Ex-governador do Maranhão, Epitácio Cafeteira morre aos 93 anos

Cafeteira morre aos 93 anos em casa, onde estava internado por causa de problemas de saúde

Dois menores que praticavam assaltos foram apreendidos

 

No começo da noite deste sábado (12), a polícia militar de Pedreiras recebeu informações de que uma dupla estava praticando assaltos na cidade. PMs do Esquadrão Águia (motos) atenderam a ocorrência e localizaram suspeitos que se evadiram em uma moto Pop, cor vermelha, ao avistar a polícia.

Operação Tiradentes apreende dois menores suspeitos de praticarem assaltos

O Esquadrão Águia saiu em perseguição dos suspeitos por várias ruas do centro da cidade Rio Branco, Cantanhede, Prainha).

Ainda segundo informações, houve trocas de tiros. Sentindo o cercado cada vez mais forte e que não tinham como escapar da ação da polícia, nas proximidades da Prainha, os suspeitos jogaram as armas de fogo no Igarapé São Francisco e se entregaram a polícia.

Foram identificados como menores, apreendidos e apresentados na delegacia para os devidos procedimentos. Uma das vítimas da dupla já se apresentou na delegacia e reconheceu os menores. Eles são moradores do Bairro Nova Pedreiras.

Aguarde mais informações.

Operação Tiradentes

Há mais de 40 horas, que policiais do 19º BPM de Pedreiras estão mobilizados na Operação Tiradentes, intensificando blitz e abordagens em Pedreiras e Trizidela do Vale.

A população aplaude o trabalho da polícia que proporciona sensação de segurança com a presença do grande efetivo nas duas cidades.

JOVEM É ASSASSINADO A TIROS EM AÇAILÂNDIA-MA

Um jovem identificado inicialmente como Gleison Leal, foi assassinado com vários tiros de pistola. O crime ocorreu na tarde deste sábado (12) na Vila Capeloza em Açailândia.
Segundo as primeiras informações, o rapaz estava próximo a uma danceteria, quando pelo menos dois homens ainda não identificados, em um veiculo modelo FIAT UNO, aproximaram-se de Gleilson, e começaram desferir vários tiros contra a vitima, ele ainda tentou correr porem caiu logo em seguida e morreu no local.
Ainda segundo apuração, o jovem esteve preso a poucos dias atrás, ainda não temos informações sobre possíveis causas do crime, porem comentários levam a um possível acerto de contas.
Até o fechamento desta matéria, nenhum mandante ou suspeito de ter praticado o crime havia sido identificado ou preso. Fonte Blog Francisco do Vale

PRESIDENCIÁVEIS NÃO ATRAEM OS ELEITORES

Brasília – Eis uma pergunta que todo eleitor faz hoje: em quem votar nas eleições deste ano? Feche o nariz, mas vá às urnas, pois você será responsável pelo presidente que vai dirigir o seu destino durante os próximos quatro anos. Se não prestar, mande para casa como já foi feito com outros dois presidentes depois da redemocratização. É assim mesmo: não presta, rua. Nem por isso, o país descambou para quebra da ordem institucional e social. Continua aguentando a bagunça aos trancos e barrancos mesmo com um presidente preso. Esses episódios, lamentáveis, só atestam o fortalecimento da nossa democracia ainda juvenil depois do anos de chumbo.

Quando a gente avalia os candidatos que estão por aí é de cortar o coração. Olha só a lista: Manuela, Boulos, Ciro, Bolsonaro, Alckmin, Maia, Marina, Flávio (Riachuelo) Lula & companhia, e dezenas de outros que não entram nem em campo quando o juiz apitar o jogo. Nesse balaio de gatos tem de tudo: esquerda, direita, centro, neutro e tontos. Isso mesmo, alguns tontos que, de quatro em quatro anos, se fantasiam de candidatos para falar bobagem no horário eleitoral na qualidade de laranja.

Poderíamos dizer aqui que o Brasil parou nos últimos quatorze anos. E não estaríamos faltando com a verdade. Depois que o PT chegou ao poder, as lideranças sucumbiram. Aqueles que ensaiaram caminhar com os próprios pés, que diziam ter ideias próprias e propostas renovadoras para o país entregaram-se ao clientelismo petistas e ao sindicalismo de conchavos e cooptação. As centrais dos trabalhadores se transformaram em arapucas entulhadas de pelegos e fisiológicos. No Congresso Nacional contam-se nos dedos os políticos arejados e articulados com os anseios da sociedade. E, hoje, o Brasil tem escassez de um comandante para tocar o barco à deriva.

Nesse emaranhado todo, surge uma lista de candidatos messiânicos que querem salvar a pátria, como se fosse fácil mudar as regras do jogo em quatro anos. Não, não é. O Brasil só ainda não quebrou totalmente porque é a oitava economia do mundo, mas caiu dez posições nos últimos cinco anos no ranking de países mais competitivos, perdendo até para a Mongólia. Essa desidratação ocorreu por causa dos administradores medíocres, desonestos e chefes de organização criminosa que ocuparam a Nação. Nos últimos anos, a nossa economia esteve sob a orientação de um médico, corrupto confesso,  o senhor Antonio Palocci, e sobreviveu. Depois, entregue ao fundamentalista Guido Mantega, também não quebrou, mas ficou pré-falimentar. Mostrou-se mais resistente ainda quando esteve sob os auspícios (hospício?) de Dilma Rousseff.

O eleitor, coitado, não terá muita opção para votar este ano. Acenou que poderia optar pelo ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, quando lhe garantiu entre 9% e 10% dos votos nas pesquisas sem ele se declarar candidato. Os percentuais assustaram o pré-candidato que viu nos números iniciais as chances de crescer e – quem sabe –virar presidente da república. Entre ter a sua vida virada pelo avesso por jornalistas e adversários, ele preferiu descansar a coluna e aquietar-se, deixando a disputa para os profissionais. Na história da política trata-se de um caso raro, o de um pré-candidato que renuncia quando a sua curva de aprovação é crescente para se firmar como candidato competitivo.

Falar dos candidatos que restaram é bobagem. Todos nós, aqui, conhecemos um por um. Criticar ou não suas propostas seria outra falácia, pois até agora nenhum deles apresentou propostas para o país que não fossem a mesmice. Uns querem estatizar a economia, outros, neoliberais, mandar tudo para o espaço. Os neutros mantêm-se silenciosos para não se contaminarem antes das eleições, pois até lá querem se manter inatacáveis e não vão entrar em bola dividida para preservar a imagem de santos intocáveis sobre o altar.

Alguns desses candidatos nanicos não vão estar nos debates, pois a legislação eleitoral não permite que eles ocupem esse espaço por não terem representantes no parlamento. Mas é facultativo à emissora convidá-los. Portanto, vários deles estariam fora do debate por uma decisão unilateral da direção da TV.

Diante desse quadro, o que você pretende fazer quando outubro chegar? Se aceitar a minha humilde opinião, aqui vai uma sugestão: vote, pois só assim você terá legitimidade para ir novamente às ruas e arrancá-lo da cadeira se ele não prestar.

É a democracia, caro eleitor. Um dia – quem sabe – a gente acerta.