Bate neles, Capitão!

José Maurício de Barcellos

Quem assistiu ao vídeo ao qual me referi no meu artigo anterior viu o filosofo Olavo de Carvalho dar um bom tranco no canastrão da “Rede Goebbels” que o entrevistava, recomendando, em contrapartida ao fantástico ataque de ódio que o Capitão vem suportando desde que foi eleito, que o Presidente da República se dirigisse, semanalmente e em cadeia nacional, à Nação brasileira para prestar contas do exercício de seu mandato, aproveitando para dar o devido troco. Atônito e impactado, o cativo da ”Goebbels” ainda tentou dissuadir o Mestre dizendo que as “lives” semanais do Bolsonaro eram mais do que suficientes. Bastou um olhar do professor e o vendido esborrachou-se e mudou de assunto rapidamente.

Bem sei que Bolsonaro e sua equipe – também atingida – têm mais o que fazer ao invés de ficar perdendo seu precioso tempo com a terrível guerra da contrainformação deflagrada pelos derrotados e enxovalhados nas urnas e nas ruas de outubro de 2018 para esta parte. A moçada está se desincumbindo a contento, embora muita coisa esteja por fazer. Somente não enxerga quem não quer ou está de má-intenção. Venho colhendo das redes sociais uma relação de ações governamentais e outras do próprio Presidente que impressionam até os mais céticos. Por sinal o governo Bolsonaro nesta semana “meteu uma lança em África” conseguindo aprovar na Câmara dos Deputados o projeto da Nova Previdência, concebido pelo genial Paulo Guedes e sua equipe.

Os feitos são tão significativos que me parece injusto e covarde deixar de mencioná-los (bem sinteticamente) para o caro leitor, ainda que os coloque sem muito rigor cronológico. Vale a pena tudo destacar, mormente porque nunca vi a extrema imprensa brasileira, vingativa, sorrateira e nojenta dedicar uma linha sequer para falar disso ao povão, como lhe cumpria. Eis aí: 1- foram eliminados mais de 100 mil cargos de militantes partidários, em Brasília e nos Estados; 2 – com a nova proposta econômica a bolsa de valores alcança 100 mil pontos pela primeira vez na história do país; 3 – por conta daquela nova proposta se colocam à venda ferrovias, aeroportos e portos; 4 – Impõe-se um limite ético e eficaz na aplicação da Lei Rouanet de R$ 60 bi para R$1 bi, retirando-se as mãos dos famosos dos cofres da Nação; 5 – Fixa-se de vez o Imposto Sindical opcional; 6 – Cassam-se as verbas de centenas de blogs e sites encrostados no erário; 7 – igualmente se procede em relações à ONGS da “petralhada” e da vermelhada; 8 – drástica redução com gastos de publicidades; 9 – anunciada de forma desafiadora a escolha de um ministério técnico e não político; 10 – inicia-se a campanha para aproveitamento de minérios raros como o nióbio e grafeno; 11 – O famigerado MST é colocado em seu verdadeiro lugar como entidade marginal. As invasões de terras caíram de 43 para uma; 12 – são propostas a posse e o porte de arma em conformidade com o plebiscito já aprovado pelo povo em 2005, que os vermelhos desafiavam silenciosamente; 13 – Ministra Damaris enfrenta o roubo petista em sua pasta e extingue contratos milionários; 14 – é extraditado o assassino comum e bandido foragido, que há décadas escarnecia do Brasil apoiado pelo PT e pelo PSOL, Cesare Battisti; 15 – milhares de salários pagos para as ONG’s petistas são eliminados; 16 – ocorre uma redução de milhares de cargos de assessores; 17 – é reduzido o número de ministérios de 29 para 22; 18 – são extintas as verbas para eventos diversos, como parada gay e carnaval e inicia-se o enfrentamento das atividades de nocivas ONGs no país; 19 – redução de fraudes do bolsa família. 500 mil pessoas deixam o programa espontaneamente; 20 – é concedido o 13° salário para o programa bolsa família; 21 – a obra do São Francisco adiantou 70% e 46% em duas áreas diferentes; 22  – Bolsonaro revela uma sobra de campanha no valor de R$1.600 milhão; 23 – é iniciada a propaganda com live e de graça para os cofres públicos; 24 – são adotadas ações diversas visando ao fechamento do Fórum de SP; 25 – suspensão de venda de gasolina a 80 centavos aos países do MERCOSUL; 26 – Abertura da caixa preta BNDS visando à devolução das verbas roubadas por Lula e Dilma; 27 – Suspensão absoluta de remessa de dinheiro público para ditaduras; 28 – retirada de 8000 pardais das rodovias federais dando um forte revés na indústria da multa do DETRAN; 29 – é iniciada a dessalinização no Nordeste com perfuração de 208 poços a 6 mil reais por unidade; 30 – usina de dessalinização portátil com tecnologia de Israel é implantada; 31 – recebimento de 16 helicópteros mais um “caveirão” doado por Israel; 32 – criação do novo MERCOSUL sem a Venezuela; 33 – devolução mensal pelo BNDES do dinheiro da União; 34 – desativação da Granja do Torto de triste memória; 35 – ordem peremptória para que aviões da FAB permaneçam nos pátios sem custo e para uso somente a serviços; 36 – luta sem trégua para aprovação dos projetos da Nova Previdência e para o Combate à Corrupção e ao Crime Organizado, um dos quais já aprovado na Câmara; 37 – extinções de dezenas de secretárias ministeriais; 38 – extinções de 700 conselhos ou nichos do empreguismo da “petralhada”; 39 – luta pela demarcação de terras indígenas e de preservação ambiental sem “entreguismo” e viés ideológico; 40 – é colocado de sobreaviso o bunker petista na ANVISA; 41 – extinção do CONSEA criado para garrotilhar o agronegócio; 42 – extinção da sangria de verbas públicas destinada aos movimentos dos “direitos dos manos”, sociedades comunistas ou socialistas, sindicatos de fachadas, entidades de jornalistas e associações espúrias da vermelhada; 43 – inicia-se o esforço para fixar o aproveitamento das áreas indígenas para produção em benefício dos índios ou das populações protegidas pelo Estado; 44 – são criados programas visando a recuperação das riquezas de Roraima, Pará e Amazonas; 45 – poços artesianos com energia solar ao preço de R$ 6.000 reais são perfurados; 46 – veto à criação da criptomoeda indígena com economia de 44 milhões; 47 – liquidação do “esquema” mais médicos cubanos com admissão de 11 mil médicos  brasileiros e lançamento de um programa decente para atendimento da população do interior e das áreas mais carentes; 48 – fim do apoio governamental para o Foro de São Paulo e para outras entidades igualmente espúrias; 49 – drástica redução de despesas com passagens e alimentação de ministros e assessores; 50 – duplicação de 53,9 km da rodovia BR 050 entre Catalão a Cristalina, no Goiás; 51 – revisão dos contratos de bilhões celebrados pelo PT nas áreas dos Ministérios da Saúde e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Só uma ONG petista que desviava remédios destinados aos indígenas tinha 3.500 petralhas; 52 – Alteração da pontuação punitiva na CNH para 40 pontos e validade de cinco para 10 anos, atingindo de morte a indústria da multa no trânsito; 53 – saída do Brasil da UNASUL; 54 – economia 100 milhões com migração para o Portal único; 55 – Redução de 25% dos assassinatos somente com a nova política de proteção do homem comum contra os marginais protegidos pelo PT e pelo PSOL; 56 – Crescimento das viagens de turistas de países sem necessidade de vistos; 57 – exibição pública da Caixa Preta do BNDES, cujo rombo daria para construir um novo Brasil; 58 – nova política indigenista ouvindo o clamor dos povos indígenas e suas reivindicações; 59 – troca de reitores bandidos do PSOL nas universidades federais; 60 – dura luta travada diuturnamente contra o lado negro do Congresso e do STF, aliados dos sindicatos, da extrema imprensa, “Mistério Público” infestado de vermelhos, ONGs, Conglomerados Nocivos das Comunicações e seu movimento diário de difamação do governo; 61 – ação enérgica de pente fino nas aposentadorias fraudulentas e no bolsa família; 62 – luta pela liberação gratuita da medicação contra o câncer, impedida por lobistas dos laboratórios; 63 – doída luta contra a prática da barganha com dinheiro público e com o cargo público que enlouquece a velha política; 64 – fim das comitivas do tipo socialistas em viagens oficiais, pondo termo a uma prática usurpadora dos últimos trinta anos; 65 – enfrentamento diário e constante contra a elite artística ordinária e chupim da verba pública; 66 – exemplo de sacrifício, de abnegação e de patriotismo por parte do Presidente que trabalhou com uma bolsa de colostomia durante meses; 67 – surpreendente feito inédito do Presidente eleito que sem tempo, sem dinheiro, sem apoio político, com 7 segundos e live editada na varanda de sua casa se elegeu Presidente do Brasil; 68 – ação sem precedentes da equipe econômica cobrando dos ex-governadores os rombos nos Estados; 69 – grande e arrojado programa de privatizações que, começando pela ELETROBRÁS, já registra resultados históricos e aponta para um sucesso absoluto; 70 – policia federal prende 53 criminosos que invadiram uma propriedade rural, deixando a vermelhada de barba de molho; 71 – pela primeira vez um Presidente do Brasil recém-eleito é homenageado como homem do ano nos EUA; 72 – Bolsonaro passa a ser considerado pela imprensa internacional como um dos líderes mais influentes do ano; 73 – pela primeira vez na história do País, 3 índias fazem parte do governo central; 74 – recuperação dos valores da Nação Verde e Amarela pugnando-se pelo o hasteamento da bandeira e por cantar o hino nacional em todos os estabelecimentos públicos e privados; 75 – corte dos pagamentos de 2000 anistiados ou de presos do regime de 1964, dentre eles FHC, Chico, Lula, Dilma, Caetano e Gil, atendendo ao grito da classe média aviltada que há muito brandia “fora canalha usurpadora”; 76 – celebrado o inédito e alvissareiro acordo com EUA que, além de tudo o mais, vai trazer mais segurança nas fronteiras do Brasil contra o tráfico e terroristas, acordo que mata de susto a vermelhada burra, venal e incompetente; 77 – elaboração do plano de micro bacias; 78 – ataque frontal à perversa indústria de multas do IBAMA; 79 – implantação do programa de irradicação de doenças raras pelo SUS; 79 –  elaboração e sanção da lei da simples empresa com crédito pelo BNDES; 80 – proposto o projeto que acaba com as mordomias e os privilégios dos ex-presidentes, inclusive para Bolsonaro; 81 – extinção definitiva do famigerado e retrógado horário de verão que tanto prejudicava as crianças e o ciclo biológico; 82 – editado o decreto que quebra o sigilo bancário de toda movimentação com recursos públicos; 83 – retirada dos cursos de filosofia e sociologia do currículo universitário que há décadas servia a formação de militantes de esquerda; 84 – demissões de centenas de afilhados da classe política abjeta e a rejeição ao empreguismo para político derrotado; 85 – extinção do programa publicitário do Banco do Brasil de viés socialista com economia de milhões; 86 – aprovação da lei da defesa do patrimônio; 87 – inauguração do aeroporto do Amapá parado há mais de 10 anos; 88 – mudança da tabela progressiva do Imposto de Renda que beneficia a classe média trabalhadora; 88 – Bolsonaro passa a marcar emblematicamente sua presença no governo com atitudes simples, despojadas, diretas, patriotas e leais, a exemplo de extinguir o hábito da vassalagem oficial no tratamento nobiliárquico de excelência; 89 – demissão de uma Diretora da EMBRATUR por promover um almoço por mais de 250 mil reais com show de Alceu Valença; 90 – demissão de vários comandados e desleais servidores tal como o Presidente do BNDES que se negava a abrir a caixa preta do Banco para proteger seus antigos companheiros Lula e Dilma; 91 – anunciado os estudos para privatizar os Correios, empresa sem concorrência que a gentalha de Lula e Dilma conseguiu falir; 92 – anunciada a venda dos ativos da Petrobrás, aqui e no exterior, destinando-se a empresa para sua principal função que é a extração de óleo e mais nada; 93 – suspensão de assinaturas de revistas para o governo no valor de 18 milhões; 94 – fixa que trabalhador rural não precisará mais da interferência dos sindicatos para se aposentar; 95 – cria o programa “Ciências nas Escolas” que distribuirá R$ 100 milhões para projetos educacionais; 96 – sanciona o Decreto que extingue 13.710 cargos da “cabidagem” de emprego nas universidades federais; 97 – constrói a BR 163 para escoamento da soja; 98 – Bolsonaro consegue capitar R$ 1,6 milhão em doação para o hospital da Santa Casa da Misericórdia em Minas, depois que os contras proibiram doar a sobra da sua campanha política, a mesma com as quais as quadrilhas de Sarney a Temer se locupletavam; 99 – é autorizada a liberação pelo SUS da vacina para tratamento da atrofia muscular espinhal, antes negada às famílias dos menos favorecidos; 100 – é inaugurada, com o Ministro da Infraestrutura e o de Minas e Energia, uma série de obras de grande porte no nordeste, sendo a mais recente a Usina Fotovoltaica Flutuante que, nesta segunda-feira (5), na cidade de Sobradinho, Norte da Bahia, gera energia solar. Tudo isso sem falar na almejada entrada do Brasil na OCDE (o tal clube dos ricos), bem como no acordo comercial com a União Europeia (MERCOSUL-UE), o mais importante acordo de livre comércio já assinado pelo Brasil depois do Acordo de Livre Comércio com os Estados Unidos em andamento. Além de tudo isso, há que se destacar também o reconhecimento, pelo governo americano, do Brasil como Aliado Preferencial Extra OTAN e como futuro integrante da Organização do Tratado do Atlântico Norte. Essas são as extraordinárias ações da nova política externa do Brasil que, entretanto, vêm sendo tão menosprezadas, demonizadas e colocadas em dúvida pela vermelhada incompetente, invejosa e corrupta.

Eu pessoalmente não sei como esse líder aguenta tanta maldade e tanta vilania sem sair por aí dando “botinadas em todas as direções”, como um dia lembrou Nelson Rodrigues. No mínimo, em relação aos vendidos jornalistas que o espancam pessoalmente – o negócio aqui é pessoal contra o Capitão – e que pregam o ódio e a cizânia por terem tidos seus interesses contrariados, acho que se o negócio fosse comigo já teria, em grande estilo velho – como um dia cantou Júlio Dantas – os desafiado num duelo bem à moda de um tempo em que a honra de um homem era lavada com sangue.

Estou exausto de ver tanta infâmia da “jornadalha” soez e o que é o pior, de constatar que tudo se faz de forma ardilosa e matreira, ocultada sob o manto do dever de informar. Dei-me ao trabalho de verificar numa edição de dois grandes jornais da extrema imprensa o tanto que seus colunistas e deformadores de opinião, que antes se ajoelharam por toda a vida diante da classe política abjeta, destilam de veneno para cima do Presidente eleito. Só lamento que a ruptura constitucional pelo art. 142 da Carta Política de 1988 não tenha ocorrido ainda, porque tenho certeza de que se teria a oportunidade de encontrar em relação a cada um daqueles malditos, o caminho do dinheiro que surrupiavam dos cofres públicos e que perderam com a eleição de Bolsonaro. Tanto a prova de seus crimes contra o Brasil quanto uma listagem como a que antes exaustivamente transcrevo, que deixam evidenciadas suas vilanias, gostaria de enfiar goela abaixo destes energúmenos para lhes ensinar o que é ser um cidadão de bem.

Sinceramente, me causam tristeza aqueles que esquecendo a facada de Juiz de Fora e tudo o mais que o Capitão e seus filhos já sofreram até aqui pelo Brasil ainda duvidam de seu amor à Pátria ou de suas intenções, de seus princípios ou valores e ao ver a justa ira de quem é espancado todo dia e outro também, sabendo inclusive que o ataque vem de uma escumalha que não vale o chão onde pisam os patriotas, ainda assim quer que ele cale a boca, se finja de morto, meta o rabo entre as pernas ou peça de joelhos desculpas públicas por não gostar de patifes, do “Ogro Encarcerado”, da “Anta Guerrilheira” e de outros canalhas deste jaez.

O Brasil e o mundo não têm dúvida de que Bolsonaro é valente, indomável, incorruptível, mas também, por outro ângulo, que é pacífico e conquanto defensivo não agride ninguém, nem quem fez tudo por merecer umas boas tapas no frontispício ou uma facada de volta em legítima defesa. Sendo desta forma, penso que o Capitão não deve mais olvidar o conselho do Mestre Olavo de Carvalho para toda semana, em cadeia nacional, prestar contas ao Brasil do belo trabalho que está realizando e, de passagem, colocar a “vermelhada” no rumo e no prumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *