Vargem Grande, Terra de Ninguém

Lembro-me que nos anos sessenta o jornalista e político Kleber Leite, lançou um livro que na época deu muito o que falar, com o título Maranhão Terra de Ninguém. Naquela época, o Maranhão vivia um caos político, ético, legal e moral. Trazendo para o nosso tempo, vivemos em Vargem Grande, um tempo bem parecido. Lembro-me que não faz muito tempo, Dr. Roberto de Paulo Juiz desta cidade e Dr. Benedito Coroba Promotor de Justiça, deram um combate sem tréguas para que o motoqueiro usassem o capacete. Combate este que não surtiu o efeito esperado. Blitz foram feitas. Alguns veículos apreendidos, mas nada foi suficiente para educar o povo. Ainda hoje, poucos usam capacetes. Empresários, políticos, policiais, guardas municipais que deveriam dar exemplo, não o fazem. Agora, os motoqueiros invetaram uma nova moda; Andar a noite, com os farois desligados e com a descarga Kadron. Em Brejo, o Juiz proibiu essa prática e as motos que não usam o miolo da descarga, são apreendidas, sejam de quem for. Aqui, o farol apagado, as descargas Kadrons e o desfile com os pneus dianteiros levantados, são práticas comuns. Até quando? Até quando um dos motoqueiros atropelar e matar um pedestre, ou ele mesmo vier a óbito. Nessa hora, todos vão dar palpites sobre essa prática ilegal de uso de motos, nessa Vargem Grande, Terra de ninguém.

Continua a queda de braços entre vereadores e prefeito de Vargem Grande

A Câmara municipal de Vargem Grande, se reuniu no dia de hoje 07/12, para votar alguns projetos do executivo, desde Lei orçamentária até contratação de pessoal nas áreas da saúde e educação. A lei orçamentária foi a única votada, depois de receber algumas emendas propostas pelo vereador Jociedson Aguiar, e discutida com os demais vereadores da base do governo. O peculiar nessa votação da Lai Orçamentária, foi que o vereador Dyego da madeireira, no seu parecer escrito ele aprovou a Lei com suas modificações, mas na hora de votar em plenário, foi contra a aprovação, o que causou estranheza entre seus pares. Em seguida foi apresentado o pedido de contratação de pessoal para a saúde e educação, mas o G7 se retirou, e como só ficaram presentes no plenário, apenas 6 edis, não teve coro suficiente para aprovação da matéria. Isso queiramos ou não, vai inviabilizar o funcionamento da máquina administrativa, uma vez, que médicos, professores, OSDs, entre outros servidores não poderão ser contratados, o que resulta na paralisação parcial da máquina administrativa. Tomamos conhecimento, que o presidente daquele poder, voltará a apresentar na próxima sessão, esse mesmo projeto e espera o posicionamento de todos os vereadores que compõem aquele poder.

TENTATIVA DE ASSALTO A BANCOS COM REFÉNS DEIXA 13 MORTOS ENTRE ELES, DUAS CRIANÇAS DE 10 E 13 ANOS, NO INTERIOR DO CEARÁ

Um grupo de criminosos armados e com reféns tentou assaltar duas agências bancárias da cidade de Milagres, na Região do Cariri do Ceará, na madrugada desta sexta-feira (7). Houve intensa troca de tiros e pelo menos 13 pessoas morreram, segundo informou a Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) da Perícia Forense (antigo IML) da cidade de Juazeiro do Norte, que recolheu os corpos. Dois suspeitos de participação na tentativa de assalto foram presos, conforme o secretário da Segurança do Ceará, delegado André Costa.
De acordo o prefeito de Milagres, Lielson Landim, entre os mortos estão duas crianças, entre 10 e 13 anos, que eram feitas reféns pelo grupo criminoso. No total, seis reféns morreram no confronto, sendo cinco da mesma família, conforme a polícia. A polícia ainda não conseguiu identificar todos os mortos no confronto.
A família vítima dos bandidos vinha da cidade de Serra Talhada, em Pernambuco, quando foi abordada na rodovia BR-116. A quadrilha utilizou um caminhão para bloquear a via e parar o veículo das vítimas.
A tentativa de roubo aconteceu por volta de 2h17 da madrugada. Houve confronto entre os policiais e os criminosos. Diversos carros da PM foram usados para conter a quadrilha. Devido à ação da Polícia Militar, o grupo criminoso não conseguiu levar o dinheiro de nenhum dos estabelecimentos bancários. Os dois bancos ficam na Rua Presidente Vargas, no Centro do município, que tem 28 mil habitantes.
Agentes da Perícia Forense do Ceará informaram que dois veículos foram acionados para recolher os corpos e, em seguida, realizar a identificação das pessoas. A Polícia Militar acrescentou que equipes realizam investigações na região, com objetivo de identificar e prender o restante do grupo, que conseguiu fugir.
Durante essas buscas, um homem com um colete balístico foi encontrado morto dentro de uma caminhonete. Ele ainda não foi identificado, mas a polícia suspeita que ele seja um dos assaltantes que tentou fugir. Duas caminhonetes abandonadas foram encontradas pela polícia após o tiroteio.
Segundo o comerciante e agricultor Mendonça de Santa Helena, a troca de tiros durou cerca de 20 minutos. “Nunca tinha visto algo parecido. Eu fiquei dentro de casa abaixado e com medo. Ouvi gritaria e pessoas chorando. Foi horrível”, relatou o comerciante.
Ainda segundo Mendonça, depois que o grupo fugiu, deu para perceber que, pelo menos, seis pessoas estavam no chão e apresentando sangramentos. No início do dia, segundo o comerciante, policiais que realizam a segurança da cidade, afirmaram que dez pessoas deram entrada no Hospital Municipal de Milagres, vítimas do tiroteio.
“Um policial afirmou para gente que, pelo menos, dez pessoas estavam no hospital. Pelo menos uns sete já tinham morrido e outros em estado muito grave”, disse.

O desespero do PT com o fim do sigilo dos empréstimos do BNDES

Durante os governos do PT de Lula e Dilma, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) chegou a captar recursos no mercado financeiro com juros de mais de 15% para repassar para empresas amigas do partido, como a JBS dos irmãos Batista e a Odebrecht, com juros de menos de 5%. A diferença resultou em dívidas bilionárias que serão pagas pelo contribuinte brasileiro até o ano de 2042.

O projeto que prevê o fim do sigilo nas operações bancárias do BNDES que tramita no senado está tirando o sono do PT, que como já era de se esperar, parece estar disposto a tudo para impedir a abertura da caixa-preta dos negócios do banco durante as administrações petistas. O senador Lindbergh Farias está berrando que é “ilegal” quebrar sigilo em casos de informações estratégicas e comerciais. O PT não quer que a sociedade saiba o que andaram fazendo com o dinheiro do contribuinte.

Enquanto isso, o senador Lasier Martins (PSD-RS), propôs quinta-feira (17), a análise em regime de urgência de projeto de autoria dele que prevê o fim do sigilo nas operações bancárias  (BNDES). O Projeto de Lei do Senado (PLS) 7/2016 – Complementar está aguardando análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Na opinião do parlamentar, é preciso colocar luz sobre a “caixa preta” da atuação do banco para o fomento de empresas como as construtoras Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez, entre outras, que receberam dinheiro subsidiado por brasileiros para investir no exterior.

— Bilhões de dólares foram destinados para obras de infraestrutura – portos, aeroportos, estradas, pontes – em países como Argentina, Cuba, Peru e Panamá, sem qualquer fiscalização sobre os pagamentos, o que levou a um enorme calote ao banco — disse Lasier.

Como exemplo, ele citou casos como o do Porto de Mariel, em Cuba, que recebeu US$ 682 milhões do BNDES; a hidrelétrica de São Francisco, no Equador, US$ 243 milhões; e o metrô do Panamá, US$ 1 bilhão; entre outros.

— É importante o fim desse sigilo nas operações do BNDES, porque o banco é financiado em parte pelos salários dos trabalhadores, o que lhes autoriza saber dos procedimentos das operações do banco. Coincide que o Brasil carece de muitas das obras de infraestrutura em muitos estados, mas o BNDES, nos últimos anos voltou-se preferencialmente a financiar obras no exterior, em países de afinidades ideológicas ou de conveniências muitas vezes suspeitas – disse.

Para auxiliar a esclarecer esses empréstimos, será essencial também o trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito do BNDES, disse o parlamentar. O colegiado é presidido pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) e tem como relator o senador Roberto Rocha (PSB-MA). O presidente do Senado, Eunício Oliveira, prometeu colocar em votação o requerimento de urgência para o projeto na próxima terça-feira (22).

Caminhoneiro que estava desaparecido é encontrado e preso com mais de R$ 47 mil enterrados em esconderijo.

Caminhoneiro Obadias Pereira da Silva, na Delegacia de Zé Doca.

MARANHÃO – As primeiras imagens do caminhoneiro Obadias Pereira da Silva, na Delegacia de Zé Doca, mostram que ele está algemado, rodeado de policias que participaram de sua prisão, e com vários maços de dinheiro roubado da Central de Distribuição do Banco do Brasil de Bacabal. O total chega a R$ 47.675,00.

Logo após a prisão do caminhoneiro em Araguanã, os PMs seguiram com ele ao local do esconderijo de parte da quadrilha, na localidade conhecida como Quadra 11, a 20 km de Nova Olinda, onde Obadias disse ter sido deixado pelos assaltantes. A mochila com o dinheiro foi encontrada enterrada nos fundos de uma propriedade.

As informações da polícia dão conta de que os quatro assaltantes que abandonaram Obadias estão armados com fuzis e e embrenhados no matagal. As equipes policiais estão de prontidão porque eles podem tentar sair por Nova Olinda ou mesmo por Presidente Sarney.

A polícia ainda não forneceu detalhes da prisão do caminhoneiro que teria sido feito refém da quadrilha, como ele mesmo disse em mensagem enviada à esposa no dia do assalto. No entanto, pelas informações policiais, ele foi preso por suspeita de pertencer à quadrilha.

O caminhoneiro foi preso em Araguanã após ter entrado em contado com a família usando o celular emprestado e disse que estava muito debilitado. A família contatou o delegado de Zé Doca, que acionou a Polícia Militar para ir buscar Obadias. O caminhoneiro será transferido para São Luís e os detalhes da prisão dele devem ser fornecidos à imprensa durante entrevista coletiva.

CAMINHONEIRO OBADIAS COM O DINHEIRO ENCONTRADO COM ELE.

Lula vai mesmo passar seu primeiro Natal e Ano Novo na cadeia

Gato escaldado tem medo de água fria. Assim é a população brasileira em relação aos ministros do STF no tocante a conceder a liberdade para bandidos poderosos. O Brasil prende a respiração sempre que ocorre um julgamento de grande repercussão no plenário da Corte.

Apesar da apreensão causada pela notícia do julgamento de mais um habeas corpus do ex-presidente Lula, a população já pode respirar aliviada. Ao menos até o próximo ano. Segundo o Estadão, o pedido de liberdade de Lula só será julgado em 2019.

De acordo com a publicação, dois ministros já adiantaram que o julgamento do novo pedido de Lula para suspender sua condenação não será concluído neste ano.

“O problema está na fundamentação. A defesa diz que houve parcialidade de Sergio Moro na condenação do petista. E ninguém quer entrar em rota de colisão com o futuro superministro”.

Na verdade, não se trata de entrar em colisão com Moro. Lula alega que a ida do juiz da Lava Jato para o Ministério da Justiça do governo Bolsonaro é motivo para suspender todas as decisões de Moro como juiz. Não faz o menor sentido. Nem o HC de Lula nem o receio dos ministros do STF.

Tudo indica que o petista vai passar o natal e o ano novo na cadeia. A população espera que ele passe ainda muitos carnavais em cana.

Então é natal…E o que você fez…

Perigo: crianças e pré adolescentes nas redes sociais

Em um mundo cada vez mais conectado, é importante proteger e orientar nossas crianças e adolescentes nas redes sociais e fora delas.

O presente trabalho veio como alerta aos pais que deixam seus filhos viralizando a todo instante nas redes sociais, tenho como experiência crianças e pré adolescentes com celulares de última geração interagindo com o mundo virtual e ao mesmo tempo se expondo, não se pode proibir, mas é necessário ter diálogo e orientação, Educação é primordial.

As redes sociais estão crescendo cada vez mais aqui no Brasil e em todo o mundo. Não há como fugir da tecnologia hoje em dia, as crianças e adolescentes têm mais facilidades com o mundo virtual do que nós adultos: não importa se você deseja conversar com familiares, fazer contatos profissionais, rever velhos amigos ou fazer amizade nova, esse mundo fascinante pode facilitar essas interações.

No entanto, a questão é quando se trata de crianças e redes sociais. Tudo que é postado, como fotos, textos, vídeos e tudo mais fica disponível para muitos verem, inclusive pessoas mal intencionadas, costumo dizer que é um universo gigante, onde muitas pessoas estão olhando uns aos outros. Como proteger nossas crianças desse tipo de situação? devemos proibi-las de acessar determinados sites ou devemos acompanha-las durante a navegação?

Crianças e pré-adolescentes começam a usar as redes sociais cada vez mais cedo. O uso do computador e outros dispositivos móveis, como celulares e tablets, mas ter comando desses dispositivos é essencial nos dias de hoje, alguns pais presenteiam seus filhos com celulares ou tablets de última geração, dificilmente dão livros de histórias infantis de presente de aniversário aos filhos.

Quando as crianças e pré-adolescentes tomam consciência das redes sociais e descobrem o que podem fazer nelas, já querem criar suas contas. A verdade é que a maioria dessas redes estabelecem uma idade mínima para seus usuários. O Facebook, por exemplo, coloca uma idade de 13 anos, no entanto alguns mentem ao criar suas contas, isso é perigoso e cabe aos pais estarem olhando o que seus filhos acessam e com quem conversam, em vez de estarem sempre conectados deveriam estar lendo, ou mesmo brincando com coleguinhas de sua idade.

Os riscos são muitos:

A divulgação de dados pessoais podem ser utilizados por pessoas de má fé;

Muitos criminosos tentam aliciar crianças pelas redes sociais. Pedófilos também usam as redes sociais para encontrar vítimas em potencial, não se conhece quem está do outro lado.

Há alguns anos eu assisti um filme que falava sobre pedofilia, o nome do filme era CONFIAR, que explora a temática da pedofilia na internet. No enredo uma família que mora no subúrbio de Chicago, nos Estados unidos, presenteia sua filha de 14 anos com um computador. Nos primeiros dias de uso, a adolescente entra em uma sala de bate-papo e faz amizade suspeita que vai mudar sua vida. Ela começa a conversar com o rapaz que fala que tem 16 anos, ele trata ela bem, fala palavras bonitas ajuda ela na escola, cria um laço de amizade, confiança, passa uns dias ele fala que tem 18 anos, depois diz que tem 20, a garota estava tão apaixonada, tão iludida pelo rapaz que nem percebia a intenção do monstro, depois ele fala que tem 35 anos. Logo em seguida, ele marca um encontro, quando ela entra no carro ele dar uma lingerie de presente pra adolescente, tira a virgindade da garota, desaparece do nada, não responde suas mensagens, ela assustada conta para suas amigas pedindo ajuda.

Além desses riscos, crianças que estão nas redes sociais podem passar por situações de constrangimentos e bullying.

Recentemente participantes de um determinado reality show sofreram ataques de ódio, comentários ofensivos e sexuais nas redes sociais. Esse tipo de comentários podem traumatizar qualquer pessoa ainda mais uma criança, mas proibir por completo o acesso as redes sociais é a melhor saída?

Quando o assunto é criança e redes sociais, muitos acreditam que não há o que pensar e a proibição é o melhor caminho. Hoje em dia, as redes sociais muitas vezes são usadas em sala de aula, como uma forma rápida e prática de interagir e aprender juntos.

A internet traz para as crianças, pré adolescentes, a autonomia e criatividade enquanto interage com o mundo, elas são influenciadas a dar opinião e divulgar trabalhos, compartilhar momentos importantes, no entanto, os pais podem e devem controlar o uso. Existem aplicativos, que rastreiam o uso das redes sociais para que os pais mantenham seus filhos seguros.

Esse controle pode ser feito sem ajuda de aplicativo, por meio de algumas orientações, por exemplo, dizer aos filhos para não divulgar dados pessoais e controlar o tempo que eles passam conectados.

Explique que determinados sites podem ser perigosos, que a sua idade não permite acessa-los, promova o diálogo em família para que a criança se sinta confortável para avisar se houver qualquer problema.

Em um mundo cada vez mais conectado, é importante proteger e orientar nossas crianças e adolescentes nas redes sociais e fora delas.

Texto escrito por Elizeu Santos
Graduado em Filosofia com Pós em Psicopedagogia.

A escola é da sociedade

MIGUEL LUCENA

A escola não é do professor, como a repartição pública não pertence ao servidor, mas à sociedade. “Minha escola, minhas regras”, bate no peito a defensora do ensino ideológico, ignorando que o agente público deve fazer o que a lei determina.

A liberdade de cátedra permite que o professor emita opiniões sobre os conteúdos ensinados, mas não é razoável que um professor de Matemática perca tempo contestando decisões judiciais e pregando liberdade para condenados.

Não vejo com bons olhos o Estado se intrometer para fiscalizar o que o professor diz ou deixa de dizer na sala de aula. A medida da competência de cada docente deve ser analisada conforme a aprendizagem dos alunos, o que pode ser aferido objetivamente e avaliado pelos próprios estudantes.

A permanência ou não no serviço público deve ocorrer por mérito baseado em resultados e não em corporativismos doentios, que atribuem nota máxima a quem ensina mal.

A avaliação inicial malfeita, durante o estágio probatório e ao longo da carreira, ocorre em todo o serviço público. O servidor dedicado ganha a mesma nota do desidioso, causando desestímulo no corpo funcional.

O viés ideológico vai se transformar em uma cortina de fumaça para que tudo permaneça como está.

O que o Estado pode fazer, em relação às escolas, é dar plenas condições para que o professor ensine bem e cobrar inovação nos métodos e resultados objetivos, para que os estudantes não cheguem ao final do ensino médio em situação vexatória, sem saber ler e escrever corretamente.

*Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, jornalista e escritor.