Urgente! Casal é executado na zona rural de Vargem Grande

Um casal foi executado agora a pouco na comunidade Mangueira, na Zona Rural do município de Vargem Grande.
O casal foi identificado como, José Orlando conhecido como Zé Vaqueiro e sua companheira Maria Aparecida da Silva Ferreira, 49 anos, com residencia em Nina Rodrigues.

Ze Vaqueiro foi executado com seis disparos de arma de fogo que atingiram a cabeça, o peito, as costas e o abdômen. A outra vítima Maria Aparecida foi morta com um tiro na cabeça. Até o momento não foi possível identificar o possível autor ou autores da execução.Sabe-se entretanto, que o casal saiu de Vargem Grande em uma Van de transporte de passageiros e ao chegar nas proximidades do povoado Volta da Unha, o casal desceu do veículo e entrou no ramal que da acesso a propriedade rural onde a vítima Zé Vaqueiro, prestava serviço. Depois de percorrer aproximadamente 300 metros, estando no povoado Mangueira, o casal foi atingindo com os tiros que ceifaram as suas vidas.

As Polícia Militar e Civil estiveram no local do crime colhendo informações. Os corpos das vítimas foram encaminhados para o necrotério do Hospital Municipal de Vargem Grande para os exames e depois entregues aos familiares.  Tanto a motivação, como  a autoria dos crimes ainda são desconhecidas.

Em Vargem Grande ladão rouba celular e é preso pela Polícia Civil

A Polícia Civil de Vargem Grande prendeu na noite de ontem (11/09) Joilson da Costa Sousa, 21 anos, residente na Vila Danielle neste município, por ter sob ameaça subtraído um celular J7 de Maria de Jesus Pereira Sousa, residente na rua da Baixa Grande,Zona Urbana da cidade.  Segundo a polícia, o crime aconteceu no dia 11/09, às 22 hs em frente a residencia da vítima. Maria de Jesus comunicou a polícia que imediatamente diligenciou no sentido de prender o acusado, que foi encontrado em sua residência na posse do celular roubado. Joilson foi autuado em flagrante e se encontra a disposição da Justiça.

Polícia Militar e Guarda Municipal de Vargem Grande prendem trio com armas, e moto roubada

Na manhã desta quarta-feira(12/09), a Polícia Militar com apoio da Guarda Municipal de Vargem Grande, prendeu, Werlison Júnior Freire da Silva, 18 anos, e apreenderam dois menores de idade com as iniciais (I . P. C,) 17 anos e (M . N . S), 16 anos, por posse ilegal de arma de fogo e roubo de moto.

A prisão e apreensão dos indivíduos aconteceu após  as guarnições receberem uma denúncia anônima, que três indivíduos estavam abordando pessoas na MA 020, entre Vargem Grande e Coroatá. De imediato, a equipe deslocou-se ao local e encontrou em uma oficina os elementos com as mesmas características informadas. Ao realizar uma abordagem aos indivíduos, foram encontrado duas armas de fogo de fabricação artesanal(garruncha) municiadas, dois facões, um celular e uma motocicleta, que eles afirmam terem roubado em Timbiras neste estado. Os acusados ainda informaram que saíram de Coroatá com a i intenção de roubarem e assaltarem nos dois municípios.

O trio, juntamente com os materiais encontrados foram apresentados na Delegacia de Polícia de Vargem Grande para serem tomadas as medidas judiciais cabíveis.

Homem é baleado durante tiroteio em restaurante popular no Maranhão

Rafael de Sousa tem passagens pela polícia e foi atingido com três tiros no final da manhã de terça-feira (11) em Santa Luzia

Homem é baleado durante tiroteio em restaurante popular em Santa Luzia
Bom Dia Mirante
Homem é baleado durante tiroteio em restaurante popular em Santa Luzia

Homem é baleado durante tiroteio em restaurante popular em Santa Luzia

Um homem identificado como Rafael de Sousa foi baleado no final da manhã de terça-feira (11) durante um tiroteio que ocorreu em um restaurante popular situado na área central do município de Santa Luzia, a 294 km de São Luís.

Segundo testemunhas o autor dos disparos, que ainda não foi identificado, chegou por volta do meio-dia atirando dentro do estabelecimento. O suspeito seguiu em direção de Rafael e disparou três tiros contra ele que estava sentado almoçando. Os clientes se assustaram com a cena e houve muita correria no local.

Após o atentado, Rafael foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Santa Luzia, e depois transferido para o Hospital Macrorregional de Santa Inês, a 250 km da capital, onde permanece internado em estado grave. O atirador fugiu do local sem deixar pistas.

A polícia vai requisitar imagens das câmeras de segurança das lojas nas proximidades do restaurante para iniciar a investigação com o intuito de tentar identificar o suspeito responsável pelos disparos contra Rafael de Sousa.

A polícia, que está investigando o caso, não descarta a possibilidade de acerto de contas, já que a vítima tem passagens pela polícia em Santa Luzia.

Restaurante onde aconteceu a tentativa de homicídio fica na área central de Santa Luzia — Foto: Reprodução/TV MiranteRestaurante onde aconteceu a tentativa de homicídio fica na área central de Santa Luzia — Foto: Reprodução/TV Mirante

Restaurante onde aconteceu a tentativa de homicídio fica na área central de Santa Luzia — Foto: Reprodução/TV Mirante

Governador de MS, Reinaldo Azambuja, é alvo de operação da PF

Reinaldo Azambuja (PSDB) foi alvo de busca e apreensão. A PF esteve na casa do governador e na sede do governo. A operação foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).


Por Ana Paula Andreolla e Camila Bomfim,

Governador do Mato Grosso do Sul é alvo de busca e apreensão em investigação da PF

Governador do Mato Grosso do Sul é alvo de busca e apreensão em investigação da PF

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), foi alvo de mandados de busca e apreensão durante a Operação Vostok, deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta quarta-feira (12). A assessoria de imprensa do governo informou que irá se manifestar sobre a operação no decorrer do dia. O deputado estadual Zé Teixeira (DEM) também está entre os alvos da ação da PF.

A operação investiga o suposto pagamento de propina a representantes da cúpula do governo de Mato Grosso do Sul em troca de créditos tributários a empresas.

PF esteve na casa do governador e na sede do governo. A PF deixou o apartamento de Azambuja carregando malotes. A operação foi autorizada pelo ministro Félix Fischer do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Azambuja é candidato à reeleição e em pesquisa Ibope divulgada no dia 24 de agosto aparecia com 39% das intenções de voto.

Segundo a PF, 220 policiais federais cumpriram 41 mandados de busca e apreensão e 14 mandados de prisão temporária, na capital do estado e nos municípios de Aquidauana, Dourados, Maracaju, Guia Lopes de Laguna, além de mandado em Trairão, no Pará.

Entre os alvos da operação, estão pecuaristas locais e um conselheiro do Tribunal de Contas do estado. A PF não detalhou os nomes dos alvos da operação.

Benefícios fiscais

De acordo com a PF, as investigações começaram no início deste ano, a partir de depoimentos de delação premiada de executivos de um frigorífico. Os depoimentos detalharam suposto esquema de empresas com o governo do estado para a obtenção de benefícios fiscais.

Segundo as investigações, somente nos dois primeiros anos da gestão atual no estado, uma empresa frigorífica teria deixado de recolher aos cofres públicos mais de R$ 200 milhões em razão dos acordos de benefícios fiscais concedidos.

As investigações da PF apontam que, do total de créditos tributários concedidos à empresa dos colaboradores, um percentual de até 30% era revertido em proveito da organização criminosa investigada.

Notas frias

Cópias das notas fiscais falsas utilizadas para dissimulação desses pagamentos foram anexadas nas investigações, assim como comprovantes de transferências bancárias.

O nome da operação – Vostok – é uma alusão à estação de pesquisa russa localizada na Antártida, onde já foi registrada uma das menores temperaturas do planeta. O nome faz referência às notas fiscais frias utilizadas para a dissimulação dos pagamentos.

Polícia prende sete integrantes de quadrilha que explodiu banco em São Luís Gonzaga

Caso aconteceu na última quinta-feira (6); equipes policiais continuam procurando suspeitos.Polícia prende sete integrantes de quadrilha que explodiu banco em São Luís GonzagaSete pessoas foram presas pela Polícia Civil. (Divulgação)

SÃO LUÍS GONZAGA – Em grande operação realizada nesta terça-feira (11), a Polícia Civil efetuou a prisão de parte da quadrilha que explodiu uma agência bancária no dia 6 de setembro, em São Luís Gonzaga, a 209km de São Luís. Na ação policial, sete pessoas foram presas, e foram apreendidos quatro veículos, uma espingarda calibre 20 e munições com o grupo.

Após coleta de informações preliminares, o Departamento de Combate ao Roubo a Instituições Financeiras (DCRIF) conseguiu identificar parte dos autores do crime e obteve decisão judicial favorável à prisão temporária. Os primeiros a serem presos foram Valdivino Vieira e Aline Moreira Lima.

Na continuidade das investigações, os policiais identificaram os demais integrantes da quadrilha e prenderam mais cinco pessoas: Marbyo Alves da Costa, Jacinto de Souza Silva, Bruno Milhomens, Joaquim Henrique Silva Neto e Itamar de Sousa Salles. A maior parte dos detidos acumula passagem pela polícia por delitos como roubo, furto, porte de arma e receptação.

A Polícia Civil informou que os sete presos responderão por associação criminosa armada e destacou que as equipes policiais continuam fazendo diligências, com o objetivo de prender os demais envolvidos e apreender todo o armamento utilizado na explosão da agência bancária.

Entenda o caso

Na última quinta-feira (6), dez homens fortemente armados foram até São Luís Gonzaga para assaltar uma agência bancária. Antes da ação criminosa, os integrantes da quadrilha atiraram contra uma viatura e uma unidade da Polícia Militar. No momento do assalto, apenas três policiais estavam de serviço, e ninguém ficou ferido.

Depois do ataque aos policiais militares, a quadrilha foi até a agência bancária de São Luís Gonzaga e detonou vários explosivos para conseguir abrir o cofre. Na explosão, uma laje desabou e impediu a passagem dos criminosos até o local onde estava o dinheiro. Depois disso, os criminosos fugiram e fizeram moradores reféns, e só os libertaram na saída da cidade. Fonte Imirante

HOMEM MORRE APÓS RECEBER DESCARGA ELÉTRICA AO TENTAR FAZER UM “GATO”.

A vítima foi identificada como José William de Araújo Nunes , de 34 anos que tentava fazer um religação clandestina (Gato), após ter a luz cortada.
O fato aconteceu no bairro Dirceu II, na zona Sudeste de Teresina e de acordo com informações, a vítima subiu no poste sem escada ou qualquer equipamento de proteção para fazer uma ligação clandestina e ao levar um choque se desequilibrou e caiu.
Uma equipe do SAMU foi ao local que o mesmo estava caído, mas ao chega a vítima já estava morta.

Nova pesquisa IBOPE mostra quem lidera corrida para novo presidente do Brasil

G1 – O Ibope divulgou nesta terça-feira (11) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial.

A pesquisa ouviu 2.002 eleitores entre sábado (8) e segunda-feira (10). A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 26%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Marina Silva (Rede): 9%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
  • Fernando Haddad (PT): 8%
  • Alvaro Dias (Podemos): 3%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Henrique Meirelles (MDB): 3%
  • Vera (PSTU): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 19%
  • Não sabe/não respondeu: 7%
Fonte: Ibope

Crimes políticos

ALMIR PAZZIANOTTO PINTO

Crimes políticos, segundo a definição de Nelson Hungria, “são os dirigidos, subjetiva e objetivamente, de modo imediato, contra o Estado como unidade orgânica das instituições políticas e sociais” (Comentários, vol. I, pág. 195). A tentativa de matar Jair Bolsonoro indica a prática de crime político. O criminoso não foi impulsionado por rivalidade pessoal, ciúmes, dívida de jogo, desavença de rua, embriagues, surto de esquizofrenia. Planejou o gesto homicida com o objetivo de alterar o resultado das eleições de 7 de outubro, ao deliberadamente atacar o candidato à presidência da República cujo nome permanece à frente das pesquisas.

Com o ânimo de matar, Adélio Bispo de Oliveira infiltrou-se na passeata para se aproximar da vítima, e escolher o momento e o local da facada. Circunstâncias imprevisíveis frustraram-lhe o objetivo. Jair Bolsonaro salvou-se graças à rapidez dos policiais que o conduziram ao hospital e à eficiência da equipe médica que o socorreu.

Os anais da História revelam que a política brasileira jamais se caracterizou pela tranquilidade. A proclamação da República não foi pacífica. O exílio de D. Pedro II foi fruto de violência, embora não degenerasse em mortes. O venerando Imperador, a quem o Brasil devia décadas anos de boa administração e de tolerância política, foi expulso com a família para morrer na França, pobre e exilado.

João Pessoa logo após ser assassinado. (Foto: O Cruzeiro)

O governo do marechal Deodoro da Fonseca não se encerrou pacificamente. O sucessor, Floriano Peixoto, recebeu a alcunha de Marechal de Ferro por razões conhecidas. A Primeira República (1889-1930) experimentou longos períodos de intranquilidade. Vale lembrar o episódio de Canudos, o atentado contra o presidente Prudente de Moraes, a revolta dos marinheiros negros liderada por João Cândido, o assassinato do senador Pinheiro Machado. A Segunda República (1930-1945) registra seguidos episódios de violência, a começar pela deposição do presidente Washington Luis, precipitada pelo assassinato de João Pessoa, governador da Paraíba, vingado com o linchamento do João Dantas e seu cunhado Augusto Caldas, quando se encontravam sob custódia na Casa de Detenção de Recife. A era Vargas estendeu-se por 15 anos e se encerrou com o golpe militar que depôs Getúlio Vargas (29/10/1945).

Não haveria espaço neste artigo para relacionar os períodos de turbulência atravessados pelo Brasil, desde o retorno de Vargas em 1º de janeiro de 1951. Basta recordar a tentativa de assassinato de Carlos Lacerda, cometida por homens a serviço de Gregório Fortunato, da qual resultaram a morte do major Rubens Vaz e o suicídio de Vargas. Em dezembro de 1963 o senador Arnon de Mello desentendeu-se com o senador Silvestre Péricles, ambos de Alagoas, e, ao sentir-se ameaçado quando ocupava a tribuna, sacou do revólver e disparou, mas o tiro atingiu o senador José Kairala, que não resistiu ao ferimento e faleceu. Em junho de 1967 a Câmara dos Deputados foi palco de troca de tiros entre os deputados Nelson Carneiro e Estácio Souto Maior, ambos do MDB.

Celso Daniel: vítima de crime contratado.

Crimes praticados contra políticos fazeCrCr

Crimes praticados contra políticos fazem parte dos usos e costumes. A maioria caiu no esquecimento como o atentado ao ex-governador da Paraíba, Tarciso Buriti, em 1993, cujo vice-governador, Raimundo Ásfora, havia sido assassinado em 1987. A expressão pistolagem, embora não dicionarizada, é usada para indicar o crime cometido a mando de alguém, mediante pagamento. Celso Daniel é exemplo de vitima de crime contratado. No Rio de Janeiro o panorama se assemelha à guerrilha urbana. As mortes se sucedem de parte a parte. Morrem civis vítimas de balas perdidas, traficantes e militares, em escala nunca antes vista. A população perdeu a confiança no governo estadual e exige a presença das Forças Armadas. Acredita-se que o assassinato da vereadora Marielle Franco, em março, tenha sido tramado por inimigos políticos.

Já se sabia que a campanha presidencial deste ano teria todos os ingredientes para não ser pacífica. A cassação de Dilma Roussef, a condenação de lideranças dos maiores partidos, a prisão de Lula, a insistência em tê-lo como candidato, a radicalização das manifestações, indicam que a temperatura política poderá subir até atingir o ponto de fervura.

Pedir serenidade a adeptos da anarquia é inútil. Não aceitam o Estado Democrático de direito, salvo para fazer uso de garantias constitucionais e legais para propaganda da violência e da luta armada. “Nenhuma enfermidade é tão contagiosa quanto o ódio e este é guardado na alma como levedura em fermentação. Quanto mais vítimas faz, mais progride: o mal chama o mal, segundo uma lei bem conhecida”, escreveu o coronel francês Gabriel Bonnet, no livro Guerrilhas e Revoluções (Civilização Brasileira, RJ, 1963, pág. 54).

A palavra serena do general Villas Boas, Comandante do Éxercito, é a garantia de preservação do Estado Democrático de Direito. Seja quem for o vencedor das eleições, os derrotados deverão curvar-se ao resultado. Somente assim, em 2019 o Brasil reencontrará a paz e retomará o caminho do desenvolvimento.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com