Polícia prende suspeitos de explodir caixas eletrônicos do Banco do Brasil em São Luís

Destacado

Suspeitos foram encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas em São Luís — Foto: Divulgação/Polícia

Suspeitos foram encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas em São Luís — Foto: Divulgação/Polícia

A polícia prendeu na sexta-feira (1º) Franklin Lincoln Silva Araújo, Mira Fortes Tanikawa, Halisom Hansen Santos Rêgo, Francisco das Chagas de Moraes Filho e Gabriel Santos Lopes por serem suspeitos de explodir na madrugada do último dia 23 de janeiro os dois caixas eletrônicos da agência da Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB), na Avenida dos Holandeses, no bairro Calhau, em São Luís.

Segundo a polícia, as investigações apontam que Halisom Hansen e Francisco das Chagas foram os responsáveis por explodir os caixas eletrônicos e retirar o dinheiro do local. Já os suspeitos Franklin Lincoln e Gabriel Santos ficaram no veículo e deram o apoio para a fuga. De acordo com os policiais, após a ação criminosa os suspeitos foram para a casa de Mira Fortes, onde realizaram a divisão do dinheiro.

A polícia diz que no momento da prisão de Francisco das Chagas ele foi flagrado na posse de duas caixas de munições 9mm e mais uma porção de maconha. Já Halisom Hansen foi flagrado com uma porção mediana de cocaína já pronta para a comercialização.

Todos os suspeitos foram encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital, onde ficarão à disposição da Justiça.

Após a ação criminosa os suspeitos foram para a casa de Mira Fortes e realizaram a divisão do dinheiro — Foto: Divulgação/Polícia

Após a ação criminosa os suspeitos foram para a casa de Mira Fortes e realizaram a divisão do dinheiro — Foto: Divulgação/Polícia

Agências bancárias só voltam a abrir na quarta-feira às 12h

Destacado

Hoje (1º), véspera de feriado prolongado de carnaval, é o último dia de funcionamento normal dos bancos. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informa que as agências bancárias estarão fechadas para atendimento ao público na segunda-feira (4) e na terça-feira (5). Na quarta-feira de cinzas (06), os bancos abrirão a partir do meio-dia, com exceção do estado do Rio de Janeiro no qual, em função da Lei 8217 que estabelece feriado estadual, não há expediente em 6 de março.

A entidade lembra que a população pode utilizar os canais eletrônicos e correspondentes para o pagamento das contas. Além disso, os tributos que possuem código de barras podem ter o seu pagamento agendado nos caixas eletrônicos, no internet banking e pelo atendimento telefônico dos bancos. Já os boletos bancários de clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão ser pagos via DDA (Débito Direto Autorizado).

As contas de consumo (água, energia, telefone etc.) e carnês com vencimento em 4 ou 5 de março poderão ser pagas, sem acréscimo, na quarta-feira (6). Normalmente, os tributos já vêm com datas ajustadas ao calendário de feriados nacionais, estaduais e municipais. Caso isso não tenha ocorrido no documento de arrecadação, a sugestão é antecipar o pagamento.

Já para aqueles clientes que passarão a semana inteira viajando e não dispensam a ida a uma agência, é possível consultar o endereço dos bancos no site Busca Banco da Febraban. Basta acessar o link www.d.com.br e fazer a busca de acordo com o Estado e município desejado.

A ligação cheia de emoção de Gilmar para Lula o coloca em suspeição

Destacado

5

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, logo pela manhã manifestou condolências à família Lula da Silva, através do Twitter.

Não satisfeito, fez questão de fazer uma ligação telefônica e falar diretamente com Lula.

O fato marcante, segundo a Folha de S.Paulo, foi o choro de ambos os lados, demonstrando a imensa amizade que une o ministro ao ex-presidente.

Resta saber se por isso, Gilmar não deveria se declarar suspeito para votar em casos que envolve o amigo.

Ficou latente o forte laço afetivo.

Bar Flutuante de Pindaré-Mirim afunda

Destacado

O famoso bar, que chegou a ser um ponto turístico de Pindaré-Mirim por várias décadas, o “Flutuante”, afundou na tarde de quinta-feira (28). De acordo com as informações, o bar estava sem funcionar há vários meses e estaria em manutenção. No momento do ocorrido ninguém estava dentro do Flutuante.
A preocupação agora é com o perigo que a estrutura está oferecendo as pessoas que precisam fazer a travessia do Rio Pindaré e também para quem costuma tomar banho na área.
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente informou que será feito um Laudo Ambiental. “Será feito Laudo Ambiental, que será encaminhado em caráter de urgência para o Ministério Público e ao Fórum de Justiça, onde o proprietário será multado por uma série de impacto ambiental negativo. Solicitamos ainda que a comunidade de modo geral, que ao tomar banho no rio, não mergulhe nas proximidades do flutuante”, disse Nilton Carlos, secretário adjunto de Meio Ambiente de Pindaré Mirim.
Fonte: Portal Pindaré

Vargem Grande: Vereadores visitam Hospital Municipal Benito Mussoline e confirmam situação caótica

Destacado

Depois de inúmeras denúncias da população e preocupados com a realização do carnaval, vereadores atendem aos apelos e visitam o Hospital Municipal Benito Mussoline de Sousa, o único do município.

A visita foi de surpresa, porém, poucos instantes foram suficientes para confirmar a situação caótica em que se encontra o HBM.
Falta de medicamentos, ambientes insalubres e abandonados, macas rasgadas, móveis danificados e enferrujados, falta de estrutura para pacientes, acompanhantes e até para funcionários realizarem seus trabalhos, entre outras inúmeras irregularidades foram constatadas pela comissão de vereadores.
Uma moradora do povoado Alto Alegre, revoltada, relatou aos vereadores que foi obrigado a comprar o material descartável para que sua paciente pudesse tomar um soro e outros medicamentos. 
No momento da visita, o diretor do hospital falou aos vereadores que a única ambulância em funcionamento do município estava emprestado para o município de Nina Rodrigues e também confirmou, o flagrante da falta de medicamentos.
A gritante e periclitante situação em que se encontra o HBM, já implulsionou o Promotor André Charles Alcantara da comarca de Vargem Grande, visitar por duas vezes as instalações do HBM e constatar, in loco, a veracidade de tais denúncias. 
Participaram da visita ao HBM, o Presidente da Câmara Municipal, vereador Braga (PSDB), os vereadores Célio Mendes (PCdoB), Chico do Zé Pedro (DC), Jociedson de Aguiar (PMN), Trabulsinho (PSDB) e Neide Viana (PCdoB) que é membra da Comissão de Educação, Saúde e Assistência Social. Fonte Thales Castro
Vejam + imagens:

MIGUEL GUSTAVO DE PAIVA TORRES Cuba e Brasil: objetos voadores não identificados

Destacado

Morde e sopra. Na tradição diplomática a reciprocidade é uma das regras de ouro. Expulsou de lá, expulsamos daqui, e por aí vai. É a paridade de armas, quando possível, no duelo diplomático. Não há amizade e consideração. Há interesses, e a profissionalíssima diplomacia cubana aplica essa vacina contra a retórica com máxima eficiência terapêutica.

Ingenuamente cheguei a acreditar que, com as desfeitas feitas ao Brasil nos episódios da Petrobrás e das negociações dos créditos alimentícios, o Itamaraty iria endurecer, como sempre fez, em casos semelhantes, inclusive com as grandes potências mundiais.

Nossa embaixada em Havana foi surpreendida quando soube, pela imprensa brasileira, que havia uma missão da Abin em Havana negociando eventual assinatura de acordo de cooperação com a Direção Geral de Informação de Cuba, para troca de informações e atuação conjunta.

A notícia estava causando grande rebuliço no Planalto e escândalo no Congresso Nacional, e nós, na embaixada em Havana, não tínhamos ideia do que estava ocorrendo nos bastidores das articulações políticas entre Brasília e Havana. Uma das principais atividades da Direção Geral de Informação de Cuba era a de prestar apoio a movimentos sociais e revolucionários e a partidos políticos aliados.

Essa visita de trabalho da Abin a Havana ocorreu no início de 2005, quando a Direção Geral de Informação de Cuba estava assumindo postos chaves na inteligência do governo bolivariano da Venezuela, em Caracas.

Na mesma época, como encarregado de negócios, recebi telefonema do Itamaraty transmitindo reclamações do Ministério da Aeronáutica sobre tráfego aéreo não autorizado de aviões cubanos no espaço aéreo brasileiro. Não tínhamos ideia do que estava no ar. Interpelamos por nota diplomática o Ministério das Relações Exteriores de Cuba para dar uma satisfação à aeronáutica brasileira. Não houve resposta escrita mas, por telefone, disseram tratar-se de falhas burocráticas, e ficou por isso mesmo. Havia, no entanto, um zunzunzum em Brasília, de que esses aviões não identificados estariam transportando equipamentos e recursos para os governos aliados de Cuba, na vizinhança brasileira.