MENINA DE 14 ANOS É DOPADA E ESTUPRADA PELOS PAIS DE SUA MELHOR AMIGA

Uma adolescente de 14 anos foi dopada e estuprada por um casal em São Vicente, no litoral de São Paulo, na última quarta-feira (25). Os autores do crime são Luciana Cristina, de 35 anos e Marcílio Maximino, de 34 anos — mãe e pai de sua melhor amiga.Depois de passar a terça-feira (24) estudando e brincando na residência da melhor amiga, a vítima acabou dormindo no local por conta do horário e da dificuldade em encontrar condução para voltar para casa.No dia seguinte, a vítima contou que Luciana saiu para o supermercado e voltou com um refrigerante. Ela ofereceu a bebida para a adolescente que, depois de beber, percebeu que havia algo errado e começou a se sentir ‘grogue’ e com as ‘pernas bambas’.Antes de perder os sentidos, a menina lembra-se de ter visto o pai da amiga abrir uma embalagem de preservativo. Depois, a vítima ficou desacordada, sendo estuprada por Marcílio. O casal assumiu o crime.Algumas horas depois a vítima acordou nua, com Marcílio do lado, que pediu para que ela ‘ficasse à vontade’. Com medo, a jovem saiu do quarto e encontrou a filha e a irmã de Luciana, que perceberam o nervosismo da garota e chamaram a Polícia Militar.Quando a Polícia Militar chegou no local, o casal já não estava mais lá. Uma busca foi iniciada e eles foram encontrados, pouco depois, fugindo em um carro que havia sido parado na praça de pedágio da Rodovia dos Imigrantes, no sentido São Paulo. Eles foram presos em flagrante.Em depoimento, Marcílio admitiu que tinha comprado o medicamento utilizado para drogar a vítima. Ele também afirmou que havia acertado com a esposa que ela desse o líquido contaminado, possibilitando que ele cometesse o ato. Luciana também confessou que planejou a ação desde o início. Conversas entre os dois suspeitos, via WhatsApp, também comprovaram a participação de ambos no crime.

MÃE DA VÍTIMA

“Estou chocada. Não esperava por isso. Conheço a Luciana há anos, nossas filhas são melhores amigas e o filho dela melhor amigo do meu menino, por isso confiava de deixar minha filha ir lá. Minha menina tentou se matar depois disso, não posso deixá-la sozinha”, desabafou a mãe da adolescente.As crianças não tem culpa da mãe ser esse monstro. São dois monstros. Elas estão falando que agora a vida delas acabou, me pediram perdão, mas elas não tem culpa disso. Eu não consigo nem pensar no assunto, é muito difícil. Imagina minha filha acordar pelada e assustada, e ela tem apenas 14 anos”, lamenta a mulher.Em nota, o Tribunal de Justiça do Estaço de São Paulo informou que, em audiência de custódia, a prisão em flagrante de Marcílio Maximino Pereira foi convertida em prisão preventiva. No entanto, foi concedida a liberdade provisória à Luciana Cristina de Jesus, com medidas cautelares.“O pior é que a Luciana está solta, na casa dela, com cara deslavada, falando que eu não tenho provas contra ela. Ela ganha proteção e minha filha de 14 anos que foi estuprada não”, diz a mãe da adolescente.

 MÃE DE LUCIANA

A mãe de Luciana conta que soube do crime por meio da neta, que a procurou desesperada sem saber o que fazer para ajudar a colega. “Em uma situação dessas não tinha como eu agir de forma diferente. Chamei a polícia. Ninguém merece passar por isso. O pior é que eles gravaram o estupro”, diz a costureira de 58 anos, mãe da criminosa.“Ela [vítima] estava desorientada, não queria falar com a mãe, estava assustada e com medo. Ninguém esperava isso deles [minha filha e meu genro]. Minhas netas estão sem chão, muito tristes. Uma delas é a melhor amiga da vítima”, conta a costureira.“Eu ainda tentei ter esperança de que minha filha não tinha feito isso, mas fez. Estou péssima. Meus netos choram muito. Não sei o que aconteceu com a minha filha mas, de uns tempos para cá, ela estava meio fria, estranha”, acrescenta.Além de ser mãe da melhor amiga da vítima, Luciana tem outros dois filhos: uma menina e um menino. Nas redes sociais, Marcílio costumava citar passagens bíblicas. Uma de suas fotos está acompanhada da seguinte legenda: “Deus é o sustento da minha vida”.O caso repercutiu nas redes. “Não dá nem para confiar nos pais das amigas de sua filha. Muito revoltante isso. Tirar o sonho de uma menina. O trauma fica para a vida toda”, publicou uma internauta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *