Vaticano divulga visita do papa a favela, hospital e ao Theatro Municipal

O site do vaticano divulgou nesta terça-feira a agenda do papa Francisco no Rio, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude. O pontífice chega à cidade no dia 22 de julho e retorna a Roma no dia 28.

O papa Francisco visitará a comunidade de Varginha, no Complexo de Manguinhos, na Zona Norte do Rio, e o Hospital São Francisco de Assis. Além disso, terá um encontro com a sociedade no Theatro Municipal, no Centro da cidade.

Segundo o Vaticano, o papa chega na segunda-feira, dia 22, na Base Aérea do Galeão, e segue direto de helicóptero para o Palácio Guanabara, em Laranjeiras, na Zona Sul, onde se reúne com a presidente Dilma Rousseff, com o governador Sérgio Cabral, e outras autoridades. Após o encontro, que deve durar aproximadamente uma hora, o pontífice se desloca para a residência da Igreja, no Sumaré, onde ficará hospedado durante a estadia no Rio. Fonte Jornal do Brasil

Papa Francisco durante missa inaugural na Praça São Pedro
Papa Francisco durante missa inaugural na Praça São Pedro

Prefeita Belezinha recebe a Governadora Roseana, Paulo Neto e Carmem Neto em sua residência com um jantar em Chapadinha

Postado por Foguinho Midia às 00:11

 

 

 

Por: Blog do Foguinho, 07 de Maio 2013
 
A Governadora do Estado Roseana Sarney, esteve durante todo o dia de ontem, 06, na cidade de Mata Roma e Anapurus com o Governo Itinerante.
Após a Governadora, cumprir a sua agenda nos dois municípios, juntamente com as Prefeita Tina Monteles e Carmem Neto, ela seguiu para um jantar na cidade de Chapadinha a convite da Prefeita Ducilene Pontes, “Belezinha” na sua própria residência.
A prefeita foi prestigiada pela equipe do Governo do Estado com a presença do Secretário de Infraestrutura Luis Fernando, do Deputado Estadual Fábio Braga do Ex-deputado Paulo Neto e da Prefeita de Mata Roma Carmem Neto, que foram todos muito bem recepcionados.
Belezinha abriu as suas portas para todos e recebeu juntamente com o Secretario de Obras Aluízio Santos, toda equipe de Secretários e vários vereadores da base aliada.
O Jantar foi uma demostração de prestígio da Prefeita com a Governadora Roseana,  Belezinha conversou assuntos sobre pavimentação asfáltica, saúde, Infraestrutura e muito mais.
Os vereadores Irmão Carlos, Muricí, Raimundinha, Márcia, Lívia Saraiva e Antonio Odilon parabenizaram a Governadora de passar em Chapadinha.
Roseana disse ao Blog do Foguinho que o Governo Itinerante está chegando primeiro nos municípios abaixo de 50 mil habitantes, as cidades pólos serão as próximas e Chapadinha já está a lista para daqui a uns 2 meses o Governo Itinerantes vai está em nossa cidade “finalizou a Governadora”

Após uma longa conversa a Governadora foi caminhado até o Hotel Chapadinhense ao lado de Belezinha, demonstrando carinho e simpatia entre as duas.  O deputado Fábio Braga que faz parte da comitiva da governadora aparece na foto ouvindo atentamente a conversa da governadora e da prefeita Belezinha. Fonte Blog do Foguinho.

Cuba enviará seis mil guerrilheiros para implantar comunismo no Brasil

Foice_MarteloBrasil trará 6.000 médicos cubanos para atender moradores de áreas carentes
Por Renata Giraldi.
Repórter da Agência Brasil, em Brasília.

Os governos do Brasil e de Cuba, com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde, estão acertando como será a vinda de 6.000 médicos cubanos para trabalharem nas regiões brasileiras mais carentes. Os detalhes estão em negociação. Os ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e o cubano Bruno Eduardo Rodríguez Parrilla, anunciaram nesta segunda-feira (6) a parceria.
Patriota e Rodríguez não informaram como será a concessão de visto – se será definitivo ou provisório. Segundo o chanceler brasileiro, há um déficit de profissionais brasileiros na área de saúde atuando nas áreas carentes do país, daí a articulação com Cuba.
“Estamos nos organizando para receber um número maior de médicos aqui, em vista do déficit de profissionais de medicina no Brasil. Trata-se de uma cooperação que tem grande potencial e à qual atribuímos valor estratégico”, disse ele.
As negociações para o envio dos médicos cubanos para o Brasil foi iniciada pela presidente Dilma Rousseff, em janeiro de 2012, quando visitou Havana, a capital cubana. Ela defendeu uma iniciativa conjunta para a produção de medicamentos e mencionou a ampliação do envio de médicos cubanos ao Brasil, para apoiar o atendimento no SUS (Serviço Único de Saúde).
“Cuba tem uma proficiência grande na área de medicina, farmacêutica e de biotecnologia. O Brasil está examinando a possibilidade de acolher médicos por intermédio de conversas que envolvem a Organização Pan-Americana de Saúde, e está se pensando em algo em torno de seis mil ou pouco mais”, destacou Patriota.
Segundo o chanceler brasileiro, as negociações estão em curso, mas a ideia é que os profissionais cubanos atuem nas áreas mais carentes do Brasil. “Ainda estamos finalizando os entendimentos para que eles possam desempenhar sua atividade profissional no Brasil, no sentido de dar atendimento a regiões particularmente carentes no Brasil”, disse.
A visita do chanceler de Cuba ocorre no momento em que o presidente cubano, Raúl Castro, implementa mudanças no país, promovendo a abertura econômica e avanços na área social. Segundo Bruno Rodríguez, a parceria com o Brasil é intensa principalmente nas áreas econômica, social e turística. “Há um excelente intercâmbio de ideias”, disse o cubano.
O comércio entre Brasil e Cuba aumentou mais de sete vezes no período de 2003 a 2012, segundo o Ministério das Relações Exteriores. De 2010 a 2012, as exportações brasileiras para Cuba cresceram 36,9%. No ano passado, o comércio bilateral alcançou o recorde de US$ 661,6 milhões. Fonte Desacato.

Governo e Assembleia do MA resistem a divulgar salários de servidores públicos

Política

Os órgãos estaduais menos transparentes são as assembleias legislativas

Em 06/05/2013 , às 07h39 –

Matéria publicada no último sábado(4) no jornal Folha de São Paulo mostra que, às vésperas do primeiro aniversário da Lei de Acesso à Informação, muitos estados brasileiros ainda não embarcaram na cultura de transparência que a nova legislação instituiu. Entre eles, está o Maranhão, onde nem o governo do estado nem a Assembleia Legislativa divulgam os salários de seus servidores.

A exigência de publicação dos salários de forma individualizada consta na lei para funcionários do Executivo federal e foi seguida por outros poderes nessa esfera.

A expectativa à época em que a norma entrou em vigor, em 16 de maio, era que os 26 estados e o Distrito Federal passassem a divulgar os dados.

Os órgãos estaduais menos transparentes são as assembleias legislativas. Somente uma delas, a do Espírito Santo, publica a lista com os salários de todos os funcionários. Dez casas não divulgam nenhuma informação – entre elas, a do Maranhão – e outras informam apenas dados parciais, sem os nomes dos servidores.

O Legislativo do Rio de Janeiro, por exemplo, chegou a disponibilizar a relação de setembro do ano passado, mas não houve atualização.

Duas assembleias (Santa Catarina e Rio Grande do Norte) publicam os salários, mas a consulta é feita por nome do servidor, o que impossibilita a identificação de vencimentos fora do padrão.

Parte dos legislativos está impedida de publicar as informações por força de decisões ou normas estaduais. Em decisão provisória, o desembargador Corrêa Vianna, do TJ-SP, citou “o direito à vida privada e à intimidade” para justificar o veto à divulgação dos vencimentos da assembleia paulista.

No Rio Grande do Sul, uma lei estadual proíbe a divulgação do nome dos servidores, o que impede também o governo do estado e o Tribunal de Justiça de informar os vencimentos de forma individualizada.

Nos executivos estaduais, 12 estados (o Maranhão incluído) e o Distrito Federal ainda não divulgam as informações. No Judiciário, resolução do Conselho Nacional de Justiça de 2012 deu força à divulgação dos salários.

Outra exigência da norma que caminha a passos lentos é a possibilidade de os cidadãos fazerem pedidos de informações pela internet: 13 governos estaduais, 15 TJs e 18 Assembleias ainda não têm um sistema para receber essas solicitações.

A lei exige a criação de Serviços de Informações ao Cidadão (SICs) e a possibilidade de envio de pedido de informações pela internet. Segundo especialistas ouvidos pela Folha, cabe ao Ministério Público exigir o cumprimento dessa parte da norma, que se estende aos Estados.

Cultura – O professor da FGV Direito Rio Pedro Abramovay, ex-secretário nacional de Justiça, diz que a divulgação de salários não é exigência para os estados, mas seria um ato de transparência.

Para ele, a lei “pegou” porque instituiu uma mudança de cultura e é natural que haja demora no processo. “O Brasil é um país que tem uma cultura de opacidade. Uma mudança de cultura não acontece da noite para o dia.”

Para Gil Castello Branco, da ONG Contas Abertas, “o grande tabu” da Lei de Acesso foi a questão salarial. “A informação tem que ser absolutamente pública, porque quem paga os salários do funcionário público é o cidadão.”

Outro lado – A maior parte das assembleias legislativas que omite o salário dos servidores se justifica afirmando que a Lei de Acesso à Informação não exige essa publicação.

As casas apontam também problemas técnicos e falta de regulamentação dos estados. Algumas, como as de São Paulo, do Paraná e do Rio Grande do Sul, são impedidas de fazê-lo por decisões da Justiça ou normas estaduais.

As assembleias catarinense e potiguar dizem que já cumprem a legislação. A do Rio de Janeiro afirma que os dados completos serão publicados na segunda-feira.

Sobre a inexistência de canal para envio de pedidos de informação via internet, as casas dizem que será preciso modificar os sites das instituições para viabilizar a implantação dos sistemas.

Governos estaduais que não divulgam os vencimentos individuais também afirmam que a exigência da lei federal não se estendeu automaticamente aos estados.

A maioria dos órgãos que ainda não têm canal on-line de atendimento a pedidos de informações diz que o sistema será implementado.

O Tribunal de Justiça gaúcho diz que não divulga os salários por força de lei estadual. O CNJ, no entanto, exigiu a publicação dos vencimentos. O caso está no STF. Fonte Tribuna do Maranhão.