Funcionário do Comercial Carvalho é executado dentro do supermercado

Funcionário do Comercial Carvalho é executado dentro do supermercado

Um funcionário do Comercial Carvalho, identificado como Sidivaldo Barcelar Soares, 38 anos, foi assassinado na tarde desta segunda-feira (17) na Avenida Joaquim Nelson, dentro do próprio estabelecimento, na cidade de Teresina-PI.

A polícia já identificou o acusado. O principal suspeito é Dourival Ferreira Gomes, que mora na rua Paraíso, no bairro Jardim Europa. A sua ex-esposa, também funcionária do Comercial Carvalho, o reconheceu através das imagens do circuito interno de segurança  e o denunciou à polícia. O motivo do crime seria passional, pois a ex-eposa do acusado se relacionava com a vítima.

As informações foram confirmadas pelo capitão Gomes Santos, do 8º batalhão. “Foi um crime passional. Dorival foi reconhecido pela própria ex-esposa . Ele estacionou o carro do lado de fora, entrou no estabelecimento, conversou com a vítima e depois efetuou os disparos”, conta.

O comercial Carvalho foi interditado pela polícia e uma multidão de curiosos está aglomerada do lado de fora, aguardando a retirada do corpo.

BACABAL: Homem encontrado morto com requinte de crueldade no Povoado Sitio Novo

No fim da tarde dessa segunda-feira (17) nas margens da BR 316, no Povoado Sitio Novo município de Bacabal-MA, segundo testemunhas que relataram aos Policiais Militares, cerca de 3 elementos em um FIAT/STRADA, cor vermelha, chegaram nas proximidades da ponte do Povoado e jogaram o corpo de uma pessoa ladeira abaixo.

Populares foram verificar e não conseguiram identificar a vitima, pois o rosto e parte do corpo estão cheio sinais de espancamento, provavelmente a vitima foi espancada antes de ser executada.

O jovem parece ser de um jovem aproximadamente 25 anos e tem uma tatuagem no braço direito e outra tatuagem na barriga.

Policia Militar e Policia civil estiveram no local e não conseguiram nem pista que identificasse a vitima.

A GREVE DE 1917

Passou despercebido o centenário da greve paulista de 1917, deflagrada por trabalhadores têxteis. O movimento teve início no dia 10 de junho na indústria de tecidos Rodolfo Crespi, localizada no bairro do Brás. Os operários reivindicavam aumento salarial de 25%. O proprietário recusa-se a entrar em negociações, ameaça os grevistas de demissão e afirma que fechará a fábrica.

Em poucas horas a paralisação ganha o apoio dos empregados de outras indústrias do bairro. Os empresários acreditam na derrota do movimento pelo cansaço e fome, e pedem o auxílio da polícia. A Força Pública intervém e passa a efetuar prisões de homens e mulheres. No final do mês o movimento paredista havia se espalhado pelo interior do Estado. A direção da Votorantin, em Sorocaba, dispensa alguns operários, provocando intensa agitação em todas as seções da fabrica.

A greve permanece firme e avança pelo mês de julho. Everardo Dias (1886-1966), anarco-sindicalista espanhol imigrara criança para o Brasil, acompanhando o pai Antonio Dias, professor e maçon, envolvido em fracassado levante republicano. Aos 13 anos começa a trabalhar como tipógrafo no jornal “O Estado de S. Paulo”, onde permanece até concluir os estudos de professor. Autor do clássico História das Lutas Sociais no Brasil, editado em 1962, como uma das lideranças do movimento, assim descreveu a greve: “8 e 9 de julho – Densas demonstrações operárias no Brás e Mooca. Os estabelecimentos fabris vão paralisando o trabalho e os operários aderem imediatamente à massa que está na porta. Algumas fábricas onde se verifica que há operários trabalhando são apupadas e apedrejadas. A polícia, que guarnece as portas das fábricas, coloca-se, à ordem do delegado que patrulha, em posição de atirar, mas ninguém se intimida. Já não são alguns milhares, mas dezenas de milhares de grevistas que tomam conta das ruas. Na fábrica Mariângela, à Rua Flórida, a cavalaria carrega sobre a multidão, enquanto os agentes da polícia, à ordem do delegado, descarregam suas armas sobre os grevistas. Cai ferido mortalmente um jovem operário Antonio  I. Martinez, enquanto muitos outros estão também machucados. Efetuam-se prisões em massa” (pág. 293).

O enterro de Antonio Martinez, falecido no dia 11, é realizado no dia 12. O féretro sai às 8 horas da Rua Caetano Pinto para o cemitério do Araçá. Escreve Everardo Dias: “Desde muito antes, a Rua fica intransitável pela massa popular que se aglomera e se espalha pela Avenida Rangel Pestana. Há também grande aparato de força militar: um batalhão forma na calçada fronteira de baioneta calada”.

O espírito libertário, que dava vida ao sindicalismo nas duas primeiras décadas do século XX, foi estrangulado pela Carta Constitucional de 1937, outorgada por Getúlio Vargas, e sepultado em 1943 pelos autores da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que encontraram na Carta Del Lavoro, de Benito Mussolini, a inspiração que buscavam para submeter a estrutura sindical ao controle do governo.

A redemocratização em 1946, e o restabelecimento das liberdades democráticas em 1988, não foram suficientes para proporcionar o direito à autonomia de organização às classes trabalhadoras e patronais. O art. 8º da Constituição conserva os sindicatos sob o controle do Ministério do Trabalho, mantém a divisão de empregados e patrões em categorias, garante o monopólio de representação, preserva a Contribuição Sindical, que deixará de ser compulsória.

Os estudiosos da matéria advertem sobre a possibilidade do desaparecimento das organizações sindicais como instrumentos de luta.  Diversos fatores atuariam nesse sentido: a) a incapacidade de formularem propostas convincentes de combate ao desemprego; b) o desaparecimento dos antagonismos de classes; c) a legislação trabalhista; d) a politização das organizações; g) o desencanto dos jovens.

A greve de 1917, encerrada no dia 17 de julho, mediante acordo negociado com o governo e os empresários pelos jornalistas Nestor Pestana, Amadeu Amaral, Paulo Mazzoldi, João Castaldi, Valdomiro Fleury, J.M. Lisboa Júnior, Umberto Serpieri, Valente de Andrade, João Silveira Junior, deve ser rememorada como capítulo heroico da luta do nascente operariado paulista contra o capitalismo selvagem.

O sindicalismo do século XXI dá demonstrações de perda do conteúdo ideológico, para se tornar fisiológico, alimentado por ambições pessoais alheias aos problemas das classes trabalhadoras.

 

Almir Pazzianotto Pinto é advogado; foi Ministro do Trabalho e presidente do Tribunal Superior do Trabalho.

Flávio Dino atribui ao ex-presidente José Sarney o fracasso do seu governo

O governador Flávio Dino (PCdoB), ainda não desceu do palanque desde que venceu a eleição em 2014. O comunista sempre atribuiu ao ex-presidente da República José Sarney (PMDB), os problemas que seu governo não conseguiu resolver. E neste domingo (16), Flávio voltou a atribuir o peemedebista o péssimo desempenho do seu governo, às vésperas da eleição e com pesquisas em mãos apontando o baixo desempenho de aprovação perante a população, Dino atribuiu o fracasso da sua gestão ao Sarney.

O senador Sarney está obstinado em retomar o poder no Maranhão. Mas não é para servir ao povo. E sim pela saudade de privilégios e benesses. O senador Sarney comanda sabotagens e “pautas negativas” em seu império midiático, para ter de volta o Maranhão, do qual se considera dono“, lamentou o governador maranhense.

Quais serias as sabotagens? Quais seriam as pautas negativas?

Flávio Dino fala das operações da Polícia Federal que envolve seu governo? Mas isso seria culpa do seu próprio governo, que comete práticas ilícitas e delituosas.

O governador do Maranhão está completamente perdido e na ânsia de querer apontar um responsável pelo fracasso de sua gestão se não o próprio, mais uma vez joga a culpa no ex-presidente da República, José Sarney. Fonte Dyego Emir

Acidente entre ônibus e carro de passeio deixa um morto e vários feridos na BR-104

 

Acidente na BR 104, entre os municípios de Campina Grande e Lagoa Seca, envolvendo um carro Palio e um ônibus da viação São José deixa inúmeras vítimas na manhã desta segunda-feira, 17.
As informações são de que houve uma vítima fatal e que o motorista do ônibus perdeu o controle com o impacto e caiu no acostamento.
O Corpo de Bombeiros, Samu e autoridades policiais estão no local. As vítimas estão sendo direcionadas ao Hospital de Urgência e Emergência.
Paraíba Online

TERROR NO CANTO DA FABRIL Ônibus desgovernado provoca colisão envolvendo vários veículos e deixa trânsito congestionado na região Central de São Luís

A ocorrência foi registrada na manhã desta segunda-feira (17) na capital. De acordo com informações já confirmadas o ônibus que faz a linha Alvorada-Ipase ficou desgovernado, e acabou causando um sério acidente num cruzamento próximo ao prédio do Ministério da Fazenda.Três pessoas foram encaminhadas ao Socorrão I e o motorista do ônibus encaminhado para o hospital Guarás.
Um veículo Palio e uma caminhonete S10 que estavam estacionados aguardando a liberação do semáforo foram atingidos em cheio no acidente. Uma perícia vai investigar as circunstâncias em que o registro ocorreu e deverá ouvir tanto as vítimas como o próprio motorista que se encontra hospitalizado.
Um motoqueiro foi atingindo e teve vários ferimentos, no local muitas pessoas e um verdadeiro corre corre.

EM PAULO RAMOS, PM REALIZA APREENSÃO DE CARNE CLANDESTINA

 

Uma equipe da PM do município de Paulo Ramos, a 347 km de São Luís, realizou uma apreensão de 130 kg de carne bovina clandestina. A apreensão ocorreu no povoado Alto Cearense no boi clandestino “Boi na Moita. A apreensão atendeu a um pedido do Ministério Público do Maranhão (MP-MA).

O Boi na Moita, a matança clandestina de bovinos é considerada crime de maus tratos a animais e de relações de consumo. Segundo a PM, além da carne apreendida também foi detido um homem identificado como Raimundo Rodrigues.

EM CAXIAS, POLÍCIA CAPTURA FORAGIDO DA JUSTIÇA

 

Os policiais do Serviço de Inteligência do 2º BPM prenderam, na manhã desse domingo (16), um jovem com mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio.

Após fazerem levantamento e identificação, os militares montaram uma campana próximo a residência do suspeito e conseguiram capturá-lo.

O suspeito foi identificado como sendo Mário Cardoso Ribeiro, de 22 anos. Ele foi apresentado no Plantão Central de Polícia Civil. Fonte Blog do De Sá.

 

 

POLÍCIA MILITAR DE CODÓ EFETUA PRISÃO DE FORAGIDO DA JUSTIÇA

Nesta segunda-feira,  17, os policiais militares do 17° BPM  efetuaram a prisão de ANTÔNIO CARLOS DOS SANTOS ALVIM, vulgo “NEN” , no bairro São Francisco, acusado de cometer um homicídio na rua Rio de Janeiro no ano de 2008 contra a vítima, vulgo “Diabão”, em razão de ameaças feitas pela vítima ao autor do crime.

Contra o conduzido consta um mandado de prisão em aberto desde 2009, que faltou ao julgamento e foi condenado a 06 anos de prisão em regime aberto, mas permanecia foragido da justiça. O mesmo foi apresentado na  4°Delegacia Regional de Codó,  onde ficará a disposição da autoridade policial e da Justiça.

ASSECOM 17°BPM

Prefeita Vianey Bringel diz que pagará apenas metade do salário e ainda ameaça servidores

Os servidores do município de Santa Inês vivem momentos de desconforto por conta de terem seus salários em atrasos, pois a gestão pública há dois meses não paga o funcionalismo daquela cidade. Na tarde desta quarta-feira (12), aconteceu uma reunião entre a prefeita Vianey Bringel e os funcionários na Igreja Evangélica Batista Peniel, onde tentou-se honrar com os pagamentos deles.

Depois de uma breve explanação da contadora da prefeitura, a mesma disse que mesmo com a antecipação do FUNDEB, não há possibilidade de pagar os funcionários e a gestão sugeriu pagar a ‘folha’ por sorteio e pagando apenas a metade de um salário mínimo – daquele funcionário sorteado. Com isso o clima ficou tenso e alguns servidores chegaram até a vaiar a prefeita.

Vale lembrar que essa reunião só aconteceu por conta dos profissionais ameaçarem fazer greve caso não tivessem os salários pago, mas mesmo assim a prefeita Vianey Bringel não se intimidou e disse:  “Então façam greve que eu apenas anotarei o nome.“. A metade do salário de cada servidor foi dito que será pago dia 20 de julho e a outra metade ficou para ser pago no dia 30 do corrente mês. O outro mês a gestora não disse quando pagaria.

Nossa redação tentou entrar em contato com os representantes dos dois sindicatos que defendem os servidores, mas não obtivemos sucesso. É importante relembrar que anos atrás foi criando um sindicato que combateu os atos julgados irresponsáveis do ex-prefeito, realizando manifestações e várias passeatas pelas ruas de Santa Inês.Fonte  Jornal Acorda