Assassinato de motorista de aplicativo não tem relação com a atividade; ele foi deixar a namorada em casa

Diego Ribeiro da Silva foi assassinado na região de Pedrinhas na terça-feira (7) com três tiros na cabeça.

O motorista de aplicativo Uber, assassinado na região de Pedrinhas, em São Luís, na noite de terça-feira (7), não foi atender corrida, como informado anteriormente, com base em relatório de ocorrência.
Diego Ribeiro da Silva, de 35 anos, estava dentro do veículo Fiat Punto, placa OJN-1959, acompanhado da namorada, quando foi surpreendido pelo assassino que fez três disparos de arma de fogo que o atingiram na cabeça.
Ele ainda foi socorrido por populares e levado ao Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão1, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
Pelo relatório da ocorrência, divulgado às primeiras horas da manhã, constava a informação de que a vítima trabalhava como motorista do aplicativo Uber e que teria ido atender a uma solicitação de corrida na Vila Cabral, em Pedrinhas. A chegar ao local, foi morto a tiros.
Posteriormente, A Superintendência de Homicídios e Proteção às Pessoas (SHPP) constatou que não. Diego Silva não era motorista de aplicativo
Pelas informações, o motorista, que já foi morador do bairro, havia ido deixar a namorada em casa, e os dois estavam dentro do carro. Ele foi surpreendido pelo assassino, que se aproximou e fez três disparos que o atingiram na cabeça. A namorada não foi atingida.

O assassino é, possivelmente, um adolescente que deve ser apreendido ainda nesta quarta-feira (08). Ele já está identificado e os policiais estão em diligências para localizá-lo.
O motorista assassinado residia no Condomínio Novo Tempo, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no bairro Cohafuma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *