CB paga metade do 13º para servidores da educação

Os servidores da educação do município de Vargem Grande, tiveram 50% do seu 13º creditados em suas contas no fim da tarde desta quinta feira 20/12

De acordo com alguns servidores, com quem conversamos, eles foram informados de que no próximo dia 28, uma sexta-feira, irão receber os outros 50% restantes.

É costumeiro no município de Vargem Grande e entre outros da região, no mês de julho ser pago a metade do 13 e o restante no mês de dezembro. Este ano, segundo os servidores, o prefeito inovou preferindo pagar o total do 13% em duas parcelas no mês de dezembro.

De qualquer forma, os comerciantes vão ficar contentes com esse aquecimento da economia local no final do ano.

Começa hoje a apresentação do auto de Natal em Vargem Grande

Hoje quinta- feira (20) irá iniciar as 20:30 hrs, no salão Bodas de Ouro,ao lado da Igreja Matriz a apresentação do Espetáculo “A Rua DA AMARGURA – um Auto de Natal”, que conta a história universal do nascimento de Cristo através de elementos da cultura popular. O evento terá entrada gratuita.

Baseado no texto do escritor português Eduardo Garrido, a peça é inspirada no teatro de rua do premiado Grupo Galpão. Os atores narram a história de Jesus com muita música  e dança.

A peça,será exibida nos dias 20, 21,22 e  faz parte do encerramento das oficinas de teatro realizadas na Secretaria de Cultura e Turismo desde o mês de agosto , em parceria com o Instituto Simplício Oliveira (ISO).

O Auto de Natal, Conta com apoio da Prefeitura Municipal de Vargem Grande e da Paróquia São Sebastião .

Venham todos prestigiar esse belo espetáculo cheio de cores , música , dança, teatro e muita brincadeira .

Saída temporária de Natal beneficia 809 presos no MA

Complexo Penitenciário em Pedrinhas
A 1ª Vara de Execuções Penais da Comarca da Ilha de São Luís (VEP), que abrange os municípios de São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar e São Luís, editou Ofício no qual informa a lista de apenados do regime semi-aberto que estão aptos a serem beneficiados com a Saída Temporária de Natal. O documento, que tem a assinatura do juiz titular Márcio Brandão, apresenta 809 nomes de recuperandos que preenchem os requisitos da Lei de Execução Penal (LEP). Segundo o Ofício, o benefício tem início às 9h da manhã da próxima sexta-feira, dia 21, e encerra no dia 27, quinta-feira, às 18h, aos apenados que estejam presos por outros motivos.
A Lei de Execução Penal destaca que a autorização para saída temporária é concedida por ato motivado do juiz, ouvidos o Ministério Público e a administração penitenciária. Para ter direito ao benefício, o interno do regime semiaberto precisa ter cumprido, no mínimo, 1/6 (primários) ou 1/4 da pena (reincidentes); apresentar comportamento adequado na unidade prisional, além da compatibilidade entre o benefício e os objetivos da pena.
O Ofício que concede a saída temporária do período natalino determina que os internos contemplados com o benefício deverão recolher-se às suas residências até as 20 horas e não poderão viajar para outro Estado. Não podem, ainda, ingerir bebidas alcoólicas; portar armas; e frequentar festas, bares e/ou similares. O juiz também determinou que os dirigentes dos estabelecimentos prisionais devem comunicar sobre o retorno dos internos no dia 28 de dezembro.
Sobre a saída de presos, a 1a Vara de Execuções Penais informou à Secretaria de Estado de Segurança Pública, Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, Superintendência da Polícia Federal, Superintendência de Polícia Rodoviária Federal, e diretorias dos estabelecimentos penais de São Luís, para operacionalização das medidas estabelecidas pelo Poder Judiciário do Maranhão.

Geraldo Rodrigues é pre-candidato a prefeito de Vargem Grande

Em Vargem Grande o sentimento de renovação na política local é quase uma unanimidade. Exceções existem em qualquer segmento da vida. Mas nesse sentido aqui na terrinha, é quase insignificante. Até por um dever de ofício, procuro conversar com populares para sentir a quantos andam a vontade soberana do povo, e para não ser redundante apenas sinto que o sentimento dominante em todas as camadas sociais é de uma terceira via que venha preencher a lacuna deixada pelos que nos governaram e nos governar que é o oportunar a todos o direito de dar a sua parcela de contribuição ao município  valorizando quase sempre a prata de casa.

E é com esse sentimento, que Geraldo Rodrigues filho dos meus amigos Raimundo Rodrigues e Dona Terezinha, lança seu nome para a apreciação popular. Geraldo, que é empresário no ramo de cerâmica no município, segue a tradição dos seus ancestrais, primando pela vida empresarial e com isso, colaborando para o desenvolvimento do município e seus munícipes. A última vez que conversei com o nosso saudoso Flávio filho do Geraldo em frente a rádio Janaína ele disse-me: ” Zé de Fátima, amamos Vargem Grande e estamos agora inaugurando uma cerâmica que é para dar oportunidade de trabalho ao povo de nossa terra. E é  esse o sentimento que domina seu pai Geraldo, procurar junto aos seus amigos próximos,desenvolver um trabalho que venha satisfazer os anseios desse povo.

Acredito que todos independentemente de ideologia política, devem ter igual oportunidade. de mostrar aos seus conterrâneos o que pretende fazer pelo município.

Ninguém é dono individualmente da cidade. Ela é de todos e principalmente daqueles que ousam em fazer algo por ela. Por isso Geraldo Rodrigues é pré-candidato a prefeito em 2020 em Vargem Grande.

TRAFICANTES SÃO PRESOS COM 30 QUILOS DE MACONHA NA FORQUILHA, EM SÃO LUÍS

Policiais da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc)  prenderam em flagrante, na manhã de quarta-feira (19),  Cleonilson Gomes Oliveira, conhecido como “Formiga”, e Luciana dos Santos Carmo, conhecida como “Carol”.

Os presos foram foram flagrados transportando e armazenando grande quantidade de maconha. A residência de Luciana funcionava como ponto de armazenamento e distribuição da droga, sendo que Cleonilson recebeu dela cerca de 13 kg do entorpecente para fazer a entrega. Ele foi preso no momento em que realizava o transporte da droga.

Após a prisão de Cleonilson, a equipe se deslocou à residência da mulher, onde foram encontrados aproximadamente 17 kg de maconha e uma balança de precisão utilizada para pesar a droga.

Os presos foram autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Após os trabalhos, o casal foi encaminhado ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde ficarão à disposição do Poder Judiciário. Fonte Gilberto Lima

Polícia do Ceará recupera mais de R$ 70 mil roubados do BB em Bacabal-MA  e vendedores são presos por receptação

Três homens foram presos e um adolescente apreendido por receptação de mais de R$ 70 mil, provenientes do roubo ao Banco do Brasil do município de Bacabal, no Maranhão.

As prisões aconteceram na tarde da  terça-feira (18), no distrito de Trussu, zona rural de Acopiara, localizada a 352 km de Fortaleza. O grupo encontrou o dinheiro deixado pelos assaltantes durante a fuga, no dia 25 de novembro.

Segundo a delegacia do município, as quatro pessoas são naturais de Acopiara, mas trabalhavam na cidade maranhense como vendedores ambulantes, e uma era da Paraíba. Em depoimento, eles alegaram não ter envolvimento direto com o roubo à agência bancária, ocorrido no dia 25 de novembro, mas disseram que pegaram os pacotes de dinheiro que os assaltantes deixaram pelo caminho.

As primeiras informações da delegacia eram de que o montante encontrado era de R$ 43 mil e que eram quatro presos. Em nota, a secretaria da Segurança informou que um quinto suspeito havia sido localizado, e o valor total encontrado era de R$ 70.785,00 mil.

A secretaria informou as quantias encontradas com cada suspeito. As equipes chegaram ao primeiro suspeito, que se identificava como comerciante e, com ele, foi apreendido o valor de R$ 24 mil. Em seguida, os policiais seguiram até as casas de um homem de 38 anos e de um jovem de 19, pai e filho. Com o pai estavam R$ 43.300.

Ainda por meio das investigações, a Polícia chegou a um adolescente de 17 anos, que foi apreendido na mesma região, em posse de uma motocicleta, ano 2018, adquirida com o dinheiro do roubo. Além do veículo, foi apreendida a quantia de R$ 2.535,00. Por último, os policiais prenderam um rapaz de 20 anos, natural da Paraíba, que tinha R$ 2.950.

O delegado da Polícia Civil de Acopiara, Rodrigo Silva, está à frente das investigações. Ele acredita que para Acopiara foram trazidos cerca de R$ 500 mil.

Os outros quatro homens foram autuados por receptação e estão presos na Cadeia Pública de Acopiara. O adolescente foi liberado.

Com informações do G1 CE

Deixemos Bolsonaro governar!

NEY LOPES

Esse é um texto especial para o “Diário do Poder”, escrito por quem no primeiro turno não votou no Presidente Jair Bolsonaro. Quem conviveu durante seis legislaturas como deputado federal, no Congresso Nacional, sendo, inclusive, colega à época, do atual Chefe do Governo.

A preocupação do despretensioso texto é com a governabilidade futura do Brasil, para evitar que o país sacrifique, irremediavelmente, o seu futuro. Nada mais que isto!

“Deixemos Bolsonaro governar”, é o apelo que ecoa de norte a sul!

A propósito desse apelo, o ex-presidente Fernando Henrique já manifestou também, a sua preocupação, com registros no “Twitter”:

“Diariamente há pessoas acusadas de corrupção ou mau uso de dinheiro publico. Lamento que antes de começar o novo governo pedras sejam lançadas.

É preciso verificar, antes de condenar, mas sem confiança e credibilidade impossível reconstruir o país, como a maioria do povo deseja.”

A nação necessita, como jamais necessitou, de tranquilidade para superação de circunstâncias e mágoas políticas, em benefício do interesse público. É caótico o quadro da economia, da política, da sociedade em geral. O país está destroçado, em que pesem inegáveis esforços no período Temer. Entretanto, a falta de credibilidade política do governo, não permitiu que tais conquistas chegassem à opinião pública.

Para recuperar o Brasil, o Presidente Bolsonaro e sua equipe precisam de uma trégua, em que a volúpia de denuncias seja colocada em seu devido lugar, sem interferência na governabilidade futura, tudo em benefício do interesse coletivo.

Esclareça-se de saída – para evitar costumeiras deturpações -, que não se trata da defesa da impunidade, “do deixa pra lá, para ver como é que fica”, de acobertar crimes ou irregularidades.

Em absoluto é essa a intenção.

Todavia, é necessário ponderar, que numa véspera de sucessão de governo da República, generalizar e envolver as figuras centrais do processo – no caso o Presidente Bolsonaro e auxiliares – em véu de suspeitas, insinuações e dúvidas, é um desserviço ao país.

No caso concreto amplamente comentado na mídia, apontam-se indícios de supostas irregularidades, no manejo administrativo do antigo gabinete do senador eleito Flávio Bolsonaro, filho do Presidente, quando deputado estadual.

Os fatos citados devem se circunscrever a apurações administrativas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, e, se for o caso, na justiça, assegurado o devido processo legal, antes de qualquer responsabilização prévia.

Em relação ao deputado Onyx Lorenzoni, futuro Chefe da Casa Civil, aplica-se o mesmo raciocínio. Uma possível omissão de doação em prestação de contas de campanha, já por ele reconhecida, lança labaredas vulcânicas de interpretações, sem que exista, até o momento, o conhecimento de vínculo concreto entre a doação e práticas ilícitas de vantagens concedidas ao doador.

Há posições, até do STF, que repetem a necessidade de “separar o joio do trigo”, nos casos de acusações do “caixa dois”.

Quanto ao futuro Ministro Paulo Guedes, da Economia, as dúvidas “requentadas” não têm consistência aparente, estando distantes no tempo, referindo-se a transações privadas no mercado financeiro, que tem órgãos permanentes de auditorias e fiscalização.

Que se apure, que se dê à necessária e indispensável transparência às denuncias, porém sem alarde e conclusões prévias. Sem “desforra política”, com a antecipação de julgamentos e condenação de culpados, que nem sequer tiveram ainda o direito de defesa.

Repita-se: que todas as denuncias sejam esclarecidas, sem dificultar a credibilidade do governo, indispensável, na hora do “ponta pé” inicial da administração.

É hora de um “pacto”, que envolva não apenas os partidos políticos, mais os segmentos nacionais, que possam contribuir.

O favorecido não será a “impunidade”, nem significará “facilidades” para o governo Bolsonaro.

Note-se o gesto responsável do presidente da CUT, Vagner Freitas, que segundo o “Antagonista” reconheceu que “Bolsonaro foi eleito por 57 milhões de pessoas e vai tomar posse no dia 1º janeiro. A CUT vai procurar o governo para negociar os interesses dos trabalhadores”.

“Moncloa” na Espanha, “Consertácion” no Chile e “tolerância zero” (no combate a violência em NY) são exemplos de “pactos” entre as forças vivas da sociedade, que facilitaram a governabilidade, superaram divergências e uniram convergências.

Caso isso aconteça no Brasil, a grande beneficiária será a Nação, que necessita de paz e tranquilidade para iniciar o inadiável processo de reconstrução nacional.

O apelo, portanto, resume-se na expressão: “Deixemos Bolsonaro governar!”.

Ney Lopes – jornalista, advogado, ex-deputado federal; ex-presidente do Parlamento Latino-Americano, procurador federal e professor de direito constitucional – nl@neylopes.com.br – blogdoneylopes.com.br