Jovem de Presidente Vargas conta detalhes do assalto que sofreu em São Luís

Destacado

O prevarguense, Alvaro Sousa, 25 anos, conta detalhes do assalto, que sofreu na área da Cohab Anil II, em São Luís. O crime aconteceu na última terça-feira(30) por volta das 22h. Ele teve sua moto twister 250 levado pelos elementos, mas graças o rastreador foi encontrada abandonada. “Era por volta das 22hs, quando eu estava na área da  Cohab anil II, perto do posto Itapiracó, com um amigo, quando passou um Voyagem azul que parou  e desceram dois caras armados anunciando o assalto, pegaram os dois capacetes e levaram a moto. Como ela tem rastreador eu bloqueie a moto e liguei para a polícia, quando a polícia chegou fomos atrás da moto na localização que tinha no GPS, que foi encontrada abandonada próximo o mercado da Cohab, numa rua deserta. Ainda achamos dois suspeitos muito parecidos com os que me roubaram, mas por falta de provas, foram  liberados”.

Criminosos suspeitos de assaltar bancos são presos com armas de uso restrito na MA-034

Destacado

Durante a Operação Inquietação desenvolvida por policiais militares, no Povoado Palestina, na MA-034, próximo à cidade de Brejo, na quarta-feira (1º), as equipes dos destacamentos de Anapurus e Palestina, ao realizarem abordagens, conseguiram efetuar a prisão de 05 homens com armas de fogo, munições, drogas. Três deles são foragidos da penitenciária de Pedrinhas.
Foram presos em flagrante Jenielson Furtado de Oliveira, José de Ribamar Campos Neto, Gonçalo Nascito da Silva, Torquato Cidreira Silva e Romário Cavalcante Viana de Assis.
Com os suspeitos foram encontradas duas pistolas, uma 9mm e uma .40, além de um carregador de fuzil.

Segundo informações do comandante da unidade, major Wermeson, uma barreira policial foi montada no Povoado Palestina na MA-034. Ao procederem a revista a veículos, um dos ocupantes, Jenielson, portava a pistola.40.
No veículo, foi encontrado material semelhante a maconha, uma segunda arma de calibre restrito 9mm de propriedade de Gonçalo, um carregador de fuzil calibre 556, além de celulares com áudios, imagens de fuzis, espingardas, revólveres e dinheiro.

Os policiais apreenderam, ainda, R$ 100,00 em espécie, uma porção de maconha, dois relógios, cor dourada, 02 carregadores de celular, três bolsas com roupas, umveículo Chery Celer 1.5, 01 CRLV do veículo apreendido.

Jenielson Furtado de Oliveira responde por extorsão mediante sequestro. José de Ribamar Campos Neto responde por homicídio. Gonçalo Nascito da Silva responde por assalto. Esses três são foragidos da Penitenciária de Pedrinhas. Já Torquato Cidreira Silva responde por porte ilegal de arma de fogo.
Todos os conduzidos, juntamente com o material apreendido, foram entregues na delegacia de Polícia Civil de Chapadinha. Fonte Gilberto Lima.

Balança comercial tem superávit de R$ 6,061 bilhões em abril

Destacado

Resultado é o segundo melhor da série histórica para o mês

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil  Brasília

A queda das importações fez a balança comercial registrar o segundo melhor resultado da história para meses de abril. No mês passado, o país exportou US$ 6,061 bilhões a mais do que importou em março, alta de 2,3% em relação ao resultado positivo de US$ 5,922 bilhões de abril de 2018.

Esse foi o segundo melhor resultado da série histórica para o mês, só perdendo para abril de 2017 (US$ 6,963 bilhões). Com o resultado de abril, a balança comercial – diferença entre exportações e importações – acumula superávit de US$ 16,576 bilhões nos quatro primeiros meses de 2019, valor 8,7% inferior ao do mesmo período do ano passado.

No mês passado, as exportações somaram US$ 19,689 bilhões, com leve queda de 0,1% em relação a abril de 2018 pelo critério da média diária. As vendas de manufaturados cresceram apenas 0,8% na mesma comparação, com destaque para tubos flexíveis de ferro ou aço (R$ 0 para R$ 148 milhões), máquinas e aparelhos agrícolas (208,3%), partes de motores e turbinas para aviação (116,9%) e torneiras, válvulas e partes (99,7%).

As exportações de produtos básicos subiram 2,1% em relação ao mesmo mês do ano passado, com destaque para algodão bruto (145,2%), carne suína (51,4%) e carne bovina (48,1%). As vendas de semimanufaturados aumentaram 7,1%, puxadas pela alta nas exportações de açúcar bruto (25,8%), celulose (25,2%) e ferro-ligas (23,7%). Apenas as operações especiais, como consumo dentro de portos, registraram queda, puxando para baixo o desempenho das exportações.

O principal fator responsável pela queda do saldo comercial, no entanto, foram as importações, que somaram US$ 13,628 bilhões, com retração de 1,2% em relação a abril do ano passado pelo critério da média diária. As compras de bens de capital (máquinas e equipamentos usados na produção) caíram 10%.

As importações de bens de consumo caíram 6,6%. As compras de bens intermediários recuaram 0,2%. Apenas a importação de combustíveis e lubrificantes aumentaram 10,4% na mesma comparação, decorrente principalmente da valorização do petróleo no mercado internacional.

Depois de o saldo da balança comercial ter encerrado 2018 em US$ 58,959 bilhões, o segundo maior resultado positivo da história, o mercado estima um superávit menor em 2019 motivado principalmente pela recuperação da economia, que reativa o consumo e as importações.

Segundo o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, os analistas de mercado preveem superávit de US$ 50 bilhões para este ano. O Ministério da Economia projeta superávit de US$ 50,1 bilhões para o saldo da balança comercial em 2019.

Vereadora Neide Viana propõe audiência Pública para debater o papel da Mulher na sociedade

Destacado

A vereadora Neida Viana Laurindo, conhecida em Vargem grande como a Neide da APAE, nos enviou um convite para uma audiência pública que será realizada no próximo dia 06 no prédio da Câmara Municipal de Vargem Grande.

O convite que é estendido a todas as mulheres, busca prioritariamente despertar na mulher o interesse de sua participação nas mais diferentes esfera da sociedade, bem como a sua valorização.

O início da audiência está previsto para as 8 hs e encerramento ao meio dia.

O momento é mais do que oportuno para discutir o papel da mulher na sociedade.

POLÍCIA DE PRESIDENTE DUTRA ACREDITA QUE EMPRESÁRIA TENHA SIDO MORTA POR ENCOMENDA

Destacado

Mais um caso suspeito de feminicídio foi registrado em Presidente Dutra. De acordo com informações da polícia, foi assassinada na cidade, a jovem conhecida como, Rayra Santos Feitosa de 25 anos, proprietária de uma  pizzaria no município de Presidente Dutra.

Rayra, estava chegando em sua residência na Presidente Medice, no bairro Campo Dantas quando foi morta com dois disparos feitos por dois homens desconhecidos. .
A polícia de Presidente Dutra trabalha com hipótese de crime de encomenda. A polícia também não tem informações se a empresária tinha envolvimento com algo que desabonasse sua conduta.

Veículos roubados em Recife e Santa Inês são recuperados pela PRF em Peritoró; as placas são clonadas

Destacado

A PRF apreendeu um veículo Ford/Ecosport, de placa original QNW-3597, roubado em Recife/PE, e uma picape Fiat/Strada Adventure, de placa original OJQ-2434, roubada na cidade de Santa Inês.
O Ford/Ecosport foi apreendido por volta das 7h46, no km 423, da BR-316, quando se deslocava no sentido Caxias-Peritoró. No momento da abordagem, o condutor apresentou CPF e CRLV, ano exercício 2019, com ocorrência de extravio nos sistemas de consulta.
A equipe, durante vistoria dos elementos identificadores do veículo, percebeu sinais de adulteração nos mesmos, levando a uma fiscalização mais minuciosa.

Durante o procedimento, constatou-se que o veículo era um clone e que a placa original é QNW-3597/MG, com queixa de roubo em Recife/PE em 1º de março deste ano, ou seja, um mês após o crime.
A picape Fiat/Strada foi apreendida às 8h30, quando os policiais pararam o veículo e verificaram também sinais de adulteração nos elementos identificadores, constatando-se que se tratava de outro clone. 

O veículo tinha ocorrência de roubo registrada na cidade de Santa Inês/MA, no dia 16 de setembro de 2014.
As duas ocorrências foram encaminhadas para a delegacia de Polícia Civil de Peritoró para as providências cabíveis.
Fonte: PRF

NEY LOPES ‘Jabutis’ e ‘bodes’ na reforma

Destacado

Primeiro de Maio, “Dia do Trabalho”.

Momento oportuno para reflexões sobre a reforma da Previdência, que é inegavelmente necessária.

Essa posição favorável às mudanças é clara, de parte do autor do artigo, que não se alia aos que torcem “pelo quanto pior, melhor” para o país!

Todavia, impõem-se alterações no texto enviado ao Congresso, que não podem ser consideradas “desidratação maléfica”, em prejuízo dos objetivos finais das mudanças.

Alguns delírios do mercado terão que ser retirados, para evitar sacrifícios sociais injustificáveis.

A quase totalidade das reformas previdenciárias no mundo foram realizadas gradualmente, com diferenciações, por etapas e com busca de repartição justa de “sacrifícios”, para evitar choques e conflitos sociais futuros.

Não adianta onerar a “conta” e “cobrá-la”, de quem não tem condições de pagar.

Afinal, Roma não foi construída em um dia!

A reforma da previdência é o início de um processo de mudanças inadiáveis, que envolve outras áreas e setores do país.

Caso as alterações possíveis não atinjam o patamar de “economia orçamentária” desejado pelo governo, existirão outras fontes óbvias e ululantes, que infelizmente estão sendo “protegidas” no momento.

A França, apesar de 26 tentativas de reformas nos últimos anos, ainda convive com 42 regimes diferentes no seu sistema previdenciário.

Nunca se exigiu tanta competência pessoal e responsabilidade dos deputados e senadores, na tarefa de separação do “joio do trigo”.

O ministro Paulo Guedes confessou na “Central Globo News”, que a sua proposta é para economizar R$ 1,237 trilhão em dez anos, ou seja, 15,4% acima do valor que vinha sendo divulgado pelo governo, de R$ 1,072 trilhão.

Trocando em miúdos, a equipe econômica trabalha com “bodes” e “jabutis” embutidos na PEC em debate.

No jargão legislativo, “jabutis” são aqueles artigos que não têm relação com a matéria principal e confundem o legislador (por exemplo: criação de precondições para a privatização da previdência).

“Bodes” são previamente introduzidos, já com a intenção de “negociar” e, ao final, manter aquilo que realmente interessa.

Um dos pontos inquestionáveis nesse debate é a idade-limite.

Sem essa mudança, não haverá reforma.

Há uma tendência mundial de que as próximas gerações trabalhem por um período maior, em razão da expectativa de vida aumentar.  Nos países da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), a média das idades mínimas é de 64,2 anos.

No Brasil, não poderia ser diferente, desde que aplicadas “regras de transição” graduais, justas e humanas, que respeitem o planejamento de vida individual e familiar, daqueles que hoje cumprem as normas legais vigentes e não podem arcar com mudanças abruptas.

Observa-se que a proposta oficial, inexplicavelmente, deixa de alocar várias fontes de recursos fiscais disponíveis, que diminuiriam os sacrifícios de certas categoriais sociais.

Como está, o superávit seria alcançado, apenas com o sacrifício de categorias sociais de baixa e média renda.

Por que razão?

A consequência são situações dramáticas, como a do servidor público, que falta pouco tempo para aposentar-se. Esse funcionário não usufrui nenhum privilégio. “Queimou as pestanas” em concurso público para chegar onde chegou e retira do bolso mensalmente a sua cota de previdência.

A PEC o atinge, prorrogando o seu tempo de permanência (o que é admissível, desde que as regras de transição sejam “graduais”) . O que não se justifica é a perda do direito à paridade, gratificações e incorporações legais, a que faz jus há anos.

A redução de salário em alguns casos irá além de 50% e ocorreria, justamente na velhice, quando aumentam os encargos familiares e assistência à saúde. Essa é forma de combater privilégios?

Enquanto isso, esconde-se da opinião pública, que atualmente o serviço público não é mais o responsável pelo déficit previdenciário.

Poucos sabem, que desde 2012, estão proibidas as “aposentadorias milionárias”, o que significa dizer que o déficit do setor público está gradualmente estabilizado. Todos servidores públicos, que ingressaram a partir de 2013, já estão sujeitos ao teto do INSS (R$ 5.800 hoje) nas aposentadorias futuras.

A questão dos atuais “salários milionários”, será resolvida com a fixação do “teto” de vencimentos, fiscalização e punições severas para o cumprimento.

O maior “jabuti” na PEC é a proposta de “capitalização”. Trata-se de um sistema administrado por fundos privados (recorde-se o “blefe” de fundos semelhantes no passado), no qual o contribuinte faria a própria poupança para garantir a sua aposentadoria.

O texto está confuso e impreciso, na medida em que exclui da Constituição o regime de repartição solidária e abre a janela para a privatização da previdência, além do risco de retirada de direitos futuros, através de lei complementar, que exige apenas maioria absoluta, ao invés de 3/5 nas duas casas do Congresso.

Capitalização previdenciária foi obra nefasta do ditador Pinochet no Chile, já revogada naquele país. Segundo a OIT, 18 nações da América Latina e do Leste europeu, que copiaram esse sistema, tiveram de reverte-lo.

Quem conhece zoologia sabe que os “jabutis”, introduzidos na PEC previdenciária, não sobem em árvore sozinhos.

Se lá estão, alguém os colocou.

A tarefa de preservar o interesse público será do Congresso Nacional. Precisará coragem e determinação nessa tarefa.

Outra hipótese, que intranquiliza a nação, é o Congresso ser cooptado e aprovar integralmente o que foi proposto.

Nesse caso, o mercado festejará.

Mas, a Nação ficará de luto!