Basta! Vargem Grande não aguenta mais tanta violência

Parece até oportunismo, mas não é. É raro o dia em que lemos mensagens nas redes sociais de pessoas que moram em Vargem Grande, e não nos deparamos com um tipo de violência descrito naquele meio de comunicação. Vão desde assaltos, roubos, furtos, agressões físicas, assassinatos, e até negligência administrativa. Tudo isso é violência.

Nossa sociedade na maioria das vezes omissa, torna-se por omissão conivente. Acompanhamos o sumiço de diversas pessoas, mas como não era de nossa família, cruzamos os braços. Alguns chegam até a afirmar que isso é caso de polícia e não temos nada a ver com isso. Infelizmente esse é o sentimento que domina nossa terra e nossa gente.. E o pior, nem cobramos do estado uma ação e a sua resposta para esses casos. Isso é comodismo.

Dia 1º de maio, mais um ato estúpido de violência cometido contra uma pessoa que nasceu e se criou em Vargem Grande, tendo no seu curriculum uma única luta. A da sobrevivência. E aí, vamos ficar calados? Uma mulher, mãe, sem discussão, sem briga, é executada no centro da cidade, quando buscava produtos de vendas para o sustento seu e de sua família. Esse caso, não demora muito e será esquecido, como muitos outros, e será tão somente, um número a mais nas estatísticas do crime no município.

Você sabia que para manter um carnaval de paz em um espaço delimitado para foliões, Vargem Grande hospedou nesse período mais de 100 policiais? E isso foi muito bom. Graças a DEUS, nesses dois anos, não foi registrado nenhum homicídio, e nenhuma lesão mais grave.

Talvez você não saiba, mais os pequenos empresários dessa terra patrocinaram com R$ 5.000,00 cada um, o nosso carnaval, a cada ano, na atual gestão.. Os maiores empresários chegam a soma de R$ 100.000,00 (cem mil reais) e isso tudo para proporcionar poucas horas de alegria para uma grande quantidade de foliões turistas. Ao total, tenho certeza, que as doações ultrapassaram a casa de um milhão de reais.

Isso daria para construir um prédio para o Quartel com todos os cômodos com requinte e luxo necessários, para abrigar uma quantidade de policiais que pudessem fazer a segurança dos empresários, suas empresas e a população como um todo. Além disso, equipar a unidade policial, com equipamentos modernos de comunicação, instrumentos indispensáveis para a segurança das pessoas, e ainda sobraria dinheiro para alimentação dos policiais por um longo período.

Mas se fizermos uma campanha nesse sentido quem se atreve a dor 50 sacos de cimento? um milheiro de tijolo ou telha? Birôs, cadeiras, camas, colchões, lençóis,entre outros, quem doaria? Queremos um grande carnaval, por isso patrocinamos. Queremos também segurança e por que não colaboramos, só reclamamos?

A segurança é um dever do estado, mas devemos fazer a nossa parte. Em Urbano Santos os empresários ajudaram na construção do quartel e não se arrependem. Policial é um ser humano como todos nós, e deve ter as melhores condições para o exercício de sua função. Fizemos um carnaval sem problemas e sem violência, porém depois, tudo volta como dantes, com o aparelho de segurança reduzido, e os problemas da segurança se multiplicando.

Nossa cidade ainda é pequena e com vontade política e determinação, podemos reverter esse quadro. E como perguntar não ofende, vai a pergunta: Quem se sente seguro em Vargem Grande?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *