Novos postos de recarga de passagens do SET são inaugurados em São Luís

Destacado

Os novos postos de recarga, além de facilitar a vida dos usuários, surgem como uma oportunidade de emprego para os cobradores demitidos.

Por: Ana Maria Bruzaca09 de Julho de 201943

O SET (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de São Luís) entregou na manhã desta terça-feira, 9, três novos postos de venda de bilhete eletrônico e recarga de passagens.

Os três novos postos entregues estão localizados no Viva Beira-Mar (Centro), no Viva Shopping da Ilha (Cohama) e no Viva Shopping Pátio Norte (Estrada de Ribamar). Esses postos fazem parte da primeira fase de expansão do postos de venda e emissão de cartões de vale transporte, que se iniciou em 02/07/2019 nos 5 Terminais de Integração de São Luís, e seguirá para novos postos físicos e, principalmente, na venda virtual (através de aplicativo de smartphone).

Os novos postos de recarga atendem a uma antiga reivindicação dos usuários de transporte público da capital e a uma antiga pauta de Duarte Jr, que já havia tentado implementar a iniciativa quando foi presidente da rede Viva, do Procon Maranhão e Procon Nordeste. O deputado falou sobre a importância do acordo firmado entre os órgãos e sobre a importância dos novos postos para os usuários do transporte público e para o combate ao desemprego dos cobradores.

A promessa do Superintendente do SET, Luis Cláudio Siqueira, é que no mês de agosto, o aplicativo “Recarga Pay” seja lançado, contribuindo com a melhoria do sistema e a comodidade dos usuários.

O aplicativo é um projeto do SET e da SMTT que vai permitir que o usuário recarregue seu cartão de passagem através de qualquer tipo de smartphone.

Os novos postos de recarga, além de facilitar a vida dos usuários, surgem como uma oportunidade de emprego para os cobradores demitidos. Os funcionários deverão passar por um curso de capacitação realizado pelas empresas ou pelo SET, de maneira gratuita, garantindo capacitação para as novas funções.

Mulher dispara na Globo ao vivo: “Lula roubava, mas ajudava o povo”

Destacado

A opinião de uma entrevistada deixou o repórter do MGTV – 1ª edição, telejornal da Globo Minas, Carlos Eduardo Alvim, sem reação. Em uma parte da entrevista, a mulher identificada como Viviane disse que “Lula roubava, mas ajudava o povo”.

A saia justa ocorreu quando Carlos repercutia com os usuários de transporte público o reajuste aplicado pela prefeitura de Belo Horizonte – de R$ 2,40 para R$ 2,90. Foi quando ele questionou a mulher, que respondeu sem medo.”[O aumento] está pesando muito para os trabalhadores. Aumenta o valor da passagem, mas o salário não aumenta. [O metrô] está péssimo, só anda cheio. Isso daqui virou uma bagunça. Quando era o Lula ainda era melhor. O Lula roubava, mas melhorou o povo”, disse ela, revoltada.Desconcertado, o repórter destacou que tratava-se da opinião da entrevistada e não da emissora. Fonte Alex Ramos

Após ficar 31 anos no regime fechado, homem é preso por tentativa de estupro durante saída temporária

Destacado

Após permanecer 31 anos preso no regime fechado, progredir para o semiaberto e receber direito a saídas temporárias, Luiz Augusto Félix dos Santos, 51 anos, foi detido na tarde desta segunda-feira (8), no Centro Histórico de Porto Alegre. De acordo com informações repassadas à Brigada Militar por pessoas que o teriam capturado, ele estaria tentando estuprar uma adolescente. Suas condenações somam 357 anos, principalmente por abusos sexuais cometidos na década de 1980.

Por conta da vasta ficha criminal e pela região de atuação, Félix ficou conhecido como Monstro do Partenon.  Segundo ele próprio, sua infância e adolescência foram marcadas pelo cometimento de atos infracionais, violências sofridas, internações na antiga Fundação Estadual do Bem Estar (Febem) e fugas.

Félix havia sido tema de reportagem de GaúchaZH em dezembro de 2017. Na época, havia dito que a “literatura havia lhe transformado”. No cárcere, foi alfabetizado e escreveu dois livros. No final dos anos 1990, teve publicado Diário do Diabo — Quando os Anjos se Prostituem que, segundo ele, é autobiográfico. Em 2000, no interior da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), como atividade da Feira do Livro de Porto Alegre, teve sessão de autógrafos do romance A Morte Depois da Paixão.

Dos 18 aos 20 anos, cometeu uma série de crimes graves, como homicídios, estupros, roubos e formação de quadrilha, a maioria no bairro da zona leste de Porto Alegre. Em entrevista concedida em 2017, quando estava na ala do regime semiaberto da Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ), em Charqueadas, Félix contou que, antes mesmo de receber sua primeira condenação, ouviu do servidor que o encarcerara um presságio: só sairia dali (da prisão) dentro de um caixão.

Recentemente, Félix foi transferido de estabelecimento penal, saindo da PEJ e indo para o Instituto Penal Irmão Miguel Dario, no bairro Agronomia, na zona leste de Porto Alegre. Sua situação, por lei, permitia saídas temporárias, e foi por isso que passou o final de semana e esta segunda-feira fora da prisão. Deveria se reapresentar nesta terça-feira (9) no Miguel Dario.

Nesta segunda-feira (9), entregue à BM pelas pessoas que o capturaram, Félix foi levado para a 2ª Delegacia de Pronto Atendimento (2ª DPPA), no Palácio da Polícia.

Segundo o delegado Rodrigo Reis, o suspeito foi preso em flagrante por tentativa de estupro. A vítima é uma adolescente, de 17 anos.

— Se não houver vaga no sistema prisional, ficará em uma cela da 3ª DPPA exclusiva para presos com antecedentes por crimes contra a dignidade sexual.

Motoqueiro tem cabeça esmagada por caminhão em São Luis

Destacado

Na manhã desta terça-feira (09), um homem foi vítima de um acidente na Avenida dos Portugueses, em São Luís. O homem, que transportava gás, teve a cabeça esmagada por um caminhão e morreu na hora.
O caminhoneiro informou que tentou desviar de um buraco e acabou colidindo com a vítima. O Instinto Médico Legal foi acionado e a polícia esteve no local. Fonte Ma 10

Plenário da Câmara começa a discutir reforma da Previdência

Destacado

 O plenário da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6433/13, que permite ao delegado de polícia adotar medidas de urgência para proteger mulheres vítimas de agressão.

Por Heloísa Cristaldo – Repórter da Agência Brasil  Brasília

O plenário da Câmara dos Deputados começa nesta terça-feira (9) a discussão da proposta de reforma da Previdência (PEC 6/19). Aprovada na madrugada de sexta-feira (5) na Comissão Especial, após 16 horas de debates, o texto precisa do voto favorável de pelo menos 308 deputados em dois turnos de votação para ir à análise do Senado.

Com a aprovação na comissão, as negociações para votação no plenário se intensificaram. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem recebido líderes partidários, após um fim de semana de conversas na residência oficial da Presidência da Casa. Nesta terça, às 9h, será realizada uma reunião do colégio de líderes.

Otimista com a aprovação da matéria, Rodrigo Maia afirmou que a elaboração do texto que será analisado a partir de hoje se deve à capacidade de diálogo e ao equilíbrio do Congresso.

“Vamos viver uma semana decisiva. O grande desafio nosso é a votação no plenário. Temos que mobilizar um número enorme de parlamentares, deputados, deputadas, para um tema que é fundamental e decisivo, mas a gente sabe que foi uma construção”, disse Maia em um podcast publicado em suas redes sociais.

No domingo (7), após encontro com Rodrigo Maia, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, também demonstrou otimismo com a possibilidade de aprovação da PEC. Na análise do ministro, a proposta deve receber cerca de 330 votos favoráveis.

“Temos um cálculo realista ao redor de 330, com o pé bem no chão, caminhamos para ter algo em torno de 330 e pode ser até mais do que isso. É uma margem que a gente acredita ser possível”, afirmou.

Tramitação

Para acelerar o processo de tramitação da reforma, é possível que os deputados aprovem um requerimento para quebrar esse interstício. “Dependendo de quando começa o processo de discussão, talvez não seja necessário [a quebra]. Se for necessário, os partidos da maioria e o partido do governo têm votos para quebrar [o interstício] e vamos trabalhar para ter votos para a aprovação da emenda”, disse Rodrigo Maia.

Entre o primeiro e o segundo turno de votação também é necessário um interstício, de cinco sessões. Segundo Maia, caso haja “vitória contundente” no primeiro turno há “mais respaldo político para uma quebra [do interstício] do primeiro para o segundo [turno]”.

Se validado pelos deputados, o texto segue para análise do Senado, onde também deve ser apreciado em dois turnos e depende da aprovação de, pelo menos, 49 senadores.

Economia

Pelo texto aprovado na comissão especial, o impacto fiscal corresponderá a R$ 1,074 trilhão no período de 10 anos. A estimativa inclui a redução de despesas de R$ 933,9 bilhões e o aumento de receitas (por meio de alta de tributos e fim de isenções) de R$ 137,4 bilhões. A proposta original, enviada pelo governo em fevereiro, previa uma economia de R$ 1,236 trilhão em uma década, mas não incluía elevação de receitas.

Oposição

Apesar do otimismo do presidente da Câmara e do governo, partidos de oposição trabalham para inviabilizar a aprovação da medida. Na avaliação da líder da minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), ainda não há o número necessário de votos para aprovação da medida no plenário. 

“Na nossa avaliação, eles não têm mais de 260 votos. Estamos mapeando todas as bancadas e todos os partidos e temos hoje uma posição muito favorável a não aprovação da reforma. Nós estamos trabalhando para garantir a não aprovação e o alargamento desse cronograma”, afirmou Jandira. 

Parlamentares de partidos da oposição já adiantaram que usarão o “kit obstrução” para tentar adiar a votação da proposta. O objetivo é inviabilizar a análise do texto antes do recesso legislativo, que começa no dia 18 de julho.

PSB

Nessa segunda-feira (8), o PSB Nacional anunciou o fechamento de questão contra a proposta. A decisão vincula a votação dos 32 deputados que compõem a bancada na Câmara e também se estenderá aos três senadores da sigla. O parlamentar que descumprir a decisão pode sofrer sanções que vão desde a censura até a expulsão do partido. 

Pela resolução aprovada por ampla maioria, o partido considera que a proposta “imporá medidas cruéis aos trabalhadores mais sofridos e às classes médias de nosso país”, “diminuirá o poder de compra dessa parcela da população” e “agravará o principal problema brasileiro, que é a acintosa desigualdade que se verifica entre os brasileiros”. Fonte Agência Brasil

Fernando Pimentel, sem mandato e sem foro privilegiado, pode ter prisão decretada

Destacado

Com inúmeros problemas com a Justiça, o cerco está apertando para o ex-governador de Minas Gerais Fernando Pimentel.

Num dos processos em que é réu, Pimentel responde por Falsidade Ideológica para Fins Eleitorais. Os fatos pelos quais é acusado ocorreram na campanha eleitoral de 2010.

O Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais acaba de requerer a prisão do petista.

Além da prisão, o MPE cobra uma indenização aos cofres públicos de R$ 5 milhões de reais.

Segundo a denúncia, o ex-governador omitiu dolosamente em sua prestação de contas para a Justiça Eleitoral a quantia de um milhão e quatrocentos mil reais.

O dinheiro teria sido repassado para a empresa Pepper Comunicação Interativa. A proprietária da empresa Danielle Fontelles fechou acordo de delação premiada e entregou mais essa falcatrua de Pimentel.

O pedido de prisão deve ser analisado ainda esta semana. Fonte Jornal daCidade

PRIMEIRO DECÊNDIO DO FPM DE JULHO SOMA MAIS DE R$ 2,2 BILHÕES E SERÁ CREDITADO NA QUARTA-FEIRA (10)

Destacado

29012019 FPM

As prefeituras receberão na quarta-feira, 10 de julho, o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao primeiro decêndio do mês. O valor total será de R$ 2.218.710.490,71, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

De acordo com dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o primeiro decêndio de julho de 2019, comparado com o mesmo decêndio do ano anterior, apresentou crescimento de 13,04%. No acumulado do ano, o total repassado aos Municípios no período de janeiro até o repasse de 10 de julho tem crescimento de 3,33% em relação ao mesmo período de 2018. Nos dois casos, já foi considerada a inflação do período.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) disponibiliza, por meio de nota técnica, os valores que serão creditados por coeficientes e por Estado. Nas tabelas constam os valores brutos do repasse do FPM e os seus respectivos descontos — 20% do Fundeb, 15% da saúde e o 1% do Pasep.

Coeficientes
A maioria dos Municípios têm coeficientes 0,6 na distribuição dos recursos do FPM. São 2.460 nesta faixa — que vão receber, juntos, R$ 551.796.608,07. Há diferença dos valores repassados para cada Estado. Por exemplo, um Município 0,6 do estado do Amazonas receberá neste decêndio o valor bruto de R$ 196.731,25. Já em Roraima, um Município com o mesmo coeficiente vai acumular, também sem os descontos, R$ 95.586,21.

A CNM alerta os gestores locais sobre a inconstância na distribuição de transferências. Na avaliação mensal, notam-se dois ciclos distintos. No primeiro semestre, estão os maiores repasses do FPM, concentrados em fevereiro e maio, mas, entre os meses de julho a outubro, os repasses diminuem significativamente. Nesse período, com destaque para setembro e outubro. Por isso, é importante que os gestores municipais mantenham cautela ao gerir os recursos. A Confederação ressalta que é preciso planejamento e reestruturação dos compromissos financeiros das prefeituras para que seja possível o fechamento das contas.

Hoje na História: Avito é proclamado como melhor imperador de Roma

Destacado

Marcus Maecilius Flavius Eparchius Avitus, ou Avito, foi imperador romano do Ocidente entre 9 de Julho de 455 e 17 de Outubro de 456. De origens galo-romanas e de família com antecedentes no Senado, foi magister militum como o também imperador Petronio Maximo. Em 9 de Julho do 455, foi proclamado pelo imperador romano Marciano, como o melhor imperador de Roma. A população italiana nunca aceitou completamente sua proclamação. No ano de 456 iniciou uma campanha na qual reconquistou a Panonia (região da Europa central) e conseguiu uma meritória vitória naval contra os vândalos (grupo de povos germânicos) em colaboração com o magister militum Ricimero. No entanto, não conseguiu acabar com o poderio naval dos vândalos que submeteram Roma a um bloqueio naval, o que fez sua posição cambalear. A fome em Roma forçou-o a dissolver sua guarda pessoal de mercenários godos (grupo germânico). Mas eles tinham que ser pagos, e sua popularidade caiu quando ele destruiu várias estátuas de bronze para lhes pagar seus salários. Alguns de seus pares utilizaram este descontentamento para iniciar uma revolta popular e conseguir finalmente destroná-lo como imperador em 456.

O grito dos maus e o silêncio dos bons

Destacado

Percival Puggina

Atribui-se a Martin Luther King o mérito de haver resumido o sentimento de tantos ao afirmar que o silêncio dos bons o preocupava mais do que o grito dos maus. Não obstante, criei-me ouvindo que o bem não faz alarde e isso me parecia, de fato, adequado à bondade, à virtude, à caridade.

Foi muito a contragosto, então, que, enquanto as décadas se sucediam, fui vendo o mal, travestido de bem e fazendo toda a gritaria possível, ampliar seus espaços, avançar e tomar posições indicativas de consistente hegemonia. Há 34 anos, quando comecei a escrever e a gritar contra isso, éramos poucos, dispersos e mal vistos.

O grito dos maus fez o Brasil afundar em complexo de inferioridade. Ensinaram-se alunos a desprezar nossa história e raízes e a afirmar que nossos males correspondem a culpas alheias. Ao mesmo tempo, foram sendo destruídos os valores morais, incentivado um conceito libertino de liberdade e promovida uma decadência estética. Bandidos foram mitificados, os crimes tolerados e a criminalidade expandida. Agigantou-se o Estado e o valor do indivíduo foi reduzido a dimensões liliputianas. Propagou-se tanta mentira e pós-verdade que os fatos ficaram irreconhecíveis. Tudo gritado e difundido como essência do Bem.

O silêncio dos bons aplainava a estrada e fornecia água ao longo do caminho para a gritaria dos maus que avançavam. Não me diga o leitor destas linhas que pode ser o contrário. Não me diga que o bem para uns pode ser o mal para outros e vice-versa, pois tal é o relativismo moral, árvore má bem conhecida por seus péssimos frutos. Para vê-los basta abrir a janela.

Foram as redes sociais que deram potência sonora à voz dos bons. É verdade que elas democratizaram o direito de dizer besteira, de mentir e de promover o mal, que sempre foi privilégio de alguns grandes veículos de comunicação. Mas democratizaram, também, a busca e difusão da verdade, da sabedoria, dos valores. Lembro-me que inúmeras vezes ouvi de cientistas políticos advertências no sentido de que, nas redes sociais, “falávamos para nós mesmos” porque elas agregavam as pessoas por afinidades. Não deveríamos, portanto, nos deixar iludir em meio às concordâncias que colhíamos àquilo que escrevíamos ou falávamos. Bendita agregação por afinidade! Foi dela que, mesmo no ambiente caótico e babélico das redes sociais, a voz dos bons começou a mudar o Brasil.

Resumindo: as redes sociais agregam por afinidade; agregam bons e agregam maus. Sendo aqueles muito mais numerosos do que estes, as redes se revelaram preciosas à democracia, tanto por reduzirem a influência de certos veículos e formadores de opinião quanto por, dando voz à maioria, estarem alterando peças no tabuleiro da política. Martin Luther King, se vivo fosse, estaria muito satisfeito.