Rio Itapecuru entra na lista de monitoramento da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais CPRM

Seminário “Estudos hidrogeológicos da Ilha de São Luís” (Foto: Marcelo Gomes)

São Luís sediou, na quarta (4) e quinta-feira (5), o II Seminário “Estudos hidrogeológicos da Ilha de São Luís: subsídios para o uso sustentável dos recursos hídricos”. O evento foi uma realização da Agência Nacional de Águas (ANA), coordenado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA).

O seminário teve como objetivo apresentar resultados de pesquisas e estudos e discutir propostas para atividades relacionadas à gestão de recursos hídricos e ambientais que possibilitem uma abordagem estratégica, privilegiando a participação da população na busca de soluções viáveis para os principais problemas identificados.

Rio Itapecuru

Durante o Seminário, foi divulgada a inclusão, no Sistema de Alerta Críticos (Sace), a Bacia do Rio Itapecuru, que é considerada a mais extensa do Maranhão. Alcança importantes cidades como Mirador, Colinas, Caxias, Codó, Timbiras, Coroatá, Pirapemas, Cantanhede, Itapecuru-Mirim e Rosário. É responsável pelo abastecimento de água de São Luís, por meio do Projeto Italuís.

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais Rafael Ribeiro destacou a relevância do evento para o Maranhão: “Foi importante para analisarmos a qualidade de água ofertada para os cidadãos. Além dos diagnósticos e estudos feitos, teremos planos direcionados para sustentar essa oferta de água com qualidade”, pontuou.

Seminário “Estudos hidrogeológicos da Ilha de São Luís” (Foto: Marcelo Gomes)

O Sistema de Alerta da Bacia do Rio Itapecuru é o 16º sistema implantado pela Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). É um serviço de alerta hidrológico de cheias, que visa trazer segurança para a população e oferece previsões para a sociedade, além de contribuir com o trabalho da defesa civil.

O coordenador nacional dos sistemas de alertas hidrogeológicos da CPRM, Arthur Matos, explicou como funciona o sistema. “Fazemos as previsões e repassamos para a Defesa do Civil, indicando o nível que o rio estará, com determinado tempo de antecedência, para que assim a população possa se preparar e a Defesa Civil ter tempo de realizar o manejo da população que habita as proximidades do rio”.

As atividades de monitoramento do Rio Itapecuru foram iniciadas em abril deste ano. O Sistema de Alerta Hidrológico do rio Itapecuru (SAH/Itapecuru) beneficia, nesta fase do projeto, as cidades de Caxias, Codó e Coroatá.

O lançamento oficial do SAH/Itapecuru aconteceu durante o II Seminário “Estudos hidrogeológicos da Ilha de São Luís”, como uma oportunidade de reunir distintas áreas de pesquisa e atores sociais envolvidos na discussão da temática de abastecimento hídrico e usos racional das águas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *