MP vai investigar queimadas criminosas na Amazônia, diz Dodge

Destacado

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse hoje (26) que o Ministério Público em todo o Brasil vai investigar a realização de queimadas criminosas na região da Amazônia Legal. Segundo a procuradora, inquéritos serão abertos para investigar ações em terras federais, como unidades de conservação, e terras estaduais, apurações que ficarão a cargo dos MPs locais. 

A estratégia de combate aos incêndios criminosos na Amazônia foi definida nesta tarde em reunião extraordinária da Força-Tarefa Amazônia, que atua desde o ano passado no combate aos crimes de grilagem, desmatamento e mineração ilegal. 

Segundo a procuradora, há indícios de que atuações criminosas combinadas provocaram diversos focos de incêndio na região. 

“Há suspeita de ação orquestrada, há suspeita de uma atuação que foi longamente cultivada para chegar a esse resultado. O que nós percebemos na conversa de hoje é que há sinais disso, há elementos que justificam abertura de inquérito para investigar e punir esses infratores”, afirmou. 

Mais cedo, a procuradora defendeu no Supremo Tribunal Federal  que R$ 1,2 bilhão do valor pago pela Petrobras em um acordo com autoridades dos Estados Unidos no âmbito da Operação Lava Jato seja destinado para o combate ao fogo na Amazônia.

Na semana passada, a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, por iniciativa do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez o mesmo pedido em manifestação enviada ao STF. 

Assaltantes invadem casa, fazem o terror e agridem proprietários em Lago da Pedra

Destacado

Uma família de Lago da Pedra viveu momentos de terror na madrugada desta segunda-feira (26), quando foi vítima de dois assaltantes no Bairro Cacau.

Por volta das 1h, a dupla invadiu a residência portando armas de fogo e realizou um verdadeiro arrastão na casa. Os moradores, que estavam dormindo, foram surpreendidos e amarrados. Os bandidos agiram de forma bastante truculenta e, com requintes de crueldade, agrediram fisicamente as vítimas. 

A dupla roubou celulares, jóias, dinheiro, além de vários outros objetos de valor dos moradores. Até o momento não há registro de prisão dos assaltantes.  

Filho de major da PM é morto a tiros em festa no Maranhão

Destacado

Segundo a polícia, Roger Amorim de Sousa teria sido confundido com outra pessoa quando foi assassinado no domingo (25) em Imperatriz.

Por G1 MA


Filho de major da PM é morto a tiros em festa em Imperatriz

Filho de major da PM é morto a tiros em festa em Imperatriz

O filho de um major da Polícia Militar (PM) morreu ao ser baleado em uma festa no domingo (25) no bairro Parque do Buriti, em Imperatriz, a 626 km de São Luís.

Segundo a polícia, a vítima identificada como Roger Amorim de Sousa, estava na festa quando uma pessoa se aproximou dele e perguntou sobre as ameaças que ele havia feito.

Roger Amorim de Sousa estava na festa quando uma pessoa se aproximou e efetuou os disparos. — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Roger Amorim de Sousa estava na festa quando uma pessoa se aproximou e efetuou os disparos.

Ainda de acordo com a polícia, Roger respondeu que não era ele, mas acabou levando os disparos na cabeça. Ele teria sido confundido com outra pessoa e foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel Urgente (Samu), mas não resistiu e morreu ao dar entrada no hospital.

Roger Amorim é filho de um major da PM e a polícia já descartou a possibilidade do crime ter relação com a profissão. A Polícia já encontrou um suspeito, mas não divulgou o nome.

OPERAÇÃO CONJUNTA ENTRE PM E PC, PRENDE INTEGRANTE DE FACÇÃO AUTOR DE DIVERSOS HOMICÍDIOS OCORRIDOS RECENTEMENTE NA CIDADE DE ROSÁRIO

Destacado

Luís Henrique Costa Fonseca, vulgo “Juju”, mecânico, residente na Rua da Faixa, n• 1412, Vila Pereira, Rosário/MA,  Dailton Viana, vulgo “Negão”, barbeiro, residente na Rua da União, n• 255 B, São Francisco, São Luís/MA, e Weslley Costa Govêa, vulgo “Júnior”, borracheiro, residente na Rua Padre Possidônio, n• 50, Bairro Corrente foram presos pelas equipes da Polícia Militar e Polícia Civil.
Segundo a polícia a prisão de JUJÚ, indivíduo de alta periculosidade, que teria saído do presídio recentemente e teria participado de diversos homicídios na situação de disciplinador da facção criminosa Bonde dos 40, se deu em cumprimento de mandado de prisão n• 513.94.2019.8.10.0115 (514/2019), que direciona ao duplo homicídio praticado na Ilha do Ivar, em que ele e seus comparsas teriam decapitado a cabeça dos seus desafetos. As outras acusações são referentes ao homicídio no povoado São Simão onde teria degolado um outro desafeto e por último houve a acusação que o indivíduo teria matado as duas mulheres em Rosário, sendo que uma delas seria sua ex-companheira, que teria rompido o relacionamento quando ele estava cumprindo pena, além das duas estarem na condição de devedora de dinheiro da droga na facção criminosa que participavam.
No momento da abordagem o acusado foi encontrado com drogas e estava em companhia  dos indivíduos acima descritos.
Todos foram encaminhados a DP para as devidas providências. O fato aconteceu no período da manhã do sábado, 24.

Materiais Apreendidos:
-Uma quantia de praticamente 300 g (trezentas gramas) de substância semelhante à maconha;- 03 (três) rolos de papel filme;- 01 (um) relógio, marca Oriente;- 01 (um) cordão;- 02 (dois) anéis;- 13,00 (treze reais) em espécie e- 01 (uma) bolsa.

FILHA DENUNCIA PAI POR ESTUPRO EM REDE SOCIAL NO MA: ‘TINHA QUE BEIJÁ-LO À FORÇA’

Destacado

Uma mulher relatou em uma rede social que era estuprada pelo pai e que a mãe era conivente do crime, que estaria acontecendo dentro da casa da família em Governador Newton Belo, a cerca de 115 km de São Luís.

Após a postagem, neste domingo (25) a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Zé Doca prendeu o casal Edmar Cavalcante Neves e Rosinete Neves.

Segundo a vítima, ela era forçada a beijar o pai. Ela diz ainda que, ao contar o caso, foi ignorada e desprezada pela própria família, que estaria culpando as pessoas erradas.

A Polícia Civil preferiu não dar detalhes sobre o caso para preservar a vítima e as investigações, como também não informou o porquê da vítima preferir denunciar pelas redes sociais, ao invés de ir a uma delegacia.
A delegada responsável pelo inquérito informou ao G1 que a vítima saiu da cidade e que foi pedida a prisão temporária dos pais por 30 dias para a conclusão das investigações. Edmar Cavalcante foi encaminhado para a Unidade Prisional de Ressocialização de Zé Doca, enquanto Rosinete Neves foi enviada a São Luís para ficar em um presídio feminino.
Do G1

Dutra passa por seis cirurgias e estado de saúde é grave

Destacado

Em entrevista exclusiva a O Imparcial, Nathália Dutra filha do prefeito Domingos Dutra que está internado na UTI do Hospital São Domingos revelou o drama vivido pelo pai e a guerra travada com a sua esposa Núbia Dutra

Por: Samartony Martins

Após um mês de internação por conta de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), o estado de saúde do prefeito Domingos Dutra de Paço do Lumiar, na Região Metropolitana de São Luís é considerado grave.  A informação foi confirmada com exclusividade aO Imparcial pela sua filha Nathália Dutra, de 34 anos que está acompanhando de perto toda a situação. 

Segundo Nathália Dutra, desde que o seu pai foi internado no dia 23 de julho na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Domingos, Dutra já teria passado por seis cirurgias. A primeira foi de “cabeça aberta” para a descompressão do cérebro, pois a pressão na região da cabeça estava grande.  Depois da cirurgia, o prefeito de Paço do Lumiar passou por um procedimento menos invasivo, que foi a colocação de cateter via artéria na altura do pescoço para a retirada do coágulo do cérebro. Ainda de acordo com o relato feito por Nathália Dutra, a situação foi se agravando quando ele passou uma semana em coma induzido e o intestino de Dutra parou por conta de uma trombose no Abdômen. Os médicos tiveram que colocar uma bolsa de colostomia. Em seguida, Dutra teve uma trombose na perna esquerda onde foi necessário colocar um crivo na virilha. “O organismo do meu pai, segundo os médicos está com uma trobofilia, ou seja, o organismo está com uma tendência de ter trombose. E eles estão investigando para saber as causas que estão ocasionando isso que pode ser em decorrência de um tumor ou da deficiência de uma enzima. Então eles estão investigando para saber o porque ele está tendo essa série de trombose” contou Nathália Dutra.  

Nesta semana, o prefeito de Paço do Lumiar também passou por outra cirurgia estética na cabeça, uma vez que parte do seu cérebro havia sido retirada, e, devido a isso, o seu crânio ficou com um leve rebaixamento. Nathália Dutra  revelou que na última terça-feira (20) Dutra recebeu uma placa de titânio para fazer a reconstrução da cabeça, pois um lado do cérebro estaria pressionando o outro.

“O médico nos alegou que iria solicitar de São Paulo uma placa para fazer uma cirurgia bem feita esteticamente e que a cirurgia teria sido adiantada à pedido da esposa, Núbia Dutra. “Ocorre que o organismo teve uma rejeição e que o cérebro começou a inchar, teve um edema e a placa de titânio teve que ser retirada. Agora eles vão ter que esperar ele se recuperar daqui há duas semanas. Fui informada que os médicos vão fazer esta a encomenda da nova placa de titânio em São Paulo para que ele faça esta nova cirurgia. Agora é aguardar. O médico tranquilizou meu irmão Daniel que ele não tem condições de ser transferido para São Paulo, como está correndo um boato pela cidade. Eu até concordaria se for para um melhor tratamento e recuperação dele, apesar de nós sabermos que ele for acompanhado de Núbia Dutra não vamos ter notícias de seu estado de saúde”, contou Nathália Dutra.         

Quando não mata, o AVCI deixa sequelas que podem ser leves e passageiras ou graves e incapacitantes. As mais frequentes são paralisias em partes do corpo e problemas de visão, memória e fala. Questionada sobre quais as sequelas deixadas pelo derrame ou isquemia cerebral, Nathália Dutra, revelou que Domingos Dutra está com o lado direito todo paralisado e ele não está falando. “Por ele não está falando a gente não sabe o nível de consciência que ele tem da memória. As vezes a gente faz pergunta para ele se esta reconhecendo e ele balança com a cabeça dizendo que sim. Mas um dia o médico perguntou: “Dutra você está em casa?”, aí ele balançou com a cabeça dizendo que sim. Então a gente não tem como avaliar porque ele não está falando e não sabemos se ele está consciente sobre o seu estado”, acrescentou a filha de Dutra que tem 64 anos e cumpre o primeiro mandato à frente da Prefeitura de Paço do Lumiar

Uma guerra familiar

Nathália Dutra

Nathália Dutra que é engenheira agrônoma revelou a O Imparcial que só soube do AVC sofrido pelo pai por meio de grupos de whattsap e por blogs. A filha de Domingos Dutra explicou que estava colocando sua filha  para dormir, e que pegou um susto quando soube do fato. Ela afirma que ninguém ligada a Núbia Dutra ou pessoas ligadas à administração da Prefeitura de Paço do Lumiar haviam entrado em contato com ela sobre o ocorrido. “Nunca tivemos um bom relacionamento eu e meu irmão Daniel com ela, apesar de quando pequenos íamos para Brasília passar férias. Mas quando crescemos, fomos nos distanciando. Recentemente a gente nem sabia onde ele morava, não ia na casa dele. Só tinha relação com ele por telefone ou quando eu o encontrava na prefeitura em Paço do Lumiar onde eu sou concursada desde 2014. Papai sempre teve uma ligação forte comigo e minha filha, só que por conta da relação dele com Núbia acabamos nos afastando”, disse ela.

A filha de Dutra contou que no dia em que seu pai teve AVC ela teve acesso ao seu pai, mas com o passar do tempo a relação ficou tensa, após a vice-prefeita Paula da Pindoba ter assumido o cargo e que a mesma daria um golpe com o apoio de Daniel, filho de Dutra. “Eu estava com uma viagem paga com toda a minha família para Rio Grande do Sul onde iriamos acompanhar a defesa da tese de doutorado de minha cunhada quando papai teve o AVC uma semana antes. E a partir daí ela começou a restringir o acesso à visitação dos familiares. Quando eu viajei a bomba estourou. Meu irmão entrou na justiça para garantir o nosso direito de ter acesso à visitação. Fomos acusados de estarmos interessados em herança, o que não é verdade. Daniel entrou na justiça e ganhou uma liminar que dava o acesso a visitar o nosso pai na UTI. O caso também foi denunciado na Promotoria do Idoso. No Dia dos Pais eu consegui dormir com meu pai. Após isso comecei a ter dificuldades. Chegamos travar uma briga com o jurídico do hospital que restringiu a nossa visitação. Tivemos que entrar na justiça para que eles deixassem a gente ter acesso. Por isso, procuramos a imprensa para denunciar a situação”, narrou Nathália Dutra.

Confrontos também na justiça

Nathália Dutra, afirma estar preocupada, pois a Promotoria do Idoso não poderá mais acompanhar o caso, porque Núbia Dutra entrou com um pedido na Justiça de tutela e  curatela, que é uma proteção jurídica requerida em um processo judicial. Nele, uma pessoa de confiança é nomeada para cuidar do curatelado, de forma a auxiliá-lo nas decisões que envolvem a sua vida.. “O promotor me justificou que não poderia haver dois processos, e tudo que ele estavas investigando ele teria que mandar para a Promotoria de Paço do Lumiar. Nos orientou a ingressarmos na justiça como partes também com um pedido na justiça para que o juiz no ouça e tentar impedi-la. Não entendo, porque papai não tem mais nada no nome dele. Tudo é no nome dela. Nós não estamos interessados nos bens. Só se for uma questão posterior, até mesmo porque ela nunca teve emprego. O que queremos é que essa situação se contorne. Papai não merece ficar nesse fogo cruzado. Na verdade ninguém. O nosso temor é que quando ele receber alta como a gente vai ter acesso, se no hospital a gente está tendo toda essa dificuldade. Espero que o bom senso prevaleça”, finalizou Nathália Dutra.

A Romaria a Paulica e as tendências políticas

Destacado

Quando se aproximam as eleições municipais, muitos observadores começam a ver a tendência das lideranças políticas na caminhada da Igreja Matriz até o povoado Paulica, e quem são os visitantes ou hospedeiros de suas barracas. Para onde caminham, as lideranças, e com qual provável candidato estarão no próximo pleito.

O povoado Paulica, para onde é feita a Romaria do dia 22, para muitos serve de base o comportamento dos romeiros-políticos que participam do evento. Qual a tendência deles. Isso é fato inconteste.

A maioria dos detentores de mandato, montam as suas barracas para avaliar a sua força política para o próximo pleito. Todo ano é assim, E esse ano, não foi diferente.

Na barraca do vereador e presidente da Câmara, Braga, pude observar através de fotos a presença de vereadores com mandato, outros pré-candidatos a vereadores, bem como, pré-candidato a prefeito no ano 2020, estavam lá.

Estavam na barraca do vereador-presidente,, além do vereador Diego da Madeireira, o empresário e pré-candidato a prefeito Geraldo Rodrigues. Pelas imagens, eles passam segurança naquilo que objetivam. Estão convictos do que querem. A grande maioria será mesmo, opositora do CB.

E como a alguns dias mencionei em uma outra postagem que ainda não tinha visto a “biruta” política apontar o rumo do G4, ontem, vendo as fotos, não tenho dúvidas que esse grupo estará no palanque de oposição a atual gestão.

Pesa e muito, entre outras promessas feitas pelo prefeito Carlinhos Barros, o abastecimento de água que está a quatro meses, do terceiro ano do mandato, e até agora não foi resolvido. Essa foi uma das mais fortes bandeiras de campanha que entusiasmou o eleitor.

Fizeram valas, colocaram canos, no período da eleição de governador e deputado, mas ao final das contas, a água tão desejada, não chegou a torneira da casa do consumidor-eleitor. E é bom lembrar, que mesmo chegando, o consumidor vai pagar a conta. E para paga-la, tem que ter uma fonte de renda, ou um emprego. E pras bandas da VG, as coisas não andam bem nesse sentido.

Em Codó menor é apreendido com arma de fogo de fabricação artesanal

Destacado

Registro de abordagens durante a noite de quinta feira e madrugada desta sexta-feira, 23/08.

Guarnições do 17° BPM realizaram blitz e desarmamento até às 23:00 hs na av. Santos Dumont, entrada da rua Carlos Palhano e em outros diferentes locais de Codó.

Nas abordagens da tarde, foi apreendido um menor, 16 anos, portando uma arma de fogo de fabricação artesanal, plenamente funcional e carregada com um cartucho calibre 20. Apesar de ser menor, o jovem aprendiz do crime já é conhecido pelas guarnições pela prática de roubos e tem como meio de vida a atividade criminosa.

As operações seguem contínuas e em vários pontos estratégicos da cidade.

Deus seja louvado!!

ASSECOM/17° BPM

HOMEM INVADE CLÍNICA E TENTA ESTUPRAR FUNCIONÁRIA EM CODÓ

Destacado

Na tarde de sábado, policiais militares do 17° BPM prenderam o indivíduo Wesley Richardson de Barbosa Bayma, 25 anos, residente na Rua Pedro Alvares, bairro São Francisco. O conduzido é acusado de ter invadido uma clínica odontológica, na sexta-feira (23), por volta do meio dia, onde tentou abusar sexualmente de uma funcionária e ainda ter levado o celular da mesma. Ao ser reconhecido por imagens de monitoramento, a Polícia Militar iniciou as buscas, prendendo o acusado  e recuperando o telefone celular da vítima.

O celular e o conduzido foram encaminhados ao Plantão Central da Polícia Civil, para as providências de Polícia Judiciária.

ASSCOM 17°BPM

Hoje na História: Nasce Madre Teresa de Calcutá, prêmio Nobel da Paz

Destacado

No dia 26 de agosto de 1910 nascia em Skopje, na Macedônia, Teresa de Calcutá, uma feira católica de etnia albanesa que depois se naturalizou indiana. Ela foi a fundadora da ordem das Missioneiras da Caridade e também recebeu o Prêmio Nobel da Paz. Agnes Gonxha Bojaxhiu, como é o seu verdadeiro nome, ingressou aos 18 anos na Ordem das Irmãs de Nossa Senhora do Loreto, na Irlanda. Ela estudou em Dublin, na Irlanda, e em Darjiling, na Índia, antes de aceitar os votos religiosos, em 1937. Seguiu com seus trabalhos em um colégio católico em Calcutá, onde ajudou os doentes e, em 1948, pediu permissão para deixar seu posto no convento e dedicar-se somente à ajuda aos doentes. Mais tarde, a ordem das Missioneiras da Caridade foi reconhecida como uma congregação pontifícia sob a jurisdição de Roma. Seus membros, além dos votos de pobreza, castidade e obediência, têm que assumir um quarto voto: a promessa de servir aos pobres, a quem Madre Teresa descrevia como encarnações de Jesus. Após abrir um centro em Calcutá, em 1952, ela estendeu a ordem por todos os continentes. Em reconhecimento ao seu trabalho, ela foi agraciada com o Prêmio Nobel da Paz em 1979. Em 1990, o papa João Paulo II pediu que realizasse suas tarefas com menos rigor, já que sua saúde estava fragilizada mas, mesmo assim, ela não abandonou suas atividades. Madre Teresa morreu no dia 5 de setembro 1997 em Calcutá e, em outubro de 2003, foi beatificada por João Paulo II.

Amazônia: cobiça internacional

Destacado

Nelson Valente

“Existe uma altíssima concentração de renda, com seus atores aliados aos ‘coronéis’ da política local, proprietários de latifúndios, que se tornam imunes às ações da justiça”.

Amazônia, terra grandiosa, de dimensões gigantescas, de baixíssima densidade demográfica. As narrativas sobre a Amazônia reforçam imagens de uma terra que necessita ser ocupada e de uma gente que precisa ser ‘civilizada’ para fazer frente à cobiça mundial.

Cinco séculos depois da chegada dos colonizadores, o imaginário sobre a região ainda traz muitas semelhanças com os relatos da época do Brasil Colônia. Poderes institucionais e conhecimentos guardados na memória vêm agenciando um cenário ideal sobre os chamados ‘povos da floresta’.

i

Para uma grande parte dos brasileiros, a Amazônia ainda é uma grande área desconhecida do país. Distante, geograficamente, dos centros de decisão da política brasileira, a região vem sendo trazida a público em nome de uma floresta, que em um breve futuro pode ser a salvação mundial.

A riqueza natural, a biodiversidade, as contribuições vitais para a saúde do planeta estão no centro das narrativas. Sobre a região que corresponde a 59% do território brasileiro ou 5 milhões de km2.

Ao analisar as páginas dos jornais impressos brasileiros, de 1970 a 2000, observa-se que a ditadura militar exerceu um papel importantíssimo de ressiginificação da Amazônia, quando os militares a tratavam como espaço vazio e decidiram planejar estratégias de ocupação da região. É a época da construção das rodovias Transamazônica e Belém-Brasília e dos slogans “Integrar para não entregar” e “Amazônia: desafio que unidos vamos vencer”, que teve como auge o governo do presidente Emílio Médici. É a partir dos anos 70 que a Amazônia passa a ser assunto constante na mídia impressa nacional. A partir dos anos 80 o tema conquista de vez a mídia internacional, efeito da politização crescente do discurso ecológico em nível mundial.

Aos olhos do mundo e do Brasil, a Amazônia aparece nacionalmente como subdesenvolvida à espera de penetração, solução, legalização para que possa adequar-se aos ‘interesses’ nacionais e estrangeiros. Retrata uma ‘vontade de poder’ mundial sobre uma região que pode ser a salvação da humanidade.

Em suplemento especial de 28 de janeiro de 2007, o Jornal do Brasil aborda o tema regional. A manchete de primeira página “Amazônia em perigo” é acompanhada de pequena chamada para os perigos da ocupação estrangeira. São “colossais territórios insuficientemente povoados e protegidos excitam a cobiça de outros países, sobretudo quando parece tão vulnerável a forasteiros uma demasia de jazidas minerais, pedras preciosas, madeiras de lei, animais exóticos, plantas medicinas raríssimas”. Ao longo de oito páginas, o suplemento expõe um texto altamente superficial, no sentido de que pouco traz casos consistentes do que diz ser a invasão da Amazônia por estrangeiros.

A primeira matéria intitulada “Americanos lideram invasão estrangeira”, de Augusto Nunes, chama a atenção para a grandiosidade e riqueza da Região. É notório que o repórter não foi a campo, baseando-se apenas em relatório do Grupo de Trabalho da Amazônia, coordenado pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Apela à ameaça da invasão estrangeira, ignorando as ameaças e conflitos graves que se espraiam no cotidiano da região. Nomeia a Amazônia como desocupada à mercê da cobiça internacional.

É o que mostra reportagem especial de capa da Revista Veja, de março de 2008, intitulada “Amazônia: a verdade sobre a saúde da floresta”. Imagens da mata virgem e queimada abrem a matéria.

Ao longo de 22 páginas a revista se propõe a encontrar a ‘verdade’. Com ‘gráficos extraordinários’, o texto apresenta ‘verdades’ em oposição ao ‘senso comum’ sobre a região. A ameaça é sempre do homem à mata. Mais uma vez, as populações tradicionais são invisibilizadas. A importância da floresta para o mundo é o que salta aos olhos.

A estranheza Amazônica vem à tona, por exemplo, durante a série de matérias Desejos do Brasil, exibida pelo Jornal Nacional. A proposta da equipe do telejornal de rede mais antigo do Brasil era desvendar os desejos da nação às vésperas das eleições presidenciais de 2006. Durante 60 dias, longe dos cenários da televisão, sediada no Rio de Janeiro, a equipe queria ver de perto os desejos dos brasileiros.

Apesar da proximidade, o texto revela o distanciamento no encontro com a região: “a selva, o rio, o barco (pausa)… outro mundo” (câmera se desloca em 360º mostrando apenas céu, mata e água no Rio Amazonas), na voz do enunciador. É sempre um eu pensando o outro, um ponto de vista, uma perspectiva e uma consciência opostos à unidade da visão.

O texto resulta da representação do dito e do não dito. Por isso, é ambivalente, dicotômico, relacional e mesmo quanto apela para a racionalidade e objetividade, atributos do jornalismo, será marcado por sentidos pré-existentes.

Será uma versão entre outras por mais que se toque no objeto à exaustão. A linguagem torna-se ficção com relação a uma realidade cotidiana que não tem mais linguagem. Há um apagamento do real em nome de uma fragmentação discursiva, que elege, nomeia, rotula, enquadra.

No mundo midiático, digital, instantâneo, a informação é cada vez mais estilizada, pasteurizada, e os fatos recortados da realidade sem nexo, sem contexto, sem passado, sem história, sem memória, numa destruição clara da temporalidade, como se o mundo fosse um eterno videoclipe. Dessa forma, mais confunde do que esclarece e mais deforma do que forma.

Com o uso da internet, o volume de informação dificulta a compreensão num mundo caleidoscópico, que se apresenta em forma de mosaico sem nexo, que vive transfigurando e refigurando o espetáculo da vida como se o confundisse com um reality show.

E quando a telinha do computador se abre, o portal do mundo está aberto. Entretanto, permeando tais informações, há uma grande quantidade de “lixo informacional” invadindo nossos lares todos os dias. O cerne da questão está no fato de que o volume de informação não garante a qualidade.

Exmº Sr. Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro

Educação Ambiental é uma nova forma de educar, ampla e significativa (uma “meta-educação”). Tem como ponto de partida e de chegada o próprio meio ambiente e, como preocupação maior, a melhor qualidade de vida.

A Educação Ambiental, se bem aplicada, leva o estudante a uma real integração com o ambiente onde vive, que, na realidade, é a continuação do seu próprio corpo e, como tal, tem que ser conhecida, respeitada e preservada.

Será imprescindível, de agora em diante, a inclusão do tema educação ambiental nos currículos das Faculdades de Educação, bem como sua promoção em nível de pós-graduação. Pelo caráter inovador da Educação Ambiental, precisamos de técnicos, praticamente inexistentes nessa área. O que possuímos atualmente são pesquisadores que se aprofundam no assunto por autodidatismo.

O texto constitucional prevê a promoção da educação ambiental “em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para preservação do meio ambiente”. Em outras palavras, busca-se o apoio da população para a solução dos problemas ambientais. Acreditamos que exista uma consciência ecológica, embora ela ocorra de maneira incipiente.

O que prevalece é a presunção errônea de que nossos recursos naturais são inesgotáveis, dando margem à política do usufruto desmedido e imediato, sem preocupações quanto ao empobrecimento ou exaustão.

No caso específico da educação ambiental, a maioria das constituições estaduais tem adotado em seus textos a determinação de que ela seja implantada. Deve-se buscar um meio de compatibilizar ecologia e desenvolvimento, de forma responsável. “Ecodesenvolvimento” é o termo que vem sendo usado para definir essa nova postura.

Não devemos parar de crescer industrialmente; ao contrário, devemos buscar o desenvolvimento sustentável, que pressupõe o respeito pela preservação ambiental. Limitar o crescimento econômico, ao contrário do que pensava, só ajuda mesmo a agravar as condições ambientais dos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento.

Algumas empresas têm ajudado muito na preservação do meio ambiente. Os exemplos são bastante representativos. Esso, White Martins e Souza Cruz adotaram parques e reservas e têm investido verbas consideráveis na aquisição de materiais e equipamentos.

A Petrobrás tem projeto pronto para desenvolver o “turismo ecológico”, visando à preservação dos 34 parques nacionais. Basta apenas que a empresa aparelhe o Ibama com recursos humanos especializados para que não ocorram atividades predatórias. O turismo feito de forma orientada e consciente pode ajudar na conservação.

A questão ambiental adquiriu contornos universais, como se pode verificar pela polêmica em torno da camada de ozônio e o papel de discussão em torno da possibilidade (cientificamente não comprovada) de sermos hoje pulmão do mundo.

Tudo o que conseguimos foi arranhar a consciência individual. Mas há ainda, certamente, uma consciência coletiva.