Ponte sobre o rio Itapecurú poderá ser interditada

Apesar da prefeitura Municipal de Itapecurú-Mirim ter anunciado pelas redes sociais, que pagaria os vencimentos dos servidores do município relativos ao mês de janeiro até o dia 15, quinta feira passada, o pagamento não aconteceu, segundo alguns funcionários do município. Servidores da saúde,como médicos, enfermeiros, dentistas, fisioterapeutas informam que até esta data, não receberam seus proventos. Os servidores com salários em atraso, estão pensando em interditar a ponte que dá acesso a cidade, na próxima terça-feira, para chamar a atenção da população e do prefeito Dr. Miguel Lauande, médico e atual prefeito do município.

Chuva abre cratera na MA-230 próximo a cidade de Brejo-MA

Com a forte chuva, que caiu durante esses dias , parte da MA-230, em um povoado, próximo a cidade de Brejo, cedeu e uma grande cratera se formou às margens da MA-230, o que pode deixar os moradores do Baixo Parnaiba isolados a qualquer momento.

A polícia suspendeu a passagem de veículos e só alguns motociclistas que se arriscam a passar.

Confira imagens :

Jornalista Roberto Cabrini (SBT) visita Bom Jardim para dar destaque a atuação do Ministério Público no combate a corrupção na cidade

Jornalista Roberto Cabrini e promotor Fabio
O jornalista e repórter investigativo Roberto Cabrini (57 anos) esteve nesta sexta-feira (16), na cidade de Bom Jardim (distante 277 quilômetros da capital São Luís). A presença da equipe do Conexão Repórter do SBT serviu para atiçar o imaginário dos moradores e lideranças locais, as principais apostas seriam de que o profissional estaria realizando uma matéria com conteúdo ligado diretamente a pratica da corrupção e porque não dizer contra as práticas já existentes dentro da atual gestão do prefeito Dr. Francisco.
A cidade de Bom Jardim ficou conhecida nacional e internacionalmente após a prisão da ex-prefeita Lidiane Leite, situação que acabou dando lugar para que Malrinete Gralhada (ex-prefeita na época) assumisse o comando do município, todavia tendo também atitudes semelhantes a gestora que lhe antecedeu, acabou tendo problemas com a justiça e acusada de estar envolvida em denúncias ligadas a fraudes em processos licitatórios.
Em conversa com o promotor Fábio Santos Oliveira, o jornalista da emissora de São Paulo fez indagações que foram prontamente respondidas pelo representante do Ministério Público. Cabrini que fez perguntas pertinentes a eventos passados, no momento da gravação da matéria, fez questão de ressaltar o importante papel dos órgãos da justiça no combate a corrupção na cidade e aproveitou para averiguar in loco a atual situação do município.
No final da tarde desta sexta-feira (16), a nossa redação entrou em contato com o promotor que prontamente nos atendeu e salientou o conteúdo da entrevista que, deverá ir ao ar daqui a duas semanas. Fonte Blog a cidade de verdade

MULHER QUE FOI ATINGIDA POR POSTE DA CEMAR EM TIMBIRAS NÃO RESISTE AOS FERIMENTOS E MORRE

O acidente aconteceu por volta do meio dia em Timbiras quando um poste da CEMAR quebrou e atingiu Márcia Ferreira Souza que passava no local. A vítima se feriu e foi levada as pressas para o Hospital Municipal.Por volta das 15 h e 20 min  a jovem não resistindo aos ferimentos, veio óbito. Algumas pessoas já haviam denunciado o problema do poste nas redes sociais por representar um perigo constante para quem passava pelo local, e que o mesmo ameaçava quebrar ao meio, por causa de problemas estruturais no concreto armado. As denuncias foram feitas e não atendidas. Agora com o acidente e uma vítima fatal, a CEMAR tem obrigação de se pronunciar oficialmente sobre o ocorrido.

O QUE ESPERAR DA ELEIÇÃO

Este ano, o desalento doméstico diante da deterioração política é o fator mais preocupante das eleições que se aproximam. A crise, que era no início política, depois econômica, virou crise de confiança. Mais do que uma polarização dos discursos entre direita e esquerda, o debate nas ruas gira em torno de uma desconfiança quase generalizada da população com a política, os políticos e, mais grave, com as instituições.

A ministra Carmen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), resumiu numa frase – melancólica frase – o sentimento geral do país ao visitar dias atrás um presídio em Goiás: “O cidadão brasileiro está cansado da ineficiência de todos nós; cansado inclusive de nós do Judiciário”.

Por trás dessa constatação está uma advertência: a continuarmos na inércia, sejam quais forem seus resultados as eleições não irão pacificar o Brasil em 2018. Não é só pelo cansaço. É também pela descrença num modelo caduco de se fazer eleições. A população esperou sentada uma reforma política duradoura, ao invés de leis de ocasião para atender uma eleição específica. Exemplo disso é a campanha curta, em que sairão na frente os candidatos já conhecidos. A saudável renovação de quadros virou uma quimera.

Para o cidadão comum, passa-se a impressão de que a política nada mais é do que um formidável empreendimento negocial. Não quer dizer, porém, que os políticos são todos corruptos, farinha do mesmo saco. Generalizações levam a injustiças, e há políticos sérios (no parlamento e fora dele) a honrar seus mandatos e a confiança neles depositada.

Aliás, estou convencido que não está aí a verdadeira ameaça à democracia. Contra o corrupto temos alguns antídotos, como vimos recentemente, é só cumprir a lei. O que ameaça a democracia é a distância que separa uma elite privilegiada dos excluídos e despossuídos de quase tudo. Pois a democracia se fundamenta na igualdade.

Acrescento a esse raciocínio o fato de que o simples gesto de confirmar o voto na urna, nas circunstâncias da realidade em que vivemos, não é garantia de nada. Há quem use a democracia para enfraquecê-la. Pode parecer estranho, mas este é um risco real.

Isto quer dizer que a tarefa que temos pela frente, de resgatar o tempo perdido, despertar o sentimento cívico de participação, é gigantesca. Daí a importância da escolha e a dupla responsabilidade, do eleitor e do candidato.

Para que a política não seja desmoralizada, é necessário que o eleitor se identifique com seu eleito. Já com relação ao candidato, acredito que sua maior responsabilidade está no exemplo. É preciso honrar o seu mandato com dignidade, com respeito à ética e, sobretudo, com respeito aos bens públicos.

Não há outra fórmula para fazermos a travessia. A opção à política é a guerra.