Os medos de Roberto Rocha na campanha

Do: blog do Deça

A pesquisa Exata/TV Guará sobre a corrida pelo Senado no Maranhão gerou o desânimo no comitê do candidato socialista Roberto Rocha.

Agora empatado tecnicamente com o deputado federal Gastão Vieira (PMDB), apenas dois pontos percentuais à frente, Rocha tem ter o favoritismo desbancado por que o acirramento veio antes do que ele mais teme na disputa.

O candidato do PSB teme que o eleitor lembre ser ele filho do ex-governador Luiz Rocha.

Roberto Rocha teme também que o eleitor faça a ligação e saiba que ele é irmão do prefeito de Balsas, Luiz Rocha Filho, o Rochinha (PSB), um dos “protótipos da mudança” fracassada de Flávio Dino (PCdoB).

Roberto Rocha teme que o eleitor comece a ligar o fato de ele ser pai do vereador Roberto Rocha Júnior (PSB), apoiador de outro “protótipo da mudança” fracassada de Flávio Dino, o prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

Mas Rocha teme, principalmente, que o eleitor possa começar a relacionar o fato de que ele é ninguém menos que o vice-prefeito de São Luís, artífice, portanto, do “protótipo da mudança” fracassada de Flávio Dino.

Os quatro medos de Rocha seriam suficientes para equilibrar a disputa com Gastão Vieira.

Mas o acirramento veio bem antes, ampliando as chances do candidato do PMDB.

E Rocha ainda nem enfrentou os seus medos…Fonte Louremar Fernandes.

Escola Santos Dumont homenageia Elmar Mesquita.

 

 

A Unidade Escolar Santos Dumont resolveu prestar uma justa homenagem ao nosso saudoso músico Elmar Coelho Mesquita, colocando o nome do músico na banda da escola. Amanhã pela manhã a banda que será batizada com o nome de Elmar desfilará pela primeira vez em homenagem ao dia da Independência do Brasil, que é dia 7 mas será comemorado no município dia 5. Queremos parabenizar a direção da escola por essa feliz escolha. Veja abaixo alguns dados biográficos de Elmar que conseguimos junto a seus familiares.Scan0002ELMAR COÊLHO MESQUITA, filho de José Basílio de Mesquita e Maria de Coelho Mesquita, nasceu em Vargem Grande no dia  12 de setembro de 1934. Elmar nuca residiu em outra cidade ou estado. Nasceu  se criou e morreu em Vargem Grande. Casou-se com Maria dos Aflitos dos Santos Sousa, ela natural do município de Santa Quitéria, nascida em 31 de dezembro de 1936. Filha de Antônio Lopes e Raimunda Zumira Lopes. Elmar e Maria dos Aflitos tiveram 12 filhos, hoje só 11 estão vivos, que são eles: Maria Cristina, Maria de Fátima, Luís Willame, Maria Helena, Raimundo Nonato, falecido, Maria Dayse, Silvio Régis, Nati Cilene, Maria Betênia, Maria do Rosário,  Heloisa e o outro Raimundo Nonato. Esse nome se deu, porque o casal queria homenagear o Santo Vaqueiro e o primeiro com esse nome faleceu muito precocemente. Daí o compromisso de dar o mesmo nome de Raimundo Nonato ao outro filho. Para sustentar a família Elmar iniciou sua vida profissional trabalhando como funileiro. Logo despertou o amor pela música e aí como era amigo de Raimundo Clímaco Barroso  (Didi Barroso) maestro de nome na cidade, pediu a ele para ingressar na banda Jaz Santa Cecília de sua propriedade, no que foi prontamente aceito por Didi. Faziam parte daquela banda, além do próprio maestro Didi Barroso, os músicos Aurélio Benedito dos Santos,o Aurélio do Tuba ou contrabaixo. Gervásio, Fonseca, Irany Barroso de Oliveira e Tote Silva. Depois da Banda Santa Cecília desfeita, ele formou uma banda que foi cognominada de Conjunto Vinagreira, formada por ele e os amigos Zé do Berto, Bernardo seu cunhado que tocava banjo e cantava Nestor baterista, Fonseca, trombone de vara e João do Liba que tocava ganzá. A Banda Vinagreira, acompanhava os festejos religiosos de São Raimundo e São Sebastião, fazendo sempre as alvoradas festivas. Mas não ficava só nisso, tocava também nas festas juninas e no período carnavalesco. Elmar faleceu em 03 de junho de 1999 e seu corpo está sepultado no Cemitério municipal de sua terra natal.