Feminicídio no Maranhão não tem registro, mas os números assustam

Quem busca nos registros de mortes contra mulheres no Maranhão jamais vai encontrar algum nome ao menos parecido com feminicídio. O que tem lá nas anotações da SSP são homicídios. Mas quem acompanha as mortes de mulheres praticadas por homens que se julgam controlador da vida da companheira ou da ex-mulher, sabe que as notícias só aumentam.

No sábado passado, dia 21 deste, Sérgio Pereira, foi até a casa de Mousiane Rodrigues, 36 anos, para reatar o romance, em São José de Ribamar (foto abaixo). Como a ex não aceitou, ficou inconformado com a recusa e desferiu várias facadas contra a ex-mulher. O pai da vítima foi tentar defender a filha e acabou sendo assassinado também.

José Alberto Pereira da Silva ( foto abaixo ), 30 nos, no bairro Liberdade, na cidade Colinas, foi até a casa da ex-companheira e a encontrou em uma seresta. Voltou para a mesma residência e encontrou seu filho dormindo e para se vingar matou a criança com várias facadas. Ele encontra-se foragido enquanto o filho do ex-casal já foi enterrado.

Normalmente esses tipos de crimes são cometidos  por maridos ou ex-maridos que querem destruir a mulher por achar que são proprietários.

Entre os anos de 1980 a 2013, foram 106.093, que mais se assemelham a números de guerra. Em 2013, 4.762 mulheres foram assassinadas, ou 13 feminicídios por dia.

 Do blog do Luís Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *