Dr. Mauro Cesar participa da festa Troféu Personalidade VIP 2018

Dr. Mauro César e João Claudio

Com Djalma Chaves e João Claudio

Dr. Mauro com Silvinha Chaves

Nosso amigo, ilustre admirador e fomentador da cultura de nossa terra, Oftalmologista, presidente da Associação Brasileira de Medicina no Maranhão, escritor e colaborador do nosso jornal Tribuna do Iguará, esteve recentemente participando de um evento de um outro Vargengrandense, também não menos ilustre Djalma Chaves. Veja como descreveu esse momento o nosso médico-jornalista :” Em recente encontro social em São Luís, estivemos prestigiando nosso maior astro da musica Vargengrandense Djalma Chaves, na festa do Troféu Personalidade VIP 2018, promovida pela colunista Rozanira Alves do Jornal Pequeno.

Djalma brindou os presentes com uma seleção de músicas de Roberto Carlos entre outras muito conhecidas.

Tivemos a oportunidade de compartilhar também da agradável companhia da amiga Silva Chaves (Irmã de Djalma), no evento representando a empresa EBES Pneus, e do renomado humorista João Cláudio que, ao saber da apresentação de Djalma, veio a São Luís especialmente para prestigiar o evento”. Esse momento agradável. você vai também acompanhar no nosso Portal do Iguará.

Adolescente morre eletrocutado em Vargem Grande

Residencia onde ocorreu a morte

O adolescente Leandro de Sousa Silva de 16 anos, morador na rua Tomas de Aquino, S/N bairro Santo Antonio em Vargem Grande, morreu eletrocutado no início da manhã de hoje 17/12 .

De acordo com informações colhidas junto a testemunhas que se encontravam no local onde o corpo foi achado, o proprietário da residência e pai do adolescente, conhecido como Claudio do Coco, vinha com muita frequência sendo roubado em sua residencia. Por esse motivo energizou o portão da área externa que dá acesso a residência e nessa manhã esqueceu de desligar a armadilha, e quando Leandro tentou entrar, morreu pregado ao portão.

Durante toda manhã, familiares e amigos tentaram entrar em contato com o pai do adolescente sem obterem êxito. Segundo familiares, Claudio saiu para trabalhar mas não disse onde.

O adolescente era pessoa que gozava de estima da população, não era chegado a vícios nem baderna e na Igreja Católica exercia a função de coroinha. A polícia militar esteve no local e instruiu aos familiares para que encaminhassem o corpo para o hospital municipal para os exames de praxe.

Instituto abre seleção com 197 vagas e salários de até mais de R$ 10 mil; Veja

As vagas são destinadas para candidatos com ensino médio/técnico e superior. (Foto: Reprodução)
O Instituto Ovídio Machado (IOM) está com as inscrições abertas para processo seletivo, que visa o preenchimento de 197 vagas no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) que abrange o Amapá e o norte do Pará. As oportunidades são destinadas para candidatos com níveis médio/técnico e superior. Do total de vagas, 40 são reservadas a candidatos indígenas e nove para pessoas com deficiência. Os salários iniciais variam entre R$ 1.779 e R$ 10.249,42.
CARGOS
Se você pretende concorrer às vagas de nível médio/técnico, há chances para técnico de enfermagem, auxiliar de saúde bucal, técnico de laboratório, técnico de prótese dentária, agente de combate a endemias, técnico de saneamento/edificações, técnico em projetos institucionais e assessor técnico (cargo exclusivo para indígenas).
Já para o nível superior, as oportunidades são para enfermeiro, cirurgião dentista, nutricionista, farmacêutico/bioquímico, fisioterapeuta, assistente social, biólogo, antropólogo, pedagogo, psicólogo, geólogo e engenheiro civil/sanitarista.
 
COMO PARTICIPAR
Os interessados devem ficar atentos ao prazo de inscrições que encerra às 18h do dia 17 de dezembro de 2018. As inscrições devem ser feitas pelo site da organizadora da seleção. Para confirmar a participação no certame, os candidatos devem pagar a taxa de inscrição no valor de R$ 40 para nível médio/técnico e R$ 60 para superior.
ETAPAS
O processo seletivo será realizado em três etapas: análise curricular, com entrega dos documentos durante o período de inscrições; entrevista, que será realizada no período de 25 a 28 de janeiro de 2019, e avaliação de competência, que ocorrerá entre os dias 25 e 28 de fevereiro de 2019.
A divulgação do resultado final está prevista para o dia 26 de março de 2019.

Chanceler da mamata

IPOJUCA PONTES

O dramaturgo Nelson Rodrigues, que tinha horror aos comunistas (e é até hoje por eles antropofagicamente canibalizado), tinha lá suas frases lapidares. Uma delas: “O pior anão é o gigante que não pula”. Uma outra frase que ganhou perenidade: “Toda unanimidade é burra”. É o caso de Fernanda Montenegro, que virou unanimidade e é tratada pela mídia esquerdista amestrada e pela corporação artística – sempre correndo atrás do dinheiro dos cofres públicos e privilégios de toda natureza – como uma vestal da Roma Antiga. Ou melhor, era – agora não é mais.

Abaixo transcrevo, comprovando o fato, respostas de internautas contra um discurso da vestal pronunciado no programa “Domingão do Faustão”, o boquirroto garoto propaganda da TV Globo. Ei-las:

– Sra. Fernanda Montenegro, em seu discurso em defesa da “mamata” da Lei Rouanet, a senhora se referiu a internet como “terra de ninguém”, desmerecendo/desrespeitando os protestos dos contribuintes contra a FARRA dos artistas com o nosso dinheiro. Saiba a senhora que, quando esse governo corrupto desvia milhões do ICMS para patrocinar artistas riquinhos que, em troca dão apoio à corrupção institucionalizada, são os doentes que sofrem nas filas dos hospitais, por falta de recursos. Recursos esses que financiam os seus espetáculos, o seu luxo, o seu conforto.

– A Internet NÃO é “terra de ninguém”. É uma plataforma que democratizou a informação e deu voz ao povo.

– Graças à Internet o povo derrubou do poder uma organização criminosa (que os artistas PAGOS pela Lei Rouanet apoiavam). Graças à Internet hoje temos mais opções de mídia e a Globolixo deixou de manipular a mente de grande parte dos brasileiros.

– Os protestos da Internet são a voz do povo brasileiro. Vivemos numa democracia e nossas manifestações são legítimas. Então, nos respeite.

– Não queremos que o dinheiro dos nossos impostos financiem espetáculos tendo como conteúdo sexo/droga/violência, enquanto temos idosos e crianças morrendo sem assistência médica.

– Quanto à sua informação de que “não é corrupta”, eu DISCORDO. O movimento #EleNão sacramentou o APOIO dos artistas a esse governo sabidamente corrupto com sentença

condenatória de segunda instância.   Nos respeite.

– Temos voz e votos. E unidos, vamos reformular a Lei Rouanet.

– Em tempo: Senhor Presidente Bolsonaro, nós, eleitores, queremos prestações de contas de todos “artistas” beneficiados pela Lei Rouanet.

– Juntos somos fortes! Juntos derrotamos o PT! Juntos mudaremos o Brasil!

As palavras dos indignados internautas, que exigem o devido respeito de Fernanda Montenegro, são mais que apropriadas, justas e verdadeiras. Com efeito, o “beautiful people” das corporações artísticas (há décadas dopados pela grana fácil de leis permissivas e pelos salamaleques da mídia global) perdeu por completo o senso da realidade.

Eles principiam por condenar a burguesia e a moral burguesa em seus dispêndiosos emprendimentos, nas suas conversas e entrevistas, mas procuram ignorar o fato de que alimentam um dos piores traços desse grupo social: a hipocrisia. Vivem reclamando do sistema capitalista e do governo, falam em transformar o mundo, mas, na prática, não querem mudança alguma, Condenam o “sistema” de pura indústria pois se servem dele e dele vivem (alguns à tripa-forra).

Agora, neste início de terceiro milênio, quando a nação vive uma das crises mais dramáticas de sua história, com 13 milhões de desempregados e mais de 42 milhões vegetando na informalidade; em que cerca de 60 mil brasileiros são assassinados anualmente por falta de condições para se manter o aparelho de segurança do Estado; em que mais de 100 mil pessoas (dados do IPEA, 2015) compõem o universo de drogados, alcoólatras e miseráveis a tomar as calçadas das nossas cidades; em que milhares e milhares de homens, mulheres, idosos e crianças se deslocam de hospital em hospital sem conseguir atendimento mínimo; em que 12 milhões de adolescentes e crianças (até quinze anos), segundo o IBGE, permanecem literalmente analfabetas por falta de escolas e professores; e em que 62 milhões de pessoas perderam o crédito por inadimplência – como considerar o vozerio de corporações que só pensam em arrancar mais dinheiro dos contribuintes, via isenções fiscais e benesses, para consecução de projetos individuais?

Sem dúvida, trata-se de uma escandalosa falta de respeito para com o País e sua imensa população desamparada (ou não).

A Lei Rouanet é filha bastarda da Lei Sarney, governante que foi apedrejado nas ruas do Rio de Janeiro e que Collor, enquanto candidato, prometeu encarcerar e não fez quando eleito, cometendo, então, um Ato de Alta Traição contra o povo brasileiro.

Concedendo benesses como a Lei Rouanet, Lei do Audiovisual, Fundo Setorial do Áudiovisual, Fundos da Loteria etc., além dos gastos de manutenção da pesada máquina burocrática do engajado Ministério da Cultura, o governo do permissivo Michel Temer (que está ameaçado de ser preso por corrupção logo após deixar o poder) torra mais de R$ 22 bilhões anuais com o dispendioso aparato.

Dá para aceitar uma sacanagem dessas?

 

PS – O que pessoas como Fernanda Montenegro não entendem é que a democrática plataforma da Internet mudou irreversivelmente o entendimento do Brasil e do mundo. E que o jornalismo ideológico praticado pelas organizações Globo – rádio, jornal e TV – é, hoje, motivo de descrédito e piada.

Voltaremos ao assunto.