IDOSA COMETE SUICÍDIO COM DISPARO DE ARMA DE FOGO, EM AÇAILÂNDIA-MA

Um caso de suicídio foi registrado na manhã desta segunda-feira (03), em Açailândia-MA. O evento trágico aconteceu na Vila São Francisco, onde Núbia Carvalho Cavalcante, de 65 efetuou um disparo contra o próprio peito, fazendo uso de um revolver calibre 38.
Estiveram no local realizando atendimento o SAMU e Policia Civil que confirmaram o óbito. A motivação para a ação é desconhecida até o momento.

Polícia Militar prende homem após tentativa de homicídio, em Vargem Grande

No início da madrugada deste domingo (03),o comando da polícia militar de Vargem Grande foi informada sobre uma tentativa de homicídio realizada na Rua Didi Gomes, no bairro Soldadinho.

De imediato a guarnição, sob o comando do 1º Tenente Rios, seguiu para o local e deu início as investigações. Foi confirmado que Roberto dos Santos Hermino, de 20 anos, efetuou dois disparos de arma de fogo contra Breno da Silva Barros, de 18 anos, sendo que um dos projéteis atingiu a vítima, que precisou ser socorrida ao Hospital Municipal Benito Mussoline.O autor da tentativa de homicídio conseguiu fugir, mas foi capturado por volta das 6h em sua residência. Roberto dos Santos estava com a arma utilizada, sendo esta, um revólver calibre 32 e ainda cinco munições intactas. Ele foi encaminhado para a delegacia de polícia civil local para que fossem tomadas as medidas que o caso requer.

Homem morre em grave acidente de moto na MA-101 em Cândido Mendes

Um homem identificado como Josimar Santos Assunção, 53 anos,vulgo Cemar, morreu no inicio da noite deste domingo (02) após sofrer um acidente de moto na MA-101 no povoado Cajual, município de Cândido Mendes.
De acordo com informações repassadas ao blog do Neto Weba, a vítima pilotava em alta velocidade e teria perdido o controle da motocicleta em uma curva, vindo a cair. Com o impacto, o homem bateu a cabeça e não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.
Este é a quarta morte em dois dias no município. Além de Cemar, Renato de 29 anos morreu após uma pedra cair sobre seu tórax em um garimpo na zona rural,outros dois senhores também vieram a óbito por causa natural. Parece que a bruxa está solta em Cândido Mendes.

CORPO É ENCONTRADO NO ANTIGO CAMPO DO AÉREO NA VILA CONQUISTA, EM SANTA LUZIA-MA

Francisco Lima (Chiclete) de 21 anos, residente na rua 21 de Abril, bairro Vila São Paulo em Santa Luzia foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (03/12), na área onde está sendo construída uma creche no bairro Vila Conquista, no antigo campo do Aéreo. O crime aconteceu durante a madrugada e vizinhos do local ouviram os disparos.

O corpo apresentava algumas perfurações de bala na cabeça, tórax e em uma das pernas. Uma das irmãs da vítima contou a nossa equipe que Chiclete era usuário de drogas, já havia passado por várias internações para tentar se livrar do vício, mas sempre voltava a usar, também disse que o jovem tinha 6 passagens pela polícia por roubo.

A polícia militar esteve no local aguardando a remoção do corpo que foi realizado por uma funerária da cidade com a ajuda de parentes da vítima

homossexualidade entre religiosos ‘é algo que me preocupa’, diz Papa Francisco

02/12/2018 07:48 em Notícias

Em entrevista publicada num livro a ser divulgado na segunda-feira (3), o papa Francisco diz estar preocupado com a homossexualidade no clero.

“Na nossa sociedade, até parece que a homossexualidade está na moda, e essa mentalidade influencia de certa forma também a Igreja”, afirma o pontífice na entrevista em espanhol.

A homossexualidade no clero “é algo que me preocupa”, afirmou Francisco, revelando que se trata “de um assunto muito sério”. Para o papa, pessoas com “essa tendência profundamente enraizada” não deveriam ser admitidas em seminários ou ordens religiosas.

Na entrevista, o papa Francisco afirma que seria um erro acreditar que gays no mundo sacerdotal “não é assim tão grave” e que a homossexualidade seria apenas uma forma de afeição. “Na vida consagrada e na vida sacerdotal, não há lugar para esse tipo de afeição”, afirma.

As declarações estão do livro de entrevistas do autor Fernando Prado, intitulado “La fuerza de la vocación” (“O poder da vocação”) e que deve ser publicado em várias línguas. A maior parte da obra destaca Francisco discutindo o seu chamado para o serviço religioso.

A Igreja Católica rejeita a prática da homossexualidade. Porém, Francisco falou repetidamente no passado contra a discriminação de gays e lésbicas.

Para a decepção dos fiéis homossexuais, no entanto, Francisco não mudou o caminho da doutrina católica. Também no Sínodo da Juventude, em outubro último, ficou claro não haverá mudanças fundamentais quanto ao tema da homossexualidade.

Fonte: G1

Saiba como pagar com descontos o IPVA, ITCD e conta de água atrasados

Os débitos de IPVA podem ser pagos com desconto de 100% de juros e multas até o dia 28 de dezembro

O governador Flávio Dino editou três Medidas Provisórias no fim de novembro para ajudar os maranhenses a quitar dívidas atrasadas. A determinação vale para o IPVA, a conta de água e o ITCD (imposto sobre herança e transmissão de bens).
A vantagem é que tudo pode ser pago com desconto. No caso do IPVA e do ITCD, o contribuinte tem a opção de fazer o pagamento sem sair de casa. Para pagar esses dois tributos, basta acessar o site https://www.ma.gov.br/ descontaodenatal/. Os débitos de IPVA podem ser pagos com desconto de 100% de juros e multas até o dia 28 de dezembro. Ou seja, só é pago o valor principal.
Para quem quiser pagar parcelado, pode ser em até 12 vezes, com 60% de desconto nos juros e na multa. Neste caso, é preciso que a parcela não seja inferior a R$ 30 para motocicletas e similares e de R$ 100 para os demais veículos automotores.
ITCD 
Para o ITCD, os descontos são os mesmos do IPVA: 100% de abatimento dos juros e da multa para pagamento à vista; e 60% para o parcelamento.
A parcela mínima para o parcelamento, no caso do ITCD, é de R$ 200. A adesão também tem que ser feita até 28 de dezembro. Em relação ao IPVA e ao ITCD, o contribuinte também pode obter informações por meio dos telefones (98) 3217 4561 ou 3217 4572, ou enviar mensagem para o e-mail ipva@sefaz.ma.gov.br.
Conta de água
Para a conta de luz, foi lançado o programa Fique em Dia com a Caema. A medida vale para contas vencidas até 27 de novembro deste ano. A adesão ao programa precisa ser feita até 31 de janeiro de 2019.
São três faixas de descontos:
Pagamento à vista: desconto de 100% nos juros e na multa e desconto de 30% no valor principal da dívida (o valor que está na conta).
Parcelado em 3 vezes: desconto de 100% nos juros e na multa e desconto de 20% no valor principal da dívida (o valor que está na conta).
Parcelado em 6 vezes: desconto de 100% nos juros e na multa e desconto de 10% no valor principal da dívida (o valor que está na conta).
No caso do parcelamento, o valor de cada parcela não pode ser menor do que R$ 100.
Para conseguir os descontos, o cliente deve ir a uma das unidades de negócios da Caema, tanto na capital quanto no interior. O site da Caema (http://www.caema.ma.gov.br/portalcaema/) mostra onde são as unidades de negócios da companhia.
Os postos de atendimento do Viva/Procon também estão autorizados a fazer a negociação.

Família a base de tudo

*Osmar Gomes dos Santos

Família. Palavra que pode englobar outros conceitos, relativos não a seres humanos, mas coisas, animais, etc. Apanhando as definições vocabulares encontra-se que família é conjunto de pessoas, em regra, ligadas por laços de parentesco, que vivem sob o mesmo teto. Ascendentes, descendentes, colaterais e afins de uma linhagem. Do mesmo sangue ou não, ligadas entre si por casamento, filiação ou adoção.

Seguindo o conceito mais estrito, permito-me discorrer sobre a importância da família para a sociedade. O sucesso de um “homem” está diretamente relacionado com os laços de parentesco que este constrói em sua trajetória. Não falo do sucesso enquanto posse de bens ou status social. Vejo que o sucesso está intimamente ligado ao conceito de felicidade, estado de espírito e congraçamento, coisas que não possuem relação direta com posses materiais.

Crescer em uma família harmoniosa, sob a batuta dos bons valores e costumes é condição primeira para se alcançar essa tal felicidade. Nesse quesito, afirmo que fui um felizardo ao ter como referências pai – ainda que por pouco tempo de vida –, mãe e meus irmãos mais velhos que souberam conduzir os rumos dessa instituição social.

Sob um permanente e árduo regime de trabalho, estudos e manutenção de valores, construímos uma família sólida. Sempre havia tempo para as conversas e, hoje, não falta uma mão estendida para aquele que precisa. Solidariedade e amor ao próximo é algo que praticamos desde a tenra idade. Por essa razão afirmo que a família é base para uma sociedade melhor.

Trago este contexto familiar – embora sempre reservado quanto a essa exposição – devido à importância do tema para o momento que vivemos. Uma era de relações frágeis e voláteis, muitas delas construídas sem o alicerce que deve manter de pé a família, que por sua vez é o núcleo mais importante para uma sociedade em equilíbrio.

Atualmente é comum constatar a “terceirização” da educação dos nossos filhos para as escolas, para as televisões, para os desenhos, para as redes sociais e, na pior das hipóteses, abandonamos à própria sorte sob as regras das ruas.

O ensinamento pode ser para o bem ou para o mal, a depender do contexto em que as lições são repassadas e aprendidas. Discussões acerca da pureza do coração humano se arrastam até nossos dias tendo como debate central a questão se o homem é bom ou mau por natureza. Prefiro a linha que defende o homem como um ser bom, moldado conforme o contexto social no qual ele cresce.

Nesse sentido é que destaco o papel da família na educação dos filhos e no fortalecimento dos laços de parentesco. Educar não significa ser benevolente em tudo, mas ter um propósito em todos os atos. Este propósito deve estar intimamente ligado ao desejo de querer o melhor para nossos filhos e, assim, educá-los com amor para uma vida honrada e de respeito ao próximo.

Infelizmente, sem pretender generalizações, o que se vê é o contrário disso. Por um lado há escassez de tudo, de bens materiais a amor; enquanto noutros lares há todos os aparatos tecnológicos de última geração, mas também falta o amor. Em ambos os casos observo concessões de forma ilimitada ao se dar tudo que os filhos querem, não se diz não, não se impõe limites, apenas deixa-se fazer o que cada um bem entende. Parece ser mais cômodo.

Não pretendo ser determinista, mas o resultado de uma geração criada sem limites prenuncia uma atmosfera social em perfeita desarmonia. Isso porque vivemos em um país sob a égide da democracia, que por sua vez pressupõe o gozo dos direitos e o cumprimento dos deveres. Estes últimos não se sobrepõem, convivem de forma harmônica, cada um no seu momento.

Embora avancemos tecnologicamente, a ponto de querer lograr a denominação de país desenvolvido, receio que este ainda é um ideal minimamente longe de ser alcançado. Como se pode querer que uma nação seja desenvolvida quando vemos irmãos se voltarem contra irmãos, filhos contra pais, parentes contra parentes. Núcleos familiares dilacerados.

Retomo meu raciocínio inicial para estabelecer o paralelo pretendido. Só será possível construir uma sociedade melhor a partir da edificação familiar, sendo esta capaz de promover valores para uma nação justa, fraterna e igualitária. O respeito ao próximo, ao meio ambiente, às regras de convivência são pressupostos.

Limites são necessários para formar uma geração que não se deixará frustrar diante dos obstáculos, mas os enfrentará com a cabeça erguida. Assim como permitirá o resgate de valores éticos e morais que possibilitem o respeito àqueles ditos familiares, da mesma forma que garantirá o respeito ao próximo indistintamente.

Aprendi um lição sempre dita por minha mãe: educação vem de berço! Frase que certamente todos já ouviram ou vão ouvir em algum momento de suas vidas. E esse berço nada mais é do que a família. Aquela que nos abraça desde o primeiro sopro divino e nos guia para a vida.

De fato, dificilmente se alcançará uma sociedade perfeita, talvez nem o mais utópico dos filósofos tenha acreditado que isso seria possível. Também não creio que sejamos “lobos dos homens”, como pensava o filósofo mais cético. Mas é possível, a partir do seio familiar, repensarmos o Brasil que queremos para nosso futuro.

Incorporei desde cedo que aquilo que se aprende no núcleo familiar não se perde com o tempo, tende a se fortalecer. A medida que praticamos o bem, a comunhão, a irmandade, tornamos a nossa casa melhor e, consequentemente, podemos contagiar a rua, o bairro, a cidade, o país. O ambiente familiar com fortes laços tende a ser mais feliz e a felicidade é contagiante e faz bem a  quem transmite e a quem recebe. São valores que contribuem para o bem estar social.

Teratologias no Supremo Tribunal Federal

JOSÉ MARIA COUTO MOREIRA

Teratologias no Supremo Tribunal Federal

A nossa Corte máxima de justiça tem sido objeto de amplas e sucessivas queixas do povo brasileiro. Não é bom que assim seja. As decisões do excelso Pretório carecem de homologação por este mesmo povo, e só ele as legitima. Esta legitimação é não só necessária como indispensável, para que suas decisões tenham vigor, digam à Pátria que aquele alto Conselho é o intérprete e o portador da verdade. E para que esta exigência de nossa consciência cívica se cumpra, as suas sentenças hão de ditar, senão a unanimidade do que nos alegraria ouvir, a orientação de novos e desejáveis rumos para a paz social. Só com a paz social é que seguiremos para um futuro melhor. Ainda não se disse assim, mas esta é a verdade. A competência histórica de tribunal constitucional, vigilante de nossa lei maior e, por esta mesma razão, de nossas garantias, de nossos direitos, até de nossos pecados, tem se distanciado dela. A divergência de entendimentos é aceitável, até para oxigenar o ambiente jurídico-intelectual daquele grupo seleto de homens e mulheres que deliberam sobre nós, uns até procuram a perfeição, validamente, desde que tais dissenções exprimam visões notoriamente justas e lógicas, assim incontestáveis, mesmo para o cidadão comum .

Não tem sido assim, ou o STF não tem se esforçado para tal destino, em sua maioria. O desempenho da justiça nacional, modernamente televisado (e que se mantenha !), já exibiu ao público enfrentamentos estarrecedores, membros contra membros, quebrando uma unidade que só compromete os desafiantes e põe em descrédito a efígie do tribunal, então lançando dúvidas sobre a importância histórica e a contribuição de nomes tutelares que ali se assentaram, aqueles, sim, a sombra ostensiva e indisfarçável de reservas morais dispostas a iluminar e agigantar a vida daquele alto foro.

O povo brasileiro, recentemente, deu prova soberba de sua vontade política. Expurgamos da vida nacional, pelo menos por quatro anos, nomes que tentavam o sufrágio para se manterem (protegidos) em seus postos. O recado foi entregue, e no legislativo tanto quanto no executivo a renovação, se não foi de todo empreendida (sempre haverá os bolsões inexpugnáveis), representou abalo aterrador para os derrotados.

Pois esse egrégio conselho de notáveis, ainda ontem, também foi autor, do que se pode dizer, de uma barganha, ou de uma ação entre amigos, dir-se-ía melhor. Combinação irrecorrível entre presidentes. Permutou-se a supressão da ignominiosa verba paga a título de auxílio moradia para todo o judiciário, Ministério Público Federal e tribunais de contas pela aceitação da inconstitucional e absurda letra do decreto presidencial que concede indulto aos encarcerados por sentença definitiva.

Quanto ao auxílio já gritou a senhora procuradora geral: não mexam com o MP. Corporação é assim: quando atingida, revida, material e imediatamente.

Com esta clemência o indulto não pode mais receber esta designação. Mais exato seria qualificá-lo como insulto de Natal, como já se expressou um ex-procurador geral.

Não façamos do indulto um novo insulto ao povo.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com