Suspeito de matar estudante com tiro na cabeça é preso em Teresina e pede perdão pelo crime

Identificado como Deivid Ferreira da Silva, o suspeito foi preso nesta quarta-feira (7), no bairro Verde lar, Zona Leste de Teresina. Gabriel Brenno, de 21 anos, faleceu após passar seis dias internado no HUT.

Suspeito de matar estudante em Teresina é preso

Suspeito de matar estudante em Teresina é preso

Após 21 dias do crime, foi preso o homem suspeito de matar o estudante Gabriel Brenno Nogueira, de 21 anos, com um tiro na cabeça no Centro de Teresina. Identificado como Deivid Ferreira de Sousa, o suspeito foi preso nesta quarta-feira (7), no bairro Verde lar, Zona Leste de Teresina,e pediu perdão pelo crime.

Ao ser apresentado à imprensa na Secretaria de Segurança Pública, Deivid se disse arrependido e pediu perdão.

Suspeito de matar Gabriel Brenno, Deivid Ferreira pediu perdão.  — Foto: Reprodução/TV Clube

Suspeito de matar Gabriel Brenno, Deivid Ferreira pediu perdão. — Foto: Reprodução/TV Clube

“Quero pedir perdão primeiramente a Deus e depois aos familiares dele”, declarou.

“Ele demonstrou bastante remorso, chorou desde o momento da prisão, mostra que está arrependido. Mas ele praticou um crime, nós apuramos, fizemos o inquérito, descobrimos como o crime ocorreu e os meios, e para nós está concluído o caso”, declarou o delegado Sérgio Alencar, titular do 1º Distrito Policial, que investigou o caso.

Deivid falou à imprensa ao ser apresentado após a prisão.  — Foto: Lucas Marreiros/G1 PI

Deivid falou à imprensa ao ser apresentado após a prisão. — Foto: Lucas Marreiros/G1 PI

Deivid Ferreira foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado. Ele estava desaparecido desde o dia do crime e foragido há cerca de 15 dias, desde que havia sido expedido o mandado de prisão. Ele foi achado na casa de uma amiga da família, que estava abandonada, porque a proprietária havia falecido há pouco tempo.

Premeditação

De acordo com o delegado Carlos César Camelo, da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil, o suspeito disse que tinha a arma do crime havia mais de dez anos, desde que fez um trabalho como pedreiro e recebeu a arma como pagamento. O delegado Sérgio Alencar, do 1º DP, acredita que a arma na verdade foi comprada recentemente para o cometimento do crime.

Delegados Sérgio Alencar e Carlos César Camelo.  — Foto: Lucas Marreiros/G1 PI

Delegados Sérgio Alencar e Carlos César Camelo. — Foto: Lucas Marreiros/G1 PI

Além disso, o delegado Sérgio Alencar informou que ainda investiga se a vítima fez ameaças ao suspeito. Tanto o celular de Gabriel Brenno quanto de Deivid ainda serão periciados. Ainda assim, os delegados informaram que o crime foi executado de forma a impossibilitar a defesa de Gabriel, descartando a legítima defesa por parte de Deivid.

Outras pessoas que possam ter dado apoio a ele após o crime também podem ser responsabilizadas. Segundo o delegado, a família estava vendendo a casa onde eles moravam no valor de R$ 80 mil e o valor seria usado para ajudar na fuga.

Comoção

Corpo de Gabriel Brenno é velado em Caxias, no Maranhão — Foto: David Peres/TV Mirante

Corpo de Gabriel Brenno é velado em Caxias, no Maranhão — Foto: David Peres/TV Mirante

O caso causou revolta e o corpo de Gabriel Brenno foi velado sob forte comoção na cidade natal do estudante, Caxias, no Maranhão.

O pai de Gabriel disse ao G1 que o filho tinha o sonho de ser militar do Exército e que tinha confiança de que o assassino do filho seria preso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *