Preso com explosivos é suspeito de comandar roubos em oito cidades do Piauí

Homem apontado de ser líder da quadrilha foi preso no sábado (14), com 130 embalagens de explosivos. Grupo teria realizado pelo menos 15 ataques a bancos em cinco estados.

Chuva deixa ruas e avenidas alagadas em São Luís

Avenida Carlos Cunha houve lentidão no trânsito e motoristas enfrentaram grandes filas de engarrafamento.

“Nosso efetivo está mobilizado para a assistência às cidades”, declara comandante do Corpo de Bombeiros sobre cidades atingidas pelas chuvas

“Nosso efetivo está mobilizado para a assistência, de respostas às primeiras demandas e, posteriormente, à reconstrução dos danos nas cidades atingidas pelas chuvas. Estamos em alerta à situação dos municípios maranhenses que sofrem com este que é um dos períodos chuvosos mais intensos. Temos nos reunido com as prefeituras e as comunidades para reverter esse quadro e restaurar o cotidiano das famílias atingidas”, destacou o comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Célio Roberto de Araújo, sobre as cidades afetadas pelas chuvas no Maranhão. Neste domingo (15), a Prefeitura de Bela Vista do Gurupi manteve contato com a Defesa Civil para solicitar apoio. A gestão da cidade define a demanda para que seja encaminhada ao efetivo disponibilizado pela gestão estadual. “Entendemos que a população está fragilizada, mas que é resiliente e vai conseguir, com apoio, recuperar-se desse triste momento. E estamos aqui, com todo o aparato do Governo do Estado, para prestar esse apoio”, reforça o comandante do Corpo de Bombeiros. O coronel Célio Roberto de Araújo lembra que para atender de pronto às demandas, foi criado um comitê emergencial formado por representantes do Governo, das prefeituras e outras entidades. O objetivo do grupamento é reunir os principais agentes envolvidos para discutir as necessidades prioritárias e a assistência a ser prestada a cada região, de acordo com os danos.

Segundo a Defesa Civil do Maranhão, 20 cidades atingidas pelas chuvas decretaram emergência. São 1.596 famílias afetadas com as chuvas, de acordo com o relatório. A maior parte no município de São João do Sóter, com 483 famílias; seguido de Tuntum, com 335; Presidente Vargas, com 300; Trizidela do Vale, 205; e Brejo, 200. No conjunto de medidas desenvolvidas pelo Governo está a execução de programas como o Mais Asfalto, para recuperar as vias danificadas pelas águas; e auxílio do programa Cheque Minha Casa (aos que estão em situação de emergência) a ser utilizado pelos afetados para compra de mantimentos, utensílios e eletrodomésticos, dependendo da necessidade da família. A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Maranhão (CEPDEC-MA) segue reunindo com as prefeituras para levantamento dos problemas e definição da assistência a ser prestada, além de manter reforço nas localidades, auxiliando nas ações e gerenciamento dos desastres. O Governo do Estado mantém, ainda, reforço do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Centro Tático Aéreo (CTA) e secretarias estaduais para prestar o acolhimento aos atingidos pelas chuvas. Também está sendo dado apoio com distribuição de mantimentos às populações, dependendo da demanda. Entre estes, cestas básicas de alimentos, medicação e itens como roupas, colchonetes, filtros e água. Foram enviados cerca de 1.900 mantimentos às cidades atingidas. Beneficiários do programa Bolsa Família tiveram os repasses mensais adiantados, nas cidades em situação de emergência. Municípios afetados Estão na lista dos municípios afetados pelas chuvas: Marajá do Sena, Pedreiras, Trizidela, Caxias, Lago dos Rodrigues, Presidente Vargas, Brejo, Bacabal, Imperatriz, São João do Sóter, Tuntum, Codó e Formosa da Serra Negra, que já emitiram notificação à Defesa; e estão em alerta São Luís Gonzaga, Rosário, Timbiras, Cantanhede, Nina Rodrigues, Paulino Neves e Araioses. Destes, nove cidades decretaram oficialmente situação de emergência: Marajá do Sena, Pedreiras, Trizidela, Lago dos Rodrigues, Presidente Vargas, Brejo, São João do Sóter, Tuntum e Caxias.

Universitário acusado de matar o pai a golpes de faca é preso dentro da sala de aula

Pelas informações passadas ao blog, o assassino foi preso,  dentro da sala de aula na Universidade CEUMA, campus Renascença.
A Polícia Civil do Estado do Maranhão efetuou a prisão de Lucas de Sousa Almeida, estudante universitário, em razão de ter matado com golpes de faca e, em seguida, ateado fogo no corpo do pai, o senhor José Bonifácio de Almeida, 75 anos.
O corpo foi encontrado no último dia 30 de março, no interior do imóvel da vítima, localizado na Rua 21 de Abril, Vila Tiradentes, Área da Vila Maranhão, em São Luís.
O idoso foi amarrado, esfaqueado e, em seguida, colocado em uma rede onde foi incendiado.
O Plantão Central de Homicídios da SHPP, após fazer a investigação de local de crime, representou pela prisão temporária que foi cumprida esta semana pela Delegacia de Homicídios da Área Sul.
O preso confessou a autoria do delito, sustentando que teria sido agredido pelo pai quando tentava manter uma conversa amistosa. Lucas ainda admitiu que ateou fogo no corpo para tentar simular um incêndio e apagar os vestígios do crime de homicídio.

Pelas informações passadas ao blog do Gilberto Lima, o assassino foi preso, na semana passada, dentro da sala de aula na Universidade CEUMA, no Renascença. No momento da prisão, os policiais colocaram um pano no rosto do assassino para que não fosse filmado ou mesmo fotografado por outros estudantes que ficaram estarrecidos com a ocorrência.


Fonte Gilberto Lima

Homem que matou ex-companheira a facãozadas é condenado a 20 anos de reclusão

MARANHÃO – O pedreiro Ivar de Matos, 43 anos, foi condenado a 20 anos de reclusão em regime fechado. Ele assassinou a ex-companheira Andrea Miranda Teixeira, 36 anos, a golpes de facão e uso de martelo, no final da tarde do dia 21 de junho de 2017, na residência dele, no bairro Coroadinho.
Após o julgamento, que ocorreu nesta sexta-feira (13), na 1ª Vara do Tribunal do Júri, o réu, que já estava preso desde a data do crime, foi encaminhado para a Penitenciária de Pedrinhas, sem direito a recorrer da decisão em liberdade.
Vítima e acusado viveram juntos por cerca de 16 anos e tiveram duas filhas, hoje com 11 e 12 anos. À época do crime, estavam separados há três semanas, mas o criminoso não aceitava a separação.
A sessão de júri popular começou por volta das 9h15, no salão localizado no primeiro andar do Fórum Des. Sarney Costa (Calhau) e foi presidida pelo juiz titular da 1ª Vara do Júri, Osmar Gomes dos Santos. Atuou na acusação o promotor de Justiça Luís Carlos Correa Duarte, e na defesa o defensor público Adriano Jorge Campos. A mãe da vítima, Ana Paula Miranda, outros familiares e amigos acompanharam o julgamento.
Tanto o Ministério Público quanto a defesa dispensaram os depoimentos das quatro testemunhas presentes no julgamento, por entenderem que elas já haviam sido ouvidas durante a instrução processual e não entraram em contradição e também por se tratar de réu confesso. Ivar de Matos não quis falar durante o júri e exerceu o direito constitucional de permanecer em silêncio total. Ele fora preso em flagrante e teve a prisão convertida em preventiva. Na sentença desta sexta-feira (13), o juiz manteve a prisão preventiva e negou-lhe o direito de recorrer da decisão em liberdade.
 
FEMINICÍDIO 
Os jurados condenaram Ivar de Matos pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe e feminicídio. A Lei nº 13.104/2015 alterou o artigo 121 do Código Penal, para prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio.
Para aplicação da pena, o juiz Osmar Gomes dos Santos considerou as circunstâncias judiciais em desfavor do acusado e a qualificadora do feminicídio, que traduz o homicídio contra mulher por razões da condição de sexo feminino, seja no contexto de violência doméstica e familiar ou de menosprezo e discriminação à condição de mulher.
“E que trouxe grande avanço para a sociedade ao contribuir para a inserção dos direitos femininos e proteção da mulher em relação aos preconceitos que muitas vezes sofrem de uma parcela de homens que acreditam que estas não possuem direitos iguais aos seus, e por isso devem subordinar-se a eles, sendo dever da justiça proteger as mulheres de qualquer prática que coloque em risco seus direitos fundamentais à dignidade, à liberdade, à vida e à segurança”, afirmou o magistrado na sentença.
 
O CRIME
Após ferir a golpes de facão a ex-companheira, Ivar de Matos fugiu do local. Policiais militares que faziam rondas na Avenida dos Africanos o encontraram ensanguentado passando em uma bicicleta e usando um facão. Ao ser abordado, o suspeito ainda tentou fugir, mas foi detido e como estava com uma das mãos sangrando foi levado para atendimento em unidade de saúde e depois autuado em flagrante. Ao ser questionado sobre a autoria do fato, o pedreiro confessou o crime.
Andrea Miranda Teixeira teve partes das mãos decepadas, sendo socorrida por vizinhos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital. O assassinato ocorreu na casa do acusado para onde a vítima tinha ido pegar um fardamento de trabalho que deixara naquela residência.
Ela estava morando com a mãe no bairro São Francisco.
 do blog  Neto Weba