Criança abandonada em lixão de Vargem Grande,não resiste e vai a óbito

 

Reveja o caso:

Uma criança do sexo masculino de cor branca, foi encontrada no lixão no bairro Mousinho, Zona Urbana de Vargem Grande nas primeiras horas da manhã de hoje (28) e levada por populares ao Hospital Municipal Benito Mussoline. A senhora Ressiane Mendes Nascimento que levou  a criança, até o hospital, declarou naquela unidade de saúde, que tomou conhecimento do achado, através de um amigo, que ela não quis identificar. A direção do hospital encaminhou a criança para a Emergência, pois ela apresentava sinais de picada de inseto e mordedura de formigas. Em seguida  para São Luís e acompanhado por uma equipe médica. Ressiane  se propôs em adota-lo se não houver nenhum empecilho legal.

Desde então o bêbe estava internado na UTI Neonatal do hospital da criança na capital São Luis,mas infelizmente não resistiu a insuficiência respiratória e veio a óbito na noite de hoje (01) as 19:50.

Lamentamos o triste desfecho desta história e a perca de uma criança que não chegou a “conhecer a vida”.

Carreteiro é interceptado pela polícia por dirigir em Zig-Zag na BR 222

Populares informaram no início da noite a polícia militar de Vargem Grande, que uma carreta estava viajando no sentido Itapecurú e o motorista apresentava sintomas de embriaguez A polícia saiu em perseguição ao veículo e ao chegar no povoado Paulica município de Vargem Grande, interceptou a carreta que era dirigida por Eudes José Ferreira Gomes de 67 anos de idade residente a rua 1 casa 2 Jardim Araçagi em São Luís Ma. Após ser interceptado, a polícia levou a carreta de cor branca de placas dianteira MRX 76 71 São Luís e traseira MUN 3527 de Cajazeiras Paraíba para o posto Keyla, onde aguardará a decisão do delegado sobre seu destino. Em seguida conduziu o motorista para o Hospital Municipal pois segundo o 1º Ten. Rios, o condutor apresentava sintomas de sonolência ou alguma enfermidade. Depois dos exames de praxe, foi constatado que o Sr. Eudes, que é hipertenso e diabético, não havia tomado a medicação do dia e após medicado ficou internado sob observação médica. Os danos causados pelo motorista condutor, foram pequenos, apenas quebra de meio-fios e placas de sinalização. A guarnição de serviço estava sob o comando do 1º Ten Rios que estava acompanhado dos PMs Jordan, Bezerra e Filho.

Homem é assassinado a tiros dentro do local de trabalho em Imperatriz

O homem, identificado como “Zé Ruela”, morreu com oito tiros de pistola 380 enquanto trabalha em sua oficina mecânica.

De acordo com as informações da polícia, o homem já integrou o 3° Batalhão da Polícia Militar do Maranhão (3° BPM), mas foi expulso. ( Foto: Divulgação)

IMPERATRIZ – Um homem, identificado apenas pelo apelido de “Zé Ruela”, 53 anos, foi assassinado no fim da tarde desta quinta-feira (1°), na cidade Imperatriz, interior do Estado.

De acordo com as informações da polícia, o homem já integrou o 3° Batalhão da Polícia Militar do Maranhão (3° BPM), mas foi expulso da corporação por envolvimento com o tráfico de drogas no Estado do Mato Grosso.

Segundo policiais militares, o homicídio foi praticado por dois homens em uma moto. “Zé Ruela” foi executado com oito tiros de pistola 380 enquanto trabalha em sua oficina mecânica

Imirante.com

Moradores amarram prefeito que não cumpriu promessas de campanha

Prefeito disse que população tomou atitude por ser mal informada.

Reprodução/El Deber
Reprodução/El Deber (Foto: Reprodução)

Javier Delgado é o nome do prefeito que foi amarrado pela população por não ter cumprido as promessas de campanha. O caso aconteceu na cidade de San Buenaventura, na Bolívia, e ganhou repercussão após ser publicado no jornal El Deber nessa segunda-feira (28).

À imprensa, o prefeito disse que ele sentiu “uma profunda tristeza que a população não está informada” sobre suas ações, além de essa ser uma punição “mais do que física, moral”.

Com pouco mais de oito mil moradores, esse é o terceiro caso em que a população “se vinga” de Delgado, que está há apenas dois anos no poder. Segundo o jornal El Deber, ele nega ter feito alguma coisa de errado e se diz perseguido pelos madeireiros endinheirados da cidade, que estariam espalhando “boatos”.

“Foi tudo uma confusão provocada por pessoas que espalharam mentiras com o intuito de revogar meu mandato”, disse Delgado. “Não consegui me defender. O castigo foi definido rapidamente. Só consegui explicar depois”, completa.

Na mais recente situação, o prefeito aparece amarrado, cercado de cachorros, fumando um cigarro e sendo observado por diversos moradores da pequena cidade.

Imirante.com 

Vargem Grande: Bebê encontrado fará teste de DNA

De acordo com informações colhidas junto ao Conselho Tutelar do município de Vargem Grande, a criança recém nascida do sexo masculino, supostamente encontrada em um lixão em Vargem Grande, será submetida ao teste de DNA. Segundo os Conselheiros, a criança depois de encontrada foi encaminhada para o Hospital da criança em São Luís onde se encontra recebendo o tratamento médico e o acompanhamento necessário. Uma assistente Social que trabalha no Hospital da Criança em São Luís, tem mantido informada a Direção do Conselho Tutelar sobre o estado de saúde da criança. A assistente social informou que ainda ontem, a criança seria submetida a um teste de DNA. Porém até as 9 hs da manhã de hoje (01), quando estivemos no Conselho, ainda não havia uma informação se o teste tinha sido realizado. Após o teste, o Conselho Tutelar de Vargem Grande fará um procedimento e encaminhará ao Ministério Público para que ele se pronuncie sobre o caso.

Recapitulando o caso 

Polícia faz reconstituição do assassinato de Nenzim

A recomposição do fato tentará checar, de forma prática, todas as versões apuradas durante as investigações, com o objetivo de esclarecer o crime

Júnior de Nenzim não deve comparecer à reconstituição
Júnior de Nenzim não deve comparecer à reconstituição (Foto: Divulgação)

Barra do Corda – A reconstituição do crime que culminou na morte do ex-prefeito de Barra do Corda Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim, está prevista para ser realizada amanhã, dia 2, a partir das 6h. De acordo com a Polícia Civil, a recomposição do fato tentará checar, de forma prática, todas as versões apuradas durante as investigações.

“Vamos fazer o mesmo percurso da caminhonete na qual Nenzim estava e ao condomínio onde ele supostamente foi assassinado. Por meio dessa reconstituição, verificaremos todos os depoimentos apurados no curso das investigações e, com isso, chegar o mais próximo possível de como o crime foi consumado”, explicou o delegado Renilton Ferreira, da delegacia de Polícia Civil de Barra do Corda.

De acordo com o delegado, responsável pelas investigações, o vaqueiro da fazenda, identificado co­mo Luzivan Rodrigues, teria atuado junto ao filho da vítima, Manoel Mariano de Sousa Júnior, o Júnior de Nenzim, no assassinato. “Trabalhamos com a hipótese de que o vaqueiro da fazenda, Luzivan, teria participado de toda ação que vitimou o Nenzin”, ressaltou Ferreira.

O crime:
O ex-prefeito da cidade maranhense de Barra do Corda, distante 440 km de São Luís, Manoel Mariano de Souza, o Nenzim, foi assassinado na manhã da quarta-feira, 6 de dezem­bro do ano passado, quando retornava de uma visita a um advogado no loteamento Morada do Rio Cor­da (situado às margens da BR-226, na saída da cidade).

De acordo com a polícia, Nenzim estava no banco do carona de uma caminhonete dirigida por seu filho, Manoel Júnior, quando teria pedido para parar o carro, supostamente para urinar. Segundo versão apresentada pelo suspeito do crime, no moimento em que o carro parou, Nenzin foi abordado por dois homens não identificados, que estavam em uma moto. Um deles teria atirado no pescoço do ex-prefeito.

O fato ocorreu por volta das 8h30. Essa versão apresentada por Júnior de Nenzim foi descartada pela polícia, já que as investigações descobriram que o filho da vítima estaria furtando, com a ajuda de outros suspeitos, cabeças de gado da fazenda do pai, que antes tinha cerca de 600 animais e esse número caiu para 81.

Nenzin desconfiava da ação criminosa e no dia do crime pretendia fazer a contagem dos animais, mas foi assassinado antes de chegar à fazendo. Júnior de Nenzim passou a ser apontado como principal suspeito do crime. Ele foi preso dois dias depois e transferido para uma unidade prisional de Pedrinhas, onde se encontra à disposição da Justiça.

Estão presos, também, mas em Barra do Corda, Antônio Filho, que escondeu Manoel Filho na sua residência para evitar sua prisão, e com ele foi encontrada uma pistola 380; Francisco David, que ajudou a levar a caminhonete para outro lo­cal e a lavou, retirando os bancos que estavam sujos de sangue, e Luzivan Rodrigues, o vaqueiro da fazenda de Nenzim, que, segundo a polícia, teria ajudado Manoel Mariano Júnior no furto do gado. Ele teria, também, participação no cri­me. l