Nina Rodrigues: Servidores do Hospital Madalena Braga participam de capacitação

Destacado

Com o tema saúde mental quem cuidado do cuidador, funcionários do Hospital Madalena Braga em Nina Rodrigues estão desde ontem 12/03 sendo capacitados para atender as pessoas que procuram aquela unidade de saúde.

Como facilitadoras do projeto, estão desenvolvendo atividades com os servidores, as psicologas Mayra Muniz e Paula Vanessa.

Segundo as palestrantes e capacitadoras, o objetivo dessa capacitação é desenvolver e aprimorar as técnicas dos profissionais daquela unidade de saúde para um melhor atendimento ao público.

De acordo ainda com os organizadores do evento, essas capacitações serão feitas durante quatro meses, sendo duas vezes a cada mês com palestras, dinâmicas e oficinas.

A administração municipal através do seu gestor Rodrigues da Iara, não tem medido esforços no sentido de capacitar os servidores do município para cada vez mais atender ainda melhor aqueles que procuram os órgãos públicos municipal.

Preso homem condenado a 21 anos de prisão por homicídio praticado em 2006 na Vila Cafeteira, em São Luís

Destacado

A Polícia Civil do Estado do Maranhão, através da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção  à Pessoa (SHPP), efetuou a prisão de  Agostinho Dos Santos Azevedo, em cumprimento a mandado de prisão definitiva.
Ele foi condenado a 21 anos de reclusão por crime de homicídio duplamente qualificado contra Marco Aurélio Mafra, morto com nove tiros de pistola, pelas costas.
O crime ocorreu no dia 30 de dezembro de 2006, na Rua da Pocinha, no bairro Vila Cafeteira, na área do Anil.
O motivo do crime foi uma confusão ocorrido dentro do Clube Bombom Lanches, localizado na rua Clube Militar, na Vila Cafeteira.
Depois disso, a pretexto de pacificar, Agostinho convidou a vítima para conversar na Rua da Pocinha, onde acabou por cometer o homicídio.
O preso foi encaminhado para o Centro de Triagem de Pedrinhas.

Polícia diz que italiano foi morto com 15 golpes de facão em Paço do Lumiar; corpo foi encontrado em rio

Destacado

A principal linha de investigação da polícia é que Carmelo Mário Calabrese, de 65 anos, tenha sido vítima de latrocínio. O italiano morava há 25 anos no Brasil e não tinha parentes aqui.

A Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) investiga o assassinato do italiano Carmelo Mário Calabrese, de 65 anos, que foi encontrado morto no rio Tibiri em São Luís. De acordo com as primeiras investigações, ele teria sido morto com pelo menos 15 golpes de facão.
Os exames do Instituto Médico Legal (IML) ainda não foi divulgado. A principal linha de investigação da polícia é que o italiano tenha sido vítima de latrocínio, já que a casa onde ele vivia estava com roupas e objetos espalhados. Peritos do Instituto de Criminalística encontraram na casa dele, um rastro de sangue do banheiro até a garagem onde estava o carro dele, que também está desaparecido.
“A residência da vítima ela foi toda remexida, como se estivessem procurando alguma coisa e alguns aparelhos eletroeletrônicos teriam sido subtraídos. Então, há possibilidade de ter ocorrido um latrocínio, entretanto, a gente não descarta outras possibilidades que serão analisadas no transcorrer do inquérito policial que já foi instaurado aqui na SHPP”, explicou o delegado Jeffrey Furtado. 

Carmelo Calabrese já havia mandado capinar o quintal da casa onde morava com objetivo de vender. Ele havia revelado aos vizinhos que queria se mudar, já que tinha sido assaltado três vezes. O italiano morava há 25 anos no Brasil e não tinha parentes aqui.
A SHPP acionou a Polícia Federal (PF) para saber mais detalhes de como vivia o italiano. Após o reconhecimento do corpo, a família de Carmelo foi informada sobre o crime e o traslado do corpo está sendo realizado pelo Consulado da Itália do Brasil, que fica em Pernambuco.
O corpo de Carmelo continua na sede do IML à espera da chegada dos parentes que deverão levar o corpo de volta para a Itália. Além disso, a polícia da Itália já entrou em contato com as autoridades maranhenses para saber mais detalhes sobre o crime.
O desaparecimento e morte do italiano
O italiano Carmelo Mário Calabrese, de 65 anos, desapareceu na última quinta-feira (7) no bairro Alto Laranjal, em Paço do Lumiar, na Região Metropolitana de São Luís. Nesta segunda-feira (11), o corpo dele foi encontrado sem identificação na sede do Instituto Médico Legal (IML) em São Luís.
Segundo a polícia, ele foi achado na sexta-feira (8) por pescadores boiando no rio Tibiri, na capital. O corpo do Carmelo Calabrese foi identificado por amigos e vizinhos. As primeiras investigações encontraram marcas de sangue no banheiro da casa onde ele vivia e toda a área foi isolada.

Mais de 61 mil eleitores no Maranhão podem ter seus títulos cancelados após 6 de maio

Destacado

F

Quem não votou e/ou não justificou ausência às urnas nas últimas 3 eleições – sendo cada turno considerado uma eleição – terá seu título de eleitor cancelado caso não o regularize procurando um cartório eleitoral até 6 de maio. 

Para regularizar a situação, além de pagar as multas, o eleitor terá de comparecer a um cartório eleitoral munido de documento oficial com foto, comprovante de residência e título eleitoral, se o possuir. No Maranhão, o total de eleitores nesta condição é de 61 mil 440, sendo que em São Luís, são 15 mil 461.

A relação de títulos passíveis de cancelamento está disponível nos cartórios eleitorais para consulta pelos interessados, mas o eleitor também pode verificar se o seu documento está sujeito ao cancelamento consultando os dados eleitorais no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), basta informar o nome completo e a data de nascimento, ou ligar para a Ouvidoria do TRE-MA pelo 0800 098 5000.

O não comparecimento ao cartório eleitoral para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implica o cancelamento automático do título de eleitor após 6 de maio.

Os eleitores no exercício do voto facultativo – menores de 18 anos, maiores de 70 anos – não são identificados nas relações de faltosos.

Consequências

Quem não regularizar a situação do título eleitoral a tempo de evitar o cancelamento do registro poderá ser impedido de obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários de função ou emprego público, e obter certos tipos de empréstimos e inscrição.

A irregularidade também pode gerar dificuldades para investidura e nomeação em concurso público, renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo e obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiverem subordinados.

Prazos

A Resolução do TSE nº. 23.594/2018 estabelece os prazos para execução dos procedimentos relativos ao cancelamento dos títulos eleitorais, bem como para a regularização da situação dos eleitores. Os nomes dos eleitores e os números dos respectivos documentos cancelados serão disponibilizados pela Justiça Eleitoral a partir do dia 24 de maio.

__________________________________________________

TRE-MA – Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão
ASCOM – Assessoria de Imprensa e Comunicação Social

OSWALDO TEIXEIRA DE MACEDO Usina de crises

Destacado

A ‘crise no Itamaraty’ – mais uma criada pela jornalista Míriam Leitão, no intuito de desqualificar o governo de Jair Bolsonaro – é porque ela acha que o Ministro Ernesto Araújo está quebrando “a hierarquia dentro da instituição que, a exemplo das Forças Armadas, precisa dela”.

Acontece que a hierarquia que Míriam Leitão vê quebrada no Itamaraty nada tem a ver com a hierarquia das Forças Armadas.

Ao contrário do que ocorre no estamento militar, em que a hierarquia se baseia em mérito e na obediência a regras de progressão funcional impessoais e institucionais, a jerarquia do Itamaraty é o resultado de uma obscura e acirrada disputa por promoções na qual sobrevivem os que melhor conseguem enfeudar-se às diversas irmandades que se impõem ao pé dos ouvidos dos chefes da Casa e, não necessariamente, os mais capazes e experimentados.

Apesar da miríade de regras que deveriam dar base a uma ascensão funcional regida por princípios minimamente íntegros e transparentes, o que determina as carreiras na Chancelaria brasileira é principalmente a associação com as diversas cabalas que detêm poder no próprio ministério ou, indiretamente, por meio de promíscuas relações com deputados e senadores da República.

Os embaciados conluios que determinam a progressão funcional no Itamaraty, engendrados a partir da gestão de Azeredo da Silveira, no governo Geisel – o baby boom dos silveira boys –, e multiplicados ao longo do processo de redemocratização, criaram uma hierarquia intrinsecamente viciosa, baseada em favoritismos, adulações, bairrismos e alianças familiares.

Se “os diplomatas, assim como os militares, funcionam sob instruções”, não é verdade que, no Itamaraty, estas provenham de “alguém mais qualificado… com mais legitimidade para transmiti-las”.

A “lógica mais profunda” em que se baseia a hierarquia itamaratiana – que se declara em estado de confusão – nada mais é do que o resultado de um anquilosado processo de promoções na sua maioria alavancadas pela camarilha do Sarney, pela grei tucana ou pela camorra petista.

Essa “lógica mais profunda” que Míriam Leitão teme ver subvertida no plano interno do Itamaraty estava acostumada a refletir-se no plano externo de sua atuação: são as tais “tradições diplomáticas” que levaram ao nanismo de uma política externa marcada pelo multilateralismo de matiz ideológico, pelo regionalismo de várzea, pelo terceiro-mundismo e pela associação a ditaduras de toda ordem.

Nada mais salutar para a política externa brasileira do que o rompimento do “fluxo de transferência de conhecimentos e experiência” proveniente da corriola servil, provinciana e quinta-coluna com a qual a Míriam Leitão conversa pensando que está falando diretamente com a “estrutura da instituição”.

Oswaldo Teixeira de Macedo é diplomata.