Assalto em Nina Rodrigues.

Ontem no final da tarde nas proximidades do posto JB em Nina Rodrigues o Sr. Raimundo Nonato Alves da Silva de 59 anos, foi assaltado por Valber Vieira, morador da Piçarreira em Nina Rodrigues , Maria Viana de Sousa 24 anos residente à rua César Viana e Raimunda  Pereira Moraes , 33 anos residente a travessa Horácio Gonçalves em Vargem Grande. Segundo a polícia Raimundo Nonato se encontrava em um barzinho tomando cervejas e sendo observado pelo grupo que também se divertia no local. Ao sair  Raimundo Nonato que dispunha de um boa quantia em dinheiro, foi seguido pelo grupo que próximo ao posto JB o assaltaram. A polícia de Nina Rodrigues foi acionada e como as mulheres retornaram em uma moto para Vargem Grande, o comandante do destacamento local pediu ajuda ao comando de Vargem Grande que enviou a Equipe do cabo Nunespara dar suporte na operação. A prisão das acusadas foi efetuada próximo ao município de Vargem Grande, as 7h e 30 min de ontem. A prisão de Valber deu-se hoje às 9hs e 30 min. Dos R$ 750,00 que a vítima disse ter sido roubado, apenas R$ 250,00 foram encontrados em poder de Maria Viana de Sousa. Os acusados foram autuados em flagrante na Delegacia de Nina Rodrigues onde se encontram a disposição da Justiça.

Romário e filho de Herzog pedem saída de Marin da presidência da CBF

Tiago Rogero, Estadão

O filho do jornalista Vladimir Herzog, assassinado pela ditadura em 1975, Ivo Herzog, entregou nesta segunda-feira, 1, uma cópia do abaixo-assinado com quase 55 mil assinaturas que pede a saída do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin (foto abaixo).

Acompanhado pelos deputados federais Romário (PSB-RJ), presidente da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara, e Jandira Feghali (PCdoB-RJ), presidente da Comissão de Cultura, Ivo Herzog protocolou a cópia do abaixo-assinado e teve de deixá-la na recepção da sede da CBF, já que, segundo lhe foi dito, Marin não estava no prédio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Dois detentos são encontrados mortos no Presídio São Luís II

 informações da Sejap

Foto: Douglas Júnior/ O Estado

SÃO LUÍS – Os detentos Marcos Aurélio da Silva, de 42 anos, e Durval Oliveira Rodrigues, de 35 anos, foram encontrados mortos, na tarde desta segunda-feira (1º), do Presídio São Luís II, em Pedrinhas.

Os corpos das vítimas foram achados por agentes penitenciários da unidade e as circunstâncias das mortes estão sendo averiguadas.

De acordo com as primeiras informações, as vítimas teriam sido atingidas por várias chuçadas. Marco Aurélio, que é natural do Distrito Federal, e Durval Oliveira, que é do estado do Pará, estavam presos por tráfico de drogas. Durval respondia, também, pelo crime de corrupção ativa.

Em nota divulgada à imprensa, a Secretaria de Estado de Justiça e de Administração Penitenciária (Sejap) informou que um inquérito foi aberto para total investigação do caso. Leia a íntegra da nota abaixo.

A Secretaria de Estado de Justiça e de Administração Penitenciária (Sejap) informa que os detentos Marcos Aurélio da Silva, de 42 anos, e Durval Oliveira Rodrigues, de 35, internos do Presídio São Luís II, foram encontrados mortos na tarde desta segunda-feira (1º).

Os corpos das vítimas foram achados por agentes penitenciários da unidade e as circunstâncias das mortes estão sendo averiguadas. Segundo o secretário-adjunto de Estabelecimentos Penais, Fredson Maciel, a perícia foi imediatamente acionada e um inquérito foi aberto para total investigação do caso.

De acordo com as primeiras informações, as vítimas teriam sido atingidas por várias chuçadas. Marco Aurélio, que é natural do Distrito Federal, e Durval Oliveira, que é do estado do Pará, estavam presos por tráfico de drogas. Durval respondia, também, pelo crime de corrupção ativa.