Porque o cadáver de Marielle tem mais valor para o PT do que o de Celso Daniel?

Em termos de projeção, não há como comparar a vereadora Marielle Franco com o prefeito Celso Daniel.

A rigor, a combativa vereadora só ficou conhecida nacionalmente após o seu trágico e lamentável assassinato.

O prefeito não. Era uma personalidade importante, foi um dos primeiros êxitos do PT em eleição majoritária, na sua primeira vitória eleitoral para a prefeitura de Santo André (1989/1993) e fez de sua segunda eleição (1997/2002) um importantíssimo trunfo para que o partido pudesse chegar ao comando do país.

Efetivamente, Marielle parece ter sido assassinada por milicianos, incomodados com a sua atuação na Câmara de Vereadores.

Nenhum partido político teve qualquer ligação na trágica morte da vereadora. É o que indicam as investigações.

Mesmo assim, a esquerda e o PT usam o episódio como troféu, lançando acusações irresponsáveis e criando conjecturas político-eleitorais.

Com Celso Daniel a história é completamente diferente. Uma investigação mais apurada poderia chegar a figurões do partido.

O prefeito foi morto porque a certa altura resolveu incomodar e atrapalhar os planos para o projeto maior.

Nesse momento, virou inimigo. Deu no que deu.

O cadáver, virou um problema.

Assim, é melhor não mexer… Fonte Jornal Cidade Online

Homem morre envenenado em Maranhãozinho, após tomar veneno pensando ser cachaça “temperada”

A ocorrência foi registrada neste sábado (19), por volta das 11h00, na zona rural de Maranhãozinho. Ednaldo Pereira Nascimento se encontrava numa roda de amigos, quando o suspeito (um mudo) chegou ao local e ofereceu o que dizia ser cachaça temperada, a vítima se propôs a provar do líquido da garrafa, e até esboçou reação com o gosto, chegando inclusive a compará-lo com veneno. Receosos, os demais participantes da roda recusaram provar da bebida.
Chegando em casa, a vítima começou a passar mal e foi levada às pressas para o Hospital de Centro do Guilherme mas não resistiu e acabou vindo à óbito.
A polícia agora busca informações acerca do paradeiro do suspeito de ter oferecido a garrafa com veneno afirmando este ser cachaça. Fonte Neto Weba
Fonte A cidade de Verdade

Quem tem culpa nos problemas administrativos de Vargem Grande ?

Resultado de imagem para vereadores de vargem grande

Depois de acompanhar algumas publicações e até exposição de vídeos nas redes sociais, jogando a culpa no caos administrativo de Vargem Grande, unica e exclusivamente nos vereadores, cabe-nos como moradores deste município, dar a nossa contribuição para o desfecho desse problema que tem afetado a nossa população.

Primeiro, é necessário definir a quem cabe a administração do município, se ao prefeito ou aos vereadores.

Segundo, definir a competência de cada poder, e até onde é possível e legal chegar as suas ações.

Não nos cabe aqui julgar, até porque não temos essa competência. Mas não somos desinformados para acreditar em tudo que se diz, e em tudo que se veicula na imprensa escrita, falada ou televisada.

Lembro-me que ainda na gestão do ex-presidente da Câmara foi colocado para votação com urgência, um pedido de contratação temporário de servidores por tempo determinado. Na época conversei com alguns parlamentares que alegaram, ter pedido tempo para a leitura dos termos do contrato, o que segundo eles, devido a urgência, esse direito, lhes foi negado. Ora, cabe aqui uma observação. Diz a Lei que: O processo seletivo simplificado para contratar temporários, deve ser realizado em situação excepcional, quando não há uma lista de candidatos regularmente aprovados em concurso público. Se há concursado aguardando convocação, então tal processo, torna-se ilegal.

Lembremos alguns fatos. Quando o atual gestor assumiu o comando do município, ele fechou o posto de saúde do povoado Almeida e nunca colocou para funcionar o posto de saúde da Vila Danielle. Em reuniões frequentes, membros do governo tem deixado claro a necessidade de fechar escolas nas Zona Rural e Urbana. Aí pergunta-se, em qual dessas ações e decisões a Câmara foi pelo menos consultada?

Se as contratações temporárias tem obrigatoriamente que passar pelo crivo da Câmara, é mais do que legal, que os membros daquele poder conheçam as necessidades, os critérios e os “felizardos ” com essas contratações.

Portanto, urge a necessidade que prefeitura e Câmara se entendam, sem ninguém se abster de suas prerrogativas e jogar a culpa no outro. A todos cabem o ônus e o bônus dessa decisão. Se sentarem e conversarem, tenho certeza que o bom censo prevalecerá. A humanidade agradece e Vargem Grande ficará feliz.

 

Soldado da PM do Pará, natural de São Luís, é encontrado morto; suspeitos são mortos em confronto com policiais

O soldado da Polícia Militar do Pará, Alan Maxuel Florêncio de Souza, de 29 anos, natural de São Luís, no Maranhão, foi encontrado morto na tarde deste sábado (19) em Santo Antônio do Tauá, nordeste do estado.
Horas depois, três suspeitos de envolvimento no crime foram interceptados pela PM. Dois foram mortos na troca de tiros e um está sendo procurado.
Testemunhas informaram à Polícia que, por volta das 13h15, homens em um veículo preto estariam deixando um corpo numa entrada. Os policiais se deslocaram até o local e constataram que a vítima era o policial, que atua há cinco anos na corporação e lotado no 21º Batalhão da PM.
O PM teria sido morto em uma “casinha” ou armadilha, armada por supostos amigos do policial que o convidaram para uma partida de futebol em uma determinada localidade do município.
Dois dos assassinos morreram
em confronto com PMs
Informados sobre o caso, agentes do 12º Batalhão, em Santa Izabel do Pará, montaram uma barreira na saída da PA-140 com a rodovia BR-316, na tentativa de capturar os suspeitos. Na troca de tiros, dois criminosos foram atingidos e morreram no local.
Segundo a Polícia, duas armas de fogo foram apreendidas, sendo um revólver e uma pistola ponto 40 que pode ter pertencido ao PM Alan.
Via Gilberto Lima

Estados pelo ralo

JOÃO CARLOS DA SILVA

Essa semana os governadores Ronaldo Caiado ( Goiás ), Romeu Zema ( Minas Gerais ) e Mauro Mendes ( Mato Grosso ) estiveram em Brasilia para passarem o chapéu na busca de recursos para tentarem colocar seus estados nos trilhos. O que contam é estarrecedor . Herdaram de seus antecessores os estados literalmente em frangalhos, quebrados literalmente. Impressiona a falta de capacidade administrativa dos antigos governantes devido aos diversos pontos da economia que os estados possuem e que poderiam muito bem andar sozinhos sem o dedo do governo. Aliás, toda vez que alguns governantes colocam seus dedos, a máquina para ou enferruja . No Mato Grosso, cenário de alto padrão tecnológico no campo, a situação é de total desalento. O caixa está com um ônus de bilhões de reais. Estado dissolvido .  Por lá ainda existem obras inacabadas da Copa do Mundo que foi realizada no Brasil anos atrás. Tamanho foi o descaso que muitos gestores pagam na Justiça o preço do descaminho com o dinheiro público. Um estado rico necessita ser governado por políticos decentes para que cresça na normalidade que todos esperam. Calamidade pública sancionada na terra da soja, algodão e milho. Não se paga ninguém a curto prazo. Avaliar o futuro, nem pensar. Por enquanto é agarrar na benevolência do governo federal para que não seja desligado os dois balões de oxigênio. São dois balões devido a emergência da situação. Ronaldo Caiado também não passou longe. Goiás está desalentado economicamente . A pecuária deu lugar ao grito de socorro. Funcionários públicos fazendo figas para não deixarem de receber seus salários. A continuidade de poder dá nisso. Pelos lados de Minas Gerais o estrago foi grande. Zema atônito. Com a bomba nas mãos e o pavio aceso. Governança petista em terras de JK provocando estragos generalizados . Tem mais. O Rio de Janeiro está dilacerado . O Distrito Federal não fica atrás. Outros estados também deixando os governadores jogando na sorte para ver no que dá. Virou disputa de palitinho para qual conta pagar primeiro. Servidores e fornecedores com lenço nas mãos. Até o pires perderam nas gestões passadas. Esse rombo todo apresentado nas contas dos estados vai recair sobre o governo federal. A nação é a mãe de todos e o Deus o pai. Agora é rezar para que Deus não dê uma cochilada e a nação não adormeça. Senhores governadores, ação, praticidade, discernimento, competência, justiça e seriedade com a coisa pública. O povo merece um pouco disso. A hora do vamos ver chegou.