Falso padre é preso após aplicar golpes em São Luís

Destacado

Na terça-feira (17), Adeildo Lima dos Santos, vulgo “Lima” foi preso após se passar por padre nos bairros do Coqueiro e da Estiva, zona rural de São Luís.Segundo informações, Adeildo estava se passando por um religioso e pedindo doações em seu nome e em nome da Igreja Católica.

Dentre as vitimas encontram-se pessoas de vários setores sociais da população ludovicense.O falso padre pedia valores em espécie ou transferências bancarias alegando que era para uma futura reforma nas instalações da Igreja. O mesmo já tem varias passagens em delegacias maranhenses, afirmou que faz isso há vários anos, e que nos últimos 3 meses deva ter faturado algo em torno de R$ 10 mil só com esta prática delituosa.

As investigações continuam a fim de identificar e localizar possíveis compassas do mesmo, visto que algumas das contas bancárias que receberam os valores não eram de sua propriedade. Após os procedimentos de praxe, foi encaminhado ao complexo penitenciário de pedrinhas onde ficará à disposição da justiça.

Acusados de roubo e receptação são presos no Povoado Leite

Destacado

Na manhã de ontem (11), a Polícia Civil de Vargem Grande, realizou uma operação no Povoado Leite, com o objetivo de apurar denúncias sobre a atuação de uma quadrilha que realizava furtos naquela localidade e que em seguida, destinava os produto de origem criminosa a “conhecidos receptadores” do mesmo povoado .

Após prender Ourofran Costa, um dos suspeitos de compor a quadrilha, ele confessou o crime e resolveu colaborar nas investigações e diligências realizadas.

Na operação, foram presos em fragrante, Maria Lucilene dos Santos, acusada de receptação e posse de arma de fogo e Francisco Das Chagas Silva Magalhães, acusado de receptação qualificada e posse ilegal de arma de fogo.

Com Francisco Das Chagas, também foi encontrado 51 sinalizadores reflexivos, popularmente conhecido como “Olho de Gato”, resultado do crime de DANO QUALIFICADO contra o patrimônio da União (BR-222).

Homem é preso acusado de tentativa de homicídio e tráfico de drogas em São Benedito do Rio Preto

Destacado

Na noite do último domingo (08) por volta das 20:30h, a guarnição da Policia Militar de serviço em São Benedito do Rio Preto, recebeu informação de uma tentativa de homicídio na Barra da Areia, Povoado daquele município.


A guarnição fez deslocamento até o local e prendeu o indivíduo Cássio Henrique de Sousa Silva, 31 anos, por tentativa de homicídio, onde o mesmo com um disparo de arma de fogo de fabricação caseira (garrucha) tentou contra a vida de Augusto César dos Santos Souza, 32 anos.

Após efetuar a prisão de Cássio, os Policiais fizeram um busca pessoal no autor do crime e encontrou com ele 70,50 R$ (setenta reais e cinquenta centavos) em dinheiro e varias pedras de substancia análoga a crack.

A vítima alvejada nas costas, foi socorrida por populares ao hospital e posteriormente encaminhada a São Luiz/Ma em estado grave.

Diante dos fatos, o mesmo foi preso e conduzido junto com o dinheiro e as drogas para a delegacia para providencias cabíveis.

MATERIAIS APREENDIDO:1- Uma garrucha municiada 2 – Um frasco com pólvora 3 – Três caroços de chumbo 4 – Documentos pessoais 5- 70,50 R$ (Setenta reais e cinquenta centavos)6 – 28 Pedras de substâncias análogas a o crack.

Fonte; 16°Batalhão de Polícia Militar de Chapadinha- Ma

Corpos de índios mortos a tiros no interior do MA serão enterrados nesta segunda-feira

Destacado

Os outros dois índios feridos no ataque estão internados em hospitais dos municípios de Presidente Dutra e Jenipapo dos Vieiras. A Polícia Federal abriu inquérito para investigar o caso.

Os corpos dos caciques Firmino Silvino Guajajara e Raimundo Bernice Guajajara, que foram mortos a tiros em um atentado a indígenas no Maranhão, serão enterrados nesta segunda-feira (9) na Terra Indígena Cana Brava, no município de Jenipapo dos Vieiras, localizado a 506 km de São Luís. No ataque, outros dois índios ficaram feridos.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (PF), um dos índios feridos está internado no Hospital Macrorregional de Presidente Dutra onde foi submetido a uma cirurgia. Ele encontra-se estável, mas seu estado de saúde ainda é considerado grave. O outro indígena está internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jenipapo dos Vieiras e a previsão é que receba alta nesta segunda. Os dois estão sob proteção policial.

A Polícia Federal (PF) abriu inquérito para investigar o caso. A Polícia Civil do Maranhão encaminhou um relatório aos agentes federais de todo o material que foi levantado no local do atentado e também acompanha as investigações. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, divulgou em uma rede social, que avalia a ida da Força Nacional para a região.

Um representante do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos deve desembarcar nesta segunda-feira (9) no município de Imperatriz para realizar uma visita a aldeia indígena em Jenipapo dos Vieiras e acompanhar as investigações.

Raimundo Guajajara morreu durante o ataque a índios em Jenipapo dos Vieiras no Maranhão — Foto: Divulgação/Apib

Raimundo Guajajara morreu durante o ataque a índios em Jenipapo dos Vieiras no Maranhão — Foto: Divulgação/Apib

De acordo com a Fundação Nacional do Índio (Funai) informou que está sendo acompanhado por representantes e rondas ostensivas feitas pela Polícia Militar estão sendo realizadas na região em busca dos atiradores. O coordenador da Funai em Imperatriz, Guaraci Mendes, acredita que o crime pode ter relação com os constantes assaltos registrados no trecho da BR-226.

Em um vídeo que circulou nas redes sociais minutos depois do ataque (veja abaixo), o indígena Nelsi Guajajara, que ficou ferido durante o ataque, contou que foi surpreendido por um veículo de cor branca que disparou diversas vezes contra a motocicleta onde ele e Firmino Guajajara estavam.00:00/00:00

Erro ao carregar o recurso de vídeo.

Ocorreu um problema ao tentar carregar o vídeo. Atualize a sua página para tentar novamente.

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades G1

Atentado contra índios é registrado na BR-226 no Maranhão

Atentado contra índios é registrado na BR-226 no Maranhão

Índios protestam

Por conta dos atentados, os índios Guajajaras bloquearam por quase dois dias ao trecho da BR-226 na altura das aldeias indígenas Boa Vista e El Betel, localizado entre os municípios de Barra do Corda e Grajaú. O trecho foi totalmente liberado no final da tarde desse domingo (8).

Os indígenas usaram galhos e pedaços de madeira para bloquear os três pontos da BR-226. Motoristas que precisavam passar pelo trecho tiveram como opção usar as BR-010, BR-222 ou pela BR-135, que compreende o trecho entre São Luís até o município de Paraibano, no Maranhão.

Após atentado, índios bloqueiam a BR-226 no Maranhão.  — Foto: Divulgação/Josoaldo de Oliveira

Após atentado, índios bloqueiam a BR-226 no Maranhão. — Foto: Divulgação/Josoaldo de Oliveira

Um congestionamento de veículos de mais de 1,5 quilômetro foi registrado na área. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal do Maranhão (PRF-MA), os índios chegaram a atacar com pedras um ônibus que trafegava pela região. As janelas do veículo foram quebradas e a ação causou pânico e medo nos passageiros.

Repercussão

A líder indígena Sônia Guajajara se manifestou sobre o atentado e se solidarizou com os familiares das vítimas. “É com profundo pesar e indignação que externo meus mais sinceros e profundos sentimentos aos familiares de Firmino Silvino Prexede Guajajara e Raimundo Guajajara que, neste momento, sentem a dor e a tristeza de perderem pessoas queridas por tamanha brutalidade que hoje fez novas vítimas dentre o Povo Guajajara” (veja vídeo abaixo de Sônia Guajajara).

00:00/00:00

Erro ao carregar o recurso de vídeo.

Ocorreu um problema ao tentar carregar o vídeo. Atualize a sua página para tentar novamente.

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades G1

Sônia Guajajara se manifesta sobre mortes de indígenas no Maranhão

Sônia Guajajara se manifesta sobre mortes de indígenas no Maranhão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), se manifestou por meio de uma rede social e disse que as forças estaduais vão auxiliar as autoridades federais no caso.

“Minha solidariedade às vítimas de violência contra povos indígenas. As equipes estaduais de segurança estão colaborando com as autoridades federais competentes para questões indígenas. Policiais civis já em atuação”, escreveu o governador.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB no Maranhão, Rafael Silva, diz que o órgão está preocupado com o ataque que aconteceu um mês após o assassinato do líder indígena Paulo Paulino Guajajara.

Crimes contra índios

Há um mês, o líder indígena Paulo Paulino Guajajara foi morto durante uma emboscada na Terra Indígena Araribóia, na região de Bom Jesus das Selvas no Maranhão. O conflito também causou a morte do madeireiro Márcio Greykue Moreira Pereira e deixou ferido o primo de Paulo Guajajara, Laércio Guajajara.

Paulo Paulino Guajajara era membro dos ‘Guardiões da Floresta’, um grupo de índios que vigia, protege e denuncia madeireiros com o intuito de proteger a natureza. Os conflitos entre madeireiros e indígenas já haviam sido denunciados às autoridades, e as ameaças aumentaram após a apreensão de veículos utilizados na extração ilegal de madeiras em terras indígenas no Maranhão.

Paulo Paulino “Lobo Mau” Guajajara morreu em emboscada no Maranhão.  — Foto: Sarah Shenker/Survival International

Paulo Paulino “Lobo Mau” Guajajara morreu em emboscada no Maranhão. — Foto: Sarah Shenker/Survival International

O índio Paulo Paulino Guajajara estava incluído no Programa Estadual de Proteção aos Defensores de Direitos (PPDDH). Após o crime, outros três guardiões também estavam incluídos no programa, foram retirados das aldeias e levados para lugares sigilosos. O retorno deles para as aldeias depende do fim das ameças.

De acordo com a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH), de 2016 a 2019, 13 indígenas foram mortos em decorrência do conflito com madeireiros no Maranhão. O assessor jurídico e membro da SMDH, Antônio Pedrosa, afirmou que nenhuma das pessoas envolvidas nos casos foi identificado ou levado a julgamento.

G1

“Bunitinho” morre durante ação do Bope no Rio

Destacado

Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga a morte de quatro homens, na madrugada desta quinta-feira (5/12), no Morro do Dendê, na Ilha do Governador, durante uma ação do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Entre as vítimas está Diego de Farias Pinto, 36 anos, o Bunitinho.


Bunitinho ganhou fama depois que seu rosto passou a ser utilizado em diversos memes da internet, principalmente entre torcedores e jogadores do Flamengo e de “sextou”. Diego “Buiu”, como também era conhecido, tinha mais de 400 mil seguidores no Instagram e quase 100 mil no Youtube.

Os outros mortos durante a operação policial são Jocelino de Oliveira Ferreira Junior, Jorge Tadeu Sampaio de Oliveira e Sidiney Antunes Figueiredo. 

Continua depois da publicidade

Investigação em andamento

Segundo informações preliminares os quatro estariam no mesmo carro, que foi alvejado. Em nota, a polícia diz que diligências estão sendo feitas e que uma investigação está em andamento a cargo da Delegacia de Homicídios.

Ainda de acordo com a corporação, a perícia já foi realizada no local e uma complementar, para o veículo, está programada. O investigadores também procuram testemunhas e câmeras de segurança que possam auxiliar nas investigações.

Witzel se pronuncia

A Polícia Militar ainda não se pronunciou. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), comentou o caso no Twitter: “Bandidos dispararam seus fuzis contra a polícia no Morro do Dendê, uma comunidade ainda tomada por narcoterroristas. Até agora não temos todos os detalhes da operação. Determinei apuração rigorosa pela Delegacia de Homicídios sobre as 4 mortes.”

Correio Braziliense

Polícia prende homem suspeito de atear fogo na companheira no Maranhão

Destacado

Nahim Lemoel da Silva Ribeiro foi preso no Distrito Federal por suspeita de atear fogo na companheira, que teve 40% do corpo queimado. Caso foi registrado em 2017 em São Luís.

Nahim Lemoel da Silva Ribeiro é suspeito de ter jogado álcool e ateado fogo na sua companheira em São Luís (MA) — Foto: Divulgação/Polícia Civil do Maranhão

Nahim Lemoel da Silva Ribeiro é suspeito de ter jogado álcool e ateado fogo na sua companheira em São Luís (MA) — Foto: Divulgação/Polícia Civil do Maranhão

A Polícia Civil do Maranhão com o apoio da Polícia Civil do Distrito Federal prendeu nessa terça-feira (3) Nahim Lemoel da Silva Ribeiro, de 27 anos, suspeito de ter jogado álcool e ateado fogo na sua companheira no bairro Cidade Operária, em São Luís. O caso foi registrado em outubro de 2017.

Por conta do crime, a vítima teve 40% do corpo queimado. Após o crime, Nahim Lemoel fugiu e estava desparecido. De acordo com a Polícia Civil, ele foi localizado após uma série de buscas que apontaram que ele estava morando no Distrito Federal.

O suspeito foi localizado, preso e em seguida, encaminhado para o sistema prisional do DF. Segundo a polícia, Nahim Lemoel deverá ser trazido para o Maranhão nos próximos dias onde ficará preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Ele deve responder pelo crime de feminicídio que prevê pena de 12 a 30 anos de prisão.

Relembre o caso

Nahim Lemoel da Silva Ribeiro é suspeito de ter jogado álcool e ateado fogo no corpo da sua companheira em outubro de 2017, no bairro Cidade Operária, em São Luís. A vítima teve 40% do corpo queimado.

O suspeito teria arrombado a porta da casa onde a vítima vivia e cometido o crime. Em seguida, ele trancou a porta e fugiu do local. A mulher foi socorrida por vizinhos que perceberam que o fogo estava tomando altas proporções.

Na época, a mãe da vítima identificada como Maria do Rosário, afirmou que os dois haviam saído juntos dois dias antes do crime para uma festa e que a filha havia sido alertada sobre o comportamento de Nahim, com quem ela morava há apenas seis meses. Ela disse que a filha e o filho dela, fruto de outro relacionamento, estavam sendo ameaçados pelo suspeito.

Vítima teve o corpo queimado e foi trancada em casa pelo suspeito.  — Foto: Reprodução/TV Mirante

Vítima teve o corpo queimado e foi trancada em casa pelo suspeito. — Foto: Reprodução/TV Mirante

G1 Ma

Polícia invade fazenda e 4 morrem; um deles era um dos assaltantes de bancos mais procurados do país

Destacado

Bandidos tentaram roubar um carro-forte, há 2 dias, na MS-156. Eles entraram em confronto; um 5° elemento foi preso e outro continua sendo procurado até por helicóptero.

Polícia invadiu fazenda onde bandidos de tentativa de assalto a carro-forte estavam escondidos — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Polícia invadiu fazenda onde bandidos de tentativa de assalto a carro-forte estavam escondidos — Foto: Polícia Militar/Divulgação

A força-tarefa deflagrada para investigar o grupo que tentou roubar um carro-forte, há 2 dias, na MS-156, entre as cidades de Caarapó e Amambai, próximo a fronteira com o Paraguai, entrou em confronto com bandidos e 4 morreram, sendo que um deles era um dos mais procurados do país. Segundo a polícia, um quinto elemento está preso e as buscas continuam, inclusive com helicóptero nesta quarta-feira (4), para caçar um dos suspeitos que estaria na mata.

“Nós fomos para a região e fizemos inúmeras buscas. Com as informações, a força-tarefa que envolve o Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais], Garras [Delegacia Especializada em Repressão à Roubos a Bandos, Assaltos e Sequestros], DOF [Departamento de Operações da Fronteira], PRE [Polícia Rodoviária Estadual] e o Batalhão de Amambai, chegou até a fazenda onde eles estavam escondidos. Nós o surpreendemos e houve intenso confronto, com 4 alvejados”, afirmou ao G1 o tenente-coronel Wilmar Fernandes.

Fazenda em MS onde polícia flagrou assaltantes  — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Fazenda em MS onde polícia flagrou assaltantes — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Conforme o coronel, o preso seria o dono da chácara onde estavam os suspeitos e um dos bandidos é conhecido como Zé de Lessa, sendo um dos mais procurados assaltantes de bancos do país. “Ele possui envolvimento em crimes ocorridos em diversos estados brasileiros. É do nordeste que ele começou a organizar esses crimes na modalidade do cangaço e, há muitos anos, a polícia brasileira já estava atrás dele. Sei que ele é da Bahia e tinha ramificações no Mato Grosso do Sul, Paraguai e também era atuante no tráfico”, comentou.

Um dos bandidos mortos era um dos mais procurados do país, segundo a polícia — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Um dos bandidos mortos era um dos mais procurados do país, segundo a polícia — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Ainda conforme Fernandes, a investigação apontou que eles não conseguiram render os vigilantes e isso dificultou a ação dos bandidos. Além disto, é na região de Coronel Sapucaia que eles vivam, tinham apoio de outros suspeitos e ainda montavam estratégias criminosas.

Carro em chamas encontrado pela polícia na tentativa de assalto — Foto: PMR / Divulgação

Carro em chamas encontrado pela polícia na tentativa de assalto — Foto: PMR / Divulgação

Entenda o caso

Criminosos tentaram assaltar um carro-forte na manhã desta segunda-feira (2) na MS-156. Um dos veículos usados no assalto foi encontrado em chamas em uma das pistas. O carro-forte foi abandonado na lateral da rodovia.

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que formou uma força-tarefa para apurar o crime e também conta com apoio do Grupamento de Policiamento Aéreo (GPA).

Carabina apreendida na região onde bandidos entraram em confronto com a polícia — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Carabina apreendida na região onde bandidos entraram em confronto com a polícia — Foto: Polícia Militar/Divulgação

G1 MA

Auxiliar penitenciário é baleado ao sair de casa em São Luís

Destacado

Segundo informações da família, dois homens em uma moto se aproximaram da vítima e dispararam; Anderson Rocha foi ferido no braço e no tórax.

Anderson Rocha trabalha na Unidade de Ressocialização do Monte Castelo, em São Luís — Foto: Divulgação / Seap

O auxiliar penitenciário Anderson Bernardes Rocha, de 49 anos, foi atingido por dois disparos de arma de fogo quando estava saindo da própria residência na Vila Verde, na Área Itaqui-Bacanga. A vítima foi feriada no braço esquerdo e no tórax. Ele passou por cirurgia e segue hospitalizado.

Segundo a família, Anderson Rocha foi abordado por dois homens em uma motocicleta quando estava saindo de casa. O auxiliar penitenciário trabalha na Unidade Prisional de Ressocialização do Monte Castelo, em São Luís.

O caso foi registrado no 5º DP, que fica no Anjo da Guarda, bairro próximo a residência da vítima. Por enquanto, ninguém foi preso.

G1 MA

Polícia prende quadrinha suspeita de realizar assaltos a vans no Povoado Leite, Entrocamento e Santa Rita

Destacado

Os jovens identificados como Jardson Fernando Almeida Rodrigues de 21 e Lucas Nascimento Batista, 19 anos, foram presos em flagrante na última quinta-feira (21). Com eles foram apreendidos dois adolescentes de nomes não divulgados,
duas armas de fogo, celulares, notebook e entre outros objetos.

Segundo informações policias, a dupla é “especializada” em cometer assaltos a vans nos povoados de Entroncamento, Leite e também na cidade de Santa Rita.

De acordo com informações preliminares, a ação mais recente do grupo foi realizada na última terça-feira (19), em uma van no povoado de Entroncamento, que tinha aproximadamente 9 pessoas no interior do veículo.

A operação policial foi realizada pelas policias civis de Itapecuru Mirim e Santa Rita, juntamente com a Polícia Militar de Itapecuru Mirim.

Detento do regime semiaberto é morto a tiros em São Luís

Destacado

José Cirilo Sales Figueiredo estava saindo do abrigo para detentos quando foi atingido por vários tiros nesta quarta-feira (20).

Um homem identificado como José Cirilo Sales Figueiredo, de 24 anos, foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira (20) na Rua dos Afogados, em São Luís. Segundo a polícia, ele estava cumprindo pena em regime semiaberto.

O crime ocorreu em frente ao local onde os presos que cumprem regime semiaberto são abrigados na capital. O detento estava saindo quando foi surpreendido por criminosos e atingido com cerca de seis disparos de arma de fogo.

Detento do regime semiaberto é morto a tiros em São Luís — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Detento do regime semiaberto é morto a tiros em São Luís — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel Urgente (Samu) foram acionados, mas José Cirilo já estava sem vida. A polícia esteve no local para tomar as providências necessárias e tentar localizar os responsáveis pelo assassinato.

G1 Ma

Casal é preso por suspeita de abusar sexualmente da filha no Maranhão

Destacado

Crime foi descoberto em uma carta deixada pela vítima, que afirma que era violentada sexualmente desde os 15 anos. Casal foi preso no município de Governador Newton Bello.

Rosinete Lima Neves e Edmar Cavalcante Neves foram presos por suspeita de violentar sexualmente a filha em Governador Newton Bello (MA) — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Rosinete Lima Neves e Edmar Cavalcante Neves foram presos por suspeita de violentar sexualmente a filha em Governador Newton Bello (MA) — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Edmar Cavalcante Neves, de 46 anos e Rosinete Lima Neves, de 40 anos, foram presos no município de Governador Newton Bello, localizado a 280 km de São Luís, por suspeita de abusar sexualmente da filha Érica Neves, de 19 anos.

O crime foi descoberto em uma carta deixada pela adolescente, que recorreu ao suicídio. Na carta, Érica Neves contou que era violentada desde os 15 anos de idade, sendo forçada a beijar e manter relações sexuais com pai e segundo a vítima, a mãe sabia do que acontecia.

A denúncia foi feita na Delegacia da Mulher do município de Zé Doca e os suspeitos foram chamados para prestar depoimento. Os celulares da adolescente e do casal foram apreendidos, e o crime ficou constatado por meio da troca de mensagens feita em um aplicativo.

A prisão dos suspeitos pelo crime de estupro qualificado foi concedida após a decisão da Justiça do Maranhão. Em seguida, Edmar Cavalcante Neves foi encaminhado para o presídio de Zé Doca e Rosinete Lima Neves para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde aguardam julgamento.

G1