JORGE MOTTA Os defensores de bandidos

A gritaria na mídia contra o Decreto editado pelo governo com a nova regulamentação sobre o porte e a compra de armas, é na verdade, manifestação dos defensores dos bandidos que não precisam de autorização para matar, estuprar, invadir residências, explodir caixas eletrônicos de bancos e tantas outras violências.

Ao longo dos últimos 15 anos, aproveitando-se da “política dos direitos humanos”, tão festejada pelas esquerdas comunistas e festivas, reunidas em convescotes regados a bons vinhos, com apoio integral dos “artistas” bancados pela dinheirama distribuída através da LEI ROUANET, os criminosos urbanos se fartaram de encurralar o cidadão de bem, sem que este tivesse a mínima capacidade de reação. Isso para não falar das invasões dos “sem terra” devastando fazendas produtivas, impondo o terror nas áreas rurais.

Passeatas com milhares de desocupados recebendo transporte e cachê para infernizar os centros urbanos como Brasília, e quantas mais capitais de estados, aplaudiam os facínoras, relegando a população à condição de prisioneiros.

Ora, senhores defensores de bandidos, a classe média brasileira acordou do pesadelo a que foi submetida, e o fez através do voto secreto, democraticamente.

Respeitem os vencedores, agora haverá reação, o bandido já sabe que haverá resistência.

Não chorem por bandido morto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *