Maduro recebeu propina da Odebrecht depois de liberar obras


A Odebrecht pagou propina a Nicolás Maduro imediatamente depois que o governo venezuelano liberou verbas para suas obras.

O inquérito contra o ditador, obtido pelo Estadão, cita alguns exemplos:

“Em 17 de setembro de 2014, o ministro de Obras, Haiman El Troudi, solicitou novos recursos ao presidente. O pedido era que 106 milhões de dólares fossem ‘reorientados’ para o projeto do metrô, conhecido como Linha Guarenas, uma obra da Odebrecht. Maduro aprovou a liberação.

No dia seguinte, 18 de setembro de 2014, um primeiro pagamento de 600 mil dólares foi realizado. O depósito foi feito pela Cresswell, empresa de fachada usada pela Odebrecht com contas na Suíça. O dinheiro foi enviado para um banco em Dubai. Os beneficiários, segundo as investigações, seriam operadores do regime chavista (…).

Em 26 de janeiro de 2015, foram solicitados a Maduro mais 616 milhões de dólares e 268 milhões de euros para que os repasses fossem feitos para a empresa brasileira. Uma vez mais, entre as obras beneficiadas, estava a Linha Guarenas. O presidente aprovou o novo aporte e disse que o dinheiro deveria vir de um ‘fundo chinês’.

Em 12 de fevereiro de 2015, a Odebrecht voltaria a fazer um pagamento no exterior ligado à Linha Guarenas. Uma transferência de 5 milhões de dólares seria realizada pela Cresswell, entre Viena e uma conta no Panamá.” Fonte O Antagonista

ASSASSINOS DE DELEGADO DA PF NO MARANHÃO SÃO CONDENADOS A MAIS DE 30 ANOS DE PRISÃO

Crime contra Davi Farias de Aragão foi em maio de 2018 quando o delegado estava em uma comemoração com amigos e parentes em uma casa no bairro Araçagi.

Os dois assassinos do delegado da Polícia Federal, Davi Farias de Aragão, foram condenados a mais de 30 anos de prisão pelo juiz federal da 2ª Vara Criminal, Magno Linhares.

Davi Costa Martins foi condenado a 32 anos e seis meses de prisão, em regime fechado, e Wanderson de Morais Baldez teve a pena determinada de 31 anos e dez meses de prisão, também em regime fechado. O crime foi em maio de 2018 em uma casa no bairro Araçagi, em São José de Ribamar, Região Metropolitana de São Luís.

Os dois assassinos já estavam presos pelo crime. Ambos estão no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. O terceiro participante do crime foi um adolescente de 17 anos, que por força de lei não é submetido aos mesmos procedimentos dos comparsas.

O delegado foi vítima de latrocínio em uma residência no Araçagi. Segundo a investigação policial, Davi, Wanderson e o adolescente invadiram o imóvel para assaltar e o delegado Davi Aragão foi morto ao tentar impedi-los de entrar em uma parte da casa onde estavam crianças. Houve luta corporal entre os assaltantes e o delegado que foi atingido por três disparos de arma de fogo e facadas. A vítima estava com amigos e parentes em uma comemoração quando o crime aconteceu.

De acordo com a Polícia Civil, os três assaltantes invadiram a residência por volta das 23h. A escolha da residência como alvo foi aleatória, segundo a investigação. Eles entraram por uma casa ao lado que estava desocupada. Dois bandidos pularam o muro do quintal da casa do delegado e um terceiro entrou pela lateral.

A época do crime, a polícia informou que Wanderson de Morais deveria estar sendo monitorado por meio de uma tornozeleira eletrônica por conta de outro crime. Ao ser capturado pelos policiais, o assaltante não estava usando o equipamento.

Davi Aragão era chefe da Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários do Maranhão e há mais de 12 anos trabalhava na Polícia Federal.

do G1 MA

A POLÍTICA DO PÃO E CIRCO: QUAL O REAL BENEFÍCIO DO DINHEIRO GASTO NO CARNAVAL?

A lógica e o “Bom Senso”, parecem não fazer parte da linha de trabalho de muitos políticos que tentam a todo custo, ganhar a aceitação pública de uma gestão atabalhoada, como é o caso da administração municipal em Codó, praticando a política do “Pão e Circo”.

“Quanto mais instruído o povo, tanto mais difícil de o governar…” Provérbio Taoista.

A política do Pão e circo (panem et circenses, no original em Latim) como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio. Esta frase tem origem na Sátira X do humorista e poeta romano Juvenal (vivo por volta do ano 100 d.C.) e no seu contexto original, criticava a falta de informação do povo romano, que não tinha qualquer interesse em assuntos políticos, e só se preocupava com o alimento e o divertimento.

Assim, nos tempos de crise, em especial no tempo do Império, as autoridades acalmavam o povo com a a construção de enormes arenas, nas quais realizavam-se sangrentos espetáculos envolvendo gladiadores, animais ferozes, corridas de bigas, quadrigas, acrobacias, bandas, espetáculos com palhaços, artistas de teatro e corridas de cavalo. Outro costume dos imperadores era a distribuição de cereais mensalmente no Pórtico de Minucius. Basicamente, estes “presentes” ao povo romano garantia que a plebe não morresse de fome e tampouco de aborrecimento. A vantagem de tal prática era que, ao mesmo tempo em que a população ficava contente e apaziguada, a popularidade do imperador entre os mais humildes ficava consolidada. (Texto extraído do site: Política do Pão e Circo – MANOELA Z. BRUSCATTO

Para algumas gestões, realizar uma festa carnavalesca requer uma parcela financeira que, poderia ser investida na qualidade de vida de seu povo, além da contratação de bandas, trios e camarotes, ainda há uma demanda de jovens que de forma precoce iniciam em suas vidas, o contato com algumas drogas, causando um prejuízo muito grande para as famílias.

Nesse período de carnaval, há também o aumento de atendimentos no Hospital Geral Municipal – HGM e na Unidade de Pronto Atendimento – UPA, por conta das consequências do consumo do álcool, onde dão entrada pessoas feridas a faca, pau, pedra e arma de fogo, vinda do Corredor da Folía, isso só cego que não vê.

O Carnaval financiado com o dinheiro público é uma aberração que deve ser combatida pelos mais conscientes, mas não é o caso de Codó,onde a saúde está doente e as escolas em ruínas,ou estou mentindo?

Levando para o campo social e educacional, vamos para o repertório musical, onde se faz apologia à violência, ao consumo de drogas e à depravação e a vulgaridade nas coreografias, será que isso não se vê?

Se o governo do estado destina verba para a realização do carnaval em Codó, eu pergunto: “Que cunho cultural esse carnaval tem, já que a maconha, o álcool, o loló e a cocaína são os objetos de consumo entre os segmentos que frequentam os locais de folia? O blog não é contra carnaval, porem é contra sim os gastos exorbitantes que são feitos com coisas supérfluas utilizando o dinheiro público durante a festa momesca.

Fonte: Reinaldo Bezerra, com adaptações BLOG DO DE SÁ

Surpresa: Direitos Humanos agora se preocupa mais com as vítimas

Damares manda equipe dar assistência a vítimas de João de Deus

Damares manda equipe para visitar vítimas de João de Deus e surpreende delegado, que estava acostumado com equipes visitando presos. Foto: Valter Campanato/ABr

A ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) enviou equipe a Abadiânia (GO), cidade do médium João de Deus, para saber como está o acompanhamento às pessoas que o denunciaram por abuso sexual. Isso surpreendeu Rodrigo Luiz Jayme, delegado que investiga o caso. Ele relatou que visitas do pessoal de direitos humanos são sempre para verificar a situação do preso, nunca das vítimas. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Damares pretende garantir a segurança e o atendimento psicológico das denunciantes, que carregam o trauma para sempre.

São muito comuns, entre as vítimas, quadros depressivos que exigem acompanhamento permanente de profissionais de saúde.

Várias vítimas de João de Deus relataram tentativas de suicídio. Uma das denunciantes se matou esta semana, na Espanha.