CAMINHÃO DE URBANO SANTOS SOFRE ACIDENTE NA BR-135 E MOTORISTA FICA PRESO AS FERRAGENS

Destacado

Equipes da Polícia Rodoviária Federal e do Corpo de Bombeiros realizaram durante a madrugada desta quinta-feira (15) uma verdadeira operação de retirada de um homem preso nas ferragens de um caminhão. A ocorrência se deu quando o veículo tombou na entrada do Campo de Peris, localidade pertencente ao município de Bacabeira-MA.
Por volta das 23h30 de quarta-feira (14), no km 39 da BR-135/MA, um caminhão Scania, de cor vermelha, placas do município de Urbano Santos/MA, carregado de maravalho (raspa de madeira) de eucalipto, trafegava no sentido decrescente da via (do interior para a capital), quando saiu do povoado Peris de Baixo e adentrou no Campo de Peris. 
De acordo com as declarações do condutor, na primeira curva a carga puxou o caminhão, que “dançou” na via e caiu no canteiro central. A partir daí começaram os trabalhos de resgate do motorista, que ficou preso nas ferragens do veículo. Uma equipe do SAMU foi chamada para socorrer a vítima, mas não pode comparecer. De acordo com o médico que atendeu a ligação da PRF, ali já pertence a outro município. Ato contínuo, os policiais acionaram o corpo de bombeiros militar, que enviou uma ambulância, além da equipe que desencarcerou o motorista. Ele foi retirado e encaminhado ao hospital por volta das 2h da madrugada. Somente ele se feriu no acidente. Ninguém morreu.
A equipe PRF isolou uma faixa do sentido crescente da rodovia em razão de parte da carroceria do caminhão ter ocupado a mesma. 

Bolsonaro manda suspender uso de radares nas rodovias federais

Destacado

                                                                                Foto: Divulgação/PRF 
O presidente Jair Bolsonaro determina ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio de despachos publicados nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União, que suspenda o uso de radares “estáticos, móveis e portáteis” até que o Ministério da Infraestrutura “conclua a reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica de velocidade em vias públicas”.De acordo com o documento, a medida tem por objetivo “evitar o desvirtuamento do caráter pedagógico e a utilização meramente arrecadatória dos instrumentos e equipamentos medidores de velocidade”.
O despacho do presidente pede também que o ministério “proceda à revisão dos atos normativos internos que dispõem sobre a atividade de fiscalização eletrônica de velocidade em rodovias e estradas federais pela Polícia Rodoviária Federal.
Ao deixar o Palácio da Alvorada, nesta manhã, Bolsonaro destacou que os radares fixos, aqueles instalados em postes ao lado das rodovias, não entram nessa suspensão, pois o governo tem contratos com empresas que operam esses equipamentos. “Não vamos alterar contratos”, disse. O presidente já afirmou, entretanto, que a intenção é, ao fim do prazo, não renovar esses contratos.
Agência Brasil

Taxa de desemprego recua em 10 das 27 unidades da Federação

Destacado

Um em cada quatro desempregados procura trabalho há pelo menos 2 anos

No segundo trimestre, a taxa de desemprego do país recuou para 12%, percentual inferior aos 12,7% do primeiro trimestre deste ano e aos 12,4% do segundo trimestre de 2018.
A taxa caiu em dez das 27 unidades da Federação na passagem do primeiro para o segundo trimestre deste ano, segundo os dados divulgados hoje (15) pelo IBGE. As maiores quedas ocorreram no Acre, de 18% para 13,6%, Amapá, de 20,2% para 16,9%, e em Rondônia, de 8,9% para 6,7%. Nas outras 17 unidades da Federação, a taxa se manteve.
Na comparação com o segundo trimestre de 2018, a taxa subiu em duas unidades, Roraima (de 11,2% para 14,9%) e Distrito Federal (de 12,2% para 13,7%), e caiu em três: Amapá (de 21,3% para 16,9%), Alagoas (de 17,3% para 14,6%) e Minas Gerais (de 10,8% para 9,6%). Nas demais unidades, a taxa ficou estável.
Agencia Brasil

SAÍDA TEMPORÁRIA DOS PAIS: 34 DETENTOS NÃO RETORNAM

Destacado

Dos 622 apenados que deixaram os presídios para a saída temporária do dia dos pais, 34 não retornaram e decidiram ficar nas ruas fazendo sabe-se lá o que? Uma coisa é certa, algo de bom não é! 588 retornaram.
Os detentos deixaram a prisão no dia 7 deste mês devendo retornar na terça-feira 13, até as 18h.
Na saída temporária  do dia das mães, segundo a Secretaria de Estado de administração Penitência (SEAP), 603 custodiados deixaram a unidade prisional.
Na saída para a Páscoa 659 internos do complexo penitenciário de Pedrinhas foram beneficiados  destes 31 não retornaram no prazo estabelecido pelo Poder Judiciário.
Nas três saídas 94 internos não cumpriram determinação da Justiça,  desse total alguns foram presos, outros são considerados foragidos da justiça.

Operação prende cinco pessoas por envolvimento com tráfico de drogas no Maranhão

Destacado

Ação foi realizada nesta quinta-feira (15) no bairro Vila Conceição em São Luís e no município de Santo Antônio dos Lopes, no interior do estado.


Operação prende quatro pessoas por tráfico de drogas em São Luís

Operação prende quatro pessoas por tráfico de drogas em São Luís

A Polícia Civil por meio da Superintendência de Investigações Criminais (Seic) realizou nesta quinta-feira (15) uma operação contra o tráfego de drogas no bairro Vila Conceição, em São Luís. Foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão e quatro pessoas foram presas na capital e uma no interior do estado.

Em São Luís, foram presos Clean Lago Abreu, de 49 anos, Edenilze da Silva, de 27 e Laélia Talita, de 19 anos e uma outra pessoa que ainda não teve a identidade revelada. A polícia também prendeu Pedrina Pereira dos Santos Muniz, no município de Santo Antônio dos Lopes, localizado a 310 km da capital maranhense. Com o grupo a polícia apreendeu drogas, celulares, cadernos de anotações e documentos.

De acordo com as investigações, o grupo participava de uma facção criminosa que atua no tráfico de drogas na região e era chefiado por quatro detentos que estão cumprindo pena no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Os presos Alexandro Falcão Olimpo, Carlos Henrique Araújo, Joel Maia Reis e Paulo Roberto Gomes da Silva, serão apresentados na sede da Seic para prestarem esclarecimentos sobre a participação no grupo criminoso.

“A operação de hoje foi desencadeada porque justamente nos últimos meses foram apreendidos diversas drogas e a partir disso, conseguimos identificar e qualificar todos os envolvidos nessa associação criminosa que estava atuando na região da Vila Conceição”, explicou o delegado Gil Gonçalves.

Operação foi realizada pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) — Foto: Reprodução/TV Mirante

Operação foi realizada pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic)

Em Vargem Grande secretária de saúde é convocada pela Câmara, e é abandonada por seus pares

Destacado

Uma história deveras inusitada está acontecendo nas entranhas da política de Vargem Grande. A secretária de saúde do município é convocada a prestar esclarecimentos sobre denuncias na saúde, e é literalmente abandonada pela base aliada do governo, com exceção do vereador Germano Barroso, que votou contra a convocação.

Essa decisão dos vereadores da base governista, permite ao mais desatento observador ver um leque de opções e alternativas para o gesto. Ou o prefeito não está nem aí para o que acontece na Câmara, como fez quando da ultima eleição que seu irmão Germano tentara a reeleição para presidente daquele poder, e ele ficou indiferente, ou ele não tem nenhum interesse em defender aliados, optando pela máxima,do salve-se quem puder.

Essa convocação não deixa de ser um momento muito delicado para prefeito e aliados,queiram ou não os desatentos detentores do poder.

Todos sabemos que a secretaria de saúde tem uma titular, e que essa titular é pessoa de confiança do gestor, e que quando a secretaria vai bem ou mal,o ônus e o bônus, recaem inevitavelmente na pessoa do administrador central, no caso, o prefeito.

Ou o prefeito não tem noção do grave momento que atravessa a administração, principalmente no setor da saúde, ou simplesmente entregou a frigideira na mão dos vereadores aliados, para que pudessem ajudar a oposição a fritá-la. Esse sem dúvidas, é um momento incomum.

Circulou a boca pequena, que a secretária estaria demissionária, e que sua substituta seria a ex-vereadora Eranildes Coelho, mas com o tempo, a boataria foi abortada.

Junte-se a tudo isso, os vereadores que querem a reeleição, a partir de agora, vão procurar manter-se a distância de quem não está de bem com o povo, para não comprometer o seu projeto político do próximo ano.

A arte imita a vida, e a vida tem na política uma arte. E na arte da vida e da política, amigos são como aves de arribação, se faz bons tempos eles vem, se faz mal tempo eles vão.

Vamos ver como se comportarão os vereadores da base aliada no caso da convocação dos secretários para prestarem esclarecimento sobre o seletivo “Sinal Verde”. Será que terão o mesmo comportamento?

Adolescente preso confessa que matou candidata a miss em São João do Caru

Destacado

Andreza de Araújo Romão, de 17 anos, estava desaparecida desde a noite de terça-feira (13). Adolescente foi preso e confessou à polícia que matou a jovem

Andreza de Araújo Romão, de 17 anos, foi encontrada morta na quarta-feira (14) na zona rural do município de São João do Caru, localizado a 365 km de São Luís. De acordo com a família, a adolescente estava desaparecida desde a noite desta terça-feira (13).
A polícia informou que corpo da adolescente foi encontrado com marcas de facadas em uma área de matagal.Andreza havia sido vista pela última vez perto da escola onde estudava. A adolescente havia participado recentemente do concurso de beleza Miss Caru.
Segundo a polícia, um adolescente, de 16 anos confessou seu envolvimento no crime. O menor foi apreendido e conduzido ao Departamento de Policia do município de Bom Jardim, sem lesões corporais. A polícia ainda não deu detalhes sobre a motivação para o crime brutal.

TCE AFROUXA E ADIA PRAZO QUE APURA ACUMULO DE CARGOS NO MARANHÃO

Destacado

O TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Maranhão decidiu prorrogar, pela segunda vez, o prazo para que gestores públicos estaduais e municipais informem à corte quais providências foram tomadas pelas respectivas gestões para corrigir as ilegalidades por acúmulo indevido de cargos no âmbito da administração pública.

O novo afrouxamento no cerco contra esse tipo de malandragem no serviço público ocorreu nesta quarta-feira 14, durante a sessão do Pleno, por sugestão apresentada pelo próprio presidente do tribunal, conselheiro Nonato Lago.

Conforme vem mostrando a imprensa, o primeiro prazo terminou no dia 14 de julho último, quando houve o primeiro prorrogamento, que se encerraria ontem 14.

Segundo o Cesma (Censo Eletrônico dos Servidores do Estado) mais recente, elaborado pelo próprio TCE-MA, existem cerca de 37 mil casos de acúmulo ilegal de cargos públicos no Maranhão. A maioria, segundo a análise da corte, envolve profissionais da educação e da saúde.

Ao sugerir a prorrogação do prazo em mais três meses, Nonato Lago alegou, sem entrar em maiores detalhes, haver sido procurado por diversas instituições preocupadas com as consequências das medidas para sanar esses conflitos.

De acordo com publicação no site do TCE, dentre os que procuraram o presidente da corte estão os presidentes da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB); da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT); da Famem (Federação dos Municípios do Estado do Maranhão), Erlânio Xavier; e da Seccional maranhense da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Thiago Diaz.

Eles teriam apresentado o pleito por entenderem, segundo diz o tribunal, que há diversas situações que precisam de uma análise mais criteriosa.

A votação pelo novo prazo foi unânime, tendo os conselheiros Edmar Cutrim e Jorge Pavão se pronunciado favoráveis à proposta, argumentando que a prorrogação vai evitar prejuízos e injustiças.

Fonte: Atual7

Hoje na História: Muro de Berlim é construído

Destacado

No dia 15 de agosto de 1961, dois dias depois de fechar a passagem livre entre Berlim Oriental e Ocidental com arame farpado, as autoridades da Alemanha Oriental começaram a construir uma enorme parece, que mais tarde ficaria conhecida como o Muro de Berlim, com o objetivo de bloquear permanentemente o acesso para o Ocidente. Pelos próximos 28 anos, o fortificado Muro de Berlim seria o símbolo mais tangível da Guerra Fria.

Em 1961, as tensões da Guerra Fria sobre Berlim voltaram a crescer. Os alemães orientais, insatisfeitos com a vida sob o regime comunista, estavam trocando para o lado ocidental. Entre 1949 e 1961, cerca de 2,5 milhões de alemães orientais fugiram do Leste para a Alemanha Ocidental, a maioria via Berlim Ocidental. Em agosto de 1961, uma média de 2.000 alemães orientais estavam atravessando para o Oeste a cada dia. Muitos dos refugiados eram trabalhadores qualificados, profissionais e intelectuais, e sua perda teve um efeito devastador sobre a economia da Alemanha Oriental. Para travar o êxodo para o Ocidente, o líder soviético Nikita Khruschev recomendou à Alemanha Oriental que fechasse o acesso entre Berlim Oriental e Ocidental.

Na noite de 12-13 agosto de 1961, soldados da Alemanha Oriental estenderam mais de 42 quilômetros de arame farpado no coração de Berlim. No dia 15 de agosto, eles começaram a substituir arame farpado com concreto. Durante o resto de 1961, o Muro de Berlim continuou a crescer em tamanho e, em alguns trechos, consistia em uma série de paredes de concreto de até 15 metros de altura. Elas foram cobertas com arame farpado e vigiadas por torres, metralhadoras e minas. Na década de 1980, este sistema de paredes e cercas eletrificadas se estendida por 45 quilômetros através de Berlim e 120 quilômetros ao redor de Berlim Ocidental, separando-a do resto da Alemanha Oriental. Os alemães também ergueram uma extensa barreira ao longo da fronteira de mais de 1,3 mil quilômetros entre Alemanha Oriental e Ocidental.

Em 1989, o regime comunista da Alemanha Oriental foi esmagado pela democratização que varreu a Europa Oriental. Na noite de 9 de novembro de 1989, a Alemanha Oriental anunciou uma flexibilização das restrições de viagens para o Ocidente, e milhares de pessoas exigiram passagem pelo Muro de Berlim. Diante de manifestações crescentes, os guardas de fronteira da Alemanha Oriental abriram as fronteiras. Em 1990, a Alemanha Oriental e Ocidental foram formalmente reunidas.

Brasil, Argentina e as tensões globais

Destacado

Ney Lopes

A semana começa com a derrota do presidente Maurício Macri, nas eleições primárias da Argentina.

Essas “primárias” – oficialmente chamadas de Paso (Primárias Abertas, Simultâneas e Obrigatórias)- tiveram dez pré-candidatos.

As chamadas “paso” foram criadas em 2009, com a intenção de diminuir o número de candidaturas, que concorriam na eleição. As chapas que obtiveram menos de 1,5% de votos ficaram impedidas de concorrer no primeiro turno, em 27 de outubro.

Na última eleição, quem ganhou as “paso” e o primeiro turno foi o kirchnerismo, com Daniel Scioli. No segundo turno, o vencedor foi Macri.

Todavia, as perspectivas para 2019 são diferentes e tudo indica que Alberto Fernández ganhará a eleição, no primeiro turno. Ele atuou no primeiro ano de governo de Cristina Kirchner Depois rompeu com a ex-presidente e passou a criticá-la.

Fernández é contra algumas bandeiras do kirchnerismo, como o aumento da tributação de grandes empresários.

A prova da força política do “peronismo” na Argentina é o fato do presidente Macri (anti-Peron) ter colocado como seu vice o peronista Miguel Pichetto, presidente do Partido Justicialista no Senado argentino, que tem se afastado  da ala mais à esquerda dos seguidores de  Cristina Kirchner.

A verdade é que o “peronismo” na Argentina aglutina tendências, que vão da direita à esquerda. Portanto, não pode ser encarado como grupo de extrema esquerda, o que favorece o discurso de Alberto Fernández.

Trata-se de cenário eleitoral, portanto, muito diferente do Brasil, onde a cada dia formam-se dois grupos ultra radicais de esquerda (seguidores de Lula e aliados) e de direita (o presidente Jair Bolsonaro).

A contundente derrota de Maurício Macri sacudiu os meios políticos e econômicos, gerando pânico no mercado financeiro portenho: o dólar disparou, a taxa de juros aumentou em dez pontos e a Bolsa teve a sua maior queda em 20 anos, em baixa de 37%.

Colocada a tensão política argentina no cenário internacional, se soma a disputa comercial entre China e Estados Unidos, protestos em Hong Kong, saída do Reino Unido da União Europeia e crise política na Itália. Tudo com a agravante da previsão do FMI de redução em 3.2% do crescimento econômico mundial.

Quais seriam as consequências para o Brasil?

Os Estados Unidos e a China são protagonistas de verdadeira “guerrilha”. Um tem medo do outro. A China exporta U$ 500 bilhões de dólares anualmente para os Estados Unidos.

Se perder esse mercado, a economia entra em colapso, por gerar “excedente” comercial de bens manufaturados, de quase U$ 1 trilhão de dólares.

Quem poderá comprar a produção chinesa excedente? A Europa? Certamente, não. O “Brexit” está fora de controle. Exemplo é o Reino Unido, país milenar e poderoso, que ao eleger um primeiro ministro tresloucado, já sofre consequências negativas, por manifestar  intenção de isolar-se da Europa.

A economia inglesa encolheu, inesperadamente, neste segundo semestre 0.2%, primeira redução negativa desde 2012, com  recessão já a vista.

No outro lado da moeda, os Estados Unidos ainda não conseguem responder  a pergunta feita em 2009, pela então secretaria de Estado Hillary Clinton: “Como negociar com pulso firme com o seu banqueiro?”.

Os chineses “controlam” o déficit fiscal americano de U$ 319 bilhões e a dívida pública de 22 trilhões (valor superior ao PIB do país, que é em torno de 19 bi), que aumentam no governo Trump.  Pequim “controla” esses déficits, através de volumosa carteira de títulos do tesouro americano, que lhes pertence  (“treasures”), no valor de U$ 1.12 trilhão.

Neste jogo de “perde e ganha” sino-americano, o gigante oriental guarda uma “carta na manga”, que seria a alienação nas bolsas mundiais dos seus “treasures”.

Quando os americanos venderam armas à Taiwan, os chineses fizeram essa ameaça  e Washington  recuou. Hillary Clinton tem razão: a China  é o “banqueiro”, que mais empresta dinheiro à Casa Branca.

Neste contexto de desafios globais, o Brasil terá que definir a sua política externa, sem impulsos, ou “patriotadas inconsequentes”. De nada adiantará insistir em olhar “para o próprio umbigo” e seguir aquela máxima dos nossos avós, de que a  vida “é um assunto local”.

A realidade mostra, que não é bem assim. Os valores “locais” existem, como traços de cultura, mas o mundo é uma “aldeia global”, na expressão do filosofo canadense Marshall McLuhan.

O confronto comercial sino-americano poderá favorecer o Brasil e abrir mercado para nossos produtos. Todavia, ainda existem incógnitas. Consultoria financeira inglesa assemelhou a  economia brasileira a um pequeno barco no oceano. Se o mar está calmo, mais fácil. Mas, caso as finanças internacionais sofram abalo, a recuperação econômica será prejudicada, com a desvalorização do real.

Um risco político a considerar é a “propaladíssima amizade” entre Bolsonaro e Trump. Com estilo ardiloso, o governante americano “pechincha”, de acordo com os seus “interesses”.

Essa entrada do Brasil na OTAN (Organização do Tratado Atlântico Norte) e OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) poderá significar a “isca” para amarrar o nosso país aos interesses dos Estados Unidos.

Em tal  hipótese, Trump poderá pedir “lealdade” à Bolsonaro na guerra com os chineses, o que dificultaria aumentar as nossas exportações para o gigante asiático.

Preocupantes são as relações do Brasil com a Argentina,  consideradas estratégicas para ambas nações, sobretudo quando se abre a perspectiva do Mercosul firmar acordo com a União Europeia.

A Argentina é o grande mercado de produtos brasileiros, que significou 15 bilhões de dólares, em 2018. A preocupação nasce do comportamento do Presidente Bolsonaro, assumindo posição de apoio aberto à Macri, agora rejeitado e derrotado pelo eleitorado argentino.

O que irá acontecer?

Com tantas turbulências comerciais, nunca será demais recordar, em relação aos interesses futuros do Brasil, o “temor” do samba de Beth Carvalho: “Nessa briga da maré contra o rochedo; Sou marisco e tenho medo de não ter uma saída”