Hoje na História: Brasil conquista o tetracampeonato mundial nos Estados Unidos

Destacado

No dia 17 de julho de 1994, a torcida brasileira finalmente pode soltar o grito de campeão mundial após 24 anos de espera. No torneio realizado nos Estados Unidos, a Argentina chegou como uma das favoritas, com a presença do astro Maradona na equipe. Contudo, o ídolo acabou sendo uma figura marcante nesta Copa por um feito negativo: foi pego no exame antidoping por uso de cinco substâncias proibidas e acabou excluído do Mundial. A seleção argentina sentiu o golpe e foi eliminada após as derrotas para a Bulgária e Romênia. Por outro lado, o Brasil seguia se impondo no torneio ao passar por Rússia (2 a 0), Camarões (3 a 1) e um empate com a Suécia (1 a 1). No caminho para a final, os brasileiros passaram pela Holanda (3 a 2) e Suécia (1 a 0). Na final, contra a Itália, o jogo tenso ficou no empate sem gols, tanto no tempo regulamentar como na prorrogação, e a briga pelo título foi para os pênaltis. Para alegria dos brasileiros, o italiano Roberto Baggio chutou sua cobrança para fora, o que foi suficiente para consagrar a histórica conquista daquele time que tinha jogadores como Bebeto, Romário, Branco, Dunga e Jorginho.

Hoje na Historia: Brasil perde a final da Copa do Mundo para a França

Destacado

O dia 12 de julho de 1998 deixou uma amarga lembrança para os brasileiros na disputa da Copa do Mundo de 1998, na França. Neste dia, o Brasil entrou em campo para brigar pelo título do campeonato, mas mostrou um futebol apático e foi derrotado pelos franceses por 3 a 0, com gols de Zidane (2) e Petit. Antes do jogo, Ronaldo, principal destaque do time brasileiro, sofreu uma convulsão em um episódio que abalou todo o time e que gera polêmica até os dias de hoje. Antes de chegar à final, o Brasil fez um campeonato empolgante e confirmou a sua condição de favorito. Na primeira fase, derrotou a Escócia por 2 a 1, bateu o Marrocos por 3 a 0, mas caiu inesperadamente diante da Noruega por 2 a 1. A equipe se recuperou diante do Chile com uma vitória por 4 a 1 e depois passou pela Dinamarca por 3 a 2. O time brasileiro enfrentou um duro jogo contra a Holanda, nas semifinais. Após o empate por 1 a 1, o jogo foi para as penalidades, vencidas pelo Brasil por 4 a 2

Hoje na História: Brasil leva 7×1 da Alemanha e é eliminado da Copa em casa

Destacado

A data de 8 de julho de 2014 vai ficar marcada para sempre, de uma forma trágica, na memória do torcedor brasileiro. Foi o dia do chamado “Mineiraço”, quando a Seleção Brasileira, comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari, foi atropelada pelo time da Alemanha pelo elástico placar de 7×1 nas semifinais da Copa do Mundo no Brasil.

A partida no Mineirão, em Belo Horizonte, lembrou (salvas as devidas proporções), a derrota na final da Copa do Mundo de 1950, em que o Brasil perdeu o título para o Uruguai por 2 a 1, no Rio de Janeiro, no duelo que ficou conhecido como “Maracanaço”.

O vexame mais recente, em 2014, no entanto, entrou para a história como o maior da seleção brasileira em copas do mundo. O time entrou em campo sem seu principal goleador, Neymar, afastado por lesão. Além disso, o meio campo brasileiro praticamente inexistiu no primeiro tempo, o que obrigava os zagueiros a chutar diretamente para os atacantes. Desta forma, a bola caía nos pés dos defensores alemães que faziam a saída de bola para o melhor meio campo do mundo.

O resultado dessa deficiência não demorou a aparecer. Antes dos 30 minutos de jogo, o Brasil já havia levado 5 x 0 da Alemanha e estava completamente perdido dentro de campo. Na primeira etapa, os gols foram anotados por Müller (11 min), Klose (aos 23 min), Kroos (aos 24 e 26 min) e Khedira (aos 29 min).

Ainda abalados pelo placar, os brasileiros retornaram do vestiário para o segundo tempo com a marcação mais reforçada e sofreram “apenas” outros dois gols dos alemães, com Schürrle, que marcou duas vezes. O Brasil descontou com Oscar, nos minutos finais. Após o encerramento do jogo, boa parte dos torcedores brasileiros havia deixado o Mineirão e os que restaram bateram palmas aos alemães.

O Brasil disputou o terceiro lugar com a Holanda e foi derrotado por 3 a 0, em Brasília. Já a Alemanha foi a dona da festa ao conquistar o título na final diante da Argentina, por 1 a 0, no Rio de Janeiro.

Hoje na História: Brasil conquista o tricampeonato mundial de futebol no México

Destacado

No dia 21 de junho de 1970, a seleção brasileira de futebol conquistou, no México, o seu terceiro título mundial de futebol. A equipe também entrou para a história como uma das melhores de todos os tempos. O time verde-amarelo ganhou todas as três partidas da primeira fase: Tchecoslováquia (4-1), Inglaterra (1-0) e Romênia (3-2). Depois, venceu o Peru (4-2), o Uruguai (3-1) e a disputa na final contra a Itália, quando goleou o rival por 4 a 1. A Copa do Mundo no México também entrou para a história como a primeira a ser transmitida a cores e via satélite para todo o mundo. Curiosamente, pouco antes do Mundial, o então treinador do Brasil, João Saldanha, não havia convocado Pelé por conta de uma lesão e também porque o Rei do Futebol tinha miopia. Contudo, Saldanha foi demitido antes da Copa do Mundo e o seu sucessor, Zagallo, tratou de chamar Pelé para disputar o campeonato no México.

Hoje na História: Travada a Batalha Naval do Riachuelo, umas da mais importantes da Guerra do Paraguai

Destacado

A Batalha Naval do Riachuelo, ou apenas Batalha do Riachuelo, ocorreu no dia 11 de junho de 1865 e é considerada uma das mais importantes da Guerra do Paraguai (1864-1870) por historiadores e militares. O confronto ocorreu às margens do Riachuelo, um afluente do rio Paraguai, na província de Corrientes, na Argentina. De um lado estavam as tropas do Paraguai e, do outro, as do Império do Brasil. PUBLICIDADE

Na época do conflito, o acesso aos rios na região da Bacia do Prata era estratégico, já que não havia estradas por ali até a segunda metade do século XX. O Paraguai não possuía uma saída direta ao mar, e a bacia era controlada por Argentina e o Uruguai. Este último, por sua vez, vivia ameaçado por tropas do Império do Brasil e da Argentina. 

Os paraguaios já haviam ocupado áreas do atual Mato Grosso do Sul, no Brasil, e caso ganhassem a batalha do Riachuelo, poderiam descer pelos rios e conquistar Montevidéu, no Uruguai, além de ocupar o atual Rio Grande do Sul. 

Para a batalha, a Força Naval Brasileira contava com nove navios e um total de 2.287 homens, chefiados pelo Almirante Francisco Manuel Barroso da Silva. No lado do Paraguai, havia oito navios armados e, aproximadamente, 1200 homens, sob o comando do Comodoro Mezza.

O confronto iniciou às 8h30 daquele dia e se encerrou às 17h30, com vitória do Almirante Barroso. A conquista foi muito importante para a Tríplice Aliança, que passou a controlar os rios da Bacia do Prata até os limites com o Paraguai, ganhando vantagem logística e também fechando os acessos paraguaios por aquela rota. Do lado dos derrotados, foram 351 mortos e 567 feridos, além de quatro navios afundados. Pelo Império do Brasil, morreram 104 pessoas, outros 142 foram feridos, além de 20 desaparecidos e um navio afundado.

Hoje na História: Nasce Lampião, o Rei do Cangaço

Destacado

Resultado de imagem para Nasce Lampião, o Rei do Cangaço

Por;Blog do Zé de Fátima

O dia 4 de junho de 1898 seria uma das prováveis datas de nascimento de Virgulino Ferreira da Silva, mais conhecido como Lampião, o Rei do Cangaço. A exata data do seu nascimento gera muitas controvérsias, mas em sua certidão de batismo a data de 4 de junho consta como o dia do seu nascimento, em Serra Talhada (PE). Lampião começou a liderar um bando de cangaceiros em 1922 e, a partir daí, passou a viver de saques a fazendas e doações forçadas de comerciantes. Por conta dos seus atos, era procurado pela polícia. Em 1930, conheceu Maria Déia, a Maria Bonita, que ingressou no bando, tornando-se mulher de Lampião. Em 1932, nasceu a filha do casal, Expedita Ferreira. No dia 27 de julho de 1938, Lampião, Maria Bonita e outros cangaceiros foram capturados pela polícia em Poço Redondo, no sertão de Sergipe. Eles tiveram suas cabeças cortadas e expostas ao público para servir de exemplo.

Hoje na História: Morre o ex-pugilista Muhammad Ali

Destacado

No dia 3 de junho de 2016 morreu, aos 74 anos, o lendário ex-lutador de boxe Cassius Marcellus Clay Jr., mais conhecido como Muhammad Ali. Um porta-voz da família informou que a causa da morte foi um choque séptico devido a causas naturais não especificadas. No início da década de 1980, o atleta havia sido diagnosticado com a doença de Parkinson.

Nascido em 17 de janeiro de 1942, Ali foi o primeiro lutador a conquistar o título dos pesos-pesados três vezes. Venceu 56 vezes em seus 21 anos de carreira profissional.  Foi eleito “O Desportista do Século” pela revista americana Sports Illustrated em 1999. Ele também era bastante atuante em causas humanitárias.  

Clay conquistou seu primeiro título mundial em 25 de fevereiro de 1964 ao bater o então campeão dos pesos-pesados Sonny Liston. Antes da luta, ele prometeu “flutuar como uma borboleta, picar como uma abelha”, prevendo o nocaute. Quando foi coroado com o título, Clay gritou: “Eu sou o maior!”. Pouco tempo depois, Clay confirmou os rumores de sua conversão ao Islã. Em 6 de março de 1964, ele mudou o seu nome para Muhammad Ali.

Com a Guerra do Vietnã em curso, Ali foi intimado a se apresentar às Forças Armadas dos EUA em 28 de abril de 1967. Citando suas crenças religiosas, ele se recusou. Ali foi preso, e a Comissão Atlética do Estado de Nova York suspendeu imediatamente a sua licença de boxe, revogando o seu cinturão dos pesos pesados. Condenado por evasão de divisas, Ali recebeu uma pena de cinco anos de prisão e uma multa de US$ 10 mil. Ele permaneceu livre enquanto fazia apelação da sua condenação. Banido do boxe por três anos, Ali se manifestou contra a Guerra do Vietnã em várias ocasiões. No dia 3 de fevereiro de 1970, o lutador convocou uma coletiva de imprensa para anunciar que estava deixando o boxe. 

Em dezembro de 1970, a Suprema Corte do Estado de Nova York ordenou que ele recebesse novamente sua licença de boxe, e, no ano seguinte, a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou sua condenação em uma decisão unânime. Desta maneira, Clay mudou de ideia em relação à aposentadoria e voltou aos ringues. Em 8 março de 1971, teve oportunidade de recuperar sua coroa de campeão dos pesos-pesados na luta contra o campeão Joe Frazier, no que foi chamada de “Luta do Século”. O invicto Frazier derrotou Ali, que sofreu a sua primeira derrota como profissional.

A recuperação do título aconteceu somente no dia 30 de outubro de 1974, quando Ali, então com 32 anos, enfrentou o então campeão George Foreman, com 25 anos. A luta em Kinshasa, Zaire (atual Congo), foi apelidada de “Rumble in the Jungle”. Ali venceu por nocaute no oitavo round e recuperou o título tirado dele sete anos antes. Em 15 de fevereiro de 1978, Ali perdeu o título para Leon Spinks. Sete meses depois, Ali derrotou Spinks em uma decisão unânime em uma luta de 15 rounds para recuperar a coroa dos pesos-pesados. O atleta se aposentou em 1981.

Hoje na História: Nasce o Papa João Paulo II

Destacado

No dia 18 de maio de 1920 nascia em Wadowice, na Polônia, Karol Józef Wojtyla, que seria mundialmente conhecido mais tarde como o Papa João Paulo II. Seu papado foi um dos mais longos da história, com início em 1978 e término com a sua morte em 2005. Entre suas principais características estava a capacidade de falar vários idiomas como português, polonês, esperanto, espanhol, grego, latim, italiano, francês, inglês e alemão. Também tinha conhecimentos de checo, lituano, russo e húngaro, como outras línguas como japonês e idiomas africanos. Foi o primeiro papa a fazer grande uso dos meios de comunicação, em particular a internet. Outra característica era a busca por laços mais estreitos com os líderes de outras religiões como judeus, muçulmanos, ortodoxos e tibetanos (por meio de Dalai Lama). João Paulo II morreu no dia 2 de abril de 2005, no Vaticano. Aos 85 anos, ele foi vítima de uma septicemia e colapso cardiopulmonar irreversível, agravada pela sua doença de Parkinson.

Hoje na história: 10.05.1973 Fundado o clube de futebol Chapecoense

Destacado

No dia 10 de maio de 1973 foi fundada a Chapecoense, clube de futebol do oeste de Santa Catarina, que tem como principal conquista o título da Copa Sul-Americana de 2016. A equipe também disputou a Libertadores pela primeira vez em sua história em 2017.

A Chape, como é apelidada, nasceu da fusão das antigas equipes do Atlético Chapecó e do Independente. Pouco tempo depois da sua fundação, a Chapecoense chegou à primeira final do Catarinense e ao primeiro título de sua história, em 1977, ao derrotar o Avaí na decisão, por 1 a 0.


Ascensão nacional e internacional

Após quase quatro décadas de existência, a Chape começou a despontar no cenário nacional e internacional. Em 2009, o time disputou a Série D e garantiu a vaga na Terceira Divisão de 2010. Para sair da Série C foram necessárias outras três temporadas. Neste período, a equipe ganhou o estadual de 2011. O Verdão do Oeste, como é carinhosamente chamado, finalmente conseguiu o acesso à Série B em 2012. Bastou um ano na Segundona para a Chape garantir sua passagem à elite do futebol nacional. 

Em sua participação na Série A, a Chape surpreendeu encerrou a competição em 15o., garantindo a vaga na Copa Sul-Americana no ano seguinte. Em 2015, na sua primeira competição internacional, foi às quartas de final, onde acabou eliminado pelo River Plate. Em 2016, o time se classificou novamente à Sul-Americana e, desta vez, foi mais longe: chegou à final da competição.

Tragédia na Colômbia

O sonho da disputa do título foi precocemente interrompido por uma tragédia. O avião que transportava o time para o jogo da primeira partida final, contra o Atlético Medellin, caiu pouco antes do pouso na Colômbia, no dia 29 de novembro de 2016. Somente seis pessoas sobreviveram entre os 77 passageiros: os jogadores Alan Ruschel, Jakson Follmann e Neto, o jornalista Rafael Henzel, e os tripulantes Erwin Tumiri e Ximena Suarez. Com a tragédia, não houve final, e o título da Copa Sul-Americana foi entregue para a Chapeocoense. 

Reunindo esforços para seguir adiante, a Chapecoense e a cidade de Chapecó se uniram para a reconstrução do futebol do clube, que iniciou a disputa do Campeonato Catarinense em 2017 e também realizou a primeira partida da história do clube pela Libertadores. No dia 7 de março, a Chape venceu o venezuelano Zulia no seu jogo de estreia, fora de casa, por 2 a 1, pelo torneio continental.  

Prefeitura de Nina Rodrigues realiza evento em homenagem ao dia das mães

Destacado

A secretaria de Assistência Social do município de Nina Rodrigues realizou na quarta-feira dia 08, um evento para celebrar o dia das mães que é comemorado sempre no segundo domingo de Maio.

O evento que foi realizado na sede do CRAS, no período da tarde foi destinado a todas as mães do Serviço de Convivência do município e contou com a participação de toda as equipes do SCFV, CRAS e Programa Criança Feliz.

Dentro da programação houve um momento de muita emoção quando foram exibidos vídeos das crianças e adolescentes homenageando suas mães.

Ainda como parte da programação, os presentes ouviram a palestra da psicóloga do CRAS , além de lembrancinhas que foram confeccionadas pela servidora Daniela Torres. Ao final foi servido um lanche.

As mães presentes agradeceram a Secretária Bianca Torres e ao Prefeito Rodrigues da Iara, por ter-lhes proporcionado esse momento de muita emoção e alegria.

Prefeitura de Nina Rodrigues promove ações para capacitar Idosos

Destacado

Equipe do NASF e da Casado Idoso em plena atividade com os idosos

O trabalho continuado do prefeito, secretários e assessores do município de Nina Rodrigues vem obtendo enormes resultados no que diz respeito a valorização da pessoa humana.

A enfermeira Joelma Cristina e a terapeuta Maria José do NASF, com a participação da casa do Idoso realizaram nesta semana um trabalho com os idosos na confecção de pesos para portas.

Os idosos mostraram a suas criatividades e produzindo pesos de diversos tamanhos, cores e formatos. Esse trabalho segundo os responsáveis pela ação, visa trabalhar a saúde mental do idoso do município.

Sem sombras de dúvidas é mais uma conquista da população da terceira idade e um meio de aumentarem a sua renda familiar. De parabéns estão todos os idealizadores e participantes desse projeto oficina.