Condenado a 27 anos de prisão por assassinato de idoso no Pará é preso em Chapadinha

Izaquiel da Silva Alves é fugitivo do sistema prisional de Paragominas e foi condenado a mais de 27 anos de prisão pelo crime de latrocínio contra um idoso.O comerciante foi morto de forma extremamente violenta. Os bandidos colocaram uma sacola plástica na cabeça do idoso, matando-o asfixiado, não sem antes o agredirem física e moralmente.

A Polícia Civil do Maranhão prendeu na manhã dessa terça-feira (4) Izaquiel da Silva Alves, que é fugitivo do sistema prisional de Paragominas, no Pará.
Segundo a polícia, Izaquiel foi preso no bairro Areal, em Chapadinha.
Izaquiel Alves, conhecido como “Pelado”, estava foragido do Centro de Recuperação Regional de Paragominas (CRRP) desde janeiro deste ano, quando fugiu em companhia de outros cinco detentos.

Ele foi condenado a 27 anos de prisão pelo brutal latrocínio que vitimou Wilson Soares da Silva, conhecido como “Seu Piauí”, de 78 anos, em janeiro de 2017.
Pelado e outros cinco detentos fugiram do CRRP em janeiro de 2019.
A polícia do Maranhão comunicou a prisão à polícia do Pará que está providenciando o retorno dele ao sistema prisional paraense.
Condenação dos assassinos do idoso ocorreu em julho de 2018
Em julho de 2018, o Juiz da Comarca de Paragominas, David Guilherme de Paiva Albano, condenou os acusados do assassinato do idoso Wilson Soares da Silva, de 78 anos, a penas que variam de 20 a 27 anos de prisão, inicialmente em regime fechado no Centro de Recuperação Regional.
Foram condenados:
Clebson Marcos Rodrigues dos Santos, vulgo “Bombado” condenado a  20 anos e 117 dias-multa.
Izaquiel Silva Alves, vulgo “Pelado”, condenado à 27 anos e oito meses e 164 dias-multa.

André Tiago Alves Paixão, vulgo “Loirinho”condenado `27 anos e oito meses e quinze dias de reclusão e 164 dias-multa.
O latrocínio, que teve como vítima o ancião Wilson Soares da Silva, conhecido carinhosamente pelo apelido de ‘Piauí’ e que residia na Rua Cícero Ávila, no bairro Promissão III, onde tinha um pequeno comércio, aconteceu no dia 13 de janeiro de 2017.
Os acusados premeditaram o crime no dia anterior e o consumaram de forma extremamente violenta, colocando uma sacola plástica na cabeça da vítima, matando-o asfixiado, não sem antes o agredirem física e moralmente.
Depois de investigações minuciosas comandadas pelo Delegado de Polícia Civil Pedro Rocha e sua equipe, os acusados foram encontrados em Paragominas e o principal deles, conhecido por ‘Loirinho’, numa cidade do Estado do Maranhão para onde havia fugido após o crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *