Dilma volta a apelar ao discurso cínico, mentiroso e marqueteiro

Ricardo Noblat

Espantosa a desfaçatez da presidente Dilma Rousseff.

Embora tenha sido condenada por se valer de um discurso descaradamente marqueteiro e repleto de mentiras, ela cede à tentação e apela para o mesmo discurso quando faz sua primeira visita ao interior do país depois de ter sido reeleita.

Em Feira de Santana, na Bahia, a pretexto de entregar unidades do programa Minha Casa, Minha Vida, ela disse coisas do tipo:

– Como uma mãe, como uma dona de casa, faço algumas correções…

– Precisamos fazer ajustes e faço ajuste no meu governo como a dona de casa faz na casa dela…

Tudo isso a propósito do ajuste fiscal que cortará direitos sociais. Logo ela que na campanha do ano passado garantiu que jamais cortaria direitos sociais.

– Essas correções dizem respeito ao fato que para o Brasil é muito importante focar os programas sociais. Fazer com que se beneficiem só quem precisa deles.

Quer dizer: Dilma descobriu que pessoas que não precisavam dos programas sociais se beneficiavam deles…

Tremendo cinismo.

Depois de ter dito e repetido durante a campanha que a economia estava arrumada e sob controle, ela agora justifica o ajuste fiscal como indispensável para a retomada de “um novo ciclo de desenvolvimento econômico para gerar mais emprego, mais renda e fazer com que o Brasil continue a crescer de forma acelerada”.

Antes o Brasil não carecia de nenhum ajuste fiscal. Foi isso o que ela jurou para garantir a maioria dos votos capaz de reelege-la. Agora…

– Eu tenho coragem suficiente para fazer as mudanças que são necessárias. Só tenho o compromisso com a população e a cidadania desse país, com o povo pobre desse País.

O disco demagógico irrita quem o ouve. Dilma e sua turma continuam subestimando a inteligência alheia.

Uma vez pode dar certo – como deu. A segunda vez, duvido.

Dilma Rousseff (Foto: Arquivo Google)

Porta-voz do governo revela fracasso da reunião de Flávio Dino com Dilma

 John Cutrim ao lado do chefe-governador Flávio Dino

John Cutrim ao lado do chefe-governador Flávio Dino

Ao contrário do material que foi enviado à imprensa sobre o encontro do governador Flávio Dino (PCdoB) com a presidente Dilma Rousseff, a reunião entre os dois foi um fracasso. 

O próprio blogueiro John Cutrim, espécie de porta-voz do Governo do Maranhão, desmentiu tudo o que a comunicação do Estado, o comunista e seus aliados informaram.

Segundo o porta-voz governista, Dilma “cumpriu apenas o protocolo, de receber um governador de estado. Comportou-se institucionalmente. Ouviu, não se comprometeu com nada e seguiu o ritual do governante descompromissado: papo mole, sorriso, tapa na costa, abraço e foto. E foi só de Dilma para o Maranhão!”.

E disse mais: que a presidente falou “de maneira superficial e desinteressada, que iria ajudar o Maranhão via programas federais. Isso mesmo, através dos programas que já existem no estado […] Nada de um grande plano para combater às desigualdades sociais e elevar os indicadores socioeconômicos […] tampouco alocar recursos para uma grande obra em infraestrutura, saneamento, agricultura”.

As informações do porta-voz do governo vai de encontro com o que foi dito pelo governador Maranhão, que fez questão de falar que “tem convicção da parceria com o Governo Federal e que a presidenta demonstrou solidariedade com o Maranhão, se comprometendo em ajudar o Estado”.

Tudo balela!

Abaixo a informação do aliado do governo, falando sobre a realidade do que foi a reunião entre o governador Flávio Dino a presidente Dilma Rousseff: Fonte Luis Pablo.

Flávio Dino - Dilma Rousseuff

Riba do Xerém não tem mais apoio do PT

HPIM0240O Diretório municipal do Partido dos Trabalhadores de Nina Rodrigues, divulgou nota na qual declara que não faz mais parte do governo do prefeito Riba do Xerém. Segundo a Nota, por não concordar com as atitudes políticas e administrativas do prefeito, o partido que ajudou a ganhar as ultimas eleições de prefeito no município, não mais faz parte do governo. A vereadora Dolores que compunha a base de sustentação do governo, atendeu a determinação do partido e está agindo com a posição de independência. Secretários deixaram a administração e Riba a vontade para fazer suas escolhas em outra agremiação partidária, para substituição dos seus cargos ainda vagos . Comenta-se nos bastidores, mas nada de oficial ainda, que o prefeito Xerém está buscando apoio no ex-prefeito e antigo aliado Jhones Braga. Caso isso venha acontecer, esse será o grupo que vai disputar a eleição com a popularíssima e mais forte liderança do município na atualidade, a ex-prefeita Iara Quaresma.

Homem quase é linchado pela população de Vargem Grande.

HPIM0645Antonio Soares de 22 anos quase foi linchado por populares na manhã desta quinta-feira. Soares tentou sem sucesso assaltar uma senhora quando a mesma saia do Banco do Brasil e se destinava para casa. O Bandido acompanhou os passos da senhora e ao tentar assalta-la, não logrou êxito. A vítima reagiu e aos gritos de socorro conseguiu despertar a atenção de populares que conseguiram deter o acusado. A polícia foi informada de que nas imediações da Igreja Universal um homem estava sendo espancado por populares. Nesse momento o sargento Pereira e o agente Santiago se dirigiram até o local onde efetuaram a prisão do acusado e o conduziram até a delegacia local. Soares disse ao blog que é ajudante de pedreiro e que mora no povoado Boca do Campo município de Chapadinha. A única coisa que o acusado não conseguiu explicar era o que estava fazendo em Vargem Grande.

Nós, idiotas, ainda temos esperança de que o Impeachment aconteça

Jorge Oliveira

Brasília – Estão fazendo a Dilma de idiota. E o pior: ela aceita passivamente esse papel. Acusar o Fernando Henrique Cardoso pelo roubo na Petrobrás é também fazer de idiota o povo brasileiro. Aliás, idiotas somos todos nós que ainda não fomos às ruas pedir o impeachment da Dilma, que trata os seus mais de 50 milhões de eleitores também como idiotas. E nesse país, infestado de idiotas por todos os lados, estamos assistindo diariamente um festival de idiotices. Depois que emagreceu, Dilma ficou menos inteligente. Médicos comprovam que os remédios que emagrecem afetam também o cérebro. E quanto mais emagrece a base de remédios, mais lento a pessoa fica para pensar, raciocinar e trabalhar. Talvez, por isso, a presidente tenha falado essa bobagem de que o FHC é responsável por tudo de ruim que acontece no governo do PT e, especialmente, no dela que derreteu a Petrobrás, o maior patrimônio dos brasileiros.

Só um idiota acredita nessa versão da Dilma. E só um idiota poderia orientar a presidente a falar uma bobagem desse tamanho. Ora, minhas senhoras e meus senhores, os depoimentos dos delatores premiados, tomados pelo juiz Sérgio Moro, são ricos em detalhes. Eles acusam frontalmente o tesoureiro do PT João Vacarri Neto de ser o gatuno chefe do partido. Estão nos autos que Vacarri roubou dinheiro da Petrobrás em conluio com alguns diretores para campanhas da Dilma e do Lula. E que a Dilma é a responsável pela compra da refinaria de Pasadena na condição de ex- presidente do Conselho da Petrobrás. Se ainda não foi indiciada é porque a Justiça não quer abrir uma crise institucional no momento em que o país convoca à população para ir às ruas no dia 15 de março pedir o impeachment da presidente.

Além disso, o Tribunal de Contas da União, que até então mantinha uma vigilância mais republicana quanto aos gastos e os desvios do governo, decidiu fazer acordo de comadre. Foi o que fez ao retirar Graça Foster, a Graciosa, da lista dos diretores que tiveram os bens indisponíveis para ressarcir os cofres públicos da compra superfaturada da refinaria do Texas. O próprio José Sergio Gabrielli , ex-presidente da Petrobrás, já abriu o bico na CPI. Jogou nas costas da Dilma a responsabilidade sobre a compra de Pasadena.

O aparelhamento do estado e das instituições, que até então zelavam pelo bem público, são responsáveis por esse silêncio idiota dos brasileiros. Entidades como a OAB, CNBB, ABI, FENAJ e as centrais sindicais doravante vigilantes e aguerridas em defesa do país estão amordaçadas por favores do governo petista. Tratam a todos como perfeitos idiotas, porque não se manifestam para denunciar os desmandos que ocorrem no país. Foi-se a época em que esses órgãos tão combatente apoiavam às reivindicações populares. Hoje, estão amordaçados pelas polpudas contas bancárias e pelos empregos no alto escalão da república. O Brasil, assim, se transforma em um país de idiotas abestados.

Somos também idiotas quando acreditamos na CPI da Petrobrás, instalada na Câmara dos Deputados pelo presidente Eduardo Cunha.  Ora, essas comissões – com raras exceções – são criadas para que seus integrantes barganhem com o governo. E não sejamos idiotas em acreditar que Cunha, da base aliada, faça oposição ao governo, que já pensa em indicar como relator um deputado do PT.  Essa não é a primeira, mas a quarta CPI da Petrobrás instalada no Congresso. E o que se viu até agora foi um final melancólico, um acordo de compadrios e uma gastança de tempo e dinheiro para engavetar os relatórios que não chegaram a nenhuma conclusão.

O que os brasileiros menos idiotas estão apostando é na turma do juiz Sergio Moro que já botou na cadeia os intocáveis, os empreiteiros que faziam a farra dos políticos. E pensam em mandar também para o xilindró boa parte dos políticos que se beneficiaram do roubo da Petrobrás. E este idiota que vos escreve, ainda tem esperança de que isso aconteça.

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DO ISOLAMENTO

Carlos Chagas

Na sua mais recente intervenção política, o Lula recomendou à presidente Dilma levantar a cabeça. Vamos supor a sucessora seguindo o conselho do antecessor. Verá o quê, além da paralisação dos caminhoneiros, da alta nos preços, das generalizadas reações contra a redução de direitos trabalhistas, mais o temor dos partidos de sua base política diante da lista a ser divulgada pelo Procurador-Geral da República por conta dos escândalos na Petrobras. Também verá a insatisfação do PMDB diante do distanciamento do governo, a rebelião no PT, o sentimento de independência do Congresso transformar-se em hostilidade, envolta por sua impopularidade expressa nas recentes pesquisas de opinião. Sem falar nas ameaças de impeachment e num ministério amorfo, insosso e inodoro. Quantos obstáculos e desgraças a mais?

Raras vezes alguém ocupando a presidência da República defrontou-se com tamanho inferno astral, mesmo pouco depois de seu aniversário.

Importa prospectar as razões dessa queda, justo em seguida à reeleição. É preciso ir além de suas características pessoais, como a presunção, a arrogância e a rispidez no trato com os subordinados. O fracasso na função de governar deve-se, basicamente, à incapacidade de compreender e de integrar-se ao Brasil e aos brasileiros. Não somos um quartel, nem uma repartição pública, muito menos um colégio de freiras onde a Madre Superiora impõe suas concepções às freirinhas assustadas. Há quanto tempo Madame não sai à rua como simples cidadã, não vai à praia lotada de gente num dia de sol, não faz compras num centro comercial, não entra num restaurante ou até num botequim, se é que já entrou? Suas agruras tem raízes no isolamento, tanto faz se por julgar-se superior, dona das verdades absolutas, ou por timidez. Para resumir, falta um sorriso. Uma descontração. A presidente lembra mais o general Ernesto Geisel do que Juscelino Kubitschek, só para referir dois polos opostos de ocupação do poder. Mesmo sem sentir, ela transmite seus sentimentos e sua postura ao país inteiro. Acaba contaminando a maioria. Colhe o que vem plantando, com os olhos voltados para o canteiro, sem levantá-los.

DE ONDE TIRAR O DINHEIRO?

Os ministros, com Joaquim Levy à frente, silenciam quando escutam da grande maioria de parlamentares com quem tem conversado sugestões para ajustar a economia através da criação do imposto sobre grandes fortunas, taxando as remessas de lucro para o exterior, as heranças e até o faturamento dos bancos. Preferem defender a redução de direitos trabalhistas. Fonte Claudio Humberto

Vigilantes da Coltbrasil estão há seis meses sem salários

Terceirizados da empresa Coltbrasil Segurança Privada Ltda., que prestam serviços como vigilantes à Secretaria de Estado de Educação, pelo interior do Maranhão, estão há seis meses sem receber salários.  São pais de família, que assim como todos nós, trabalham e têm direito de receberem seus vencimentos.

De acordo com denúncia recebida pelo Blog, a Seduc não fornece nenhuma informação a cerca do repasse à Coltbrasil, deixando os servidores nesta condição, sem saber quando vão receber os salários atrasados.

Eles cobram um posicionamento do governo do Estado o mais breve possível. Fonte Luís Cardoso.

Prefeito de Bacabeira entrega ofício ao ministro Aloisio Mercadante‏ defendendo continuidade da Refinaria Premium

Após a decisão da Petrobras de descontinuidade do projeto da Refinaria Premium I, o prefeito de Bacabeira, Alan Linhares, em um gesto de grande preocupação com o município, maior prejudicado com o encerramento dos projetos de investimento, trabalha nos bastidores da política, cobrando o prosseguimento do empreendimento.

No início deste mês, como primeira ação em prol da continuidade do projeto, Alan Linhares, juntamente com o secretário de Portos, Indústria, Comércio e Meio Ambiente de Bacabeira, Silvino Ezon, participou de uma reunião, em Brasília, com a bancada federal maranhense, para discutir a decisão da estatal.

Em busca de apoio e com o intuito de mobilizar ainda mais a classe política, na última semana, Alan Linhares encaminhou uma carta ofício ao Ministro-Chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, aos 18 Deputados Federais e, também, aos 42 Deputados Estaduais. Na manhã de ontem, 23, no Palácio dos Leões, Alan Linhares protocolou o documento ao governador Flávio Dino.

Na carta, Alan Linhares reconhece o momento adverso da Petrobras, mas acredita na viabilidade do empreendimento por meio de modelos diferenciados de negócio e aponta estratégias para um novo cenário, com modelo atrativo.

“A carta ofício mostra a importância estratégica da Refinaria Premium I para os objetivos do Brasil e do Maranhão. Ela além de estar inserida em uma localização privilegiada, na região metropolitana de São Luís e na Baía de São Marcos, onde está

situado o Complexo Portuário do Itaqui, já se encontra com obras de terraplanagem e drenagem concluídas”, disse Alan Linhares.

No final da carta endereçada ao ministro Aloizio Mercadante, Alan Linhares faz um convite para uma visita ao Maranhão, para conhecer de perto as vantagens competitivas do projeto. A Casa Civil já entrou em contato com a prefeitura de Bacabeira para definir os detalhes da visita, que ainda não tem data confirmada.

Na carta encaminhada ao governador Flávio Dino, Alan Linhares solicita a mobilização do governo para coordenar as ações em busca da continuidade do projeto. “A Refinaria é uma questão apartidária, é dos maranhenses e, portanto, do Estado. Sob a coordenação e orientação do nosso governador e envolvimento dos órgãos responsáveis pelo setor e, até mesmo de outras empresas e instituições, conseguiremos desenvolver soluções que visem à implantação desse empreendimento”, destacou o gestor.

Alan Linhares tem conseguido apoio efetivo de todos os parlamentares, em especial dos deputados federais José Reinaldo Tavares (PSB) e Júnior Marreca (PEN) e do deputado estadual Glauberth Cutrim (PSL) que se colocaram à disposição para lutar pelo projeto.

“Nesse cenário, articulando, conversando, propondo e movimentando-se é que conseguiremos dar um novo encaminhamento para o caso da refinaria. Estas ações empreendidas pela prefeitura municipal de Bacabeira têm sido importantes para o reforço da causa, que se tornou bandeira de luta de todos”, concluiu Alan Linhares.

Crueldade! Flávio Dino demite cozinheiras do Palácio dos Leões; uma estava há 1 ano de se aposentar

Ricardo Murad - Flávio Dino 2Crueldade. Essa é a palavra que define a atitude do governador do Maranhão em demitir as cozinheiras do Palácio dos Leões. Todas foram demitidas sem justificativa.

Cozinheiras que passaram por vários governos, foram colocadas para rua pelo governador Flávio Dino (PCdoB). O pior é que uma delas estava há 1 ano de se aposentar. Quanta maldade.

Parece que Flávio não pensa em governar, só em perseguir quem já passou pelo Governo Roseana e pouco importa a competência para permanecer no cargo.

Como acreditar na mudança que o governador prometeu durante a campanha eleitoral? É lamentável o que ocorreu com as cozinheiras, que entraram para extensa lista de maranhenses desempregados. Fonte Luís Pablo.

Delação premiada de empreiteiro vai facilitar o impeachment

Carlos Newton

A explosiva reportagem de Daniel Pereira e Robson Bonin, na Veja, confirma artigos publicados há meses na Tribuna da Internet adiantando que José Dirceu (ex-chefe da Casa Civil), Delúbio Soares (ex-tesoureiro do PT) e José Genoíno (ex-presidente do partido) seriam incriminados nos processos do chamado Petrolão, nas mesmas condições do mensalão, por participarem ativamente do esquema de corrupção montado para perpetuar o PT no Poder e que tinha tentáculos no mensalão, na Petrobras, nos Fundos de Pensão, no BNDES e em outras estatais, como a Eletrobras.

Aos poucos, estão sendo confirmadas essas informações exclusivas da TI, publicadas com absoluta exclusividade, e agora surgem as revelações do engenheiro Ricardo Pessoa, presidente do grupo UTC e organizador do cartel de empreiteiras. Preso há três meses, ele tenta conseguir um acordo de delação premiada para revelar o que sabe sobre o escândalo da Petrobras. E as manobras para convencê-lo do contrário seguem o padrão do ciclo petista no poder: o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, o advogado-geral da União Luís Inácio Adams, o ex-presidente Lula e até a sucessora Dilma Rousseff se transformaram em advogados de defesa do PT e tentam evitar que os escândalos atinjam o Planalto.

Desta vez, porém, trata-se de missão impossível, porque não terá êxito a montagem de manobras semelhantes às arquitetadas pelo então ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos no julgamento do mensalão. Agora, Lula e Dilma serão inevitavelmente envolvidos, na condição de principais beneficiários do esquema, e o impeachment é apenas uma questão de tempo.

AS REVELAÇÕES DE PESSOA

Em síntese, as revelações do empresário Ricardo Pessoa são as seguintes:

  • O esquema organizado de cobrança de propina na Petrobras começou a funcionar em 2003, no governo Lula, organizado pelo então tesoureiro do PT Delúbio Soares.
  • A UTC financiou clandestinamente as campanhas do ministro Jaques Wagner ao governo da Bahia em 2006 e 2010.
  • A empreiteira ajudou o ex-ministro José Dirceu a pagar despesas pessoais a partir de simulação de contratos de consultoria.
  • Em 2014, a campanha de Dilma Rousseff e o PT receberam da empreiteira 30 milhões de reais desviados da Petrobras.

AS RAZÕES DA DELAÇÃO

A reportagem de Daniel Pereira e Robson Bonin explica com clareza as motivações do pedido de delação premiada do engenheiro baiano Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC:

A primeira, evidente, é não ser sentenciado pela acusação de montar um cartel de empreiteiras destinado a fraudar licitações na Petrobras, quando a festa pagã de que ele tomou parte na estatal foi organizada pelo PT, o partido do governo. A segunda, também óbvia, é atrair para o seu martírio o maior grupo de notáveis da política que ele sabe ter se beneficiado das propinas na Petrobras e, assim, juntos, ficarem maiores do que o abismo — salvando-se todos. A terceira, mais subjetiva, é, atormentado pela ideia de que tudo o que ele sabe venha a ficar escondido, deixar registrado para a posteridade o funcionamento do esquema de corrupção na Petrobras feito com fins eleitorais. Antes dono de um porte imponente e até ameaçador, Pessoa está magro e abatido. As acusações de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa que pesam sobre ele poderiam ser atenuadas caso pudesse contar, em delação premiada, quem na hierarquia política do país foi ora sócio, ora mentor dos avanços sobre os cofres da Petrobras.

Segundo a reportagem, a delação premiada estava num impasse, porque os procuradores federais queriam que Pessoa falasse também sobre a corrupção em outras estatais, cuja realidade ele diz desconhecer por não ter negócios com elas. E os procuradores desconfiavam também que Pessoa estivesse sonegando informações úteis para a investigação. Mas depois dessas revelações feitas espontaneamente à Veja, não é possível que os procuradores continuem a negar a delação premiada.

O PT, o Instituto Lula e o Planalto estão literalmente em pânico. A Oposição vai convocar Pessoa para ouvir as acusações ao vivo na CPI da Petrobras. Não há a menor dúvida de que as revelações dele facilitam o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Agora, é somente uma questão de tempo.

###
PS – Agradecemos ao comentarista Mário Assis, ex-secretário de Administração do governo do Estado Rio, por insistir em que as consequências das revelações de Pessoa fossem analisadas aqui na Tribuna da Internet. Realmente valeu a pena. Fonte Tribuna da Imprensa.

Coalizão pela Reforma Política realiza três eventos hoje

A Coalizão pretende coletar mais de 1,5 milhão de assinaturas para que seja apresentado ao Congresso Nacional um Projeto de Lei de Iniciativa Popular

CNBB

coalizao_democraticaA Rede de entidades que compõem a Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas participa nesta quarta-feira, 25, em Brasília (DF), de três eventos importantes para a mobilização em torno do Projeto de Lei de Iniciativa Popular e da defesa do Projeto de Lei (PL) 6316/2013, em tramitação na Câmara dos Deputados.

Pela manhã, às 8h30, haverá reunião com as entidades integrantes da Coalizão para discutir as datas do Plano de Mobilização, que compreende ações em todo o país voltadas à conscientização e coleta de assinaturas para o projeto. Também será definida a data de realização da Semana de Mobilização e Coleta de Assinaturas. O encontro será no Auditório do Centro Cultural Evandro Lins e Silva, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Ainda na manhã desta quarta-feira, haverá o lançamento de uma “Proclamação em Defesa da Democracia”, assinada pelo arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Raymundo Damasceno Assis, e pelo presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinícius Furtado Coelho. O ato será realizado às 11h, na sede da CNBB.

O último momento será um debate com parlamentares, no Plenário 02 da Câmara dos Deputados, sobre o Projeto de Reforma Política Democrática representado pelo PL 6316/2013. O objetivo da ação é ampliar o apoio parlamentar à iniciativa. A reunião está marcada para 15h.

Sobre o Projeto

A Coalizão, formada por quase 100 entidades, entre elas a CNBB, a OAB e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), pretende coletar mais de 1,5 milhão de assinaturas para que seja apresentado ao Congresso Nacional um Projeto de Lei de Iniciativa Popular.

A proposta, assim como o PL 6316, que foi arquivado na Câmara, altera o financiamento eleitoral, de forma que seja exclusivamente público e de pessoas físicas, afastando assim a influência do poder econômico sobre as candidaturas.

Também é sugerida uma mudança no sistema eleitoral. A eleição para os cargos legislativos seria feita em dois turnos. No primeiro, o eleitor escolheria o programa apresentado pelos partidos políticos. O segundo turno seria o momento em que os eleitores escolheriam os candidatos que colocariam em prática as propostas do primeiro turno.

Outras sugestões da Coalizão com o projeto de reforma política democrática é ampliar e fortalecer a participação da mulher e de grupos sub-representados na política e a regulamentação do artigo 14 da Constituição Federal, que trata das ferramentas de participação popular, como Projeto de Lei de Iniciativa Popular, Plebiscito e Referendo. O objetivo é a coexistência da democracia representativa com a democracia participativa.

Posicionamento

No Plano de Mobilização da Coalizão constará o posicionamento contrário ao Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 352/2013. Resultado de um Grupo de Trabalho destinado a estudar e apresentar no Congresso Nacional propostas referentes à reforma política e à consulta popular sobre o tema, o projeto prevê a “autonomia de organização partidária”. Na hipótese, os partidos escolheriam o modo de financiamento eleitoral: exclusivamente com recursos públicos, exclusivamente com recursos privados ou por uma combinação das duas fontes.

O financiamento com doações de pessoas jurídicas, defendido pela PEC e por outros projetos em análise na Câmara dos Deputados, foi condenado pelo bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG) e representante da CNBB na executiva da Coalizão. “É a porta mais larga para a corrupção. Uma empresa que doa milhões para eleger alguns candidatos não faz isso gratuitamente”, afirmou o bispo. Fonte Canção Nova.

Serviço

Reunião com entidades da Coalizão
Horário: às 8h30
Local: Auditório do Centro Cultural Evandro Lins e Silva da OAB
Endereço: SAS Quadra 05, Lote 02, Bloco N, Edifício OAB – Auditório do Centro Cultural da OAB – Brasília (DF)

Ato de Lançamento de uma Proclamação em Defesa da Democracia
Horário: às 11h
Local: Sede da CNBB
Endereço: Setor de Embaixadas Sul, Quadra 801, Conjunto B – Brasília (DF)

Evento com os Parlamentares
Horário: às 15h
Local: Plenário 02 da Câmara dos Deputados – Anexo II