O poder e o exercício do voto

Por;Blog do Zé de Fátima

Estamos a menos de 90 dias das próximas eleições. Para ser mais preciso, estamos a 84 dias de exercitarmos o direito de escolher Presidente da República, senadores, deputados federais, governadores e deputados estaduais. Em nosso estado, tanto candidatos ao governo como deputados federais e estaduais tiveram a oportunidade de mostrar o que são capazes. Agora nos cabe o direito de escolha e claro, temos nossas preferências. Precisamos ver se essas preferências são de proveito próprio ou de interesse coletivo. As vezes votamos em amigos. Mas não nos cabe o direito de com nossas escolhas prejudicarmos o coletivo. Essas atitudes ao meu ver,precisam ser repensadas. Amigo é para gasto pessoal e não coletivo. Candidatos ao governo do estado com experiência no cargo temos dois, e deputados estaduais e federais, diversos. Todos conhecidos como pessoas e por suas ações. Não se pode escolher por quem roubou menos ou foi menos irresponsável. Nossa escolha tem que ser baseada pelo princípio da ética e da decência. Político é funcionário do povo. Na iniciativa privada quando o servidor não corresponde as expectativas da empresa é mandado embora. Por que não fazemos o mesmo na vida pública? Sempre pedimos que a Justiça faça a sua parte e puna os culpados em qualquer instância do poder. E por que não o fazemos?. Na hora de votar, não precisamos de atravessadores para praticar a Justiça. Nós mesmos somos os juízes de nossas consciências e de nosso votos. Essa é a hora, ou punimos agora, ou calemos para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *