Prefeitura realiza 3ª conferência Municipal de Vargem Grande.

Com base no crescimento desordenado que vem afetando as cidades brasileiras  e com o interesse de fazer com que Vargem grande cresça de forma ordenada propiciando e assegurando qualidade de vida para todos, a prefeitura municipal de Vargem grande, realizou hoje no salão Padre Trindade a 3ª Conferência Municipal de Vargem grande com o Tema Quem muda a Cidade somos Nós. A conferencista Rayssa Silva Maia, destacou a necessidade de assegurarmos aos cidadãos qualidade de vida para as gerações futuras e atual. O Trabalho que começou as 8;00 e terminou as 17h pode mostrar através dos trabalhos desenvolvidos, aspectos legais para o desenvolvimento urbano de uma sociedade consciente dos seus direitos mas também responsável com suas obrigações. Esse trabalho que é desenvolvido nos municípios brasileiros tem o objetivo da concretização do Sistema Nacional de Desenvolvimento Urbano.

Projeto Ficha Limpa

Está previsto para ser submetido hoje 17/05 a apreciação do plenário da Câmara Municipal de Vargem Grande, o projeto de autoria do vereador Roberto do Juvenil que trata da nomeação de pessoas para exercer cargo de confiança na esfera municipal. De acordo com o projeto, os cargos e funções de confiança deverão ser ocupados apenas por pessoas que no exercício da função pública tenha sido considerada de ilibada conduta. Não vejo nenhum mistério para a aprovação da matéria. Apesar desse assunto ter dominado as discussões políticas da semana, não vejo nada que impeça a aprovação desse projeto. Será que nossos vereadores irão sair da moita da falsa moral e dizer ao mundo que são a favor dos fichas sujas? O que dizer de um vereador que se manifesta publicamente a favor de condenados pela justiça e quer que estes continuem  gerindo recursos públicos ou administrando órgãos públicos? Vamos aguardar a votação e informar quem é quem nesse jogo da moralidade.

Profissionais defendem avaliação de recém-formados em medicina

Médicos, enfermeiros e veterinários defenderam, nesta quinta-feira (16), na Câmara, a obrigatoriedade de um exame específico para os estudantes que se formam em Medicina. Na opinião dos profissionais da saúde, esse exame pode ser aplicado ao fim do curso, e os alunos reprovados devem retornar à sala de aula antes de obter o registro profissional. Eles defenderam ainda uma atuação mais rigorosa do Ministério da Educação (MEC) e o fechamento de cursos de má qualidade. O assunto foi discutido na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, em audiência pública sobre o Projeto de Lei 650/07, que exige a aprovação em exame feito pelos conselhos regionais de Medicina como requisito para a concessão de registro profissional aos novos médicos. A proposta tem como relator na comissão o deputado Roberto Santiago (PSD-SP), que requereu a audiência e se manifestou favoravelmente à realização do exame. Fonte Blog do Claudio Humberto