Polícia tenta localizar pai que matou o filho a facadas na cidade de Colinas

O menino foi assassinado quando dormia em uma rede

As polícias Civil e Militar continuam realizando buscas na cidade de Colinas, no leste do Maranhão, com o intuito de prender José Alberto Pereira da Silva, o “Capila”, que matou o próprio filho, de apenas 5 anos, a facadas. O crime ocorreu na madrugada de domingo (22) e teria sido por vingança, pois ele não aceitava o fim do relacionamento com a ex-mulher.
O delegado Rildo Portela, da Delegacia de Colinas, comunicou que o assassino seguiu a ex-esposa e descobriu que ela entrou em um local onde ocorria uma seresta.
Indignado, Alberto retornou para a casa da vítima, sendo que na residência estavam a sua ex-sogra e o filho dele. Com uma faca na mão, aplicou os golpes no menino, que dormia em uma rede quando recebeu as facadas.
Depois, o homem enrolou o corpo do garoto em um lençol e o transportou até a rua, mas abandonou a criança porque populares se aproximavam para tentar linchá-lo.
O delegado disse que o autor do filicídio (homicídio contra o filho) entrou em um matagal. Policiais civis e militares entraram na vegetação, mas desistiram porque estava muito escuro, o que dificultou a incursão.
As diligências continuam até que o assassino seja preso.
Do blog do Neto Weba

 Lutador de Jiu Jitsu é assassinado após discussão de trânsito

O campeão mundial de Jiu Jitsu, Tiago Guma, foi assassinado na manhã desta segunda-feira (24) por volta das 8:00 horas na cidade de São Domingos do Maranhão, após uma discussão de trânsito.
Pessoas que estavam no local do ocorrido, disseram que Guma teria levado dois tiros à queima roupa de um individua conhecido por Cimar.
Conforme as informações, o fato se deu após uma discussão de trânsito na Rua Delfino Calvo. No momento, Guma se dirigia em seu carro para sua residência e o suspeito conduzia uma motocicleta. Após o desentendimento, que ainda não foi bem explicado, Cimar teria aplicado um golpe de capacete no rosto da vítima. No chão, Tiago Guma teria pedido para que o suspeito fosse embora e o deixasse de mão, mas enfurecido, Cimar disparou duas vezes a queima roupa.
Guma chegou a ser socorrido ainda com vida e levado para o Socorrão em Presidente Dutra onde foi a óbito.
A polícia já está a procura do suspeito, conhecido por Cimar, que pode ser preso a qualquer momento.

GRUPO MATÉRIAS POLÍCIAIS 🇧🇷

Jovem de 18 anos procura a polícia após ter vídeo íntimo divulgado

A jovem de 18 anos, que teve um vídeo íntimo divulgado em Vilhena, decidiu ir embora do Estado devido estar sendo vítima de piadas e assédio. Segundo a jovem, o vídeo foi gravado sem sua autorização e a mesma não se lembra dos atos sexuais.  A  vítima relatou ainda, que na noite dos fatos, ingeriu bebida alcoólica com amigos em uma lanchonete e quando decidiu ir embora, foi abordada por dois homens, que lhe ofereceram carona e ela aceitou.
“Minha última lembrança foi no estacionamento. Depois disso me deu um branco. Acordei mal, fui trabalhar, mas como não estava bem, me levaram para o hospital. No outro dia, uma amiga mandou mensagem perguntando se eu estava bem, que estava preocupada comigo, pois ela havia visto as imagens. Eu não acreditei e ela mandou uma fotopara mim. Eu nem sabia que aquilo tinha acontecido”, relatou.

Ainda segundo a jovem, quando as fotos e o vídeo foram divulgados no aplicativo Whatsapp, ela começou a receber mensagens e solicitações de amizade em sua rede social.

“Eu fiquei em choque. Não conseguia parar de chorar. Não me recordo de absolutamente nada do acontecido. O que eles fizeram, eu não desejaria nem para o meu pior inimigo. É como se minha vida tivesse acabado, depois do que aconteceu”, lamentou.

Após a divulgação das imagens, um boletim de ocorrência foi registrado e a vítima passou por exames de corpo de delito. “Minha vontade mesmo era de morrer, porque na hora veio a minha família toda na minha cabeça; todo mundo vendo aquilo. Quando eu saí na rua, fiquei com medo. É muito estranho as pessoas me olhando; parece que todos sabem, que todo mundo me viu”, desabafou.

A garota, que pediu demissão do emprego, e agora reside em uma cidade do Mato Grosso,
afirma que ainda não sabe se retornará para Vilhena e espera que os suspeitos sejam punidos.

“Quero dizer a todos que me julgam mal, que ninguém sabe o que ocorreu no dia, então ninguém pode opinar, nem julgar”, concluiu.

Fonte -Mundo urgente

Passageiro de veículo é preso com mandado de prisão em aberto na BR-135 no Maranhão

Passageiro, que não teve a sua identidade revelada, foi preso na segunda-feira (23) no Km 84 da BR-135, no município de Itapecuru Mirim.

Homem é brutalmente assassinado após “encontro amoroso” na avenida Litorânea

 

Um homem foi vítima de  latrocínio na praia da Litorânea na noite da segunda-feira (23). Fernando Tadeu Costa da Silva, de 53 anos, foi agredido com pauladas e esfaqueado por três suspeitos.

Segundo informações policiais, a vítima tinha um encontro marcado com uma mulher. Andréa da Silva Ferreira, de 23 anos, atraiu Fernando para o local, onde já estavam os outros três suspeitos identificados como Glaubert Ferreira Silva, de 18 anos, Jorge Anderson Veloso Barbosa, de 22, e Ramon Façanha Gomes, também de 22 anos.

Eles abordaram o homem que foi, brutalmente, espancado e teve o carro roubado. Fernando chegou a ser levado ao Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I), mas não resistiu.

A Polícia Militar conseguiu localizar os suspeitos, e todos estão presos. Eles prestaram esclarecimento no Plantão das Cajazeiras. Com eles foi apreendido um carro de passeio e pertences da vítima.

PRECATÓRIOS DO FUNDEF E TCE/MA: PREFEITOS QUE PAGAREM HONORÁRIOS DE ADVOGADOS SEM CONTRATAÇÃO ATRAVÉS DE LICITAÇÃO, DESCUMPREM A LEI E ESTARÃO SUJEITOS À AÇÃO POR IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA E CRIMINAL

Na última semana, os conselheiros do Tribunal de Constas do Estado do Maranhão se manifestaram novamente sobre a questão que envolve a contratação de advogados para recuperação dos Precatórios do Fundef.
Em sessão plenária mais recente, o foco ficou por conta do julgamento dos processos dos municípios de Godofredo Viana, Anapurus e Afonso Cunha. Consta nos autos que, em 2016, os municípios contrataram escritórios de advocacia sem licitação, o que, segundo entendimento do próprio TCE/MA, é ilegal.
Em seus votos, os relatores foram categóricos ao afirmarem que é lícita a contratação de escritório privado para atuar em favor dos municípios em casos de Fundef, caso não possuam uma Procuradoria apta e com condições técnicas e financeiras para acompanhar os processos. Contudo, ficou clara a necessidade na realização de licitação pública para firmar tal contratação.
A intenção do Tribunal é moralizar a administração pública do estado e acabar com qualquer contratação ilegal, afirmando a importância e a necessidade em realização de licitação pública, a qual é a única responsável por assegurar a igualdade de condições a todos que queiram realizar um contrato com o Poder Público.
Em sua redação, a Lei de Licitações é clara ao afirmar que sua principal função é “garantir a observância do princípio constitucional da isonomia, a seleção da proposta mais vantajosa para a administração e a promoção do desenvolvimento nacional sustentável”.
A Administração Pública, por si só, não possui autonomia para celebrar contratos, pois não trabalha com recursos próprios ou disponíveis, mas sim com recursos públicos. Por isso, tem por obrigação prestar contas e observar uma série de princípios e procedimentos previstos em lei.
O outro lado da moeda
As consequências impostas aos prefeitos em não seguir as determinações do TCE/MA, que por sua vez está apenas obedecendo a decisão da Suprema Corte, acarretará em diversas consequências administrativas, incluindo Processos de Improbidade Administrativa e Criminal, arresto de bens e afastamento do cargo.
A decisão do STF está apenas conduzindo a direção para mudanças tão importantes para os municípios maranhenses. Pelos desdobramentos do caso, concluímos que finalmente a moralização chegou ao Maranhão.
Fique sabendo
No ano passado, os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão decidiram, por unanimidade, que os mais de 184 municípios que contrataram escritórios de advocacia, para recuperar os chamados Precatórios do Fundef agiram ilegalmente.
Entre os anos de 2016 e 2017, os municípios do estado do Maranhão realizaram contratação de escritórios de advocacia de forma direta e claramente sem licitação, favorecendo-os na atuação em favor do Poder Público. Na oportunidade, apenas um escritório de advocacia contratou mais de dois terços dos Municípios, percebendo para isso, vinte por cento de seus créditos. Milhões de créditos vale afirmar.
Com apoio do Ministério Público, o TCE/MA suspendeu todas as contratações até que os Municípios regularizassem a sua representação mediante licitação. Os escritórios de advocacia recorreram ao Tribunal de Justiça do Estado, que ignorou a decisão do TCE/MA e determinou o prosseguimento dos contratos e consequentemente, a atuação dos advogados nos processos em andamento.
A discussão foi levada ao Supremo Tribunal Federal e a ministra Carmem Lúcia definiu que o TCE tem autonomia e poder para apreciar todos os Contratos firmados pelos Municípios e que, até a decisão definitiva do Tribunal, todos os pagamentos de honorários aos escritórios contratos sem licitação, seriam suspensos.
Amparado pela Suprema Corte, o TCE finalmente apreciou a questão em definitivo, estabelecendo de forma categórica que para a recuperação de valores do Fundef, os municípios apenas poderiam contratar mediante licitação pública – o que encerra de vez a discussão.