Uma eleição muda, que muda as eleições

As eleições de 7 de outubro serão a meu ver, um marco na vida politica dos brasileiros. Eleitores estão sentindo a diferença e os futuros eleitos sentirão a redução nos sufrágios. Foi proibido os carros de sons porque, segundo os idealizadores das leis, perturbava o sossego de quem não estava disposto a ouvir barulho. Mas a propaganda continua no rádio e na televisão como se também não perturbasse quem quer assistir seus programas preferidos. Por que a propaganda política não é veiculada apenas pela TV do governo federal, da TV Senado e Câmara? Quem quisesse ouvir mentiras e baboseiras, ligava nelas. E aí, teríamos como aferir o interesse da população pela política. Num pais com carência na área de emprego, excluir o uso de carro de som na propaganda eleitoral, tirou emprego temporário dos compositores das musiquinhas que animavam as multidões. Dos locutores e  motoristas. E por extensão, de borracheiros, mecânicos, eletricistas e etc. As alegações são de que não se pode gastar dinheiro. Mas segundo o site Diário do Poder aponta que  até agora, mais de 2 bilhões e 300 milhões foram gastos do fundo partidário e do financiamento de campanha. Mas não se pode comprar uma receita médica para um pobre que não tem o mínimo necessário para suprir as suas necessidades básicas. As escolas não tem merenda escolar, e o menino faminto e desnutrido não aprende nada. Se é para economizar, por que não se corta o auxílio moradia de deputados, senadores, Juízes, ministros e conselheiros de tribunais de contas? Por que não se corta o auxílio paletó? As passagens aéreas dos parlamentares? A verba da comunicação? Quais empresas públicas ou privadas pagam auxílio moradia para seus funcionários e dão todas essas regalias? Ser parlamentar é uma opção, não é uma condição imposta pela sociedade. O gasto com papel para imprimir as fotos não prejudicam o meio ambiente? Será que esse dinheiro gasto com papel fosse empregado em cestas básicas não teria um melhor resultado? Aqui em Vargem Grande as fotos apenas molduram os comitês e os carros dos chefes políticos que dizem não terem recebido nenhum tostão dos candidatos. Será? Muda eleitor para poder mudar o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *