Homem é preso após bater na mãe e tocar fogo em residência no PI

15/12/2018 09:21 em Notícias

No fim da tarde dessa sexta-feira (14/12), policiais militares de Buriti dos Lopes, município localizado a 302 km da capital, efetuaram a prisão de  um homem identificado como Jorge Luiz do Nascimento Silva, de 31 anos, acusado de ter agredido sua própria mãe, Maria dos Milagres do Nascimento e incendiado a casa, no centro cidade.

Uma guarnição da PM foi até o local e constatou que os vizinhos conseguiram apagar as chamas, que já se espalhavam rapidamente pela casa.

Jorge Luiz foi preso em flagrante com uma garrafa pet que tinha a gasolina usada para o incêndio e uma trouxinha de maconha. Os policiais encaminharam o caso para a delegacia e Jorge Luiz foi apresentado à autoridade policial por incêndio criminoso, violência doméstica e posse de entorpecente.

Fonte:Folha de Parnaíba

Animal na pista provoca acidente com ambulância do Povoado Leite

Na madrugada desta sexta-feira(14), uma ambulância do Povoado Leite, se envolveu em um acidente após colidir com um cavalo, que “perambulava” pela BR-222, nas imediações da Cerâmica de Magno Amorim. O motorista voltava de São Luís.

O condutor da ambulância que teve o seu nome preservado, disse que tentou desviar do animal mas não conseguiu. “A pista estava escura e o cavalo apareceu do nada. Tentei desviar dele, mas acabei atropelando”, explicou.

Com o impacto o animal morreu e a ambulância ficou com a parte frontal da lataria amassada e os vidros dianteiros quebrados.

Apesar do susto, o motorista sofreu apenas ferimentos leves.Fonte Sergio Roberto

Três suspeitos de roubos de cargas morrem em confronto com PMs no interior do Maranhão 

Três suspeitos de assaltos a caminhões e motos na região de São Bento, na Baixada Maranhense, tombaram em confronto com as guarnições da Policia Militar na  quinta-feira (13).

Antes da operação, que contou com PMs de São Bento e Palmeirândia, as guarnições receberam várias informações sobre alguns homens armados em uma residência no povoado Iguarapiranga, na zona rural de São Bento.

Ao chegarem ao local, os policiais foram recebidos a tiros, com reação imediata das guarnições. No confronto, três suspeitos que estavam dentro da residência foram alvejados.

Os próprios PMs prestaram socorro, levando os feridos ao hospital mais próximo, mas eles não resistiram e morreram.

Do acordo com informações da PM, os mortos são suspeitos da prática de a caminhões de cargas e motos na região. Eles já tinham haviam sido presos anteriormente por outras prática delituosas na cidade.

Um dos suspeitos foi identificado como Rafael de Jesus. A polícia ainda não confirmou a identidade dos outros dois.

Com os três suspeitos mortos, foram apreendidos um revólver calibre 38, com três munições deflagradas e três intactas; um revólver calibre 32, com duas munições deflagradas e duas intactas; uma espingarda calibre 20, com três deflagradas é uma intacta; e uma espingarda bate bucha.

Informações Blog do Gilberto Lima

EM TRIZIDELA DO VALE, ADOLESCENTE CORTA O PRÓPRIO PULSO PARA INCRIMINAR A AVÓ

Na última quinta-feira (13), uma menor de 14 anos pediu socorro a uma viatura que circulava nas ruas de Trizidela do Vale. Durante a conversa com os PMs, ela mostrou escoriações pelo corpo afirmando ter sido vítima de agressões de sua própria avó.
A guarnição partiu para atender a ocorrência. A jovem entrou na viatura junto com os policiais e foi até a casa da suposta agressora.
Chegando ao local, os PMs relataram as declarações da vítima à senhora, que em resposta, afirmou uma situação muito diferente. Segundo ela, a moça entrou na casa e “tomou conta do lugar”, se trancando no quarto. Em seguida, ela cortou o próprio pulso com um objeto cortante. Os policiais notaram que o fato não é recente, uma vez que os ferimentos na jovem estavam bastante cicatrizados.
Após os esclarecimentos, a menor de idade foi levada ao atendimento médico em Trizidela do Vale, onde foi utilizado medicamentos para acalmar a mesma. Ela também terá de receber acompanhamento psicológico.Com informações de Ribinha da FM (Tribuna 101)

Fonte: Carlinhos Filho

Polícia prende líder de esquema que fornecia internet ilegal para empresas e prefeituras no Maranhão

Linderson Dourado Alves é considerado pela polícia como o líder de um esquema de fornecimento ilegal de internet — Foto: Divulgação/Polícia Civil
A Superintendência Estadual de Investigações Criminais no Maranhão (SEIC) realizou nesta sexta-feira (14) a Operação Dourado, que investiga o fornecimento ilegal de internet a empresas e até prefeituras do Maranhão. Foram cumpridos 27 mandados de busca e apreensão em várias cidades, como São Luís, São José de Ribamar e outras das regiões do médio Mearim e baixada maranhense.
A polícia também cumpriu com um mandado de prisão preventiva contra Linderson Dourado Alves, considerado o líder do esquema criminoso. Os presos foram encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde permanecerão à disposição da Justiça. A operação é resultado de mais de um ano de investigações, além de interceptações telefônicas que apuraram casos de furtos e receptações de equipamentos das concessionárias de internet, que serviam para montagem de sites em subestações clandestinas, camufladas por empresas de fachadas, que distribuíam sinais de internet para clientes incautos, dentre eles, comércios, indústrias e prefeituras.
Os alvos da operação foram sites instalados em subestações clandestinas, montados com equipamentos furtados e/ou receptados de operadoras de internet. Dentre vários itens, a polícia apreendeu armários (suítes), moldem cabos de fibra ótica, gbics, roteadores voip, placa voip, antenas, bateria de gel estacionária, etc.
Os suspeitos de participarem do esquema foram autuados pela prática de furto majorado e receptação dolosa. Também foram cumprida ordem de busca e apreensão na sede da concessionária Oi e nas casas de funcionários.
De acordo com a polícia, a simples instalação dos equipamentos furtados e instalados nos sites clandestinos não possibilita a distribuição do sinal de internet. Para isso, é necessário o acesso ao link através de senhas randômicas que só podem ser fornecidas por operadores da própria concessionária. Fonte Neto Weba

Drª Thaíza tem contas de campanha aprovadas pelo TRE-MA

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão aprovou na tarde desta quinta-feira (13) a prestação de contas de campanha eleitoral de 2018 da Drª Thaíza de Aguiar Hortegal.

A médica pediatra foi eleita nas eleições de outubro com mais de 50 mil votos e foi votada  em mais de 90% dos municípios do Estado. Ela foi a sétima candidata mais mais votada.

“O resultado da apreciação das nossas contas não é surpresa mas a notícia nos enche de satisfação; fizemos uma campanha séria e limpa; e é dessa forma que vamos exercer o mandato escolhido pelo povo querido do nosso Maranhão”,  disse a deputada eleita Dra. Thaíza.

Do blog do Luís Cardoso

Prefeito acusa desembargador de saquear prefeitura em R$ 2 milhões no Maranhão

O prefeito de Açailândia, Juscelino Oliveira, encontrou um meio perigoso para justificar a ausência de obras escolares. Ele disse que o desembargador Cleones Cunha “saqueou, tiraram o dinheiro da reforma das escolas”, afirmou o gestor.

“as pessoas não gostam que eu diga isso, mas é a verdade”, falou o prefeito durante entrevista à emissora de Rádio FM Sorriso, de Açailândia no início de dezembro.

O prefeito, na verdade, nunca explicou as razões dos bloqueio e diz apenas que foram mais de R$ 2 milhões bloqueados, colocando a culpa no desembargador quando Cleones ainda era presidente do Tribunal de JustiçA.

O Blog do Luis Cardoso tentou contatos com o desembargador, mas o numero repassado pra cá era de uma pessoas diferente, mas o espaço está reservado para o Magistrado.

O blog entende que assim agindo, o prefeito busca uma desculpa e tenta na sua cidade incriminar um desembargador pela a não realização das reformas nas escolas com os R$ 4 milhões recebidos do FNDE enviados pelo Ministério da Educação. Em Açailândia os comentários dão conta de que ele teria comprado uma fazenda por R$ 1,5 milhão.Fonte Luis Cardoso

Cemar é condenada a pagar indenização por danos a criança

Imagem de Internet.
A 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) condenou a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) a pagar indenização a uma criança, representada em Juízo por seus pais, vítima de descarga elétrica de alta-tensão no sítio de residência da família, fato que causou lesões permanentes na garota, que tinha 11 anos à época, em fevereiro de 2017.
Os desembargadores fixaram indenizações nos valores de R$ 50 mil, por danos morais, R$ 150 mil, por danos estéticos, além do pagamento de pensão mensal, de um salário-mínimo, a partir do evento danoso e até que se comprove a aptidão para o exercício laboral remunerado nesse valor.
A decisão do órgão colegiado utilizou parâmetros de tribunais superiores e do próprio TJMA para atender, em parte, ao apelo da concessionária de energia elétrica. A sentença da 3ª Vara Cível da Comarca de Imperatriz havia condenado a empresa ao pagamento dos valores de R$ 150 mil, por danos morais, R$ 300 mil, por danos estéticos, e um salário-mínimo até a readaptação da autora à capacidade de exercer atividade remuneratória relativa ao valor.
A Cemar apelou ao TJMA, alegando inexistência de nexo causal entre a suposta conduta da empresa e os danos sofridos pela vítima. Sustentou que a rede elétrica foi instalada dentro de propriedade privada, sendo dever do proprietário do imóvel a poda de árvores próximas à instalação elétrica, que também teria sido o responsável pelo posteamento e fiação elétrica. Acrescentou que em nenhum momento fora solicitado à empresa que realizasse a poda das árvores.
VOTO – O desembargador Jaime Ferreira de Araujo (relator) entendeu que, de acordo com os autos, a empresa não adotou qualquer procedimento capaz de evitar ou minimizar os riscos de sua atividade, restando demonstrado que o serviço foi prestado de forma claramente defeituosa, por não oferecer a segurança que razoavelmente se espera, cabendo ao fornecedor do serviço fiscalizar e fazer manutenção de toda a sua rede.
O relator destacou que, apesar da alegação de se tratar de dever do proprietário a manutenção de rede elétrica dentro de sua propriedade, o senso lógico não permite chegar a essa conclusão. Lembrou que a manutenção da rede elétrica requer não somente conhecimentos técnicos, mas também equipamentos específicos de proteção, o que foge ao alcance do consumidor comum. Disse que cabia à apelante o dever de cuidado, cercando-se de todo o aparato necessário para evitar acontecimentos danosos aos usuários de seus serviços.
O desembargador citou precedentes do TJMA, com o mesmo entendimento, e observou o conjunto de provas, com destaque para a inspeção judicial no local do acidente e o laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz, considerando patente a responsabilidade da empresa, fundada em requisitos como a conduta da concessionária de serviços públicos (falha na prestação de serviço – instalação e manutenção de rede elétrica); culpa ou dolo do agente (inobservância do dever de cuidado); existência de dano (morais, estéticos e materiais); e nexo de causalidade.
Segundo o relator, a inspeção judicial concluiu pela existência de fios de alta-tensão instalados dentro de propriedade particular, sem as cautelas mínimas de proteção. Disse que o laudo pericial demonstrou perda de metade do pavilhão auricular esquerdo, perda do segundo dedo do pé esquerdo e lesões da mão e punho direitos que determinam perda anatômica e funcional do membro superior direito, ou seja, perda da capacidade funcional de 100% do membro.
Jaime Ferreira de Araujo observou, no entanto, que os valores das indenizações não estavam dentro dos parâmetros utilizados pelo TJMA e dos padrões do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Citou mais precedentes e votou pelo parcial provimento do recurso, para reduzir o dano moral para R$ 50 mil, o dano estético para R$ 150 mil e determinar o início do pagamento da pensão mensal de um salário-mínimo a partir do evento danoso.
Os desembargadores Marcelino Everton e Luiz Gonzaga Filho acompanharam o voto do relator

Esquadrão Águia prende assaltantes armados em Coroatá; vídeo

Parte da ação foi filmada por uma câmera colocada no capacete de um policial.


A Polícia Militar, através do Esquadrão Águia, prendeu nesta quarta-feira (12) dois indivíduos suspeitos de estarem praticando assaltos na cidade de Coroatá.

A dupla foi vista em atitude suspeita em uma motocicleta, sendo alcançados logo em seguida pela guarnição. Com um dos rapazes foi encontrado uma arma de fogo que, segundo a PM seria usada para praticar assaltos.

Parte da ação foi filmada por uma câmera colocada no capacete de um policial [veja o vídeo no final desta reportagem].

Os dois rapazes foram encaminhados para a delegacia de Coroatá onde foram realizados os procedimentos necessários.

Quem mata é bandido

MIGUEL LUCENA

Quem mata não são as armas de fogo, mas as pessoas que as usam: assassinos, latrocidas, terroristas, loucos ou alguém em legítima defesa. Entretanto, no afã de defender a tese contrária à vontade da população manifestada em plebiscito, o presidente da OAB nacional, Claudio Lamachia, vinculou o ato tresloucado do matador de Campinas/SP ao porte de arma, numa contradição absurda, porquanto está em vigor o Estatuto do Desarmamento.

O argumento do advogado nos leva a crer que o Estatuto do Desarmamento foi revogado e o porte de armas liberado no Brasil, o que não é verdade.

O cidadão saudável, cumpridor de seus deveres, está desarmado: o padre, o sacristão, a freira, o fiel, todos com as mãos abanando, e o bandido efetuando os disparos.

Frei Anastácio Palmeira, um cafuso que foi vigário de Princesa no início dos anos 70, só andava com o revólver por baixo da batina, mas nunca atirou em ninguém. Por outro lado, sabedor de que ele vivia armado, nenhum bandido encostava para lhe roubar a caixa das almas.

O atirador de Campinas, provavelmente com transtornos psiquiátricos, certamente portava as armas de forma ilegal, não cabendo o argumento de que a liberação do porte de armas aumentará a ocorrência de tragédias semelhantes.

Para portar arma, o cidadão terá de se submeter a testes psicológicos, o que excluiria transtornados como o que agiu em Campinas.

No Rio de Janeiro, um empresário escapou da morte porque estava armado e atirou nos bandidos, deixando um criminoso estendido no chão e ganhando tempo para fugir.

Se porte de armas fosse sinônimo de aumento de mortandade entre a população, o Brasil não registraria 27,1 homicídios para cada 100 mil habitantes, enquanto nos Estados Unidos ocorrem 4,7.

Na pequenina Islândia, com 300 mil habitantes, existem 90 mil armas de fogo e quase nenhuma morte. Lá, só se morre de velho ou de vício.

Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, jornalista e escritor.
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com