O grande culpado

José Maurício de Barcellos0

Quero falar das últimas manifestações de 26 de maio e do que elas representam. Inicio dizendo que, obviamente, ficou evidenciado que o fantástico movimento popular verdadeiramente revolucionário do ano passado, que costumo chamar de MRP 2018, permanece vivo, íntegro, determinado e tão forte como surgiu e, para desespero dos contras, muito mais experiente. Seu povo convicto e determinado está agora seguro de que ele próprio – e não uns segmentos pré-fabricados ou qualquer liderança que seja – foi quem elegeu o líder que vai levá-lo ao sucesso e à vitória irremediavelmente, por qualquer caminho que se fizer necessário. Que os contrariados e os inconformados entendam como melhor lhes aprouver. Tudo pode acontecer da forma mais fácil e suave ou difícil e sofrida, mas acontecerá. Brasil não volta para as mãos dos maus de forma alguma. É isto que o povo gritou nas ruas e nas praças dessa vez.

Ao longo da semana que antecedeu ao dia das manifestações a extrema imprensa, a classe política nociva e pérfida juntamente com os sempre desprezíveis intelectuais de esquerda e seus fanáticos seguidores, sem falar dos vendidos movimentos sociais, corporativos e sindicais, todos torciam no sentido de que a onda verde e amarela que tomou o Brasil de norte a sul mais esta vez, agora viesse a fracassar, para a partir deste fato gritar: morte ao Capitão!

O povão está atento,
podem ter certeza
os canalhas de sempre.

Estava tudo ardilosamente preparado e, solertemente, escondido. Vi deformador de opinião escrever nas entrelinhas de suas covardes detrações nos jornalões que Bolsonaro iria se arrepender de ter convocado o povo para se manifestar a seu favor, comparando-o ao ladrão esquizofrênico Collor de Mello. Vi chupim da máquina pública e nababo das corporações cochichar entre si que se este movimento das famílias e dos homens de honra fosse menor do que a passeata dos estudantes das “cracoversidades” estaria dado o sinal para o impeachment de Bolsonaro. Vi o sorriso maldoso transparecido nos escritos dos FHC’s da política ou dos patifes “uspinianos” sonhando com a oportunidade de se regozijar com a prematura derrocada de um governo que estão tentando impedir de começar. Nesta linha ouvi o bandidaço Renan (muitas vezes réu no STF) dizer que o governo Bolsonaro se ferrou na largada e que estaria prestes a se esborrachar, tanto quanto agora, já passada a incrível demonstração de força do povo nas ruas, vejo um “carcamano da esquerda esperta” do jornal “O Goebbels” se espremendo todo para convencer os incautos que denunciar o Congresso Nacional como corrupto e o Supremo como uma vergonha nacional é pura vontade de dar o golpe.

NotíciasRelacionadas

Aéreas e Anac usam lorota contra mala gratuita

Chegou a primeira

Pessoalmente eu sabia que avaliação daquela gente estava completamente equivocada. Não havia mesmo a menor chance que os quase 60 milhões de cidadãos que votaram em Bolsonaro o abandonarem e logo no primeiro embate. O povão está atento, podem ter certeza os canalhas de sempre. Não há um homem de bem que não tenha percebido as manobras encetadas pela classe política para garrotilhar o Presidente. Será que o imbecil Rodrigo Maia imagina que ninguém está vendo suas ressentidas vinditas contra a surra que ele e seu pai – brizolista de triste memória – levaram nas ruas dos filhos do Capitão. Nenhum cidadão medianamente aculturado acredita que o podre “Centrão” vai colocar os interesses da Pátria acima de seus códigos de vantagens. Esta turma que é assim chamada, com pouquíssimas exceções, é a mesma que participava da quadrilha de Eduardo Cunha. O povo não esquece. Igualmente, Haddad, Boulos, Ciro e a quadrilha petista estavam só esperando a hora de começar a gritar “Fora Bolsonaro”. Penso que não são somente sórdidos. São burros e pobres de espírito. Espero que o decreto das armas concorra, de alguma forma, para colocar a ferros essa gente e seus invasores. A Nação Verde e Amarela estaria vingada e seu povo sofrido teria alcançado alguma justiça.

A inconsequência dos
perdedores está conduzindo
o povo ao extremo

Não deu o que aquela trupe queria. E as ruas, que metem medo não somente aos políticos, mas aos vermes da vida nacional, também disseram, em alto e bom som, que o Bolsonaro é o povo e seu projeto para o Brasil é a esperança. É um deleite constatar como os Conglomerados das Comunicações e seus vendidos asseclas estão se roendo de ira e de inveja, sem falar de que como os petralhas com seu “Ogro Encarcerado” estão apodrecendo de despeito, ainda mais depois que a última passeata estudantil deu com os burros n’água. Como diria o velho Chico Anísio: vai comendo Raimundo!

Realmente, a cada dia que passa o governo mais se firma, os bandidos do Congresso mais se desmoralizam, os príncipes e mandarins da máquina pública mais se desesperam ao ver se aproximar o fim de seus privilégios. A esquerda ladra e inconsequente vê toda hora um núcleo ou um feudo ser destruído pela gente do Capitão. Desse modo Bolsonaro segue adiante, sofrendo muito embora, mas no comando de seu ministério de notáveis e competentes, para toda quinta feira às 19 horas, através da “Rede Mundial de Computadores”, prestar contas de seus atos à Nação agradecida, através das “live’s” semanais, que hoje alcançam milhões e milhões de pessoas, para desespero da vermelhada enlouquecida. É gratificante ver bandidinho da extrema imprensa bem como muitos babilacas metidos a besta todos ficando “pau da vida” porque suas mentiras são, em tempo real, desmascaradas pelo “Twitter do Mito”.

É “mito” mesmo seus vendilhões da Pátria! Assim, anotem se quiserem: o ódio contra o homem que vocês quase mataram na rua a facadas o está o transformando num herói mitológico, numa lenda viva. Igualmente escutem seus mequetrefes mal-intencionados o que a história ensina: “nenhum homem, entidade ou nação inimiga pisoteia a honra e o coração de um povo humilhado e sai ileso do outro lado”.

A inconsequência dos perdedores está conduzindo o povo ao extremo. Muito diferente de uma antiga e patética bazófia do “Ogro Condenado,” com a qual ele ousou ameaçar o Brasil com os terroristas do tal de Stédile do MST, a força real do Capitão nos dias de agora o permite levantar sozinho dezenas de milhões de cidadãos e patriotas por todo País para seguir seus propósitos. Se acham que tenho ou não razão, se pensam que podem esconder o fervor de nossa gente por Bolsonaro, confiram os fatos assistindo ao vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=Cwa2NgAiW_A. É impressionante. É muito sério e mais perigoso ainda o que está acontecendo. Somente não vê quem não quer.

A lógica daquela gente se parece com a lógica da pregação dos puxadinhos do PT: o PSD, o PSOL; o PCdoB. Afirmam que a culpa do aumento da criminalidade é da polícia opressora que atira no sanguinário malfeitor para matar. O povo foi mais esta vez para as ruas contra a odiosa classe política e contra a banda podre do STF, que FHC, Lula e Dilma e Temer cevaram as nossas custas. No dizer dos maus, a culpa disto ou a motivação para toda essa revolta do povo nas ruas do Brasil inteiro provém de Bolsonaro, que insiste em não trair o povo; teima em não negociar com dinheiro e cargo público e não pactua com “Mandarim Solta Bandido”. Sabem que eles têm razão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *