Polícia apreende metralhadora em “bar ” no Maranhão

Além de drogas, foram encontradas na residência a munição da metralhadora e o carregador do armamento.

HOMEM É PRESO APÓS FURTO À CASA PAROQUIAL

Policiais Militares da cidade de Magalhães de Almeida prenderam na madrugada de sexta-feira (30) José Vitor Carvalho Silva, após ter cometido arrombamento e furto à casa paroquial da cidade.

A guarnição da Polícia Militar de plantão na cidade de Magalhães de Almeida, fora informada via telefone, que a casa paroquial da cidade havia sido arrombada e o invasor havia subtraído a quantia de 500 reais em espécie. Populares informaram que o cidadão José Vitor Carvalho Silva, já conhecido por prática de furtos, fora visto nas proximidades do local do delito horas antes do acontecido.

 

Após tomar conhecimento do fato, a equipe policial realizou buscas na cidade e obteve êxito ao encontrar o suspeito em um posto de combustível com a quantia de 332 reais em espécie, não conseguindo o acusado explicar a procedência do dinheiro. O elemento foi conduzido à Delegacia de Polícia da cidade para serem tomadas as medidas judiciárias adequadas.

16- BPM

Maranhão homenageia bombeiros que vêm ajudando a salvar vidas há 30 anos

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBM) homenageou nesta quarta-feira (4), em São Luís, os integrantes da 1ª turma da corporação que completaram 30 anos de serviços prestados à população do Estado.

“Hoje é uma data marcante, sem dúvida nenhuma. Ver os nossos companheiros que há 30 anos ingressaram na nossa instituição serem homenageados na unidade histórica do Corpo de Bombeiros, que hoje abriga o 1º Batalhão de Incêndio e foi onde eles iniciaram sua formação, é uma forma de reconhecer todo o serviço prestado à população”, conta o comandante do CBM, coronel Célio Roberto.

“Seguramente, cada um deles tem em suas experiências as mais variadas ocorrências e missões de que já participaram, perpetuando a mensagem do Corpo de Bombeiros, que é salvar vidas e proteger o patrimônio dos cidadãos. Cada um dos homenageados vai deixando o seu legado e a cada dia a gente vai melhorando as condições de prestação de serviço para sociedade”, afirma o comandante.

Ao todo, 67 militares que há 30 anos ingressaram na corporação receberam certificados em homenagem ao trabalho desenvolvido durante todos estes anos em salvamento, combate a incêndios e muitos serviços.

Entre eles, está o tenente do 1º Batalhão de Incêndio, Itamaracy Rio Preto, que se orgulha da carreira militar. “Todo mundo que entra no Bombeiro tem o sonho de engrandecer a corporação, de crescer dentro dela, de ajudar as pessoas, ajudar o próximo. É justamente isso de que me orgulho de ter feito nesses trinta anos de Bombeiro”, conta.

Vidas salvas

Entre as várias ações realizadas nos anos de serviço à corporação, o tenente Rio Preto destaca o salvamento realizado após um engavetamento de carro na altura da Barragem do Bacanga.

“Um dos casos que me marcaram muito foi o salvamento de um pai e seu filho de 12 anos que se envolverem num acidente de carro. Quando chegamos ao local, o pai, mesmo em situação mais grave, insistia que nós retirássemos o filho primeiro e nós conseguimos salvar os dois”, conta.

“Depois de alguns anos, os dois voltaram ao Batalhão e agradeceram por nossa ajuda. Isso nem era necessário porque fazemos o nosso papel quando saímos para alguma ocorrência, mas foi bom receber o agradecimento”, diz Rio Preto.

Outro homenageado, o tenente Atualpa Sousa destaca os investimentos feitos pelo Governo do Estado na instituição.

“Antes, há 25 anos, nós cortávamos um coqueiro, por exemplo, com um machadinho. Nós trabalhávamos com uma estrutura diferente, um material muito precário, mas hoje temos uma estrutura diferente, material operacional moderno que facilita nosso serviço de resgate em várias situações”, destaca Atualpa.

Entre os casos mais marcantes, o Tenente destaca o salvamento de crianças de uma mesma família durante um incêndio no bairro da Liberdade: “Nós conseguimos salvar as crianças mesmo com o fogo já tendo chegado à maior parte da casa. Foi uma sensação muito boa porque salvamos aquela família e a população reconheceu nosso empenho e fomos ovacionados após o salvamento”.

Grande São Luís tem o menor número de homicídios dos últimos 11 anos


Dados apresentados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) mostram que o número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) registrados na Grande São Luís em março de 2018 é o menor dos últimos 11 anos, comparado com o mesmo período dos outros anos. Os CVLIs incluem os crimes violentos que resultam em morte: homicídio, latrocínio e lesão seguida de morte.

Segundo o setor de estatística da SSP, em março de 2018 foram 22 CVLIs registrados nos municípios que compõem a Grande Ilha: São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar.

Os números de março de 2018 são os menores desde 2009. Nessa série histórica, o ano de 2014 foi o que registrou o pico de ocorrências no mês de março, totalizando 84 casos de crimes violentos na Grande São Luís.

Se comparado ao ano passado, março de 2018 também registrou quedas nos casos, saindo dos 60 em 2017 para os atuais 22, totalizando uma redução de 63%.

Mais investimentos

Entre os fatores importantes para redução gradativa dos casos de crimes letais na Grande Ilha, estão a criação, em 2016, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que modificou a dinâmica de combate aos crimes e trouxe maior precisão à investigação criminal desses casos, com a utilização de um método diferenciado que inclui uma delegacia móvel e ferramenta de georreferenciamento de casos.

O secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, afirma que a proposta colocada para o sistema de Segurança Pública no início da gestão do governador Flávio Dino, está sendo concretizada. “No governo atual ampliamos as Superintendências no intuito de descentralizar a Segurança Pública. Desse modo, atendemos com mais qualidade e agilidade as necessidades da população”, destaca Portela.

Inovação

“A Delegacia Móvel, outra inovação realizada nesta gestão, usa a plataforma ArcGIS, que ajuda a georreferenciar as ocorrências de forma online, coletando dados do crime no local, além de ouvir testemunhas. Isso fez com que nossa taxa de identificação de autoria chegasse a 47%, ainda no local do crime”, afirma Portela.

Jefferson Portela destaca que o setor de segurança maranhense “conseguiu superar a meta estabelecida pelo Governo Federal, que era de redução de 20% para 4 anos. Além disso temos uma redução de 40% de homicídios em 2017, na comparação com 2014, da Grande Ilha. Com a queda, cerca de 700 vidas foram salvas em três anos”, declara

PRF prende mulher transportando droga em ônibus na BR-222 no Maranhão

Jovem que não teve a sua identidade revelada tem 25 anos e foi levada para a Delegacia de Polícia Civil em Açailândia.