Acidentes nas rodovias federais da região tocantina já mataram 42 pessoas em 2018

Essa foi a 40ª morte em acidente registrada pela PRF na região tocantina em 2018

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou, nessa sexta-feira (31), que 42 pessoas já morreram nas estradas federais que cortam a região tocantina no mês de agosto. Desse número, 12 foram registrados no perímetro urbano de Imperatriz, que compreende desde o viaduto da Ferrovia Norte/Sul até a saída do povoado Lagoa Verde, onde o movimento de veículos é intenso.

As mortes foram registradas em 282 acidentes, com 311 feridos, de janeiro até agora.
A PRF sempre realiza operações, principalmente em datas em que ocorrem feriadões, onde o fluxo de veículos aumenta mais ainda, e isso tem evitado acidentes. Se essas operações não ocorressem, o número de acidentes com feridos gravemente e mortes seria muito maior.
Levantamentos feitos pela PRF apontam que as principais causas de acidentes nas rodovias federais da região tocantina são as ultrapassagens em locais proibidos, excesso de velocidade e embriaguez ao volante. “A gente tem verificado que esses últimos acidentes mais graves têm ocorrido por ultrapassagens indevidas. Houve o das pessoas da mesma família que foram atropeladas em local com ultrapassagem proibida. Na sexta-feira à noite, na região de Açailândia, também na BR-010, um motociclista veio a óbito. Suspeita-se que a ultrapassagem em local proibido seja a principal causa do acidente”, ressalta Igor Egídio, da PRF-MA.
Esse acidente aconteceu na entrada que dá acesso da BR-010 à cidade de Cidelândia, onde já ocorreram vários acidentes com mortes.
A região de Governador Edison Lobão, principalmente entre aquela cidade e o povoado Bananal, é o local que está sendo registrado o maior número de acidentes na BR-010 este ano.
As rodovias federais que cortam a região tocantina são consideradas entre as mais perigosas do país, de acordo com levantamentos feitos.
Vale lembrar que entre as 42 pessoas que morreram vítimas de acidente nas rodovias federais que cortam o Maranhão, a metade tem o envolvimento de motociclistas.

TSE decide que Lula não pode disputar as eleições para presidente

Petista pode recorrer da decisão no próprio Tribunal e no STF; ministro Fachin foi o único a votar a favor de candidatura

Ex-presidente Lula está preso desde abril

Ex-presidente Lula está preso desde abril

Ueslei Marcelino/05.07.2017/Reuters

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu na madrugada deste sábado (1°) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não pode participar das eleições presidenciáveis de 2018. Lula ainda pode recorrer da decisão no próprio tribunal e também do STF (Supremo Tribunal Federal).

Votaram a favor de barrar o registro de candidatura do Lula, os ministros Luís Roberto Barroso, relator do processo, Jorge Mussi, Og Fernandes, Admar Gonzaga, Tarcisio Vieira e Rosa Weber.

Já o ministro Edson Fachin foi contra o impedimento do ex-presidente disputar as eleições. Em seu voto, ele levou em conta a recomendação do Comitê de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) para que Lula concorra ao pleito.

Os ministros também decidiram que Lula não poderá participar de atos de campanha e nem aparecer como candidato em horário de propaganda eleitoral em rádio e TV. O Tribunal decidiu, porém, que o PT pode usar o horário desde que Lula não apareça como candidato. Além disso, o nome do petista deve ser retirado da urna.

Por decisão dos ministros, o partido pode substituir o candidato em um prazo de dez dias. O mais provável é que o vice da chapa, Fernando Haddad, entre na disputa no lugar do ex-presidente.

Lula está preso desde abril deste ano após ser condenado em segunda instância no TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) no processo do tríplex do Guarujá (SP). Mesmo assim, o PT registrou a candidatura do ex-presidente em 15 de agosto.

Desde então, a coligação de Lula foi alvo de 16 pedidos para barrar o ex-presidente de concorrer com base, de modo geral, na Lei da Ficha Limpa. Todos os pedidos foram analisados em conjunto.

O que acontece agora?

Com a decisão desta sexta (31), a defesa pode apresentar recurso ao TSE ou ainda ao STF (Supremo Tribunal Federal). No caso do Supremo, Lula já não é mais candidato.

Os advogados do PT também podem recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) com pedido para suspender a inelegibilidade, situação que está prevista na Lei da Ficha Limpa.

 

Salário mínimo previsto para 2019 é R$ 1.006; o aumento é de R$ 4

Foto Reprodução
O aumento das estimativas de inflação fez o governo revisar para cima o valor do salário mínimo para o próximo ano. A proposta do Orçamento Geral da União para 2019, enviada hoje (31) ao Congresso Nacional, fixou em R$ 1.006 o salário mínimo para o primeiro ano do próximo governo.
Em 2019, a fórmula atual de reajuste será aplicada pela última vez. Pela regra, o mínimo deve ser corrigido pela inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) dos dois anos anteriores.
De acordo com os Ministérios da Fazenda e do Planejamento, o valor do mínimo foi revisado para cima porque a estimativa de inflação pelo INPC em 2018 passou de 3,3% para 4,2%. O INPC mede a variação de preços das famílias mais pobres, com renda mensal de um a cinco salários mínimos.
A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que fixa parâmetros para o Orçamento do ano seguinte, estabeleceu o salário mínimo em R$ 99 . A previsão considerou o crescimento de 1% do PIB de 2017 mais estimativa de inflação pelo INPC de 3,3%. Inicialmente, o governo tinha proposto salário mínimo de R$ 1.002.

CARCEREIRO É PRESO EM PIRAPEMAS APÓS FURTAR METRALHADORA DA DELEGACIA DE PIRAPEMAS

Na quinta-feira (30), o carcereiro Raimundo Nonato Polvoas do Lago, 38 anos, vulgo Galego, foi preso por ter participado do furto de uma metralhadora e de um colete balístico da delegacia de Pirapemas no 13 de maio de 2018. A prisão foi em decorrência de uma ordem judicial.
Segundo informações policiais, Raimundo teria recebido R$ 4 mil para facilitar a entrada de outros criminosos na delegacia subtrair o armamento.
A metralhadora foi apreendida e os bandidos presos.
Raimundo foi encaminhado para a Delegacia de Itapecuru-Mirim, onde ficará à disposição da Justiça.

 

Dirceu volta ao crime protegido pelo STF

JORGE OLIVEIRA

Vitória – Fico a imaginar como nós, brasileiros, somos idiotas. Às vezes até penso que merecemos que políticos corruptos, ladrões, lacaios e indecentes devem, mesmo, se manter no poder a julgar pela decisão da Segunda Turma do STF que deixou o Zé Dirceu, chefe de quadrilha, solto para fazer campanha do PT pelo Brasil. Fico mais perplexo ainda quando vejo a população se manter silenciosa e passiva diante de tanta sem-vergonhice, ao assistir, sem reação, ministros da corte suprema julgar um caso como o do Zé Dirceu com tamanha parcialidade e desfaçatez.

Pergunto aqui, sem querer ofender, qual o papel dos ministros Celso de Melo e de Edson Fachin nessa Segunda Turma, quando sabemos que são votos vencidos nos julgamentos que envolvem petistas? Nenhum. Ética e moralmente deveriam se ausentar desses julgamentos para não legitimar as decisões de carta marcada de seus colegas, cujos resultados das sentenças são conhecidos antes do julgamento.

Ministro Dias Toffoli.

Veja aqui que primor de argumento do ministro Dias Toffoli, ex-empregado de Zé Dirceu no governo Lula, publicado no UOL, para justificar o habeas corpus que vai deixar o amigo do peito solto por aí, sem tornozeleira, fazendo campanha para o PT e avançando nos cofres públicos, mesmo condenado a trinta anos de cadeia:

Toffoli afirmou que a manutenção da prisão preventiva após condenação em primeira instância significaria modificar a jurisprudência do Supremo, que prevê que a execução de uma pena deve começar apenas após a condenação em segundo grau.

Destacando que a prisão foi há quase dois anos, o ministro diz reconhecer gravidade dos delitos pelos quais foi condenado em Curitiba, mas afirmou que não há novos argumentos que justifiquem a continuidade da prisão preventiva do ex-ministro do PT. Outro argumento que utilizou foi que o grupo ao qual Dirceu fazia parte já não se encontra no Poder após o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Viu? Isso mesmo, o grupo que Dirceu fazia parte “já não se encontra no Poder”. Trocando em miúdo, Toffoli quis dizer que a “quadrilha que Zé fazia parte já não existe depois que a Dilma foi demitida da presidência. É assim, usando de sofisma, que o ministro devolve Zé Dirceu à malandragem, à corrupção e à delinquência. É assim, coisa de compadrio, tipo: acuso você de delinquente, você faz que se ofende, mas em compensação eu tiro você do presídio. Ou seja: digo para sociedade que estou sendo imparcial ao condenar os atos do réu, mas deixo ele livre para delinquir.

É dessa forma parcial que a Segunda Turma vem agindo nos processos do PT, pois tem entre seus integrantes dois ministros que chegaram até ao tribunal pelas mãos partido. Ricardo Lewandowski, indicado para corte com ajudinha de Marisa, mulher de Lula, é o mais aguerrido defensor petista de todos eles. É aquele do impeachment da Dilma que contrariou a própria Constituição que jurou defender ao não cassar os direitos político da ex-presidente, como a corte fez com Collor mesmo ele renunciando antes da abertura do processo de impedimento, um atropelo jurídico.

Olhe aqui outra preciosidade do que Lewandowski disse para justificar o habeas corpus que deixaria Zé Dirceu em liberdade:

Há jurisprudência para vários lados, diversas direções e como vi o ministro Toffoli fazer referência, em direito penal e no direito processual, cada caso é um caso. Não existem teses definitivas aplicáveis mecanicamente, é preciso sempre sopesar os fatos em concreto.

Hahahaha. É preciso sempre sopesar. Sopesar: “calcular, ponderar, estimar, considerar, apreciar, avaliar, …Assim, “sopesando”, ele também decidiu pela liberdade de Zé Dirceu, um corrupto legítimo, condenado a 30 anos de cadeia, que agora está rodando o país em campanha para eleger um candidato do PT sob a proteção do Supremo Tribunal Federal que o liberou para ser cabo eleitoral com direito a pedir voto para quadrilha lulista a qual ele pertence. Zé, livre, de quebra ainda anuncia o lançamento de um livro sobre os anos que passou mofando na cadeia.

É diante dessa excrecência que volto a afirmar aqui: a escolha desses caras para compor o STF é equivocada. Eles não podem ser indicados monocraticamente pelo presidente da república que os transformam em refém. Ou você acha que um ministro, indicado por um presidente, julga com isenção aquele que o nomeou? Não.

A partir de setembro Toffoli assume o STF. Olho nele!

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com