Sobre o seletivo “Sinal Verde”: Paciência tem limite

Depois que explodiu o escândalo do seletivo em que o secretário Antonio Gomes Lima, Toinho do Juvenil dava o “Sinal Verde” para que o secretário Thiago Braz procedesse a falcatrua, tenho recebido mensagens de pessoas querendo saber como podem ser ressarcidos dos valores da inscrição.

Minha orientação tem sido no sentido de procurar os vereadores da base ou da oposição,bem como o Ministério Público, o Sindicato dos Servidores Públicos do município ou uma outra entidade classista ou representantes da sociedade civil.

O silêncio sepulcral dos envolvidos no escândalo, demonstra o total desrespeito a população que só é vista e lembrada, no período das eleições.

Vargem Grande não pode levar sobre os ombros a marca da cidade dos acomodados, que tudo aceitam e a tudo dizem amém.

Se a fraude foi perpetrada é bom que se perguntem aos secretários envolvidos. Só eles podem responder a tal indagação. Agora que o “sinal verde” foi dado, está explicitado no áudio. Como também é verdade que homens e mulheres de bem não confiam mais em participar de um certame dessa envergadura, pagando inscrição, sem a administração dá explicações plausível que o caso requer.

Vargem Grande é a única cidade que conheço que o cargo de secretário é vitalício. Podem levar a administração ao caos,mas não são demitidos. Isso desde ontem, hoje e a continuar com o andar da carruagem, será sempre.

Por fim, aos que me procuraram, sugiro que, se ninguém vos quiser ajudar, procurem a Delegacia de polícia civil, façam um BO e aguardem o andamento do TCO ou Inquérito Policial. O que não queremos e não podemos acreditar, é que iremos ostentar o triste título da cidade da impunidade..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *