Pancadão reúne em sua residência opositores do governo municipal


O mês de fevereiro começou com articulações dos partidos e políticos que fazem oposição ao governo de José Carlos de Oliveira Barros, ou CB prefeito de Vargem Grande.

Dia 1º , os amigos de Pancadão o surpreenderam indo lhe visitar a no final da tarde e as conversas em torno de possíveis e prováveis alianças vararam a noite. Segundo os presentes, foi uma noite muito proveitosa e com certeza renderá bons frutos para os filhos e moradores da sofrida Vargem Grande.

Ontem, estivemos na residência do líder anfitrião participando do almoço que teve a presença do grupo G5 liderado pelo presidente do Poder Legislativo Municipal vereador Braga, bem como do presidente do PV municipal Dr. Fernando, além dos pré-candidatos a prefeito Sra. professora Marluce Pinto, com seu esposo Louro Pinto e o empresário do ramo de cerâmicas Geraldo Rodrigues.

Todos unanimemente, continuam firmes na decisão de não medirem esforços no sentido de junto as suas lideranças na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal, buscarem meios de melhorarem as condições de vida de todos os Vargengrandenses.

São sabedores que a luta não é fácil, mas não se pode fugir dela quando se tem um objetivo, nos afirmou Pancadão.

Segundo ainda Pancadão, esse é apenas o primeiro passo para a concretização de um sonho. Outros encontros iguais a esse acontecerão, sempre com o mesmo propósito de unir a todos em torno de um bem comum para o povo de nossa terra, que busca acima de tudo, a sua valorização.

Empresário é vítima de assalto em Vargem Grande

Motocicleta abandonada pelos bandidos

Ontem 02/02, quando retornava de uma propriedade sua na Zona Rural do município de Vargem Grande para sua residencia na av. Castelo Branco centro da cidade, o empresário e proprietário de Wagner Construções e Wagner Supermercado, sofreu uma tentativa de assalto ao entrar em sua residência.

De acordo com informações de testemunhas, o empresário abriu o portão da residência e ao entrar, foi surpreendido pela companhia indesejável de um bandido que o acompanhou e anunciou o assalto com uma arma na mão. Wagner não o conheceu e reagiu, saindo o bandido ferido no abdômen.

Devido o fator surpresa, a reação do empresário, o bandido empreendeu fuga correndo, e a distancia, atirou na direção do empresário, que ainda viu, que um outro bandido estava sentado em uma moto vermelha com placas de Itapecuru, possivelmente para dar fuga ao comparsa após o assalto.

Com o assalto frustado e o comparsa ferido, o bandido que estava na moto, empreendeu fuga a pé deixando a moto para trás que foi levada até a Cia da polícia militar de Vargem Grande. A qualquer momento, estaremos atualizando as informações.

Bandidos tentam explodir caixa eletrônico do Bradesco em Chapadinha

Image

Era aproximadamente 3hs e 30 min da madrugada de hoje (03/02) quando bandidos tentaram explodir os caixas eletrônicos da agência do Bradesco de Chapadinha.

Segundo informações, o vigilante viu pelas câmeras de segurança a ação dos criminosos e acionou o quartel da polícia militar que prontamente deslocou algumas viaturas  para o local, e conseguiu a tempo, interceptar a ação dos criminosos.

Na ação de interceptação os bandidos reagiram e culminou com a morte de um e a prisão de outros 3, e o restante do bando fugiu. Segundo algumas fontes, os criminosos são todos do estado do Rio Grande do Norte.

De acordo ainda com as mesmas fontes, os criminosos já estavam em Chapadinha a alguns dias tramando o assalto. Na sexta-feira eles fizeram um buraco na parte posterior da agência por onde entraram. Todo o material que eles usaram para furar o buraco na agência, e o que seria usado para abrir ou explodir os caixas, foram comprados em Chapadinha.

A polícia encontrou ainda um Siena branco, que acredita ser roubado, pois depois de pesquisas constatou-se que é do estado do Mato Grosso e estava com a placa do Maranhão.

Os bandidos foram encaminhados a DEPOL de Chapadinha para serem lavrados os flagrantes e posteriormente encaminhados para o presídio da cidade. A receita Federal terá que cancelar mais um CPF.

 

Os problemas que ficaram depois do fechamento do Hospital Geral de Matões do Norte

Dezenas de caminhoneiros foram surpreendidos na tarde de  sexta-feira, 1º, com o bloqueio da BR-135 feito por funcionários do Hospital Geral de Matões do Norte. Na enorme fila  que se formou, nos dois sentidos da pista, havia preocupação com a segurança, uma vez que o protesto caminhava para a noite.

“Se não andar complica porque a segurança aqui é zero, a gente não sabe como está aqui em termos de segurança, né”, disse-nos José Hailton Laranjeira, caminhoneiro.

E também chegou a haver preocupação com a alimentação, já que a maioria estava desprevenida, foi o caro do motorista Mário Dantas que saiu de São Luís com destino à Caruarú.

“é péssimo porque aqui a gente tá sem água, sem comida, sem nada, né…JÁ JÁ? A água tá se acabando já da garrafa, aí acabando acabou-se…NÃO PODE DEIXAR O CAMINHÃO SOZINHO? Não, se deixar é perigoso, né”, disse

PREOCUPAÇÕES PARA A SEMANA

Às 7h30 da noite a rodovia foi liberada pelos manifestantes que começarão a semana com uma série de preocupações e ainda em choque por causa da forma como foram surpreendidos pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH) no dia em que o Hospital de Matões do Norte completou 5 anos de funcionamento.

“Simplesmente era pra assinar, que o hospital entraria em reforma, estavam todos demitidos e que a com 10 dias estaria o dinheiro de rescisões e fim de pagamento, foi o que disseram”, relatou a técnica de enfermagem Cleidinalva dos Santos Nogueira.

REFORMA, POR QUÊ?

Numa reunião à portas fechadas, à qual tive acesso, representantes da EMSERH e da Secretaria Estadual de Saúde foram pressionadas por respostas. Uma delas foi, por que fechar um hospital  em boas condições de conservação para uma reforma, quando até mesmo o Estado admite esta conservação?

“É uma unidade nova, é uma unidade que está bem conservada, são pequenas adaptações, em termos de quê? Do centro cirúrgico, nós temos adaptações, pequenos reparos pra fazer na parte de esterilização do centro cirúrgico, nós temos que providenciar agência transfusional”, palavras de Carmem Lúcia Silva Belfort Pinheiro, da SES, em entrevista a TV Mirante ontem.

ATÉ QUANDO, FECHADO?

Outra dúvida que permanece para a semana que vem. Mais de 200 funcionários estão afastados, com a promessa de continuarem recebendo salário sem trabalhar sem saber quando a reforma começa, pior ainda nem mesmo a representante do Estado disse quando poderá terminar.

 Virá uma equipe tanto da engenharia da SES, quanto da engenharia   da SINFRA e, de acordo com o que eles virem no ambiente eles vão estimar o prazo, mas será colocado uma placa na unidade”, respondeu Carmem Lúcia


E OS DOENTES, PRA ONDE IRÃO?

Representantes de 14 municípios atingidos com o fechamento do Hospital de Matões do Norte ficaram de se reunir  na segunda-feira, 4,  para decidirem para onde encaminharão seus pacientes em estado grave. Certeza mesmo, só que milhares de maranhenses desta região sofrerão ainda mais a partir de agora por falta do atendimento que tinha nesta unidade.

Procurador da República, após derrota de Renan, faz piada com Dias Toffoli

O Brasil viu estupefato o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), atender com uma inusitada rapidez a um Mandado de Segurança impetrado pelo senador Renan Calheiros, onde o pilantra alagoano pleiteava que fosse determinada a votação secreta na eleição para a mesa do Senado Federal, ao invés de voto aberto como havia decidido por esmagadora maioria o plenário da casa.

Numa decisão capenga e vergonhosa, Dias Toffoli chegou ao disparate de citar como uma de suas fontes, uma matéria veiculada na Globo News, fato que valeu severas críticas dos senadores.

De qualquer forma, coube ao Procurador da República aposentado, Carlos Fernando dos Santos Lima, de atuação memorável na Operação Lava Jato e atualmente um diligente ativista nas redes sociais, a melhor “piada” sobre o desempenho do presidente da nossa Suprema Corte.

Veja abaixo:

O professor e os generais

JOSÉ MAURÍCIO DE BARCELLOS

Existe no ar uma apatia e uma aura de descaso em relação à Revolução Democrática de 2018, que o povo sozinho fez eclodir nas ruas. Muito poucos se interessam em dizer isto e menos ainda são aqueles que têm a coragem de ficar repetindo isso para firmar. Parece-me que há um sórdido propósito de ridicularizar ou de não se reconhecer a exata dimensão daquele movimento popular, tratando-o como algo corriqueiro e desinfluente.

É isso mesmo que está acontecendo, mas não é correto. Lembrem como não foi fácil. Fazer acontecer o movimento de 2018 foi muito mais difícil e dramático que a Revolução Civil Militar de 1964 e considero que seu desenvolvimento ou que sua sustentação exigirão um esforço hercúleo, uma incomum perseverança e toda a coragem daqueles que hoje o lideram. Começo por dizer que em 1964 as coisas eram mais simples e estavam mais claras. Haviam dois lados bem definidos: um o dos comunas do meliante Leonel aliados aos corruptos e aproveitadores de João Goulart e outro o dos cidadãos de bem. Nos tempos de agora os inimigos da Pátria são tantos e estão tão camuflados, que fica difícil até identificá-los.

Outrora o tecido social não estava assim doente ou “metastesiado”, as instituições republicanas tão comprometidas ou nitidamente falidas como hoje em dia, e os três poderes da República não tinham sido completamente corrompidos como se vê agora. Falo desta maneira principalmente para os 58 milhões de patriotas que derrotaram os vermelhos, os ladrões, os corruptos e a esquerda delinquente nas últimas eleições gerais, para que fiquem atentos.

Posto que não ocorreu derramamento de sangue, nem exílio ou banimento, a corja que dominou o País nas últimas três décadas está toda aí. Quer estejam presos ou libertos aqueles pulhas vão se valer de qualquer meio escuso para flanquear e destruir o novo governo e até lá para intrigar, desmerecer ou desacreditá-lo perante a sociedade. É como está acontecendo, todavia até aqui não vi ninguém ser punido.

As quadrilhas de Sarney a Temer, os seus asseclas e suas entidades aliadas, que estão fadadas à ruína porque lhes serão retirados os cargos na máquina pública, as bolsas qualquer coisa, as contribuições e subsídios e as verbas do erário, o que, de certo, provocarão um combate de vida ou morte contra tudo e contra todos que o povo elegeu porque simplesmente, como nunca trabalharam, nada sabem fazer e nada lhes restará.

Há que se ficar esperto em relação aos acontecimentos. No legislativo federal, com a eleição para o comando das duas casas do Congresso, onde despontam como favoritos um vira casaca com cara e fama de debiloide e uma das figuras mais abjetas do cenário político nacional, todo o esforço, insuflado pelo STF, será no sentido de emparedar o governo e arrastá-lo para a velha negociata em nome de uma torpe governabilidade. A meu sentir, se o Senado eleger Renan Calheiros, tripudiando sobre a vontade do povo, é a hora de voltar pras ruas e “quebrar o pau”.

Na mais alta Corte do País, comandada por um ex lambaio do bandidaço Zé Dirceu, tudo está sendo preparado para solapar o herói nacional Sérgio Moro e destruir a Operação Lava Jato. Quem viver verá. No executivo, conquanto possa o governo atual atacar mais diretamente a escória que aparelhou o Estado, o nível de infestação da doença é tão grande que nem se implodindo tudo de uma só vez resolveria. Fico imaginando que, neste caso extremo, ainda surgiria dos escombros um petralha qualquer que correria em direção à repartição pública mais próxima para continuar sangrando-a.

Tais ações deletérias vêm de ser escondidas por de trás de uma sórdida campanha midiática, promovida diuturnamente pelo “Sistema Goebells de Comunicação”, que objetiva difamar e minar a resistência do Presidente Bolsonaro e de sua família inteira, começando por tentar disseminar a cizânia dentre os membros de seu primeiro escalão.

Assim é que, além das matérias sigilosas adquiridas de agentes públicos criminosos, com as quais bombardeiam sem cessar a família Bolsonaro, os Barões da Comunicação já encomendaram a seus cativos serviçais da imprensa profissional – que amargam um ódio doentio contra o Capitão – matérias que, sem o menor rebuço, propaguem baboseiras do tipo: a) que o governo Bolsonaro mal começou e os escândalos pré-fabricados que envolvem o primogênito do Presidente já o derrotaram colocando-o a mercê dos velhos caciques da política e a beira de um impeachment; b) que o mandato do Senador Flávio Bolsonaro foi destruído antes mesmo de começar; c) que é iminente a traição do Vice Presidente da República a seu comandante supremo; d) que a eleição do Presidente Bolsonaro só serviu para propagar o vírus da anarquia militar que se alastrará como fogo em palha seca; e) que Sérgio Moro terá que abrir mão de seus princípios para continuar ministro. Pois bem, avaliem o grau da difamação e mais, também, que ninguém faz nada.

Ainda outro dia me deparei com um incorrigível vermelhinho que, todo feliz depois de ler aquelas idiotices numa edição de domingo de um jornalão que adoeceu, disse que estava ficando fã de carteirinha do General Mourão na esperança que este um dia golpeasse o Capitão. O cretino nem tem ideia do que realmente representam para os militares os princípios de hierarquia, de lealdade, de honra, de patriotismo que guardam em relação aos companheiros d’armas e à Pátria em especial. Aqueles mequetrefes pensam que a relação existente entre Bolsonaro e seus colegas de caserna seria semelhante a que grassou entre Lula e Dilma ou entre a “Anta Guerrilheira” o “Corrupto dos Porões do Jaburu”.

Não se pode confiar nem um pouco naquele tipo de gente. Deve a equipe de Bolsonaro e em especial os militares tratarem, com rigor, estes políticos velhacos e a imprensa vermelha, calhorda e vendida. A meu sentir estão oferecendo demais as costas para essa corja de patifes. Logo-logo vão acabar esfaqueados. É o que me parece e não estou só. Pelos mesmos motivos o mestre Olavo de Carvalho, do alto da sua autoridade que a Nação Verde e Amarela reconhece, num vídeo cujo link para acesso é:  https://www.youtube.com/watch?v=c0OhfJuA-SM, dá uma baita descompostura no General Augusto Heleno e no Vice Hamilton Mourão que estão mostrando demais os dentes para essa trupe que sustentou, por três décadas, os desmando das quadrilhas apeadas do poder. Vale a pena assistir. É uma verdadeira aula de política daquele que, sem dúvida, foi o ícone da Revolução Democrática de 2018.

Estou ficando cansado de alertar para a conduta daqueles maus brasileiros e para o perigo que trazem para o País toda essa gente que se encontra desesperada para botar as mãos novamente nos cofres públicos. A meu sentir acho que algo muito firme e contundente ou uma ação de governo muito intensa tem que ser posta em prática para neutralizar tudo isso e impedir que se continue correndo frouxas essas campanhas difamatórias dos jornalões e de algumas emissoras de rádio e televisão. Temos a disposição as Redes Sociais, como um meio indomável. Já erramos em 1964 quando os militares se deixaram envolver pelos políticos canalhas e deu no que deu. O momento é muito sério. Assim fica mais difícil trabalhar para reerguer o Brasil.

O presidente da República tem que dar um basta nisso e seu primeiro escalão deve se posicionar contra a bandidagem que, livre e solta, fala e trama da maneira que quer e bem entende contra o País. Em nosso ordenamento há leis que criminalizam e punem essas campanhas espúrias e a compra de informações sigilosas vendidas por bandidos do Judiciário, além do que hoje temos por parte deste governo a legalidade, a oportunidade para agir com competência e a força que garante a ordem necessária para mudar o Brasil. Não há justificativa alguma para transigir com o mau ou para capitular. O Bolsonaro que elegemos é aquele que prometeu publicamente varrer do mapa a “petralhada”. Força Capitão!

No que tange ao povo de um modo geral, penso que não devemos perder uma oportunidade sequer para desmoralizar todas essas ações nefastas da extrema imprensa, através da Rede Mundial de Computadores. Todo dia é dia de combater. Destarte, fico reconfortado quando recebo e posso virilizar, por exemplo, um vídeo produzido por um transeunte anônimo, que filma cidadãos indignados colocando para correr os serviçais da Globo que tentam tirar vantagens de um evento público para atacar o novo governo, aos gritos de “O povo não é bobo. Abaixo a Rede globo”.

Jose Mauricio de Barcellos ex Consultor Jurídico da CPRM-MME é advogado. Email: bppconsultores@uol.com. br.