Sargento da PM começa a trabalhar em outro município após discussão com prefeito no Maranhão

O sargento José Roberto Gonçalves Alves, que pediu afastamento do 28º Batalhão da Polícia Militar em Anajatuba após atrito com prefeito da cidade, começou a trabalhar em Itapecuru-Mirim, a 108 km de São Luís, após ter se apresentado e entregado o cargo de comandante na sede regional da PM localizado no mesmo município.

“Se eu tive uma discussão, nesse tom, com a maior autoridade do executivo municipal, qual o espaço que eu ainda tenho lá? Eu sou pequenininho. Um homem desse se ele contar uma mentira, vale mais que dez verdades minhas. E eu disse: não, eu sou a pedra mais fácil de ser quebrada e é melhor eu me retrair e vir para cá [Itapecuru-Mirim], mas estou de cabeça erguida”, disse o sargento.

Na última segunda-feira (1º) o prefeito de Anajatuba, Sidnei Pereira (PCdoB) ligou para o policial reclamando de uma blitz no município há uma semana das eleições. Durante a conversa ao telefone, o prefeito usa um tom ameaçador e o sargento rege por diversas vezes afirmando que seu trabalho não tem nada a ver com política.

“Não me faça mais um negócio desse, por favor! Numa época dessa! Nós estamos a uma semana de uma eleição”, diz o prefeito em trecho da ligação telefônica.

O sargento diz então que está apenas fazendo o trabalho dele, dentro da lei. “Eu não aceito o senhor como prefeito da cidade querer me determinar. Eu não estou aqui, senhor, fazendo serviço pra político. Eu tô fazendo serviço pro povo”, diz o sargento.

O prefeito usa um tom ameaçador, faz referência à política e segue tentando convencer o sargento a parar a fiscalização. “Tá beleza, faz teu serviço pra ver se você consegue andar, andar, andar aí em Anajatuba”, disse.

Sargento da Polícia Militar discutiu com prefeito de Anajatuba-MA e pediu pra sair do comando da cidade — Foto: Reprodução / TV Mirante

Sargento da Polícia Militar discutiu com prefeito de Anajatuba-MA e pediu pra sair do comando da cidade — Foto: Reprodução / TV Mirante

g1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *