Piada do Ano: Lewandowski defende independência do Supremo

Eduardo Militão
Correio Braziliense

A presidente Dilma Rousseff indicará um novo ministro ao Supremo Tribunal Federal para a vaga deixada por Joaquim Barbosa, que foi o relator do mensalão e contribuiu para que figuras históricas do PT fossem parar na cadeia por corrupção. Com as aposentadorias próximas de Celso de Mello e Marco Aurélio Mello, nomeados por indicação de José Sarney (1985-1990) e Fernando Collor (1990-1992), Dilma e o ex-presidente Lula acabarão responsáveis por indicar 10 dos 11 ministros da Corte até 2018. Só restaria Gilmar Mendes, que chegou ao posto pelas mãos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o ministro Gilmar Mendes  disse que a possibilidade de uma Corte submissa ao governo é algo que “tem de ser avisado e denunciado”. Assinalou que era importante a Corte não se tornar “bolivariana” para “chancelar o que o governo quer”.

Para Lewandowski, porém, não existe risco. “Não há bolivarianismo”, disse ele em um café com jornalistas. “Não há vinculação com o partido do Palácio do Planalto”, afirmou, acrescentando que “a história do Supremo não tem demonstrado isso”. Disse que o próprio Joaquim Barbosa, algoz dos petistas no mensalão, foi indicado pelo ex-presidente Lula, quee também indicou Cézar Peluso e Carlos Ayres Britto, criticados pelos governistas nas redes sociais por votos duros contra os réus no esquema de pagamento de propinas para compra de apoio político no Congresso.

“O STF se orgulha muito dessa independência enorme que os ministros têm com relação aos presidentes que os indicaram”, disse o presidente do Supremo. “Essa é a história do STF.”

Lewandowski, que foi o revisor do mensalão, costumava ter posições divergentes de Barbosa e votou pela absolvição do ex-ministro do governo Lula José Dirceu no crime de corrupção ativa.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGNão dá para levar a sério essa entrevista de Lewandowski, que atuou no julgamento do mensalão como uma espécie de advogado de defesa dos réus, que só foram condenados devido à obstinação do então ministro Joaquim Barbosa. Este, sim, é que demonstrou independência em relação ao Executivo. Muitos outros se curvaram à podridão que infecta a Praça dos Três Poderes. (C.N.)

Eleição da Câmara de Vargem Grande foi bem disputada.

DSC_5142A sessão da Câmara de vereadores de Vargem-Grande que elegeu a nova Mesa Diretora foi bem movimentada. Os dias que antecederam a sessão, foram de muita expectativa, ansiedade, e criatividade dos que fazem a opinião pública no município. Tudo foi pensado. Tudo foi dito. O inacreditável passou a ser o mais acreditado possível. Mas o que se sabe, é que até a contagem dos votos, tudo era admissível. Nada impossível. Depois da votação e da contagem dos votos, a surpresa ficou por conta daqueles que acreditavam em traição de última hora. No mais, prevaleceu o espírito público. O respeito dos vencedores com os que não se elegeram, foi importante para demonstrar o amadurecimento político dos vereadores que compõem o Legislativo Municipal. O vereador Aurélio recebeu 7 sufrágio, enquanto a vereadora Conceição Oliveira recebeu apenas 6 dos 13 votos do plenário. As fotos ilustram alguns momentos desse importante momento da história recente da política de Vargem Grande.DSC_5172

Vereadora confraterniza-se com correligionários e amigos.

Atendendo convite do empresário Ednando Oliveira, estive na residência de sua genitora a vereadora Conceição Oliveira, na tarde de ontem. Ao contrário do que se podia imaginar, apesar de ter sido derrotada nas suas pretensões de ocupar novamente a presidência da Câmara, o ambiente na residência da vereadora era de alegria e confraternização. Depois do resultado e do encerramento dos trabalhos na Câmara, amigos e correligionários se dirigiram a casa da vereadora para prestarem solidariedade a ela e sua família. Estiveram presentes o prefeito Edvaldo, o Ex-prefeito Dr. Miguel e esposa, vereadores, secretários e amigos. O cardápio foi variado. Desde carne de bode cozida até carne de sol e bife. Além é claro de um bom Wisk. Não faltou também, as avaliações do atual momento político, pelo qual passa o País, o estadao e o município. As fotos falam por sí só.HPIM0615HPIM0616