ASSASSINATO EM VARGEM GRANDE

morto moizinho

Valdenir Martins dos Santos de 25 anos foi assassinado com um tiro de espingarda enquanto jogava bilharina no bar do Sanfoneiro na rua do Mousinho Dois. De acordo com levantamentos vítima e acusado tinham rixa antiga. Ano passado, segundo se apurou, Nelson, o acusado de desferir o tiro que matou Valdenir, o havia cortado a golpes de faca. Ontem entre 9h e 9h30min da noite enquanto Valdenir disputava uma partida de bilharina, Nelson Aproximou-se e deu-lhe um tiro de espingarda bate bucha, próximo da axila esquerda, bem perto do coração. O tiro atravessou o torax  saindo do lado direito, matando-o na hora. Nelson que estava acompanhado de Azeitona e Ronildo, ainda correram para matar um irmão da vítima que saiu correndo para se esconder dos agressores. Há informações que Ronildo e Azeitona davam apoio logistico a Nelson e que em caso de reação de alguém os dois estavam prontos para reagir em favor do acusado. A polícia diligenciou até as 2hs da madrugada mas não tivera nenhuma pista dos acusados. O serviço de atendimento do Hospital foi informado mas segundo apurou-se existe uma determinação da Direção do Hospital de que vítimas fatais não podem ser conduzidos nas ambulâncias do Hospital. Por esse motivo o corpo de Valdenir foi transportado por amigos e familiares em uma rede até a residencia dele na rua São José, antigo bairro dos Macacos.

3 ideias sobre “ASSASSINATO EM VARGEM GRANDE

    • Berilo, infelizmente a nossa Vargem Grande de serestas e tertúlias de nossa época, vive apenas no nosso relicário. Dizer aos mais jovens que isso existiu em um passado não muito distante, para eles é fantasia, são factoides que povoam nosso imaginário. Homens como você capaz de discernir entre o crime e a periculosidade criminal, e que acima de tudo é um ser humano de apurado sentimento Cristão, sabe que nem Vargem Grande, ou outro qualquer lugar do mundo pode conviver com a criminalidade do modo como se nos apresenta. Obrigado pelo comentário. Tento as vezes passar notícias alegres, mas o ser humano em sua crueldade me impede, e sou obrigado a divulgar fatos que nos desagradam. Um abraço meu irmão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *