 40 anos, assassinou a esposa, Maria Célia Coelho de Sousa, de 48 anos, e se suicidou em seguida.

Os corpos do casal foram encontrados pelas irmãs de Maria Célia.
Pelo estado de putrefação dos corpos, a polícia acredita que o crime ocorreu há, pelo menos, dois dias.
Maria Célia foi assassinada com quatro facadas na cozinha de casa. O corpo de Adérito Ribeiro foi encontrado em um quarto, ao lado da faca utilizada no feminicídio.

De acordo com o delegado Leonardo Carvalho, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), investigações preliminares apontam que o casal tinha problemas de relacionamento, com discussões constantes.
Os vizinhos só identificaram que havia algo errado após o forte odor que vinha de dentro da casa das vítimas. “Deco” foi visto pela última vez, na rua em que morava, na sexta-feira (15).

NEY LOPES O pacote de Sérgio Moro

Destacado

Improcede a opinião de que o “pacote” do ministro Moro contra a violência e a corrupção é menos importante do que a “reforma da previdência”. Ambos abordam temas inadiáveis.

O aumento da violência atinge limites inimagináveis.

Sempre entendi que não haverá como reprimir a violência e a corrupção, sem mudanças substanciais na lei. Daí defender a convocação de uma assembleia “constituinte originária”, sob pena de certos princípios, já modernizados no resto do mundo, continuarem “tabu” em nossa legislação.  

Será impossível avançar, somente através da legislação infraconstitucional. Por exemplo: não haverá como reformular a maioridade penal (16 anos ao invés de 18), senão através de Constituinte originária. Emenda constitucional aprovada seria rejeitada pelo STF, por ferir “clausula pétrea”.

A França deu exemplo ao promover reforma constitucional, após o “massacre de Paris” (2015). Seguiu o exemplo dos Estados Unidos, que para combater o 11 de setembro de 2001 (atentado às torres gêmeas de Nova York) decretaram a “Lei do Ato Patriótico” nada mais do que restrições a direitos fundamentais, referendado pela Corte Suprema.

A Alemanha aprovou lei que permite abater aeronave, sob controle de sequestradores.

A violência interna assemelha-se ao terrorismo externo. Em estados como o Rio Grande do Norte, a criminalidade aumentou em 256%. Não adianta insistir em mudanças no sistema penitenciário, preservação dos direitos humanos, combate a desigualdade, inserção social etc.

Esses são temas relevantes, porém os fatos notórios mostram que há uma geração amedrontada, que precisa sobreviver, em curto prazo.

O mundo debate a questão do direito do cidadão viver em paz. Uma das teses é a do alemão Gunther Jakobs, que discute a flexibilização de garantias reputadas como intocáveis. Para Jakobs, os verdadeiros inimigos são aqueles que afrontam a estrutura do Estado, não aceitando as regras do direito. Quem assim age, não pode invocar os mesmos direitos fundamentais, assegurados às pessoas de bem.

Claro que não se pretende a eliminação de direitos e garantias individuais. Veja-se, por exemplo, a questão da legítima defesa. Não há como enfrentar esse “banho de sangue” contra policiais, sem a incorporação de regras que intimidem a marginalidade.

A proposta do ministro Moro, apenas acrescenta ao artigo 23 do Código Penal, nova hipótese da legítima defesa, quando o policial reagir em conflito armado, ou em risco iminente e o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção. Está claro que o policial continuará a responder pelo excesso doloso ou culposo, avaliado caso a caso.

Atualmente, os juízes deixam de reconhecer a excludente de crime em tais circunstancias, pelo fato da legislação não oferecer alternativa. Ao contrário, impõe que a reação do policial seja “moderada”, enquanto o marginal age imoderadamente.

Numa “guerra urbana” como a que vivermos, não se pode exigir que o agente do Estado tenha sangue frio para “contar” a quantidade de tiros num momento de perigo, envolvendo surpresa, medo e violenta emoção.

A lei não pode desconhecer tal realidade.

Observe-se que no “pacote” há pontos obscuros.

Um deles é a introdução do “informante do bem” ou do “whistleblower” (pessoa que leva ao conhecimento de autoridade denuncias de ilícito civil ou criminal).  Embora seja figura jurídica existente na Europa e Estados Unidos, na cultura brasileira correria o risco de transformar-se em “dedurismo”, por “premiar” os denunciantes, com a “recompensa” de 5% do valor recuperado.

Na delação premiada, o réu relata fatos, em troca de redução da pena. No “informante do bem”, a denuncia transforma-se em “negócio rentável” ($$$), sendo facilmente usada como vindita, perseguição, ou flagrante preparado (quem de forma insidiosa cria situação para acusar alguém da prática de crime inexistente).

No conjunto, o “pacote” é oportuno. Abre o debate sobre violência e corrupção no país.

O ministro Moro tem se mostrado aberto ao diálogo e já aceitou até algumas mudanças. Bom sinal, que deve ser usado pelo Congresso como meio de apressar a discussão e votação da matéria, que a Nação considera inadiável.

Sérgio Moro é pop também em seu próprio ministério

Destacado

Seu fã-clube só aumenta entre servidores da pasta da JustiçaR

Dentro ou fora do ministério, Sérgio Moro é solicitado para selfies, e sempre reage com simpatia.

O mais popular ministro do governo Bolsonaro, Sérgio Moro venceria fácil qualquer concurso de Mister Simpatia no próprio Ministério da Justiça, que chefia há menos de cinquenta dias. Habituados a ministros que mal os cumprimentava, os servidores agora têm um chefe que não se isola. Ao contrário, circula no prédio, procura visitar cada setor, apresenta-se, ouve e avisa que seu gabinete está aberto a todos. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Moro convive bem com a popularidade entre os colegas de trabalho. Amável e paciente, sempre topa fazer selfies, dar autógrafos etc.

Ele poderia almoçar no gabinete, como os antecessores, mas prefere o bandejão, que assim virou o restaurante mais concorrido da Esplanada.

Como só usa voo de carreira, Moro criou um problema: assessores têm larga experiência em requisitar jatinho da FAB e não passagens.

A assessoria tenta uma rotina que permita a Moro embarcar antes ou depois dos demais passageiros, para não os incomodar.

“Daremos início à Lava Jato da Educação”, confirma Bolsonaro

Destacado

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) confirmou, na sexta-feira 15, pelo Twitter, que o governo federal pretende deflagrar a já chamada “Lava Jato da Educação”.

O nome foi batizado pelo ministro Ricardo Vélez, e tem como objetivo apurar indícios de corrupção, desvios e outros tipos de atos lesivos à administração pública no âmbito do MEC e de suas autarquias nas gestões anteriores.

“Muito além de investir, devemos garantir que investimentos sejam bem aplicados e gerem resultados. (…) Daremos início à Lava Jato da Educação!”, disse Bolsonaro.

Na última quinta-feira 14, Vélez e os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, além do advogado-geral da União, André Mendonça, assinaram um protocolo de intenções para dar início aos trabalhos.

O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, também participou da reunião.

“É apenas o primeiro passo!”, reforçou Bolsonaro na rede social.

Segundo divulgado pelo MEC, a pasta já identificou favorecimentos indevidos no Programa Universidade para Todos (ProUni), desvios no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), envolvendo o sistema S, concessão ilegal de bolsas de ensino a distância e irregularide 

O total preenchimento das vagas do Mais Médicos por brasileiros revela outra falcatrua do PT 16/02/2019 às 22:31

Destacado


Ué?!

As esquerdas dizendo que os médicos brasileiros eram “mauricinhos” e “patricinhas”, que “não aceitavam ir para os rincões”.

Desde 09h00 da última quarta-feira (13), todas as vagas do programa Mais Médicos foram ocupadas pelos “pequenos burgueses”.

E agora?!

A propósito, a amiga e editora Rosana Martinelli faz uma importante visita à memória de 2013: naquele ano, os médicos brasileiros reclamaram que não estavam conseguindo se cadastrar no programa, sendo possível apenas quando utilizavam um IP fora do Brasil. Por que será, né?!

“Pensei que a população ia ficar desassistida… Que coisa curiosa, o que aconteceu com as inscrições de brasileiros em 2013? Será que o processo foi fraudado? Será? Lembro de muitos colegas falando que não conseguiram se inscrever e problemas no site…

No link abaixo a notícia dos problemas que nunca foram explicados e deixaram médicos brasileiros fora do programa na época.

EM SITE, CRÍTICAS DE PROBLEMAS DE INSCRIÇÕES AO MAIS MÉDICOS

‘Estão bloqueando as inscrições dos médicos brasileiros. Assim como eu, tenho vários colegas na mesma situação, que só estão conseguindo fazer a inscrição com IPs de computadores de fora do Brasil’

É… nós médicos brasileiros, burgueses horrorosos que não queríamos ir atender em regiões carentes, criaturas medonhas e capitalistas que não gostamos de ‘apalpar’.”

Caminhonete aquaplana e capota na BR-222, próximo à Itapecuru Mirim

Destacado

Por volta das 14h30 de sábado (16), no km 202,3 da BR-222, a aproximadamente dois quilômetros da cidade de Itapecuru Mirim/MA, uma  caminhonete derrapou, saiu de pista e capotou. Ninguém se feriu.
O condutor dirigia sob forte chuva uma caminhonete Triton Sport, de cor branca, no sentido decrescente da via (de Itapecuru para Vargem Grande), quando o veículo aquaplanou, saiu de pista e capotou dentro do mato. Chovia torrencialmente no momento do acidente.

O veículo pertence a empresa pública Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF),  presidida no Maranhão atualmente por Jones Braga, que já foi prefeito da cidade de Nina Rodrigues.
Os dois ocupantes do veículo não se feriram.

ERNESTO ARAUJO Pro patre

Destacado

A matéria da Folha de São Paulo de 12/2 intitulada “Procurador-geral, pai do chanceler Ernesto Araújo dificultou extradição de nazista” me dá a oportunidade de falar da memória de meu pai, Henrique Fonseca de Araújo, que, se fosse vivo, estaria completando 106 anos justamente hoje, 16 de fevereiro.

Com apenas 17 anos meu pai juntou-se às tropas gaúchas na Revolução de 30, para derrubar o regime oligárquico e retrógrado da República Velha. Pouco depois, ao ver o regime de Getúlio Vargas enveredar para a ditadura, rompeu com essa linha e tornou-se um antigetulista pelo resto da vida. Foi sempre um antifascista (opondo-se ao Estado Novo e ao integralismo) e um anticomunista. Fez carreira no Ministério Público, que interrompeu em 1946 para ser Deputado Estadual no RS por quatro mandatos seguidos, pelo Partido Libertador, tornando-se adversário ferrenho, na Assembleia estadual, de figuras nefastas da política brasileira, como Leonel Brizola e João Goulart. Vendo que o Brasil rumava para o abismo de uma ditadura comunista ao estilo cubano, apoiou a Revolução de 1964 na primeira hora e, apesar de civil, apresentou-se num quartel do interior do RS para pegar em armas contra Brizola e em favor do movimento de 31 de março, no momento em que se acreditava que haveria uma guerra civil, felizmente evitada. Acreditou que o caminho para a democracia e a liberdade no Brasil passava pela luta contra a subversão comunista, ao mesmo tempo em que sempre defendeu a manutenção de instituições republicanas ao longo do regime militar.

Em 1975 foi nomeado Procurador-Geral da República e ao longo dos quatro anos seguintes promoveu a independência do Ministério Público, ao mesmo tempo em que defendia a União nos Tribunais Superiores, pois à época ainda não existia a Advocacia Geral da União, cujas funções eram exercidas pelo PGR. Propugnou sempre pela legalidade e respeito às normas vigentes – o que contribuiu muito para que o Brasil tivesse um ordenamento jurídico estável nesse período, de forma tão diversa de regimes autoritários aos quais erroneamente se compara o regime de 1964. Nesse quadro foi que emitiu o parecer de que trata a matéria da Folha que, conforme se depreende da própria matéria, não visou a defender um foragido nazista, e sim o estado de direito, pois o que apontava eram as insuficiências processuais no pedido de extradição, sem qualquer contestação dos crimes cometidos pelo acusado.

Meu pai foi a favor da abertura iniciada por Geisel. Mais tarde, participamos juntos de passeatas pelas Diretas Já. Era um espírito independente, livre, destemido, às vezes inocente na sua fé no futuro imenso do Brasil.

Criou-me no conhecimento dos horrores tanto do nazismo quanto do comunismo, como também no respeito à lei, no amor ao próximo e no amor à pátria, no apego ao trabalho e na fé em Jesus Cristo. Cada vez que recito o credo lembro-me de sua voz dizendo “Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro…”

Lembro-me de meu pai contando episódios da II Guerra Mundial como se os tivesse vivido, com um envolvimento íntimo de amante da liberdade, e não apenas acompanhado pelo rádio. Admirava os ingleses, os americanos, evidentemente os pracinhas da FEB e a França Livre de De Gaulle, e dizia sempre “os aliados” isto, “os aliados” aquilo – e essa palavra ganhou para mim uma dimensão de urgência épica, quase mística, e não apenas episódios militares. Até hoje quando o ouço na memória dizendo “os aliados” sindo um arrepio. Queixava-se da decisão de Roosevelt de desembarcar na Normandia e não nos Bálcãs (como queria Churchill para barrar o caminho da União Soviética e chegar à Alemanha pelo leste, ao menos segundo a interpretação dele), lamentando esse erro e a consequente dominação comunista da Europa Oriental como se fosse uma tragédia pessoal.

Lembro-me de vê-lo quase chorar de emoção certa vez quando assistíamos o filme Casablanca, na cena onde os frequentadores do bar Rick’s começam a cantar a Marselhesa, calando os oficiais alemães que cantavam canções nazistas. Depois ele me ensinou a cantar eu mesmo toda a Marselhesa, esse “hino guerreiro”, como ele dizia, de um patriotismo universal que também me emociona até hoje com o seu “Amour sacré de la patrie…”

Lembro-me especialmente de uma vez, em 1973, quando eu, após assistir a algum noticiário sobre a Guerra do Yom Kippur, cheguei na sala vibrando com o avanço das tropas egípcias e sírias e anunciei: “estou torcendo pelos árabes”. Meu pai suspirou, sentou-se, puxou-me para perto e disse: “Filho, deixa eu te contar.” Disse-me que Israel era um pequeno e bravo país cercado àquela época de inimigos, um país que lutava pela sua sobrevivência, formado por um povo que havia sofrido as piores coisas ao longo da história. Falou-me um pouco do passado do povo judeu e da criação de Israel como esperança desse povo de finalmente viver em paz. Não me disse para torcer por este ou aquele, apenas me pediu para pensar. Engoli em seco e nunca mais me esqueci.

Na PGR, meu pai atuou contra Lula nos primórdios da carreira dessa figura (considerava que a politização das greves no ABC promovida por Lula era ilegal) e contra Paulo Maluf (ao procurar anular a votação tida como fraudulenta que levou Maluf ao governo de São Paulo pela primeira vez). A Folha poderia examinar e estudar todos os seus milhares de pareceres, discursos, palestras, aulas emanados de mais de seis décadas de vida pública na carreira jurídica, política, acadêmica e jornalística. Creio que aprenderiam muita coisa. Veriam formar-se a figura de um homem de caráter. Eu assinaria embaixo de cada um desses pareceres e discursos, defenderia e defenderei cada linha que ele jamais escreveu, cada palavra que jamais pronunciou, pois sei que todas provinham do mesmo coração cheio de amor e coragem.

Quando eu tinha uns 11 anos, meu pai me deu um quadrinho com o poema “If” de Rudyard Kipling, na tradução de Guilherme de Almeida. Já não sei onde está o quadrinho, mas este é o poema:

Se

Se és capaz de manter tua calma, quando Todo mundo ao redor já a perdeu e te culpa, De crer em ti quando estão todos duvidando, E para esses no entanto achar uma desculpa;

Se és capaz de esperar sem te desesperares, Ou, enganado, não mentir ao mentiroso, Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares, E não parecer bom demais, nem pretensioso;

Se és capaz de pensar – sem que a isso só te atires, De sonhar – sem fazer dos sonhos teus senhores, Se, encontrando a Desgraça e o Triunfo, conseguires, Tratar da mesma forma a esses dois impostores;

Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas, Em armadilhas as verdades que disseste E as coisas por que deste a vida estraçalhadas, E refazê-las com o bem pouco que te reste;

Se és capaz de arriscar numa única parada, Tudo quanto ganhaste em toda a tua vida E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada, Resignado, tornar ao ponto de partida;

De forçar coração, nervos, músculos, tudo, A dar seja o que for que neles ainda existe, E a persistir assim quando, exausto, contudo, Resta a vontade em ti, que ainda te ordena: Persiste!

Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes, E, entre Reis, não perder a naturalidade, E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes, Se a todos podes ser de alguma utilidade,

Se és capaz de dar, segundo por segundo, Ao minuto fatal todo valor e brilho, Tua é a Terra com tudo o que existe no mundo, E – o que ainda é muito mais – és um Homem, meu filho!

Vargem Grande: Câmara Municipal aprova 417 vagas para contratações temporárias

Destacado

Sob o comando da nova Mesa Diretora, a Câmara Municipal de Vargem Grande, em sessão solene iniciou na sexta-feira (15), o período legislativo.

O presidente Braga (PSDB) fez um breve discurso, reafirmando o compromisso de aproximar a Casa da população, falou da transmissão das sessões via Rádio, que foi por dois anos um clamor constante da população, disse que a Câmara também irá interagir e divulgar os trabalhos dos vereadores através de um portal e das redes sociais e finalizou afirmando que a Casa irá discutir e votar tudo o que for a favor da população e desejando um excelente período legislativo à todos os vereadores e vereadoras.

Durante a sessão solene a palavra foi franqueada e fizeram o usa da Tribuna, além dos vereadores, o Padre Neves, os secretários municipais Thiago Braz e Nicoly Mesquita, de educação e saúde, respectivamente, ambos representando o executivo municipal.

Após a sessão solene, o presidente da Câmara, vereador Braga, deu início a primeira sessão ordinária do período legislativo. No início da sessão foi lido as matérias que entrarão na pauta de votação da próxima sessão ordinária, foi votado pelo plenário a formação das comissões permanentes da Casa e em seguida foi votado em regime de urgência os três projetos de autoria do executivo para contratar de forma temporária na saúde, educação e assistência social.

Os vereadores Braga (PSDB), Célio Mendes (PCdoN), Chaguinha do Bala (PTC), Chico do Zé Pedro (DC), Conceição Oliveira (MDB), Jociedson de Aguiar (PMN) e Trabulsinho (PSDB) apresentaram três emendas modificativas. Os parlamentares alegaram que as emendas modificativas que alteraram de 519 para 417 vagas de contratações temporárias na educação, saúde e assistência social, foram apresentadas respeitando o número de vagas necessárias que os respectivos projetos solicitavam.

A ausência de vagas para odontólogos no projeto encaminhado pela secretaria municipal de saúde, fez com que os nobres edis, ainda tivessem o cuidado de acrescentar ao projeto, 10 vagas para esses profissionais.

As três emendas modificativas foram aprovadas pelo plenário, em alguns casos até com votos de governistas. Em seguida o plenário aprovou por unanimidade os projetos que permitem o executivo municipal contratar de forma temporária nestas áreas.

ASCOM/CMVG

Suposta candidata laranja do PRB de Cléber Verde gastou R$ 600 mil com santinhos e obteve 161 votos

Destacado

A crise que envolve o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, tem como origem a suspeita de que o PSL, partido de Bebianno e do presidente Jair Bolsonaro, usou candidaturas laranjas nas últimas eleições.
Um levantamento do Jornal Nacional revela que ao menos 51 candidatos a deputado federal e estadual, de 18 partidos, podem ter servido como laranjas para que as legendas desviassem recursos de fundos públicos.
Até hoje tem cartaz de candidato espalhado pelas ruas. No Maranhão, teve candidato que usou dinheiro público para confeccionar mais santinhos de campanha do que a população do estado inteiro.
O estado tem sete milhões de habitantes. Em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís, a candidata a deputada estadual Marisa Rosas, do PRB, mandou fazer nove milhões de santinhos. De acordo com prestação de contas à Justiça Eleitoral, ela gastou quase R$ 600 mil com campanha. Teve apenas 161 votos.
Além dos milhões de santinhos, ela confirmou que mandou fazer 1,250 milhão de bottons.
Perguntada se era muito material para pouca gente, Marisa Rosas respondeu: “Pode se dizer que sim, se você está mensurando a quantidade do Maranhão, pode até se dizer. Mas na hora, a gente não trabalha somando. A mesma coisa do santinho”.
Marisa Rosas disse que confiou nos colegas de partido do PRB para contratar as três gráficas que receberam só dela R$ 540 mil. Marisa disse que confiou na gráfica.
“Não só na gráfica, porque a gráfica mandava entregar no diretório, na central do partido”.
Uma das gráficas fica em Tuntum, a 450 quilômetros de São Luís. Lá, segundo a prestação de contas, Marisa pagou R$ 460 mil. A gráfica, que pertence a um filiado ao partido, recebeu outros R$ 580 mil para confeccionar material de campanha para o deputado federal Cléber Verde, presidente do diretório estadual do PRB.
Cabe ao presidente do diretório participar da decisão sobre onde são aplicados os recursos eleitorais.
O dinheiro que financia as campanhas políticas vem de dois fundos: o partidário banca a estrutura dos partidos e também candidaturas e distribuiu R$ 888 milhões aos partidos em 2018; o fundo eleitoral, criado após a proibição das doações por empresas, deu mais de R$ 1,7 bilhão. Tudo dinheiro público, mais de R$ 2,6 bilhões – dinheiro do contribuinte que vai para as mãos de milhares de candidatos.
O deputado federal Cléber Verde, do PRB, declarou que os recursos da cota de mulheres foram usados única e exclusivamente nas campanhas delas; que a gráfica foi escolhida pela qualidade e pelo preço acessível; que Marisa das Rosas é militante do partido; e que o resultado de uma eleição é imprevisível para qualquer candidato.
O TRE do Maranhão declarou que a prestação de contas de Marisa Rosas está sendo analisada.

Via Gilberto Lima

Motorista de transporte escolar é preso por suspeita de pedofilia no MA

Destacado

Um homem identificado como Alécio Xavier Dias, de 36 anos, foi preso na sexta-feira (15) suspeito de abusar sexualmente de uma criança em Balsas, a 810 km de São Luís. Segundo a Polícia Civil, ele usava um veículo particular para transportar cerca de 22 alunos para as escolas do município.

De acordo com a polícia, o motorista trocava mensagens de conteúdo pornográfico, inclusive fotos e vídeos com uma criança de apenas 10 anos de idade que era uma passageira. A denúncia foi feita pelos avós da menina que tiveram acesso ao conteúdo que estava gravado no tablet usado pela criança.

Alécio Xavier Dias usava um veículo particular para transportar cerca de 22 alunos para as escolas do município.  — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Alécio Xavier Dias usava um veículo particular para transportar cerca de 22 alunos para as escolas do município. — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Segundo o delegado regional de Balsas, Fagno Vieira, no aparelho celular de Alécio também foram encontradas provas do crime. “Ele também vai ser indiciado pelo crime de aliciar, assediar e de induzir criança a produzir vídeos e cenas de conteúdo pornográfico. A criança estava sendo induzida por ele e ele armazenava essas imagens no seu aparelho celular”, explicou.

Durante as investigações, a polícia descobriu que o veículo utilizado pelo motorista não tinha autorização para realização de transporte escolar. A polícia continua nas investigações para saber se outras crianças foram vítimas de Alécio.

Veículo utilizado pelo motorista não tinha autorização para realização de transporte escolar.  — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Veículo utilizado pelo motorista não tinha autorização para realização de transporte escolar. — Foto: Reprodução/ TV Mirante

G1

HILDEBERTO ALELUIA 1964…. 1968….

Destacado

Enquanto Moscou e Havana formavam os guerrilheiros a América Latina e a África se desintegravam, institucionalmente. Aqui, na América do Sul, os países viviam numa ebulição politica sem precedentes. Nós, brasileiros, saíamos da euforia desvairada do governo Juscelino Kubistchek, marcado pela sigla JK, ou o slogan 50 ANOS EM CINCO e entravamos na era Jânio Quadros eleito pelas urnas do ano de 1960 com a promessa de varrer a corrupção. Seu símbolo era a vassoura. Che Guevara pontificava sob a bandeira do pan-americanismo emoldurado no retrato de uma entidade chamada Organização Pan Americana, a ponto de ser condecorado, no Palácio do Planalto, pelo governo Jânio Quadros, tido como de Direita.

O governo Jânio Quadros duraria pouco: oito meses. Perdido e sem rumo seu governo acabou em pouco menos de um ano sob uma renuncia cheia de interpretações rocambolescas a esconderem a precipitação e a loucura do personagem. A elite intelectual e capitalista estava com ele. Realizando concessões à direita e à esquerda chegou a um ponto que o País ficou ingovernável. Camuflou a incompetência e despreparo numa carta de renuncia até hoje inexplicável. Levou para o túmulo as dúvidas e o imbróglio protagonizado por ele e que jogou o País no movimento de 1964.

Com a renúncia do Jânio Quadros assumiu seu Vice o João Goulart. O Congresso Nacional já estava totalmente contaminado e povoado pelos interesses da Esquerda. Fora dele uma poderosa Republica Sindical pontificava entranhada em todos os setores do governo e da sociedade. Goulart socorria-se deles por conveniência e oportunismo para equilibrar seu governo. Trefego e envolvido por um Congresso formado por uma elite também sem rumo sua gestão desaguou no Parlamentarismo.

De 1961 a janeiro de 1963 o Brasil foi governado por três gabinetes parlamentaristas marcadamente de Esquerda. Ela se espraiava por todos os cantos e sob varias formas. Da igreja, passando pelo Congresso, pela mídia e no Executivo. O Brasil estava pronto para cair nas mãos do regime marxista. Ou melhor, já estava quase nele.

Através de um plebiscito realizado em janeiro de 1963 o governo Goulart recuperou a autonomia do presidencialismo numa outorga expressa dos eleitores brasileiros. A situação do país já era degradante, tanto do ponto de vista político quanto econômico. De janeiro de 1963 até março de 1964 o Brasil se tornou a terra do caos. Greves ininterruptas, escândalos sucessivos, convulsões sociais e um quadro socioeconômico cada vez mais fora de controle. A elite politica percebendo a gravidade a partir de janeiro de 1964 começa a rondar os quarteis. A classe média, fortíssima, foi para as ruas manifestar oposição ao governo Goulart e clamar por uma solução, qualquer, para salvar o país.

A situação do Brasil era tão desesperadora que em março de 1964 os militares começaram a movimentar tropas. Goulart foi embora para o sul do país e de lá para o Uruguai. Milagrosamente fez-se uma revolução sem tiros, sem mortes, sem vítimas.

Militares e políticos se concentraram na figura do Marechal Castelo Branco. Ele foi eleito pelo Congresso Nacional Presidente do Brasil. A Esquerda, com o apoio de Havana e Moscou, perderia de novo a chance de governar o Brasil. Dessa vez ela ficaria de fora por longos 30 anos. De fora do Poder. No Congresso Nacional e na máquina do governo ela sempre reinou. E aí veio 1968 com muito sangue e guerra. No próximo artigo saberemos mais.

Seria a Vargem Grande uma nova Babel?

Destacado

O homem primitivo comunicava-se por desenhos nas paredes das cavernas e por meio de sinais. Os portadores de necessidades especiais em alguns casos, também se comunicam através de sinais.

Veio o tempo dos papiros, e a comunicação foi se aprimorando. Veio o Jornal escrito, o rádio, a televisão, e a menina dos ovos de ouro da comunicação no século atual é a internet.

Tudo isso contribuiu e continua contribuindo para nos comunicarmos uns com os outros. Partindo do princípio que o ser humano é um ser sociável e por conseguinte precisa da comunicação, como meio de expressar seus sentimentos em qualquer esfera da vida, com base nos últimos acontecimentos, chego a pensar, que Vargem Grande, não faz parte desse mundo atual.

Algumas postagens feitas por nós nesse espaço, sem acusações, mas com cobranças, sugerimos em alguns momentos, que membros do governo municipal nos esclareçam os motivos do fechamento ou até da implosão de prédios públicos onde funcionaram escolas. Nenhuma resposta nos foi dada. Não a mim individualmente. Longe de mim tal presunção. Mas uma explicação pública, pois afinal, todos esses órgãos envolvidos nessa discussão, fazem parte do patrimônio público municipal. E portanto, pertencem ao povo.

Por último, e é bom lembrar, o governador Flávio Dino no período de campanha, esteve em Vargem Grande e anunciou que havia assinado uma ordem de serviço para a reforma das escolas Santos Dumont e Raulina, que estavam em situação precária e sem condições de continuar funcionando. A ordem de serviço foi apenas uma ordem, mas o serviço de reforma não aconteceu.

Como se não bastasse, ouço por rádio local, a convocação dos alunos das duas unidades escolares para comparecerem nas referidas escolas, pois as mesmas irão funcionar no período da noite.

Não entendo mais nada. Por que também não funciona durante o dia? Alunos do centro da cidade são obrigados a se deslocarem a pé e com um sol escaldante para a unidade escolar Conceição Carvalho, que fica a aproximadamente 2 Kms da sede. Tudo isso acontecendo e ninguém ler, ouve, ou ver uma nota pública oficial, dos Órgãos envolvidos nessas questões.

E como diz a canção: ” Tudo isso acontecendo e eu aqui na praça dando milho ao pombos”.

Em conversas de rua, ouve-se a informação, que as escolas estaduais, terão suas reformas iniciadas em agosto. Seria a gosto de DEUS?

O fato é que o dono do patrimônio Público, o povo, não toma conhecimento oficialmente de nada. É como se um gerente de loja, não informa-se ao proprietário do estabelecimento o que iria fazer dentro da empresa.

Será que estão nos comunicando e não estamos entendendo a mensagem, como na construção da Torre de Babel? Ou pensam que somos meros figurantes, idiotas e imbecis que habitamos essa porção de terra chamada Vargem Grande?

Alguém precisa tomar a palavra e dizer que fins darão ao nosso patrimônio. Governadores, prefeitos e secretários, administram o patrimônio público, mas é preciso que tenham consciência, que não são propriedades suas.

PERCIVAL PUGGINA Pelo fim da PEC da Bengala

Destacado

Num vídeo, vejo o atual presidente do STF, em palestra realizada no ano de 2014, discorrendo com enorme naturalidade sobre um crime de supressão de documentos ocorrido sob suas barbas. Na TV, fico sabendo que, sob múltiplos apelos, a CPI Lava Toga foi morar no arquivo do Senado. Nas redes sociais, informam-me que o Supremo começa a deliberar sobre ações envolvendo aborto, crime de homofobia e temas conexos. Há poucos dias, chocou-se a nação com a liminar concedida por Toffoli, quando ainda longe a alvorada, para que a eleição do presidente do Senado ocorresse como convinha à banda podre do PMDB e do PT. A imensa maioria dos senadores lixou-se para a ordem judicial, exibiu o voto dado, destronou a turma sinistra e ficou por isso mesmo. Um mês antes, Marco Aurélio não determinara a soltura de mais de 200 mil presos? No twitter, o Procurador do Ministério Público de Contas junto ao TCU, Júlio Marcelo Oliveira aponta três pilares de sustentação da impunidade, sendo, um deles, “a visão de mundo de Gilmar, Toffoli, Lewandowski e Marco Aurélio, que parecem sofrer quando um corrupto é preso”. E arremata: “O STF, hoje, é parte do problema e não da solução”. Há que dar um jeito no Supremo e a revogação da PEC da Bengala é o jeito.

Resulta difícil conciliar toda uma infinita cadeia de ocorrências nada louváveis e o muito mais que se sabe e presume, com a arrogância que tão decisivamente se manifesta naquele recinto. A mais recente evidência está no ingresso em pauta de temas que todos sabem ser de competência do Congresso Nacional, como a criminalização da homofobia e do aborto.

A alegação que empurra ou puxa essas pautas para endereço errado é pueril: o Legislativo se recusa a legislar. Diante disso, com muita propriedade, indaga o Promotor de Justiça Bruno Carpes: “E quando o Judiciário deixa de julgar, o Legislativo julga por ele?” (cai o pano, o público aplaude).

Então, vamos explicar bem devagar para que até os ministros do STF entendam. Nos parlamentos, as coisas funcionam assim. Suponhamos (apenas um exercício de imaginação, tal projeto não existe) que um deputado protocole proposta para permitir, que, em nome do multiculturalismo, famílias de certas etnias possam promover a mutilação genital feminina (infibulação), segundo seus próprios costumes, com atendimento pelo SUS para evitar riscos à saúde (argumentos, aliás, que têm sido usados para justificar crimes muito maiores contra a vida). O projeto “Infibulação gratuita e segura” poderia circular durante décadas sem ser votado porque o autor, sabendo-o sem apoio, não o quer rejeitado. Omissão do Legislativo? Não! O projeto não tem apoio suficiente, não conseguiu formar maioria, não vai a plenário porque não tem voto, e o autor não tem interesse em perder.

Raramente, muito raramente, um projeto de parlamentar vai a plenário para ser rejeitado. O que acontece com esses temas que o STF se dispõe a abraçar é exatamente isso: envolvem assuntos sobre os quais não há maioria formada para aprovação, o que equivale a rejeição. E rejeitar um projeto, ou não o aprovar, é prerrogativa do Poder. Deu para entender, senhores ministros, ou preciso desenhar? Quem sabe um Power Point? Um videozinho? Uma entrevista com qualquer funcionário do protocolo da Câmara dos Deputados facilitaria a compreensão.

Quando o STF, alegando “omissão do Legislativo”, invade sua competência e passa a legislar, está, pura e simplesmente, impondo a ilegítima vontade de sua pequena maioria sobre legítima decisão majoritária do Legislativo. É uma reiterada usurpação de competência que está, também ela, a apontar para necessidade de revogar a PEC da Bengala, conforme iniciativa proposta pela deputada Bia Kicis.

Hipocrisia ataca ex-candidata do PSL, mas ignora PT, DEM, PSDB e etc

Destacado

Opositores de Bolsonaro não falam dos milhões torrados por figurões em 2018

R

Em meio ao falatório para transformar em escândalo de corrupção a transferência de R$400 mil a uma candidata do PSL não eleita em Pernambuco, setores hostis ao presidente Jair Bolsonaro, inclusive na mídia, fazem vista grossa para ‘figurões’ que torraram R$60 milhões dos fundos partidário e eleitoral, em 2018, e apesar da montanha de dinheiro público, fracassaram nas urnas. Casos dos petistas Lindbergh Farias (R$2,6 milhões do PT) e Dilma Rousseff (R$4,1 milhões). A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Caso chocante de gasto do Fundo Eleitoral foi o de Lula, o presidiário: sem pôr o pé na rua, teve R$20 milhões do PT para sua “campanha”.

Também ninguém menciona o caso de Romero Jucá (RR). Recebeu R$2,25 milhões do MDB, proveniente do Fundo Eleitoral, e nada.

Integrante da tropa de choque anti-impeachment, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) gastou R$2 milhões do Fundo e também fracassou.

Os petistas Wadih Damous e Luiz Sérgio dançaram no Rio, Zé Mentor Valmir Prascidelli, em SP. Receberam R$ 3 milhões e não são citados.

Acusada de assaltar motoristas de aplicativo é presa em São Luís

Destacado

Nesta quarta-feira (13), a Polícia Civil do Maranhão deu cumprimento a mandado de prisão preventiva contra Adriana Fontenele Rodrigues, de 26 anos, conhecida como “Neymar”.
Durante investigação, Adriana foi identificada como autora de roubos,  com uso de arma de fogo, a motoristas de aplicativos.
Pelas informações da polícia, após solicitar uma corrida pelo aplicativo, ela rendia suas vítimas durante o trajeto e subtraia os veículos.
Adriana já havia sido autuada anteriormente por envolvimento em outros crimes de roubo.
Após autuação em flagrante, ele foi encaminhada ao Complexo Penitenciário de São Luís, onde ficará à disposição da Justiça .
A prisão de “Neymar” foi efetuada por policiais das Delegacias de Roubos e Furtos (DRF) e de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), com o apoio do Saisp Oeste.

EXCLUSIVO: JUSTIÇA DETERMINA QUE NAGIB PAGUE EM 48 HORAS REPASSES À CÂMARA DE CODÓ

Destacado

Após uma série de manifestações dos servidores da Câmara de Codó e das cobranças do presidente Expedito Carneiro, no sentido de pressionar a Prefeitura Municipal De Codó, a justiça deu decisão favorável ao presidente na manhã desta quarta (13).

 Leia o documento abaixo: 

Categorias:Geral

Destemido, Moro isola líderes e proíbe contato direto de criminosos com visitantes

Destacado

2

Com a mesma coragem com que, quando juiz federal, enfrentou a bandidagem petista, o Ministro Sérgio Moro abriu o confronto direto com o PCC e demais facções do crime.

Isolamento das lideranças é a primeira atitude que atinge diretamente as organizações criminosas.

Marcola e mais 21 bandidos transferidos nesta quarta-feira (13) para presídios federais de Segurança Máxima, não terão mais contato direto com ninguém.

Eventuais visitas, com regras novas e duras, terão que conversar utilizando o parlatório, separados por um vidro e através de um interfone.

Todas as visitas serão supervisionadas e obedecerão datas e critérios definidos em portaria publicada hoje. Fonte Jornal da Cidade

DANTE COELHO DE LIMA Adeus Pium, a grande viagem

Destacado

O DC-3 da Real Aerovias taxiou em direção ao terminal do velho Galeão. Era o fim do voo Goiânia-Rio, com escala em Belo Horizonte. Naquela época, início dos anos 50, não havia os “fingers” que hoje nos levam do avião até o terminal. Desci zonzo as escadas do avião. Zonzo e nauseado. Durante o voo, foram muitos os saquinhos de enjoo. Nada segurava no meu estômago, por mais que Mamãe e a aeromoça solícita teimassem em me fazer comer. Motion sickness, dizem os de língua inglesa. Acho que nasci para viver em absoluto estado estático . Os tempos seguintes iriam confirmar isso. Enjoava até de bonde.
Os passageiros desceram a escada e começaram a caminhar na direção do terminal. Enquanto eu andava, trôpego, pela pista, não me passou despercebido que Papai mudara de vez de indumentária. Nunca o tinha visto, assim, tão arrumado. Tinha despido as velhas calças e camisas de cor indefinida pela prolongada ação barro do garimpo. Deixou para trás também seus apetrechos de trabalho. Em vez das pás e picaretas, trazia na mão uma reluzente pasta Samsonite. Envergava fatiota nova. Gravata. Rosto escanhoado, bigode aparado com esmero, o cabelo ondulado, puxado pra trás. Andava a passos largos, Fronte altiva, ar de conquistador. Largou de mão o coldre com seu 38. Revolver pra quê?, teria pensado. No Rio, só esperança de dias melhores. E seguros.
O rude garimpeiro não chegava a dissimular o desconforto que os sapatos novos lhe provocavam. Eu sabia muito bem o que era quilo. Antes da viagem meus pais me submeteram – a mim e ao mano Eliud – a um curso forçado de adaptação àqueles adereços de couro que nos feriam os dedos e o calcanhar. Um suplício.
Mamãe, linda, no seu primeiro penteado de cabelereiro, com seu vestido novo, caminhava na pista, se equilibrando sobre os sapatos comprados especialmente pra viagem. Bolsa numa mão e a mão do filhote mais moço na outra. Eliud saltitava. Era todo excitação. Já eu, no meio do meu mal-estar, suava de medo. Além dos malditos sapatos que me apertavam os pés, pensava no que me esperava naquela cidade grande e assustadora.
Pensava também na aeromoça que na viagem me ofereceu saquinhos de enjoo. Nunca tinha visto criatura mais formosa. Daquelas aeromoças que existiam antigamente. Cheguei a pensar que era mais bonita até que minha mãe, que, numa noite povoada de medos de almas do outro mundo, me deu guarida em seus braços maternos e ouviu de mim que só me casaria com ela. Édipo que me perdoe, mas aquela aeromoça causou-me impressão perturbadora. Mal sabia eu que aquela bela aparição era apenas o começo. Começo dos desassossegos que as moças do Rio trouxeram àquele menino magricela e tímido. Precocidade sexual do tipo do personagem Carlinhos do “Menino de Engenho”. No meu caso, caberia mais “Menino do Garimpo”
Malas e passageiros divididos em dois carros de praça, saímos em direção ao Hotel Vera Cruz (hoje demolido), ao lado da Praça Tiradentes. Tarde já caindo. No caminho, pela Avenida Brasil, minhas narinas começam a experimentar um infinidade de novos odores alguns nem tanto agradáveis. Fosse como fosse, cheiros de cidade nova, lugares novos, sempre me impactaram. Lembro quando morei uns meses em Lagos, na Nigéria, nos meus bordejos de boca de noite pela Norman Williams Street, onde ficava a velha Chancelaria da Embaixada. Sentia uma mistura de aromas fortes, acres e inebriantes nunca antes experimentados neste país. Aromas que vinham do cozinhar das famílias, em plena rua e a céu aberto, de suas ervas e temperos de emanações penetrantes.
A liturgia da chegada e do check-in no Hotel nos impôs uma longa espera, enquanto meu pai acertava no balcão detalhes da nossa morada pelas próximas semanas. Naquela noite não saímos do hotel e eu não pude esconder meu espanto com aquela caixa que subia e descia com gente dentro. O elevador. Nos dias seguintes, sempre que podia eu arranjava um jeito de passear naquele estranho veículo. Para desgosto do ascensorista, que ralhava comigo. Tamanho era o encantamento que nem enjoei.
Ao escrever sobre isso, lembrei de uma cena do filme “Being there”, quando o jardineiro Chance (Peter Sellers) entra num elevador da imensa mansão do milionário Benjamin Rand e diz “…That is a very small room”, ao que o empregado Wilson que o conduzia numa cadeira de rodas responde, divertido, tomando como piada o comentário de Chance (que nunca tinha entrado num elevador), “yes sir, I guess that’s the true smallest room in the house”.

Na noite seguinte, Papai resolveu nos levar para um passeio pelas redondezas do hotel. Passamos em frente a um teatro de revista, acho que era o Carlos Gomes, com fotos de moças trajando sumários maiôs e biquínis nas vitrines. Fascínio absoluto, fiquei ali parado em frente às vitrines, espiando, até que minha mãe me desse um puxão na mão. E outro na orelha, censurando meus sentimentos precoces. Havia ali muitas Gradiscas, daquelas do Felini.
Andamos pro ali, meu pai de cicerone. Luzes e neons quase me cegavam de deslumbramento. A Praça Tiradentes parecia uma festa. Moçoilas encantadoras passavam por mim. Eu as acompanhava com o olhar de fascínio. Minha mãe quase me arrastando pela mão. Papai nos levou pra jantar num Restaurante chamado Cedro do Líbano. Rua Senhor dos Passos. Estranha e saborosa comida. E, claro, novos cheiros. Embriagadores. Pedimos – Eliud e eu – a meu pai um guaraná, beberagem maravilhosa que havíamos tomado no Hotel. Durante anos, sempre que estava no Brasil e no Rio, ia lá no Cedro do Líbano comer, lentilhas, quibes, kaftas, tabule, sempre acompanhado de pão árabe com tahine. Há pouco tempo fui lá com meu irmão. Sentimos um quê de decadência. O eixo gastronômico da cidade – pelo menos aquele que me encantava – mudou-se pra Zona Sul. E hoje já escapa mais pra Barra.
Passadas algumas semanas no hotel, meu pai disse que a gente ir morar em Bonsucesso, mais precisamente em Higienópolis, ali perto da Avenida dos Democráticos. E lá fomos, sem armas, e com pouca bagagem, para a rua Pacheco Jordão. Era um edifício baixo, sem elevador. Mas, meu pai comprou nossa primeira geladeira. E o gelo passou a ser outra maravilhosa descoberta para mim. Passava os dias chupando aquela pedra gelada. E haja dor de garganta, amigdalite, gripes e febres. Nada comparável, contudo, aos calafrios da malária terçã que me acometeu em tenra idade e que quase me abrevia a existência.
Vida se ajeitando na nova morada, chegou o tempo de procurar escola pros meninos. Fomos matriculados no Externato Redentor, hoje chamado Santa Mônica, ali pertinho de casa, pequeno, com apenas duas salas de aula. Uniforme tipo militar, farda, gravata, botões dourados com quepe. Ali começaria minha vida escolar tumultuada.
Mas isso é assunto para outras estórias minhas, que um dia contarei, se ainda estiver em vida.

Dante Coelho de Lima é diplomata.

Avião cai em Belém (PA) e deixa uma pessoa morta e duas feridas

Destacado

Uma pessoa morreu e duas ficaram feridas com a queda de um avião de pequeno porte em Belém (PA), na manhã desta quarta-feira (13/2). A aeronave caiu em uma casa, noticiou o G1-PA.
O copiloto identificado como Lucas Ernesto Santos não resistiu aos ferimentos. O piloto, Bruno Alencar, teve traumatismo craniano, foi atendido pelo Corpo de Bombeiros e levado ao hospital. A terceira vítima, uma pessoa que estava na residência no momento da queda, teve apenas escoriações.
A aeronave era particular e tinha autorização para transportar até cinco pessoas. Ainda não se sabe as causas do acidente.

Evapora de dentro do INSS o processo de anistia de Lula

Destacado

1

A ministra Damares Alves disse, há poucos dias, que o “dedo” perdido num acidente sofrido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, teria sido a razão alegada para pedir a revisão da indenização como anistiado político.

O pedido teria sido protocolado em 2003, logo após Lula assumir a Presidência da República.

De acordo com fontes do Ministério, a declaração da ministra baseou-se em relatos que ouviu da Comissão de Anistia.

Ato contínuo, a assessoria de Lula negou peremptoriamente que o ex-presidente tivesse citado o tal acidente como razão para a revisão de seu processo de anistiado.

Diante da situação, nada mais justo que se verificar o que consta no processo.

A surpresa: o processo de Lula sumiu, evaporou…

Um absurdo!

É preciso acelerar a despetização do governo.

Vargem Grande: audiência entre executivo e o legislativo; contratações temporárias, carnaval; concurso público

Destacado

Após audiência de conciliação entre o executivo e o legislativo na tarde de segunda-feira (11) no Fórum de Justiça da comarca de Vargem Grande, prevaleceu o óbvio. A Câmara usando de sua autonomia e prerrogativas irá apreciar os projetos de contratações somente no retorno dos trabalhos legislativos que acontecerá na sexta-feira (15) e não da forma que o executivo tentou de todas as formas.
O prefeito e seus três advogados que o acompanhou na audiência, parece que não lembravam, ou estavam mal acostumados, sobre os poderes serem harmônicos, porém independentes. 
Em pouco tempo de audiência o Juiz e o Promotor da Comarca refrescaram por várias vezes a memória deles, frisando sobre tal.
Réu 
Vale, aqui lembrar, que a prefeitura de Vargem Grande é réu em uma Ação Civil Pública de obrigação de fazer proposta pelo MP.
Mudo
O prefeito Carlinhos Barros entrou mudo e saiu calado da audiência, o que foi motivo até de questionamentos durante a audiência sobre tamanho silêncio. 
Barrados
Os secretários Thiago Braz (educação), Nicole Mesquita (saúde) e Francisco Ferreira (administração) foram impedidos de participar da audiência pela falta de necessidade, segundo o próprio judiciário. 
Informações
Durante a audiência ainda foi relatado ao Juiz e ao Promotor que a Câmara Municipal de Vargem Grande solicitou via ofício dos secretários de educação, saúde e assistência social, detalhes sobre as contratações de mais de 500 servidores e como resposta, também em ofício, assinado pelo secretário de administração, numa clara tentativa de ignorar o legislativo, que é o fiscal do executivo e no objetivo de permanecer de forma obscuras os projetos, respondeu que entendia a preocupação dos vereadores, mas, que a função de administrar e gerir à máquina era do executivo.
Comissão
A Câmara que voltará aos trabalhos na sexta-feira (15), deve encaminhar essas matérias para as Comissões e iniciar a tramitação, se forem aprovadas, o que tudo indica que sim, até mesmo por que os parlamentares apresentarão emendas modificativas, provavelmente será designado pela Casa uma Comissão para acompanhar de perto todo o processo dessas contratações. 
Repasse
A Câmara, através do presidente e demais componentes do G7 e representada por seus advogados, conversou com o Juiz e com o Promotor sobre o corte do repasse e outras manobras do Prefeito em tentar retaliar o legislativo, e ao final protocolaram ações  judiciais contra o executivo municipal.
Carnaval
O representante do Ministério Público, que recentemente fez uma visita ao Hospital e constatou inúmeras irregularidades, ainda teve tempo de ressaltar que falta dinheiro para muitas coisas essenciais, mas não falta para realizar um carnaval milionário.
Concurso Público
De acordo com a forma que Ministério Público vem se manifestando sobre o assunto é bem provável que a Prefeitura seja obrigada a realizar concurso público, o mais rápido. Fonte Thales Castro

JOSÉ MARIA COUTO MOREIRA Como Boechat

Destacado

O Brasil tem vivido os idos de março. Tentativa de morte contra o presidente, rompimento de barragem com 360 desaparecidos e perdas ambientais incalculáveis, incêndio devorador de jovens inocentes. Os brasileiros estão sofridos, injustiçadamente sofridos. Surge agora uma nova tragédia para a coleção de tormentos por que devemos passar. Morre o queridíssimo antes do respeitadíssimo jornalista Ricardo Boechat, âncora da Rede Bandeirantes, âncora, sim, da verdade. Era ele que um imenso público ouvia e era nele que a imprensa, seus próprios colegas, e uma massa de espectadores e ouvintes, acreditava. O ímpeto inútil de o retermos na terra nos move a uma tentativa frívola de não o deixarmos ir.

Todos nós morremos um pouco com Ricardo Boechat. Boechat era desses que a história conta como amantíssimos, mas o destino, sempre insondável, os ceifa cedo. Mistérios para nós … Este homem fantástico reunia, em uma presença emblematicamente simpática e sedutora, uma franqueza que encantava, concebeu um universo de lemas e dilemas que cativou todo o Brasil pela sua voz envolvente, por sua comunicação sincera, objetiva, lúcida. Ricardo era tudo que um jornalista profissional sonha em ser. Onde estará agora aquele que clamava por sua “doce Veruska”, aquela que lhe proporcionou a imensa alegria de, já maduro, ganhar duas lindas crianças, que o esperavam para almoçar no dia fatídico.

Boechat deixou lembranças, melhor dizendo, nos deixou um legado precioso de como ser brasileiro, de como compreender os fenômenos sócio-políticos e de como nos livrarmos dos adversos, dos injuriosos à nação, dos perniciosos, até dos letais. Sua aparição diária no rádio, na televisão ou nos jornais era cumprir o seu dever de casa – a casa como sua consciência – e seu dever como brasileiro.

A vida de cidadão, de pai e de marido de Boechat se confundia com sua irrepreensível carreira de jornalista, como foi em mais de uma dezena de redações. De todas elas sai o Boechat proclamado por colegas, amigos, leitores, espectadores e ouvintes como o às da verdade, da perspicácia nas análises, quase um talismã que fareja o interesse menor e o reprimia ostensivamente. Em síntese, Boechat foi o Barbosa Lima Sobrinho de nossa geração, com um espírito mais solto, aquele que valorizou e elevou a imprensa em patamar importante e indispensável de opinião. Boechat, com sua simplicidade não apenas pontificou, mas foi o regente de um conjunto de comunicadores de nossos últimos tempos de jornalismo radio-televisado. O patrimônio que ostentava era o da ética. Um comentário de Boechat era como o solo de uma clarineta que soava como diretriz para um concerto de projetos, de opiniões e de ações que estavam a reclamar uma regência senão olímpica, corajosa.

Sua última viagem impediu que ele repetisse Barbosa Lima, que, enveredado na política, sempre mostrou desassombro, patriotismo, audácia. A Boechat faltou tempo para ir além, mas é um nome que se eternizará como paradigma do bom cidadão, do jornalista brilhante, do pai amoroso, do brasileiro leal. Um ícone de nosso tempo.

José Maria Couto Moreira é advogado.

Juiz que não dava mole para bandido, assassinado em SP, não é lembrado como vereadora

Destacado

Assassinato de juiz rigoroso não tem o clamor de Marielle

R

Execução, em 2003, de juiz que condenou e prendeu traficantes não tem clamor de Marielle

Já se organizam em todo o País eventos para lembrar o primeiro ano da morte da vereadora Marielle, em 14 de março. Mas outro crime brutal completará 16 anos no mesmo dia 14 de março, com tudo para passar em branco: o assassinato do juiz Antonio José Machado Dias, da Vara das Execuções Penais de Presidente Prudente. Juiz decente, rigoroso, que não dava mole para bandidos, ele foi executado aos 48 anos a mando da organização criminosa que controla presídios. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O ex-Alckmin ofereceu um presídio de segurança máxima paulista, onde estava o comando do PCC, para receber o traficante Beira-Mar.

Rigoroso, o juiz não cedia à pressão para transferir presos da facção e para facilitar a vida de Beira-Mar. Sua morte foi sentenciada.

Presos, os bandidos “Funchal”, “Ferrugem” e “Chocolate” têm pensão vitalícia de R$5 mil da organização criminosa pelo assassinato do juiz.

Geraldo Alckmin nunca admitiu o erro de colocar Beira-Mar no mesmo presídio onde estava o comando da facção criminosa.

Juventude abraça a causa do Azize Trabulsi

Destacado

No início da manhã de hoje 12/02, o movimento desperta Vargem Grande idealizado por jovens de nossa comunidade e incorporado por toda a população, esteve em frente a Escola Municipal Azize Trabulsy que está fechada e ameaçada de implosão, protestando contra a demolição de um dos pilares de sustentação da nossa história no âmbito da educação.

Em conversas com algumas pessoas que ignoram seu presente por não conhecer o passado, vejo exclamações do tipo: ” Para que serve uma escola velha dessas”? E nesse momento questiono: Um povo sem passado e sem história não sobrevive por muito tempo.

O que seria do nosso projeto Reviver em São Luís se o governo não tivesse restaurado aqueles antigos casarões, e revitalizado aquela antiga Praia Grande? Não saberíamos que ali foi o berço do comercio de São Luís quando imigrantes portugueses aqui aportaram e instalaram sua área de comercio varejista.

Pois assim será, se destruírem aquele patrimônio construído pelo prefeito Antonio Rachid Trabulsy na década de 60. Quais são as alegações para sua implosão? Está com a estrutura comprometida? Então vamos restaurá-la, e deixar para gerações futuras o berço escolar de muitos doutores que vivem espalhados mundo afora, mas que um dia estiveram reunidos naquele estabelecimento educacional em torno de um mesmo ideal.

Dizem que querem colocar naquele espaço um avião que servirá de biblioteca. Essa aeronave terá mais valor histórico se a colocarmos no nosso aeroporto e nesse espaço contarmos a história de Vargem Grande, que muito antes de São Luís ter o seu aeroclub, Vargem Grande formava pilotos como Hermes Couto Pires, Antonio José e tantos outros que aqui receberam seu brevê e foram trabalhar em Teresina sua terra natal.

Aquele local do aeroporto, será sem sombras de dúvidas, mais uma opção de lazer e entretenimento para a população local e os que nos visitam. Existem muitos espaços ociosos que podem abrigar a aeronave. E por que só no local do Azize. Os administradores tem que entender, que foram eleitos para governar para o povo, e não contra ele.

De parabens estão os jovens envolvidos nessa empreitada e que DEUS ilumine a mente dos administradores do município e nos der a grata notícia de que essa aeronave da Zona Franca de Manaus possa pousar em outra freguesia.

SUSPEITO USA PRESTOBARBA PARA ASSALTAR APARELHO CELULAR, EM SEGUIDA O VENDE PARA VÍTIMA POR R$ 20,00

Destacado

A polícia prendeu um jovem de 28 anos por suspeitas de assalto. Diego Pontes da Silva foi preso e autuado em flagrante, em Imperatriz. De acordo com informações policiais militares, a guarnição fazia rondas pelo Centro da cidade, quando foi informando por um rapaz que tinha acabado de ser assaltado.O que mais chamou a atenção, foi que o suspeito do roubou ainda ofereceu o celular de volta para a vítima, por R$ 20. A vítima ainda chegou a comprar o próprio aparelho antes de denunciar o crime à polícia.A vítima disse que estava na parada de ônibus, quando Diego chegou e anunciou o assalto. O suspeito colocou a mão por baixo da camisa, como se tivesse uma arma de fogo. Após pegar celular ele tirou chip e entregou à vítima e em seguida ofereceu o celular pelo dinheiro que ele tivesse carteira.A vitima disse ainda que depois percebeu que Diego não estava com arma de fogo, mas estava com um “prestobarba” .Os policiais encontraram o suspeito próximo ao local do assalto, com ele foi encontrado o dinheiro da venda do celular roubado e um “prestobarba”.

Deputado passa mal na Assembleia e é levado às pressas ao UDI Hospital

Destacado

O deputado estadual Rildo Amaral (SD) foi levado à pressas ontem (11) para o UDI Hospital, em São Luís, depois de passar mal na Assembleia Legislativa.
O parlamentar sentiu um mal estar e tontura e saiu numa cadeira de rodas.
Ele está em observação no hospital, mas consciente.
Segundo apurou o Blog do Gilberto Léda, Rildo Amaral está numa dieta rígida para perder peso.
Numa mensagem de status do WhatsApp, o deputado disse que já vinha com problemas há mais dez dias.

0 comentários

Cantanhêde-MA sedia o 73º Encontro Regional de Ensino de Astronomia

Destacado

A Prefeitura Municipal de Cantanhede, através da Secretaria Municipal Educação e de Ciência, Tecnologia e Inovação e em parceria com a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), a maior olimpíada científica do país, sediará o 73ºEncontro Regional de Ensino de Astronomia (EREA) nos dias 11, 12 e 13 de fevereiro na sede da Secretaria de Educação (Avenida Deputado Lister Caldas 1972, Centro).

O programa tem como objetivo capacitar 120 professores da Educação Básica da cidade e de municípios vizinhos em ensino de astronomia e ciências espaciais.

Além de assistir às palestras e aos minicursos, o público ainda vai participar de atividades lúdicas, como, por exemplo, oficinas para ensinar a elaborar foguetes de garrafa pet e para mostrar a comparação dos volumes dos planetas em relação ao Sol, além de sessões no planetário digital itinerante da OBA.

O evento será comandado pelo coordenador nacional da OBA, o professor e astrônomo Dr. João Canalle, uma das maiorias autoridades das ciências espaciais na América Latina.

Acidente que matou Ricardo Boechat põe a xeque a existência da Anac

Destacado

Helicóptero voava há 44 anos e não podia transportar pessoas

Acidente que matou o jornalista Ricardo Boechat coloca incompetência da Anac em evidência e sua existência em xeque. (Foto: Everaldo Silva/Folhapress)

A cada acidente aéreo no País, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) apenas lava as mãos por meio de comunicados, sempre muito frios, que pouco esclarecem, mas servem para colocar em xeque sua existência. Após o acidente que matou o jornalista Ricardo Boechat, a Anac informou que o helicóptero estava “regular”, com papéis em dia, como se isso significasse alguma coisa. A Anac já não faz sentido, tanto quanto a extinção do velho Departamento de Aviação Civil (DAC). A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Quis o destino que Boechat, crítico desse tipo de omissão, fosse vítima do helicóptero que, fabricado em 1975, ainda voasse 44 anos depois.

A Anac informou que as licenças e habilitações de Quatrucci, de piloto comercial de helicóptero (PCH), estavam válidas. Só que não.

O helicóptero que matou Boechat não estava autorizado a transportar pessoas, mas o fazia mesmo assim. E a Anac, inútil, não o impedia.

Com diretores despreparados, indicados politicamente, a Anac atua para beneficiar empresas. Parece mais uma associação empresarial.

Fraude no concurso Miss Maranhão vira caso de polícia

Destacado

D

O concurso para a escolha da Miss Maranhão 2019, realizado na sexta-feira, dia 8, no Teatro Zenira Fiquene, Faculdade Pitágoras, está sendo acusado de fraude. Ocorre que a candidata vencedora, Carol Sousa, é amiga da maioria dos jurados.

Cada candidata pagou R$ 2,5 mil para ter o direito de participar do concurso, mas o que não se esperava que fosse jogo de cartas marcadas. Para que se tenha ideia da montagem, a vencedora é cliente de cabeleireiro que atuou como jurado.

Outro ponto falho foi a ausência de membro da empresa que organiza o Miss Brasil, que, pela primeira vez, não participou do concurso no Maranhão.

O blog teve acesso aos prints de conversas entre os jurados antes do concurso. Em muita delas, o nome de Carol é citada como a futura Miss Maranhão. A fraude foi tão escancarada que teve jurado gritando pelo nome da vencedora na hora do desfile (vídeo abaixo). A mesa de Juri, dentre outros, estava composta de médicos, dentistas e até arquitetos.

Um Boletim de Ocorrência foi registrado no plantão da Delegacia do Cohatrac e o inquérito segue amanhã para a Delegacia de Defraudações.  Eita Maranhão!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

ELEIÇÕES 2020: SERIA RICARDO MURAD CANDIDATO A PREFEITO EM COROATÁ EM 2020?

Destacado

O desembargador Ricardo Duailibe, atuando pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), deferiu no fim do ano passado uma liminar ao ex-deputado Ricardo Murad (PRP) e concedeu efeito suspensivo a um recurso especial interposto pela defesa dele contra a decisão da corte que o considerou inelegível até 2020. O caso será, agora, analisado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).SERIA ELE CANDIDATO A PREFEITO EM COROATÁ EM 2020?Caso consiga este feito junto ao TSE, o ex-deputado Ricardo Murad poderá sair candidato a prefeito na cidade de Coroatá em 2020 (seu principal reduto eleitoral no estado do Maranhão e sua cidade natal). Com grandes feitos pelo Maranhão, principalmente na área da saúde, Ricardo Murad tem um grande respaldo junto ao seu eleitorado no estado e por conta disso a cidade de Coroatá poderá ter Ricardo Murad como candidato a prefeito em 2020. Aliados mais próximos de Murad já até comentam sobre essa possível candidatura e que está sendo vista com bons olhos no município.GOVERNO DESASTROSO DE AMOVELAR.

Luís FilhoCom um governo desastroso, o atual prefeito da cidade Luís da Amovelar Filho está fazendo um governo desastroso, até pior do que o governo do pai quando governou Coroatá por oito anos. A cidade está esquecida, não se vê uma obra sequer no município. Funcionários reclamam de salários atrasados, prestadores de serviços estão sem receber, a saúde está uma calamidade e o setor de infraestrutura nem se fala.ALIADOS DE AMOVELAR ESTÃO PREOCUPADOSOs próprios aliados do atual prefeito de Coroatá já comentam nas rodas de conversa sobre o desastre administrativo porque passa o município. Caso tenham Ricardo Murad como candidato a oposição de Luís da Amovelar Filho, a coisa poderá mudar e muito, já que Ricardo Murad é o maior líder político da cidade e tem seu eleitorado fiel. Vamos aguardar o andar da carruagem..

Advogados protestam contra presidente da OAB e pedem a extinção da entidade

Destacado

4

Um início catastrófico a gestão de Felipe Santa Cruz na presidência nacional da Ordem dos Advogados do Brasil.

Ligadíssimo ao PT, o advogado resolveu investir contra a Operação Lava Jato. Um abominável erro, que contraria frontalmente o sentimento de toda a classe.

Imediatamente, inúmeras manifestações efetivaram um verdadeiro massacre a Santa Cruz. Desnorteado, ele resolveu se defender com um patético desabafo nas redes sociais, alegando ter sido alvo de “robôs pagos por movimentos extremistas”.

As reações ao seu ‘desabafo’ demonstraram que os ‘detratores’ não eram ‘robôs’, mas advogados absolutamente insatisfeitos com o presidente da entidade

Neste final de semana, o advogado Cristiano Caiado de Acioli, que ficou conhecido por seu entrevero com o ministro Ricardo Lewandowski, gravou um vídeo pedindo a extinção da OAB.

O sentimento manifestado por Caiado começa a crescer em todo o país.

PERCIVAL PUGGINA O Senado brasileiro sepultou Goebbels

Destacado

Neste momento, em algum gabinete parlamentar, redação de jornal ou repartição partidária, alguém está produzindo uma narrativa para explicar o inexplicável. Não sei quem é o tipo, nem sobre o que escreve. Mas o sujeito está lá, dedilhando seu computador, a construir histórias sobre fatos que, interpretados como devem, prejudicam seu partido, seu parlamentar, sua visão de mundo, sua engenharia social. A seu modo, é um discípulo de Goebbels. A atividade é bem remunerada e antiga, mas ele talvez ainda não saiba: é um homem fora de seu tempo.

Uma das nove musas gregas, de nome Clio, filha de Zeus e Mnemósine, era a fonte de inspiração da História e da criatividade. A parte que cabe aos operosos construtores de narrativas no Brasil contemporâneo é a da criatividade, somente ela. Dane-se a História! Sua tarefa é orientada para induzir ao erro, ocultar o que for inconveniente, exibir como acontecido o que não passa de suposição. Aliás, convencer sobre suposições é parte do trabalho, profundamente desonesto, portanto. Era o trabalho de Goebbels.

Também assim, em muitas salas de aula, a história do Brasil e os acontecimentos cotidianos são objetos de “narrativas” em dissimulados cursos de formação de militantes, que engrossam o caldo de cultura necessário a tal objetivo. Também assim, a imagem de Lula, a cada condenação, vai para o restauro e ganha grotesco remendos retóricos. Também assim, em vez de examinarem a indecente pretensão de eleger Renan Calheiros, criticaram a desobediência dos senadores ao “sagrado” sigilo de voto imposto pelo companheiro Toffoli. Também ele, está fora de seu tempo.

Nos últimos cinco anos, conservadores e liberais foram sendo acordados de sua letargia e passaram a clamar por mudanças, pelo desmonte desses artefatos de guerra cultural que custeiam. Descobriram que podiam recuperar seu país. E graças às redes sociais, aos modernos meios de comunicação, ninguém mais é dono da notícia e, menos ainda, de seu significado. O construtor de narrativas pode colocar na boca de um congressista a frase de que Lula foi condenado novamente para prejudicar sua indicação ao Nobel da Paz. Ele pode mandar dizer que não foram as organizações criminosas que motivaram a Lava Jato, mas a Lava Jato que criminalizou a política. Pode, mas viralizará em memes, piadas e causará gargalhadas. Goebbels vai ao suicídio.

Qualquer dúvida sobre o significado dessa nova, democrática e irreprimível interação restou esclarecida nas duas sessões preparatórias para a instalação do ano legislativo e eleição da presidência do Senado. Bem vistas as cenas, lançado esse olhar sobre o fervilhante comportamento do plenário, ficou evidente a intensa atividade on-line. Senadores filmavam e filmavam-se, falavam e ouviam. Iam às suas páginas e escreviam. E liam. E contavam likes e dislikes. Às urtigas a ordem do Toffoli! Exibiram seus votos porque a sineta da soberania popular soava sobre as mesas e nos bolsos dos casacos.

Durante décadas, os construtores de narrativas foram muito bem sucedidos. Especialmente no tempo das velhas “cartilhas”. Ou do “cartilhismo”, como dizíamos aqui no Rio Grande do Sul, onde escrevo. Com estes instrumentos, os ativistas de esquerda eram nacional e uniformemente abastecidos de construções retóricas, esfarrapadas desculpas e grotescas acusações que, reiteradas além dos limites da náusea, tinham, pela repetição, aquele indigesto e conhecido poder de convencimento estudado por Goebbels. Pois esse tempo acabou, rápido e a muito baixo custo. No Senado brasileiro, Goebbels foi sepultado de vez, com audiência nacional. Raras preces, muitas vaias.

Aviões do SUS foram usados até para o tráfico de drogas nas gestões do PT, denuncia ministro

Destacado

1917COMPARTILHARAM ISSO

Além da estapafúrdia distribuição de propinas, na era PT nunca existiu gestão, tudo era feito de modo irresponsável, sem qualquer planejamento, sem nenhuma preocupação com a qualidade dos serviços ou com a decência.

E isso lamentavelmente ocorreu em todos os setores da administração pública, sem exceção.

Assim, a declaração de Luiz Henrique Mandetta, atual Ministro da Saúde, não chega a surpreender. Traficantes venceram licitações do SUS e transportavam drogas, junto com medicamentos.

Aeronaves com o emblema do Ministério da Saúde, que evidentemente não despertavam qualquer desconfiança, sobrevoavam os ares repletas de cocaína e outras drogas ilícitas,

Aliás, as entranhas da era PT certamente têm coisas ainda bem piores.

A absoluta falta de escrúpulos era generalizada.

PERCIVAL PUGGINA O luxuoso berçário da miséria

Destacado

“Quanto mais te cavo, e em ti me aprofundo, mais descubro que em ti não há fundo”. Henrik Ibsen.

O que pode ser muito pior do que a corrupção, esse câncer financeiro e moral que tanto dano causa ao país? Que obra nefasta sepulta mais oportunidades, desemprega mais, afasta maior número de investidores, e desqualifica a educação tanto quanto, ou ainda mais do que os desvios de finalidade a que é submetida?

Refiro-me à irresponsabilidade fiscal. Ela é companheira de um setor público que se agigantou sobre os ombros da sociedade. Aliás, o Estado brasileiro não leu Esopo e sacrifica, todo dia, poedeiras de ovos de ouro. Nos altiplanos na pátria, os poderes de Estado se expandem incessantemente, acumulando uma casca sobre a outra, qual cebola, como talvez a descrevesse Ibsen com a analogia da frase em epígrafe.

Os números da corrupção vão dos milhares de reais aos bilhões de reais. É dentro dos limites bem amplos dessa escala que eles podem ser contados. Já os números do gasto público financiado com endividamento se medem em trilhões de reais. Se amortizados, como deveriam ser, consumiriam metade do orçamento da União; se rolados, custam a cada virada de folhinha, centenas de bilhões de reais. Todo ano, fazem sumir valor muito superior ao da corrupção acumulada em muito tempo.

Uma face visível desse monstro pode ser apreciada nas 12 mil obras paradas (metade das quais sob responsabilidade da União). Mas há outra, mais pérfida, que se expressa na indigência, no abandono e na miséria a que vivem submetidos dezenas de milhões de brasileiros que deveriam ocupar o foco da atenção desse mesmo Estado, desse mesmo setor público. Isso é injustiça que dói na pele da mais tosca sensibilidade.

No entanto, em que pesem os números, chamou-me a atenção a falta de eco, por exemplo, às manifestações de uns poucos novos congressistas por austeridade, por redução das despesas autorizadas e de seus quadros de assessores. Os montantes assim obtidos fazem pouca cócega no fundo em que se cava, para dizer como o poeta norueguês, mas atitude – ah, a atitude! – elegeu Bolsonaro, mobilizou dezenas de milhões, e tem poderoso efeito multiplicador.

Pense na força das poderosas corporações funcionais; pondere o modo leviano como medidas saneadoras dormem nas gavetas de alguns ministros do STF; reflita sobre como, em tantos níveis, o Poder Judiciário e seus órgãos auxiliares expedem determinações que envolvem gasto público sem qualquer cobertura; imagine a barragem que desaba quando 11 ministros majoram os próprios vencimentos; avalie a facilidade com que se criam conselhos nacionais, conselhos superiores, órgãos colegiados, agências nacionais, que logo terão seus palácios em Brasília e extravagantes folhas de pagamento; dê uma olhada no preço final das vinculações e isonomias; atente ao quanto tem custado comprar apoio parlamentar mediante favores prestados com recursos públicos; calcule os preços de deliberações parlamentares arrancadas por lotadas galerias cujo único interesse é enviar a todos os demais a conta de suas postulações.

Vejo no governo e vi em alguns congressistas atitude avessa a isso. Mas falta testemunhá-la no recinto dos grandes privilégios, no âmbito das grandes decisões. Ou seja, no luxuoso berçário da miséria. Diante do Palácio da Alvorada, a escultura “As Iaras” (duas mulheres puxando os próprios cabelos), talvez representem, sem querer, uma antevisão do desespero que, por tanto tempo, se iria abater sobre sucessivas gerações de brasileiros.

TRF4 pode até mandar Lula para a penitenciária

Destacado

Julgamento de recursos, no TRF-4, da nova condenação podem levar Lula para presídio comum

Quando julgar o recurso da segunda condenação do ex-presidente Lula, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) poderá rever sua prisão em uma sala especial da Polícia Federal, em Curitiba, até por provocação do Ministério Público Federal (MPF). A avaliação é que Lula desfruta de tratamento privilegiado. A questão poderá também ser suscitada pelo novo juiz titular da 13ª Vara Federal, Luiz Antonio Bonat. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Sérgio Moro ordenou o cumprimento da pena em uma sala da PF, por sua condição de ex-presidente, mas não há previsão legal para isso.

O custo de Lula em Curitiba é de R$10 mil ao dia, enquanto o custo médio de um presidiário no Brasil não passa de R$2,7 mil por mês.

As duas sentenças de Lula já somam 25 anos e ainda há sete outros processos que podem totalizar mais de cem anos de prisão.

Defensores de Lula acham que ele tem a “prerrogativa” de cumprir todas as penas na sala especial, como se encontra atualmente.

Como a simplória ida de Sérgio Moro ao Congresso em 2004 mudou a história do Brasil…

Destacado

Chamaram-me a atenção repercussões críticas de que o pacote anti-crime de Sérgio Moro foi muito comedido. Pessoalmente, concordo. POR MIM, pena de morte, prisão perpétua e trabalhos forçados seriam realidade; e, com toda certeza, em alguns meses fariam os índices de criminalidade tender a zero. Repito: POR MIM. Mas numa democracia a coisa é diferente – especialmente numa democracia jovem e cambaleante como a nossa, ainda muito distante da maturidade necessária para executar medidas as mais eficientes e justas.

Enquanto a maturidade não chega, temos de nos lembrar sempre que “a política é a arte do possível”. Sérgio Moro é mestre nessa arte. E é por isso que confio no seu pacote e nos seus próximos passos.

O entendimento geral é de que Moro surgiu com a Lava Jato e deve sua notoriedade à atuação nos processos ligados à operação que mudou a História do Brasil. Nada mais equivocado.

Percebendo, porém, que as investigações do Mensalão não dariam em nada, o então juiz Moro foi ao Congresso sugerir mudanças nos regramentos da lavagem de dinheiro e da delação premiada. As alterações garantiriam todo o sucesso das ações da Lava Jato.

Em 2013, a PF pegou Youssef de novo. E o resto (prisões de poderosos, queda de presidente, derretimento de um partido e o fim do maior esquema de corrupção jamais visto) é história.

O destino de uma nação mudou graças a ações aparentemente comedidas e simplórias, como a prisão de um punhado de doleiros e alterações em dois dispositivos legais.

Dentro da arte do possível, Moro mudou a História. É por isso que seu aparentemente comedido pacote Anticrime merece nossa confiança.

EM DAVINÓPOLIS, CÂMARA DE VEREADORES SE NEGA A CASSAR VICE ACUSADO DE MANDAR MATAR PREFEITO

Destacado

A Câmara Municipal de Davinópolis rejeitou na quinta-feira, 7, por maioria, um pedido de cassação do prefeito José Rubem Firmo (PCdoB), o Rubem Lava Jato, que está preso por ser suspeito de ser o mandante do assassinato de Ivanildo Paiva (PRB), ocorrido no dia 11 de novembro de 2018. Rubem Firmo era vice de Ivanildo (saiba mais).

Com isso, mesmo preso preventivamente, o comunista segue como titular do mandato.

Por conta da prisão, no entanto, o de chefe do Executivo municipal está sendo ocupado pelo presidente da Câmara, vereador Raimundo Nonato Santos (PRB), que assumiu a posição no último dia 1º de janeiro.

Rubem Lava Jato está preso desde o fim do ano passado, acusado de ser um dos mandantes da morte de Ivanildo Paiva (reveja).

Lava Jato foi inicialmente preso temporariamente, quando, então, seus defensores protocolaram um pedido de habeas corpus, negado em janeiro pelo Tribunal de Justiça (relembre).

Depois disso, ele já teve outro pedido de liberdade indeferido pela Justiça.

Fonte: Gilberto Léda

NOVATOS E DESCONHECIDOS, ELES PRECISAM MOSTRAR SERVIÇO RÁPIDO

Destacado

Fernando pessoa, Mical Damasceno, Felipe dos Pneus, Wendell Lages, Ciro Neto e Pastor Cavalcante

A renovação da Assembleia Legislativa foi grande. Mas muitos deputados novos já são bem conhecidos do grande público, ou porque eram secretários, ou já tinham passado pela Assembleia ou até por serem parentes de políticos e estarem no noticiário antes. Mas alguns foram grandes surpresas nas bolsas de apostas e precisam de afirmação para passarem de azarões para parlamentares com peso.

Mesmo funcionários da Assembleia Legislativa passam pelos deputados Fernando Pessoa (SD), Ciro Neto (PP), Mical Damasceno (PTB), Pastor Cavalcante (PROS), Wendell Lages (PMN) e Felipe dos Pneus (PRTB) e não os reconhecem. Eles são conhecidos de uma maneira muito restrita regionalmente ou dentro de um segmento bem fechado como igreja. Mas pouquíssimo conhecidos a nível estadual.

Fernando Pessoa saiu na frente. Já utilizou a tribuna, concedeu algumas entrevistas e começa a ser mostrado para o grande público. Ele é cunhado do prefeito de Barra do Corda, Erick Costa e foi secretário do município. Pessoa é cotado para disputar a prefeitura de Tuntum. Seu grupo faz ferrenha oposição ao prefeito Cleomar Tema.

Outro que o parentesco foi fundamental na eleição foi Ciro Neto, que é filho do prefeito de Presidente Dutra, Juran Carvalho. Também com uma grande força regional, é desconhecido a nível estadual. Ele foi eleito dentro do mesmo contexto político da briga no centro maranhense. Erick e Juran são aliados que se fortaleceram com a vitória de Erlânio Xavier na Famem. Agora, resta ver como seus deputados vão aproveitar o bom momento.

Mical Damasceno e Pastor Cavalcante se elegeram no mesmo segmento: o religioso. Mical é filha do pastor Pedro Aldi Damasceno, presidente da Convenção Estadual da Igreja Assembleia de Deus no Maranhão, uma das maiores instituições evangélicas em termos de números. O Pastor Cavalcante também é da Assembleia de Deus, mas é liderança do sul maranhense, sendo presidente da Assembleia de Deus em Açailândia. Ele teve apoio não só da igreja, mas também de políticos da região. Agora, é saber se os dois que são muito conhecidos dentro da igreja, mas nada conhecidos fora, serão a “bancada da Bíblia” ou atuarão em outras áreas para ampliar o espectro eleitoral.

Wendell Lages e Felipe dos Pneus foram eleitos no mesmo contexto de força econômica regional da família. Muito jovens, eles precisam mostrar luz própria agora. Wendell é filho do empresário Antônio Lages Barbosa, com negócios na região de Itapecuru-Mirim, inclusive tendo parentesco com também com o prefeito Miguel Lauand e contratos com a gestão. Felipe dos Pneus é o mais jovem deputado desta legislatura. Ele foi eleito com a força econômica do pai, Antonio dos Pneus, que tem contratos com várias prefeituras e como pecuarista já foi acusado de usar trabalho análogo à escravidão.

Fonte: Antonio Martins

JOSÉ MAURÍCIO DE BARCELLOS Inimigos do Brasil

Destacado

Transita pelo território livre da Rede Mundial de Computadores um vídeo da recente entrevista do finório FHC a uma televisão portuguesa. Causaram-me engulhos a parte em que é perguntado àquele abominável cacique político de um partido (ou societas celeris) que nasceu sob o manto da traição e da covardia, acerca da figura do presidente eleito no Brasil, Jair Bolsonaro, e igualmente qual seria a opinião dele em relação ao mesmo.

Com ares de superioridade e grande soberba o velhaco se empertigou na cadeira e disse simplesmente que não conhecia o Capitão e que jamais tomou conhecimento do mesmo até porque foi presidente da república e insinuou que não tratava com a ralé. Disse que conhecia o Réu Fernando Haddad (criador do kit-gay pra criancinhas), de quem era amigo e em que votou nas eleições presidenciais, mas no que dizia respeito a Bolsonaro, nele nunca votaria porque se tratava de um reacionário, de um despreparado e de um fascista autoritário. Lamentei que a repórter lusitana não tivesse na hora presença de espírito para interpelar o velho “comunista arrependido” e perguntado a razão pela qual estava detratando ou enxovalhando o nome de um brasileiro no exterior, justo quem dizia não conhecer e o que é mais grave, mesmo sabendo que ele foi o escolhido democraticamente, por quase 60 milhões de brasileiros.

Alto lá senhor socialista patife! O que este espertalhão pensa que é? O Brasil não lhe deve coisa alguma e o mal causado a esta Nação por sua atuação nefasta e nefanda, acolitada pela laia esquerdista que o senhor bem representa, levará ainda muitas décadas para ser remediado. À vista do que hoje propõe o professor Paulo Guedes e diante da abalizada análise deste grande economista acerca dos governos vermelhos e das quadrilhas que o dominaram, se constata que sua participação na vida nacional, no mínimo, pode ser rotulada como ruinosa.

Tirante alguma coisa que decorreu da evolução natural e do crescimento inercial, de seus governos só restaram malditos legados. Por exemplo, um plano econômico enganoso tal como seu caráter, por conta do qual uma dívida interna impagável acabou explodindo, tempos depois, justamente nas costas dos mais necessitados e que ainda se arrasta depois de décadas a fio. Na área social então nem se fala. Só para exemplificar. Por causa exclusiva do ideário comuna, FHC introduziu no País, além do cancro relativo às “bolsas populistas”, também o terrorismo urbano com a legalização de entidades do tipo MST e outras afins tão nocivas quanto esse movimento, sempre seguindo a torpe orientação de uma ONU gramscista, que na época já se avermelhava para sempre.

No campo da educação o desastre não foi menor. Com o concurso do calhorda Paulo Renato, então Ministro da Educação, o desprezível FHC se valeu do CEBRAP, uma fábrica de militantes comunistas que atingiu todas as universidades do País, delas excluindo quem quer que não rezasse pela cartilha da daquela entidade espúria. Com ele e por causa dele o ensino no Brasil foi empurrado ladeira abaixo, até chegar ao descalabro em que se encontra. A rigor esse FHC – um pau mandado do “judeu nazista, traidor de sua própria gente” George Soros da Internacional Socialista e que se diz a maior autoridade em Gramsci no Brasil – foi sem dúvida o grande causador de uma desgraça nacional chamada Lula. Muito antes de colocar o “Ogro de Garanhuns” na cadeia quem deveria ter sido preso era FHC – que recebeu milhões de empreiteiros corruptos, segundo a Lava jato – bem como assim os principais asseclas de seu partido, Jose Serra, Aloísio Nunes, Aécio Neves que, com o Eduardo Azeredo, já deviam estar no xilindró há muito tempo.

Com a Revolução Democrática de 2018, o Brasil se livrou de toda essa corja nojenta e pegajosa e agora fica esse espertalhão cujos filhos enriqueceram durante seu governo (tal como os bandidinhos de Lula), a dizer lá fora que Bolsonaro é um despreparado, que nem sabe se comunicar, que fala aos “arrancões” e ininteligivelmente. Ao falar assim, este acusado pela Lava Jato deve estar pensando no “Analfa Encarcerado” ou na “Anta Guerrilheira” que sempre por ele foram incensados porque permitiram que o sabidão e seus lacaios continuassem a roubar o Brasil durante o tempo de seus desastrados governos.

Não tenho a intenção de ofender pessoalmente ou detratar quem quer que seja, vivos ou mortos. Não é do meu feitio. Falo contra ideias e atitudes, mas quando me lembro de que um dia ouvi de uma grande figura que atravessou muitos governos passados que, durante os oitos anos dos tempos de FHC, a comunista Ruth Cardoso – a quem todo patriota tem o indeclinável dever de desejar que a terra lhe seja pesada porque, por puro ódio, ousou petulantemente renegar o titulo de “Primeira Dama do Brasil”, talvez se achando muito melhor que a Nação Verde e Amarela – bem como assim José Serra também acusado de corrupto na Operação Lava Jato, ambos se negavam nas solenidades oficiais, a estender a mão para os militares que estavam obrigados, pelo protocolo, a cumprimentá-los penso que aqueles que ainda não morreram deveriam ser, no mínimo, desmascarados em público pelos militares no poder.

Aquela gente humilhou demais o Brasil. Quando penso naquele “comunistazinho”, corrupto e desonesto com “cara de fimose” – o tal do Zé Serra – que audaciosamente não apertava a mão de um general de cinco estralas do Exército de Caxias, a vontade que tenho é de lhe dar um chute no trazeiro. Talvez seja por causa daquilo e de outras ignomínias que o petulante FHC vive dizendo que Bolsonaro um dia quis lhe matar. Se tivesse sido verdade, talvez lamentasse que não tivesse acontecido mesmo.

Antes que seja questionado acerca das razões pelas quais estou ressaltando tudo isso em relação ao ex-presidente comunista digo que o propósito é de chamar a atenção para o mal que ele ainda é capaz de produzir. Consta por aí e já corre solto pelas Redes Sociais que o tal do FHC seria o principal artífice do “Plano B” da esquerda delinquente, juntamente como o criminoso Zé Dirceu.

Além da difamação de Bolsonaro que sistematicamente FHC promove no exterior, o líder dos traidores da política nacional vem articulando sem cessar estratégias para derrubar o Capitão do poder. Assim é que tentou, sem sucesso, colocar Renan na presidência do Senado, objetivando evitar possíveis impeachments dos “Mandarins Solta Bandidos” do STF, o que resultaria em um desastre para toda a esquerda corrupta e para os facínoras do PT e do PSDB em especial. Dizem igualmente que FHC também articula uma polarização de toda a esquerda no Congresso para tentar obstruir e barrar as medidas de Bolsonaro, enquanto trabalha também com a “Rede Goebells” na construção de factoides que possam levar ao impeachment do Presidente eleito.

Parece que os órgãos de inteligência já sabem que FHC estaria, em última análise, por de trás de ações terroristas a partir da criação e da mobilização de facções que têm a pretensão de desestabilizar este governo que nasce da esperança do nosso povo sofrido. Aquela gente tem como objetivo criar uma espécie de governo paralelo a partir da voz do “Ogro Encarcerado” vinda de Curitiba e, sobretudo, a partir da mente perniciosa de FHC que doentiamente se julga um grande estrategista, justo este canastrão que não passa de um “grilo falante” no dizer do grande Olavo de Carvalho e que nada mais foi na vida senão um medíocre sociólogo que o tráfico de influência alavancou.

Como bem disse, com outras palavras, a Deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), esta semana no plenário da Câmara Federal, respondendo a um grotesco “analfa” de Lula, Deputado Valdir Assumpção (PT-BA): “Queremos ver Lula, chefe da quadrilha do “petrolão”, apodrecer na cadeia e por isso vamos aprovar a lei que põe uma pá de cal quanto à dúvida relativa à possibilidade de prisão em 2ª instância”. “Nesta Casa Bolsonaro tem soldados e aqui a vida dos vermelhos não vai ser fácil; o PT não vai se criar mais”.

Realmente, precisamos nos livrar em definitivo dessa gente desclassificada, inimiga do Brasil e fazer por merecer a grande ventura que, por graças do Altíssimo, a Nação Brasileira alcançou. Outrora tivemos Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma, etc. Hoje temos o capitão Bolsonaro, o mito. Antes tivemos como ministro da fazenda o próprio FHC, Ciro Gomes, Rubens Recupero, Palloci e Mantega e outros que tais. Hoje temos o professor Paulo Guedes que o mundo respeita e admira. Ontem tivemos no Ministério da Justiça nomes como os de Renan Calheiros, Aloisio Nunes, Márcio Thomas Bastos, Tarso Genro, Jose Eduardo Cardoso, ou seja, advogados de bandidos ou bandidos acusados na Lava Jato que desonraram o elevado cargo. Hoje temos como Ministro da Justiça o herói Nacional Sérgio Moro. É preciso dizer mais alguma coisa?

Jose Mauricio de Barcellos ex Consultor Jurídico da CPRM-MME é advogado. Email: bppconsultores@uol.com.br).

Deputados e senadores criarão frente de combate ao ativismo judicial

Destacado

Frente no Legislativo quer mostrar inconformismo com militância de tR

Parlamentares terão frente para combater conveniência política e ideológica de magistrados

A Frente Parlamentar Mista contra o Ativismo Judicial, a ser criada sem demora no Congresso, terá o objetivo de afirmar o inconformismo do Legislativo com decisões judiciais que privilegiam as conveniências políticas ou ideológicas de magistrados, ignorando a letra da lei. “A frente objetiva mostrar a alguns magistrados que há no Congresso quem não os temem”, disse a procuradora aposentada e deputada Bia Kicis (PSL-DF), uma das principais articuladoras da iniciativa. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Devem participar da Frente deputados e senadores novatos, sem rolos na Justiça, mas inconformados com o ativismo ideológico na Justiça.

O desembargador federal Fábio Prieto (TRF-1) é voz quase solitária na Justiça contra a “militância de toga” e suas “sentenças messiânicas”.

Na Justiça do Trabalho, há juízes investidos do papel de “Robin Hood”, ignorando a lei e até provas em favor de um certo justiçamento social.

O ministro Luís Barroso terá trabalho para convencer a Frente da sua defesa do poder do STF de invalidar leis emanadas do Legislativo.

Prefeito Rodrigues da Iara se reúne com secretário estadual de educação

Destacado

Na manhã de hoje, sexta feira (8), o prefeito da cidade de Nina Rodrigues, Rodrigues da Iara, esteve reunido com o secretário de Estado da educação, Felipe Camarão.

Na ocasião o prefeito estava acompanhado da secretária de educação do município, Sâmara Corrêa e a presidente da Câmara Cita Braga .

Durante a reunião foi feita uma pauta de reivindicações que foi apresentada ao secretario, como a solicitação de mais um ônibus escolar, além das reformas do farol da educação e da Unidade escolar Joselina.

O secretário, prometeu que até o meio deste ano, dará respostas a essas revindicações.

.

Protocolado requerimento de CPI para investigar Judiciário

Destacado

Senado Notícias

O senador Alessandro Vieira (PPS-SE) obteve nesta quinta-feira (7) as assinaturas necessárias e protocolou requerimento de sua autoria para criação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI). A CPI deverá investigar possíveis irregularidades no Poder Judiciário.

— Nosso objetivo é abrir a caixa-preta desse Poder que segue intocado, o único que segue intocado na esfera da democracia brasileira. E só existe democracia quando a transparência chega a todos os lugares. A democracia não pode ser seletiva. As câmaras, as assembleias legislativas, os palácios do Executivo, este Congresso Nacional, já sentiram os efeitos da transparência e das investigações claras, feitas tecnicamente. Os resultados estão consubstanciados realmente em todo o Brasil — afirmou em Plenário.

A intenção do parlamentar é investigar o abuso de pedidos de vista ou expedientes processuais para retardar ou inviabilizar decisões de plenário; o  desrespeito ao princípio do colegiado; a diferença do tempo de tramitação de pedidos, a depender do interessado; o excesso de decisões contraditórias para casos idênticos; e a participação de ministros em atividades econômicas incompatíveis com a Lei Orgânica da Magistratura.

O senador afirmou que todos conhecem dezenas de casos de liminares monocráticas que permanecem por anos a fio. Além disso, acrescentou, os tribunais superiores viraram uma espécie de loteria, em que as decisões variam conforme o magistrado:

— Os nossos tribunais superiores se transformaram num aglomerado de decisões monocráticas, o que gera uma loteria. Se o cidadão que vai apresentar uma ação é sorteado para o ministro “X”, ele tem uma decisão para um lado; se é para o ministro “Y”, é para o outro. O colegiado já decidiu o assunto e eles desrespeitam. Isso precisa ser resolvido. E, para resolver isso, a gente precisa estudar, compreender e propor eventualmente uma lei — disse.

Requerimento

Oficialmente, o pedido apresentado à Secretaria-Geral da Mesa requer a comissão de inquérito para “investigar o exercício exacerbado de suas atribuições por parte de membros dos tribunais superiores do país”. O grupo deverá ser composto por dez titulares e seis suplentes e trabalhar por 120 dias, com limite orçamentário de R$ 30 mil. Para a instalação da CPI, o requerimento deve ser lido em Plenário em sessão deliberativa.

O requerimento destaca ainda que “não não se trata de perquirir as atribuições do Poder Judiciário, mas sim de investigar condutas que extrapolem o exercício regular dessas competências”.

Relevância

O senador lembrou também que CPI é um instrumento legítimo, histórico no Brasil, destinado a apurar fatos que tenham grande relevância no cenário nacional:

— Se dentro dessa apuração você encontra crimes, pior para o investigado, e esse fato vai ser encaminhado às autoridades que têm essa obrigação, como Ministério Público ou polícia. A gente tem essa clareza do que é uma CPI, essa clareza do que a gente pretende fazer aqui. Ninguém pretende substituir o papel do Ministério Público, ninguém pretende substituir o papel da Lava Jato. São atuações independentes. A gente precisa resgatar o respeito e a credibilidade do Legislativo brasileiro, porque esse respeito é respeito aos nossos eleitores — afirmou.

Está previsto para segunda feira dia 11/02 solução para o problema das contratações.

Destacado

Mentira tem pernas curtas, essa é uma afirmativa que retrata o momento atual da política no município de Vargem Grande.

Um blog ligado ao executivo, e com o claro intuito de fazer média ao seu tutor, ou por desconhecimento da decisão judicial, ou para fazer jus aos salários que recebe, tenta passar a imagem de que a Câmara terá que pagar multa diária de R$ 10.000,00 se não votar o pedido de contratação dos servidores, na forma como quer o poder executivo e no prazo de 48 horas.

No despacho do M.M Juiz que li, não diz o que afirma o blogueiro. Pelo contrário, o Sr. Juiz determina que Cite-se e intime-se o prefeito e notifique-se o presidente da Câmara para uma audiência de conciliação as 15 hs e 30 min. do dia 11 segunda-feira, na sala das audiências do Fórum Local, para que se busque uma solução amigável para o problema.

Cada parte intimada e ou citada, deverá apresentar seus argumentos para esse impasse.

Ocorre que em Vargem Grande, é costumeiro, os prefeitos acharem que são os donos dos município e que os vereadores são meros coadjuvantes nesse processo político-administrativo. Alguns partidários dos prefeitos, entendem que se o prefeito mandar, os vereadores tem que aprovar. Nesse caso, vereador é uma figura decorativa que serve apenas para concordar com tudo, e não é assim.

Publiquei uma matéria nesse espaço, inclusive com cópias de ofícios endereçadas aos secretários de Educação, saúde e assistência social, na qual os vereadores solicitam saber onde serão lotados, e os horários que irão desempenhar suas funções os contratados, e não obtiveram respostas do modo que foram indagados.

Esperamos que dia 11/02, tudo seja resolvido, e que cada um assuma o ônus e o bônus da sua participação nesse imbróglio.

POLÍCIA ESTOURA FÁBRICA DE DINHEIRO FALSO EM PARNAÍBA-PI

Destacado

WhatsAppFacebookTwitterPrintCompartilhar

Após receber uma denúncia sobre um esquema de derramamento e venda de notas falsificadas, a Polícia Militar desarticulou, na tarde de quinta-feira (06/02) um laboratório de fabricação de dinheiro falso, que funcionava no cruzamento das ruas Anhanguera e Dirceu, no bairro Piauí, na cidade de Parnaíba.

Ao se dirigir ao endereço da denúncia, a viatura abordou o suspeito identificado como Rafael Francisco Pereira nas proximidades de sua residência. Ao ser questionado pelos policiais sobre sua participação no esquema, o acusado confessou o crime e levou os policiais até o local onde funcionava o laboratório de falsificação, que ficava em um dos compartimentos da casa de Rafael. Logo após, a Polícia Federal foi acionada.

autoridade policial, a qualidade do material produzido chamou a atenção dos agentes, pois apresentava até a marca holográfica presente nas cédulas originais. “Essa pessoa já tem uma participação no derrame de cédulas falsas na cidade há algum tempo, e a nossa intenção agora é não ficar só nele. A gente vai verificar de onde elas vieram e para aonde estavam indo. Já há indícios que há uma ligação dele com outras cidades, não só no estado [Piauí], mas fora dele”, afirmou o delegado.

                     O acusado e todo o material apreendido foram encaminhados à delegacia.

Fonte: Neto Ferreira

JÁ REINCIDENTE PELO MESMO CRIME, DONO DE LOJA DE PEÇAS DE VEÍCULOS DE IMPERATRIZ É PRESO COM CARRO ROUBADO

Destacado

WhatsAppFacebookTwitterPrintCompartilhar

Policiais da Força Tática 03 do 14º Batalhão de Polícia Militar estavam fazendo rondas, no período da tarde desta quinta-feira (07) no Bairro Entrocamento, ao visualizarem um veículo Virtus de cor prata com placa OXB-2496. O Sargento Osvaldino fez uma consulta da placa traseira do veículo e descobriu que a placa consultada pertencia a uma moto do Estado de Minas Gerais.

A guarnição de imediato retornou para local onde o veículo estava, na rua João Lisboa. O motorista do veículo estava saindo quando os policiais sairam atrás e perceberam que placa consultada já não estava no veículo. A placa agora era QOI-7119. Feito nova pesquisa constataram que o veículo tinha registro de roubo.

O motorista ao perceber que a guarnição estava seguindo tentou fugir, mas foi interceptado. Os policiais fizeram a apreensão do veículo e a prisão do motorista, identificado como Jacó Nascimento da Silva.

Os policiais apresentaram o Virtus e o homem detido na 10ª Delegacia Regional de Polícia Civil para serem feitos os procedimentos legais. Este foi o segundo veículo recuperado pelo 14º Batalhão em 2019.

O caso foi repassada para a Delegacia de Roubos e Furtos, tendo como responsável o delegado Vital. Após ouvir os policiais e o conduzido, o delegado autuou em flagrante pelo crime de receptação. Jacó Nascimento da Silva é proprietário de uma loja de peças de veículos no Jardim São Luís, tendo já sido preso pelo mesmo crime.

Fonte: Notícias da Foto

Fachin decide manter no STF mais uma denúncia de corrupção contra Renan

Destacado

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator da operação Lava Jato, fatiou a denúncia da Procuradoria-Geral da República contra a antiga cúpula do MDB no Senado por integrarem organização criminosa que teria recebido propinas e desviado recursos públicos em um esquema de corrupção na Transpetro. A denúncia foi apresentada pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em setembro de 2017.

Calheiros manteve por 13 anos na presidência da estatal Transpetro, subsidiária da Petrobras, o ex-senador cearense Sérgio Machado, que, preso na Lava Jato, fez acordo de delação premiada e denunciou toda a cúpula do MDB, inclusive seu padrinho político. Ele gravou conversas com os políticos que denunciou.

Fachin decidiu manter apenas no STF a investigação sobre o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e arquivou a apuração sobre o ex-presidente José Sarney (MA) e o ex-senador Garibaldi Alves (RN), apontando haver prescrição no caso dos dois.

Fachin ordenou o envio à Justiça Federal do Rio de Janeiro as investigações contra os ex-senadores Valdir Raupp (RO) e Romero Jucá (RR), que perderam o foro privilegiado ao encerrarem seus mandatos no Congresso Nacional.