Uma semana difícil na política de Vargem Grande

No início da semana o vereador Diego da Madeireira queixava-se ao seu interlocutor via rede social, que tinham lhe tirado o direito de divulgar suas ações nos veículos que fazem a mídia do poder executivo.Disse e que por esse motivo, tinha sido convidado a fazer esse trabalho no programa Bandejão da Nova, apresentado por seu colega de parlamento Jociedson Aguiar, no veículo de comunicação que tem a concessão sob a responsabilidade do médico e político Dr.Miguel,principal adversário do grupo dominante.

Ninguém afirmou ou desmentiu o Diego. Quem cala, quando não afirma, consente.E ficou claro que fora verdade, só não apareceu o autor do ordem.

Não demorou muito tempo e começaram os ataques ao vereador, inclusive com filmagens de um churrasco na residencia de Diego.Nesse churrasco estavam vereadores de oposição, inclusive o presidente da Câmara e muitos outros amigos.

Ora, esses churrascos são comuns na residencia do Diego. Eu particularmente participei de alguns,e não vi nada desabonador.

Depois surgiu um clip chamando o vereador de traidor e outros adjetivos pejorativos, mas não se cita em nenhum deles, quando,como, e por que Diego traiu? e traiu quem?

Na sexta-feira,o vereador e ex-presidente da Câmara Germano Barros, em um tom autoritário diz que Diego não tem as minimas condições de ser candidato a prefeito, ou vice no seu grupo e de seu irmão Carlinhos Barros prefeito municipal.

Pelo que eu tomei conhecimento, no programa, ao ser entrevistado, Diego não disse que seria candidato a prefeito, ou vice e sim vereador. Ora, se é essa a razão de tamanha celeuma,,por que então não conversam as partes?

A política em Vargem Grande, tem que ter um debate acima das questões pessoais.Não se governa para si ou para um grupo. Quando o candidato se elege prefeito, ele tem que ter em mente, que ele foi escolhido para administrar o município e não um grupo partidário. Esse trabalho de grupo, é de presidente do partido.

A Vargem Grande só vai melhorar quando atentarmos que é preciso trabalhar para todos, por todos e para o bem comum. De outra forma, estaremos enxugando gelo. Serão sempre ciclos. Um grupo passa um período bem, e em outro período bom é para o outro grupo. E o povo nesse caso, é um mero expectador.

A lei é clara, quem acusa tem dar o ônus da prova. Vamos começar a ser adultos.Quando afirmarmos algo, demos prova dessa afirmação e assim caminharemos juntos a dirimir dúvidas, e alcançar o almejado progresso municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *