POR POUCO UM MOTORISTA DE UMA VAN NÃO CAUSA UMA TRAGÉDIA EM COROATÁ

Um acidente impressionante registrado na tarde desta sexta-feira (29) logo na subida da ponte sobre o Rio Itapecuru, bairro Tresidela, chamou a atenção dos coroataenses. O motorista da Van, identificado apenas como Neto, tentou fazer uma ultrapassagem quando percebeu que uma motociclista vinha em sentido contrário, ao desviar da mesma ele acabou perdendo o controle do veículo atravessando a mureta de proteção e parando ao colidir contra uma próximo ao Mercadinho Municipal.

Além do motorista, uma passageira estava na Van, mas ambos saíram sem ferimentos.

Na tentativa de tirar o veículo, o trânsito foi paralisado e uma multidão de motociclistas e motoristas logo se aglomeraram dos dois lados da ponte. Após cerca de 30 minutos, diante da dificuldade, a Guarda Municipal, Agentes de Trânsito e a Polícia Militar decidiram liberar a passagem para os veículos e só quando o movimento tiver bem menor que o resgate será feito.

Veja o vídeo abaixo:

Fonte: Coroatá Online

Briga de Família em Presidente Vargas acaba em apreensão de armas.

No povoado São Pedro município de Presidente Vargas uma família vive em conflito e com ameaças de morte. Edvaldo Costa Frazão vulgo Bracinho, prestou queixa na Delegacia de polícia contra o seu irmão Carlindo Alves dos Santos Filho, acusando-o de furto de umas galinhas de sua propriedade, além de ameaça-lo de morte com uma espingarda. Nesse conflito entra também Valdemir Frazão  Bezerra acusando também Carlindo dizendo que ele havia roubado um celular em sua residencia. Além deles o Pai Carlindo Frazão dos Santos não conversa com os outros filhos e só da apoio para o Carlindo Filho. O ultimo dos irmãos é Josivaldo Frazão dos Santos, que também tem rixa com Carlindinho. Devido essas ameaças a polícia apreendeu diversas armas de fogo ouviu a todos e estará em breve encaminhando a peça do inquérito policial para a Justiça.

Carros clonados são apreendidos em Vargem Grande

Só nesse mês de setembro as polícias civil e militar apreenderam em Vargem Grande três carros clonados. Esses veículos segundo os proprietários, foram todos comprados em fortaleza o que a polícia acredita tratar-se de uma mesma quadrilha. A alguns meses atrás, uma S 10 também clonada foi presa e o proprietário disse que havia comprado também em na capital cearense. O ultimo apreendido ontem por volta de 10 hs, tem placas de Itambé – Ba. Nº PJJ9522. Essa placa não é da Montana e sim de um corola conforme consta no sistema do Detran. O proprietário que reside em um município próximo de Barras de Maratoan interior do Piauí, disse que deu em troca do veículo, um carro estrada, um terreno e uma moto, e segundo ainda ele, estava se sentindo lesado. O carro está apreendido na Delegacia de Polícia de Vargem Grande a espera do pronunciamento da Justiça, ou a presença do seu legítimo dono.

HOMEM É PRESO EM CODÓ COM ARMA, DROGAS E OBJETOS DE ROUBO

 

Na tarde de quinta-feira (28) a polícia, sob o comando do Delegado Rômulo Vasconcelos, efetuou a prisão do traficante Amarildo dos Santos Moreira, que foi flagrado e preso por tráfico de drogas e posse ilegal de arma. Junto com Amarildo, a polícia apreendeu uma arma de fogo, calibre 38, drogas do tipo maconha e crack, relógios, celulares e dinheiro.

 

SODOMA E GOMORRA

Um quadro de John Martin, de 1832, mostra quatro pessoas, entre elas uma criança carregada na corcunda de um adulto, escapando do fogaréu que destruiu as cidades de Sodoma e Gomorra, despejado do Céu pelo Criador para purificar e castigar os pecados dos homens que ultrapassaram todos os limites na Terra.

A Bíblia (Gênesis, 18:20-19:29) aponta a perversão sexual dos habitantes como causa do castigo de Deus, mas uma tradição rabínica, exposta na Mishnah, indica que os crimes de Sodoma se relacionavam à ganância e ao apego excessivo à propriedade, interpretados como falta de compaixão com os mais pobres. Os sodomitas são também acusados de blasfemos e sanguinários.

Conforme a mesma tradição rabínica, Sodoma e Gomorra tratavam os visitantes de forma sádica: faziam-nos deitar numa cama, cortavam as pernas de quem passava do tamanho do móvel e esticavam as penas de quem era menor. A Cama de Sodoma assemelha-se ao mito grego de Procusto.

Muita gente que se acha moderna pensa que fornicar em público e fazer nu com crianças é a última novidade do mundo, mas isso é mais velho que o cachimbo de Preta de Vigó.
Quem abre mão de sua intimidade perde a dignidade. E os que pensam em fazer revolução invertendo os valores morais do amor, da solidariedade e da compaixão, substituindo-os por desamor, inveja e egoísmo, correm o risco de se chamuscar no fogo de seus próprios desatinos

POR FALTA DE PAGAMENTO MATÕES FICA SEM TRANSPORTE ESCOLAR.

Comil inicia fase de testes em nova fábrica em Lorena ...

Imagem ilustrativa

Raimundo Nonato Teles Viana conhecido como  Mundinho e morador do município de Vargem Grande , proprietário de ônibus que prestam serviços de transporte escolar, juntamente com Ailton conhecido como Cara de Lata, e o Sr. Molan, vem a público pedir desculpas as famílias de Matões do Norte, especialmente aquelas que tem crianças que dependem do transporte escolar, que por falta de pagamento do gestor municipal, que desde o início das aulas até a data de hoje não efetuou pagamentos relativos aos serviços do transporte escolar, estamos paralisando nossas atividades até que a situação seja regularizada. Por esse motivo e como precisamos de recursos para o nosso sustento e de nossa família, embora constrangidos somos obrigados a fazer a paralisação, e pedimos desculpas a todo povo de Matões, Disse-nos os empresários. É realmente uma vergonha e muita tristeza, se está em setembro e não se ter recebido nenhum pagamento até essa data.

VERGONHA: Após despejo, governo aluga residência para abrigar delegacia no Maranhão

 

Delegado foi orientado a não gravar mais entrevista, mas informou que, realmente, não há como prevê o retorno do atendimento.

Após despejo por calote de aluguel, o governo do Maranhão resolveu alugar uma casa de moradia sem a menor estrutura para receber a delegacia de Polícia Civil de Peritoró, cidade do interior do estado e que fica a aproximadamente 243 km de São Luís.

O lugar possui sete cômodos, incluindo um banheiro e dois quartos, que serão agora adaptados para receber o público da cidade. O espaço improvisado não tem capacidade para abrigar uma cela para auxiliar o trabalho policial em casos emergenciais.

Agentes da Polícia e outros funcionários do estado arrumaram móveis e documentos, resultado do despejo ocasionado por quatro anos de aluguel atrasado do outro prédio que aconteceu na semana passada e que causou a interrupção no atendimento ao público, obrigando o delegado da cidade, Fábio Cordeiro, a se apresentar na regional em Codó, a 66 quilômetros de Peritoró.

Ele já voltou, mas todo mundo que chega às novas instalações da delegacia continua sendo mandado registrar ocorrências em Codó, foi o que aconteceu com a aposentada Maria Adelina dos Santos. “Ouvi diz que num tá funcionando mais nada, diz que só em Codó. Vou ter que voltar pra casa para ir arrumar um troquinho pra poder ir lá, né”, afirmou.

O aposentado Antonio Francisco Gomes Rodrigues é de São Mateus e precisa registrar o sumiço de uma motocicleta deixada em um bar de Peritoró – vai ter que esperar mais um tempo. “Chegamos, achamos a delegacia aqui desativada, porque já tá noutro local, lá o delegado disse que não tão resolvendo nada”, lamentou.

O delegado foi orientado a não gravar mais entrevista, mas informou que, realmente, não há como prevê o retorno do atendimento. Há muita coisa para arrumar até lá. Enquanto esperam, cidadãos da cidade chegam e saem cada vez mais indignados.

“É muito triste! Eu acredito que é uma parcela muito mínima e para governo não vale nada isso aí, então seria cabível que não tivesse acontecendo uma situação dessa aqui. Que o prefeito e o governador tivesse ajudado, nós os civis, os pobrezinhos estamos pagando por isso”, finalizou o eletricista José Tavares da Silva.

O secretário de segurança, Jefferson Portela, disse em entrevista que 40 delegacias vão ser entregues até o fim do ano e que vai ser feito um concurso para 100 vagas na Polícia Civil.

ATENÇÃO: JOVEM SEM DOCUMENTOS E DESNUTRIDO SE ENCONTRA NO HOSPITAL REGIONAL DE TIMBIRAS

Um rapaz não identificado foi levado agora pouco por volta das 17:00h de ontem pela equipe do SAMU ao Hospital Regional de Timbiras (HRT).

Segundo testemunhas, o rapaz chegou no terminal rodoviário de Timbiras por volta das 10:00h da manhã desta quinta-feira (28), onde permaneceu até no fim da tarde, ele se encontrava bastante abatido, sem nenhuma documentação e para piorar ele não falava nada.

A equipe do CREAS do município entrou em contato com nossa equipe, para publicar a foto do rapaz, para ver se alguém o reconhece e chegue até o paradeiro dos familiares.

Fonte: Silvio Ramon

AULAS, SÓ PARA OS OUTROS

Tenho parentes e amigos advogados, aprendi que 11 de agosto é o aniversário da abertura dos cursos jurídicos em Olinda e São Paulo, sei onde ficam as faculdades de Direito da USP e da PUC, tenho os telefones de excelentes fontes de informação sobre questões legais. Encerram-se aí meus conhecimentos de Direito. Quem sou eu, portanto, para criticar uma decisão do Supremo Tribunal Federal?

Só posso imaginar que tudo aquilo que aprendi na vida, que o Brasil é uma república laica, democrática, em que todos são livres para professar sua religião, ou para não professar religião nenhuma, era falso. Pois não é que agora se pode doutrinar os alunos na religião do professor, tornando assunto do Governo uma questão que, acredito, deveria ser individual e familiar? Enfim, se o Supremo acha que isso não viola a Constituição, deve ter razão. Não é este analfabeto em Direito que irá contestar sua decisão. Posso apenas contar uma história. A minha história.

Tinha sete anos de idade. Um garoto do Interior, transferido do Grupo Escolar Torquato Caleiro, na Franca, SP, para o Grupo Escolar São Paulo, na capital, ambos da rede pública. O Grupo Escolar São Paulo (hoje Professora Marina Cintra) era uma boa escola: saí de lá no final do curso primário – os primeiros quatro anos, conforme as normas da época – sabendo ler, escrever, fazer as quatro operações, cantar o Hino Nacional, da Independência, da Proclamação da República, e dizer quem eram os autores de cada um. Lia sem parar. E, feito o exame de admissão, obrigatório, entrei no principal ginásio público da cidade, a escola-modelo Caetano de Campos.

Tudo bem? Nem tanto: no grupo havia aulas de religião – ou seja, da religião católica, com catecismo e tudo. E eu, judeu, saía da classe e ficava no pátio do recreio, sozinho, aguardando o final da aula de religião. Os demais alunos achavam que eu era privilegiado, por escapar das rezas e ensinamentos edificantes; eu me sentia discriminado, pela exclusão de atividades a que, embora estudante como todos os colegas, não tinha direito.

Não, eu não queria aulas de judaísmo: vovô Jacob, profundamente religioso, estaria sempre disposto a dá-las. Perto de casa, havia duas sinagogas, onde também poderia aprender alguma coisa, se quisesse (uma delas, aliás, ensinou-me a reconhecer alguns sinais de perigo. Depois que completei 13 anos, idade em que um judeu se torna religiosamente adulto, passei a ter minha presença requisitada nas orações em que faltava o quórum mínimo de dez participantes – o miniam.Quando um grupo de homens formalmente vestidos saía da sinagoga em direção à minha casa, eu sumia antes de ser voluntariado para a tarefa). Era, como hoje, um judeu consciente, mas não praticante.

Se eu não queria aprender judaísmo, nem catolicismo, de que me queixava?

Da discriminação: em determinado momento, a professora me mandava para fora da classe, separado dos colegas. Eles podiam ficar, eu não podia. E, talvez já naqueles tempos de garoto, eu tivesse a semente do que hoje penso: religião é assunto pessoal, é assunto de família. Cabe-nos respeitar a crença de todos, tendo como limite que não seja usada para discriminar os outros ou prejudicar a vida diária. Não quero que, como aconteceu no meu bar-mitzvah, a cerimônia em que passei a ser adulto em termos religiosos, haja uma separação religiosa – boa parte de meus amigos católicos foi informada por padres diversos de que entrar numa sinagoga seria pecado, e muitos não foram.

Prefiro a convivência em que amigas católicas da família, Leda e Maria Regina Caldeira, mandaram rezar a missa de sétimo dia de meu pai na Igreja do Divino Espírito Santo; estivemos todos lá, inclusive meu avô religioso. Ou a convivência em que subi ao altar da igreja da rua Tutóia para puxar parte da missa de sétimo dia de um grande amigo católico, Ewaldo Dantas Ferreira, e usei uma reza hebraica que é a base de todas as religiões monoteístas (“o Senhor é nosso Deus, o Senhor é um só”).

Nada daquilo em que acredito combina com a decisão do Supremo de permitir que, numa república laica, haja professores pagos pelo Estado para difundir suas crenças religiosas pessoais. Mas como podemos nós, pessoas comuns, contestar o Supremo? Como dizia o lendário juiz americano Oliver Wendell Holmes, que passou 30 anos na Suprema Corte, “juiz não faz Justiça, juiz aplica a lei”.

O Supremo deve entender como aplicar a lei.

Preso homem acusado de comércio ilegal de arma de fogo

JOSE RAIMUNDO FREIRE RODRIGUES  foi preso,acusado pelo crime de Comércio Ilegal de Arma de Fogo,ele fabricava, mantinha e vendia armas de fogo em sua residência,lá foram encontradas 26 espingardas de diferentes calibres, munição e diversas peças para a fabricação de armas de fogo. JOSÉ RAIMUNDO foi autuado pelo crime previsto no artigo 17 da Lei 10.826/03 e será encaminhado à UPR De Itapecuru-Mirim, onde ficará a  disposição da justiça.

POR;BLOG DO ZÉ DE FATIMA